História Dragon Ball Chronicles - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Dragon Ball
Tags Bulma, Chichi, Dragon Ball, Gohan, Goku, Lunch, Vegeta, Videl
Visualizações 98
Palavras 2.366
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 7 - O consolo de Chichi


Fanfic / Fanfiction Dragon Ball Chronicles - Capítulo 7 - O consolo de Chichi

Goku havia morrido na batalha contra Raditz e Gohan fora levado por Píccolo para ser treinado e preparado para o futuro combate com os Sayajins. Chichi estava inconsolável e chorava quase o dia todo, quando não estava quebrando as coisas e querendo sair igual a uma louca para resgatar seu filho das mãos de Píccolo. Estava com medo de ficar em casa sozinha e Rei Cutelo andava muito ocupado com seus afazeres, então permiti que ficasse na minha casa até que ela se acalmasse.

Ela então aceitou passar umas noites na boa e velha casa do Kame. Agora estava tão vazia a minha casa, após Lunch ter ido morar com Tenshinhan e Oolong ter ido morar na Corporação Cápsula. Estávamos apenas eu, Kulilin e a Tartaruga. Kulilin andava treinando bastante recentemente e certamente já havia me superado em muito. Eu apenas tentava curtir a minha velhice.

Chichi sempre me agradecia por estar dando essa força a ela e eu apenas sorria. Tinha que ajudar a mulher do meu melhor pupilo. Sabia que ele voltaria com as esferas do dragão dali a um ano, mas para Chichi, a perda temporária de seu marido e filho foram demais. 

Certa noite, notando que Chichi estava há muito no quarto, resolvi levar um lanche para ela comer. Devia estar faminta. Entretanto, com medo dela estar adormecida, entrei no quarto sem bater, pois não queria acordá-la se esse fosse o caso. Não era. Quando entrei no quarto, Chichi estava apenas com uma calcinha branca de rendinha, combinando com o sutiã, de olhos fechados e se masturbando.

Não sabia o que fazer, ela ainda não havia notado minha presença e eu já estava de pau bem duro. Foi quando Kulilin, o desastrado, entrou no quarto perguntando algo sobre o Kamehame-ha. 

- Mestre, a melhor forma de acumular o ki é...? Oh-oh! - ele disse arregalando os olhos para a Chichi que agora havia aberto os olhos e nos visto. Cobrira o corpo com um lençol.

- O que estão fazendo aqui, seus tarados? Não sabem bater antes de entrar? - ela gritou enfurecida.

- De-desculpe, Chichi. Você estava há tanto tempo nesse quarto que eu achei que pudesse estar dormindo e não queria acordá-la – eu tentei dizer, meio sem jeito. - Trouxe-lhe o que comer!

- Não estou com fome! - ela disse com raiva.

- Olha, Chichi, se estiver precisando de alguma coisa é só falar – eu lhe disse colocando a bandeja de comida de lado e sentando na cama. Kulilin apenas olhava a situação incrédulo. - Nós somos seus amigos e estamos aqui para ajudá-la a passar por quaisquer momentos difíceis que você possa vir a ter.

- Está bem – ela disse olhando para o chão. - Acho que posso confiar em vocês... Quando Goku era vivo, nós transávamos todas as noite. Ele me comia tãão gostoso. Fazia eu me sentir a garota mais gostosa do mundo. Mas agora, faz mais de uma semana que não transo e tenho sentido tanta falta. Goku ficará fora por um ano, o que farei até lá?!

- Olha, Chichi. Os amigos servem para todo tipo de coisa – eu falei coçando minha barba. - Você é uma das garotas mais gostosas que eu conheço. Não é verdade, Kulilin?

- Si-sim, mestre! - ele respondeu encabulado.

- Obrigada, Mestre Kame e Kulilin. Me sinto mais confortável com vocês por perto agora que estou sem meu marido – ela disse deixando o lençol cair, revelando seu corpo.

Chichi tinha um belo corpo. Seus cabelos negros com duas mechas na frente, uma de cada lado do rosto e um longo rabo de cavalo preso atrás. Seios fartos, mesmo tamanho dos da Bulma, eu diria. Um quadril largo e uma bunda maravilhosa, pelo que dava para ver. 

- O que você sente falta de quando Goku estava com você? - eu perguntei com meu pau já totalmente duro.

- De chupá-lo – ela disse encabulada.

- Bom, hoje você está com sorte. Terá dois para chupar – eu disse abrindo meu short e colocando meu pau para fora. - Vamos Kulilin, faça o mesmo!

- Me-mestre Kame! Se-seu tarado! - Kulilin tentava me impedir, mas não sabia o que fazer.

Chichi estava claramente surpresa, mas sabia que ela queria aquilo. Goku tinha uma mente muito inocente para pensar em uma putaria como essa, mas Chichi, apostava que em seu âmago, ansiava por ser desejada dessa forma. 

- Bo-bom... se vocês não contarem nada para o Goku quando ele voltar... - disse Chichi. Então ela beijou a cabeça do meu pau que estava ficando mole, mas logo endureceu. Nem pude acreditar.

