História Dragon Cry - Capítulo 54


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Acnologia, Alzack, Angel, Aquarius, Bacchus Groh, Bisca Connell, Brandish μ, Cana Alberona, Erza Scarlet, Gajeel Redfox, Gildartz, Gray Fullbuster, Jellal Fernandes, Jude Heartfilia, Juvia Lockser, Kyouka, Laxus Dreyar, Levy McGarden, Lucy Heartfilia, Makarov Dreyar, Natsu Dragneel, Silver Fullbuster, Ultear Milkovich, Wendy Marvell, Zeref
Tags Dragoncry, Gale, Nalu, Otp, Rhysmeuamor
Visualizações 755
Palavras 1.741
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Linguagem Imprópria, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oiiiiiiiiiiis.

Bem vindo e muito obrigada por terem se juntado a nós :

Babimsr
Sonic_Ft
RK985
Whiiite
KhyRhiulta
_tefaa-chan
andrslayer
bluebarrykawai
Machadorisos
CrysBonnie
Kleein
Hiy-chan
Marcymarcy
AmandaDragneel

Capítulo 54 - Enquanto a chuva cai


Fanfic / Fanfiction Dragon Cry - Capítulo 54 - Enquanto a chuva cai


Natsu

Quando acordei naquela manhã chuvosa, a primeira coisa que fiz foi ver a mulher maravilhosa ao meu lado, dormindo, tão serena e confortável, o rosto virado para mim, os lábios se movendo por palavras silenciosas. Seu corpo semi coberto pelo lençol branco, deixando seus braços, barriga e busto nu à mostra. Me movi com todo o cuidado para não acordá-la, passeei a mão pelos contornos de sua cintura bem definida, senti cada centímetro de pele, subindo até seus ombros, onde beijei suavemente. Toquei seu rosto, tirando uma mecha de cabelo loiro, beijei sua testa e pulei da cama.

Busquei a minha calça que usava ontem à noite, encontrando-a no chão aos pés da cama, para então vestir e ir em direção à cozinha para preparar algo de café da manhã para Luce e eu. Ela vai gostar de receber uma refeição na cama, por isso busquei o que poderia fazer de saboroso que agradasse seu paladar.

_Luce gosta de biscoito doce.-pensei em voz alta.-mas eu não faço ideia de como é a receita.

Inventaria. Eu até que era um bom cozinheiro, pois no tempo em que passei sozinho, tive que aprender a me virar, então ao menos eu sabia fazer algo comestível. Procurei nos armários o que daria certo na receita do biscoito, pegando isso e aquilo e juntando tudo numa vasilha para mexer. Provei, sentindo um sabor agridoce e suave, muito gostoso. O forno quente, coloquei para assar e resolvi fazer chá para acompanhar.

 

Lucy

 

Passamos boa parte da noite em frenesi, não satisfeitos, nos amando e amando até o cansaço e sono nos pegar e impedir nossa diversão. Vez ou outra, quando acordava na madrugada, procurava o rosto dele para me certificar de que aquilo era real e tinha acontecido. Tendo a minha resposta ao sentir seu corpo ao lado do meu, me sentia aliviada, radiante e nada arrependida por ter feito tal coisa com Natsu. Tive sonhos estranhos e em todos eles, Natsu era o protagonista que sempre roubava beijos meus e me seduzia.

Já de manhã, escutei a chuva caindo forte do lado de fora, abri os olhos devagar, encontrando a cama vazia ao meu lado. Passei a mão por onde Natsu estava deitado, sentindo ainda o seu calor ali. Sai da cama, notando que não vestia nada, ficando envergonhada e assanhada ao mesmo tempo. Ri de mim mesma, procurando o que vestir, achando a camisa azul claro de Natsu. Era de um tamanho bom, então me serviria muito bem.

Fui procurá-lo pela cabana, sentindo no ar o aroma delicioso e doce de algo recém assado, usando isso para localizar o meu rosado, o encontrando na cozinha tirando uma forma de biscoitos.

_Bom dia, minha linda.-me disse ele, deixando os biscoitos sobre a mesa e vindo até mim.

_Bom dia, meu amor.

Recebi o primeiro beijo daquele dia.

_Dormiu bem ?-tocou e acariciou as maças do meu rosto.

_Muito bem, obrigada. E você?

_Bem e feliz, tendo sonhos deliciosos com você.

Corei, sabendo o que esse safado sonhava, mas saber disso, me deu uma vontade repentina de repetir a dose.

_Eu sei o que você está pensando, por que eu também estou.-disse manhoso.-quer mais ?

_Sim, mas primeiro eu queria tomar um banho. Estou toda suada.-falei.- e sei que nem tudo é suor.

_Entendo.-riu.-posso te acompanhar ?

_Sempre que você quiser.-toquei o seu nariz com o indicador.

_Hum, permissão ousada essa. Nunca mais vou te dar sossego.-seu sorriso me contagiou.

_Então eu também vou fazer a mesma coisa para revidar.

_Sorte a minha.

_Safado.

Nós dois rimos.

_Eu acho que você está usando a minha camisa.-fez cara de observador.

_É mesmo ?-fiz de desentendida.

_Sim, é minha.

_Quer de volta ?-ousei tirar, com as mãos na barra.

_Por favor.-pediu com malícia, esperando.

Comecei a subir a barra lentamente, centímetro a centímetro ,mas eu não o fiz, parando no limite da coxa, deixando Natsu só na vontade.

_Eu acabei de me vestir, você teve um bom tempo para me espionar.-pisquei.

_E olha que eu aproveitei.-sorriu de maneira devassa