- Vamos, Kulilin! Essa é a parte mais importante do seu treinamento – eu disse a ele.

- Ce-certo! - Kulilin estava encabulado, mas se aproximou tirando o short e a cueca.

Seu pau estava também meio mole, mas um beijinho da Chichi o fez se animar. Chichi colocou cada mão em um pau e começou a nos masturbar, me olhando com um sorrisinho. Nossos paus logo ficaram bem duros e ela começou a chupá-los, um de cada vez, enquanto masturbava o outro. Chichi estava bem animada. Segurava meu pau firme e chupava ele com tudo. Depois passava para o Kulilin e me masturbava com muita habilidade.

Chichi colocou meu pau por baixo do sutiã no meio dos peitões e começou a chupar o Kulilin com muita vontade. Estava muito excitada com aquilo. Comecei a meter no meio dos peitos dela presos pelo sutiã branco de rendinha e ela ia lambendo o pau do Kulilin da cabeça às bolas.

- Oh... Chichi... Você é tão boa nisso... - disse Kulilin cheio de tesão com as chupadas dela.

Com o meu pau pulsando no meio daqueles peitos gostosos dela, usei-o para arrebentar seu sutiã. Ela se assustou quando seus peitos saltaram e ficaram ali soltinhos. Peguei meu pau duro e comecei a bater naqueles peitos balançando, Kulilin começou a beijá-la enquanto isso.
Kulilin, fique com a parte de cima, deixe que eu cuido da parte de baixo – eu disse me dirigindo para o meio das pernas dela.

Kulilin colocou seu pau no meio dos peitos da Chichi e ela começou a fazer uma espanhola deliciosa nele. Eu cheguei a calcinha dela para o lado e comecei a usar minha língua na xotinha molhada e peluda dela. Chichi começou a gemer muito alto e usar seus peitos ainda com mais vontade enquanto eu lambia sua boceta por dentro e por fora com toda a minha habilidade. Quando enfim encontrei o ponto que fazia Chichi tremer, comecei a explorá-lo e fiz ela gemer e gritar como nunca.

- Caralho... - Chichi deixou escapar enquanto eu a chupava gostoso.

Os peitões da Chichi iam fazendo o dia do Kulilin, que apenas relaxava enquanto ela fazia todo o trabalho. No meio das pernocas dela, eu agia com tudo o que sabia. Comecei a imaginar que se eu e o Kulilin íamos fodê-la, talvez um de nós devesse ir pela porta de trás, então comecei a lamber o cuzinho dela para prepará-la para uma possível DP.

- Ohhh... O que você está fazendoo?? - Chichi perguntou gemendo.

- Te preparando para a foda da sua vida – eu respondi lambendo da boceta dela até o cuzinho. - Kulilin fará as honras de te comer de uma maneira que Goku nunca deve ter tido a coragem.

- Ma-mas mestre Kame... Tem certeza de que o senhor não é mais apropriado? - perguntou Kulilin cheio de tesão com a ideia de comer o cu da Chichi.

- Não. Eu vi como você comeu o cu da Lunch, quero que você faça o mesmo com a Chichi! - eu respondi enquanto a chupava.

Chichi nem conseguira responder, estava sentindo tanto prazer nas minhas lambidas que mal conseguia fazer a espanhola no Kulilin, quanto mais questionar nossos planos. Depois de mais alguns minutos com a Chichi gemendo de tesão, já estava pronta para mim. Pedi que Kulilin ficasse ao lado dela para que ela o chupasse e comecei os trabalhos metendo meu pau duro na xota dela, com ela sentada na cama. A calcinha branca para o lado, segurando-a pelas coxas, comecei a meter gostoso nela.

- Ohhhh... Kameee... slurp... - ela dizia enquanto engolia o pau do Kulilin.

Seus peitos estavam na minha frente e eu não deixei de aproveitá-los. Meti minha boca neles e comecei a lambê-los com tudo enquanto metia gostoso, mas ainda devagar nela. Deitei-a e continuei metendo na xota dela, segurando nas coxas dela, enquanto isso, Kulilin estava ao lado dela com o pau na boca da Chichi.

- Oh... Chichi... você chupa tão gostoso... - disse Kulilin cheio de tesão com as chupadas da Chichi.

Chichi metia o pau dele todo na boca e lambia cheia de tesão. Eu comecei então a meter com mais vontade, fazendo-a gemer a cada estocada. A boceta dela estava tão molhada que meu pau duro entrava e saía sem dificuldades e ela estava com as pernas abertas e para o ar enquanto eu a fodia gostoso. Apoiei uma das minhas mãos na barriga dela e comecei a meter com mais força.

- Oooohhh.... Kame.... com cuidaaadooo... - ela tentava dizer, mas não parei de meter gostoso nela.

- Kulilin, pegue ali na gaveta o frasco de lubrificante e comesse a passar no seu pau – eu disse enquanto fodia a Chichi.

Kulilin foi fazê-lo. Chichi era muito gostosa e estava cheia de tesão, com seus cabelos negros amarrados em rabo de cavalo já todo bagunçado. Seus peitos balançavam deliciosamente e eu metia como se não houvesse amanhã aos sons dos gemidos de prazer dela. Depois de um minuto, Kulilin estava pronto e chegara o momento dele se divertir também.

Me deitei na cama e Chichi veio sentar-se no meu pau, ainda com a calcinha para o lado, e empinou bem a bunda para o Kulilin. Com meu pau roçando na entrada da xota dela, ela disse:

- Vai com calma, Kulilin...

Eu apenas relaxava enquanto Kulilin pegou o pau duro e começou a meter no meio da bunda dela. O lubrificante o fez escorregar para dentro do cuzinho da Chichi sem grandes dificuldades. Uma vez lá dentro, Chichi deu um grito de dor e eu a puxei contra mim, para que meu pau também penetrasse na sua vagina. Chichi deu uma tremida de tesão e arrepio. Depois de algum tempo, Kulilin começou a meter e eu fiz o mesmo. Metíamos no mesmo ritmo naquela gostosa e ela gritava como uma puta, cheia de tesão.

Começamos a meter bem forte nela e ela gemia muito com aqueles peitos balançando na minha cara. Segurei-a pela calcinha, quase arrebentando, e metendo com tudo naquela boceta. Enquanto isso, Kulilin mostrava tudo o que tinha aprendido com a Lunch e fodia gostoso o cuzinho virgem da  Chichi.

- Ohhh... aaaaaiii... - Chichi gemia.

Kulilin a segurava pela cintura e eu pela calcinha e íamos esfolando os buracos dela com tudo. Não me aguentei de tesão. Levantei-me e segurando a Chichi no ar, nós dois seguimos metendo nela com tudo. Meu pau ia deslizando pela xota encharcada dela e peluda dela e o pau do kulilin entrava com tudo no cuzinho gostoso dela. Chichi gritava de dor e tesão, chegando até a lacrimejar. Nesse momento, senti que ela gozara e mais de uma vez. Nunca havia sentido tanto tesão em toda a sua vida.

Ela já estava acabada, sem forças, apenas tomando no cu e na boceta e vibrando de prazer. Meti minha boca nos peitos gostosos dela enquanto meu corpo estalava contra o dela acada metida. Kulilin a puxava pelo rabo de cavalo enquanto cravava seu pau fundo no cuzinho da Chichi.

- Voocêes.... tão acabando comigo... aiii... - ela gemeu baixinho no meu ouvido, só me deixando com mais tesão.

Metendo com tudo naquele corpo suado da Chichi, comecei a sentir que eu iria gozar.

- Kulilin, já vou gozar... - eu disse metendo com tudo.

- Eu mal comecei, Mestre Kame... - disse Kulilin.

Logo me prontifiquei a meter com tudo na Chichi. Gozaria e depois deixaria para Kulilin terminar o serviço. Metendo com tudo na xota dela, quando o meu tesão atingiu o ápice, rasguei sua calcinha branca e tirei meu pau da boceta dela, gozando na barriguinha dela. Gozei bastante e ela gemeu de tesão, caindo de quatro na cama. Kulilin não parou de meter nem um pouco e seguiu acabando com o cuzinho dela.
Levei meu pau mole à boca dela para que ela limpasse o que tinha sobrado de porra nele e Kulilin estava estalando na bunda dela com tudo. Chichi gritava de dor e tesão e seus peitos balançavam bastante. Minha porra pingava e escorria por toda a sua barriga e coxas enquanto o pau do Kulilin ia abrindo caminho por aquela bunda gostosa.

Segurei Chichi pelo rabo de cavalo quase todo desfeito e coloquei meu pau na boca dela até o talo enquanto Kulilin metia com tudo no cuzinho dela. Ela estava de 4 com a bunda bem empinada e gemendo feito uma vadia enquanto chupava meu pau melado de porra. Kulilin a segurava pela bunda e a abria bastante para que seu pau entrasse e saísse com tudo, até que não aguentou mais.

Roçava meu pau mole na boquinha dela quando enfim, Kulilin começou a gozar. Gozou bastante dentro do cuzinho ardido dela. Kulilin sentou-se exausto na beira da cama e Chichi caiu de lado, completamente exaurida e satisfeita. Com a barriga lambuzada de porra e seu cu escorrendo sêmen. Sentei-me ao lado dela e ela sorriu para mim.

- Isso foi muito bom, mestre Kame. Mas estou toda ardida... - ela disse acariciando a própria bunda. - Mas até que Goku volte para mim, podemos repetir algumas vezes... O que acham, meninos?

Assenti animado e Kulilin também. Chichi ficou morando durante muitos meses com a gente e a fodemos bastante nesse tempo. Kulilin a fodera no banheiro, eu a fodi na praia, nós dois comemos ela mais umas duas vezes pela casa e até Oolong tirou uma casquinha certa vez. Foram bons tempos, mas depois de 7 meses assim, ela achou melhor pararmos. Nunca mais comemos a Chichi, mas ouvi que Trunks havia conseguido fazê-lo. Quem sabe?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...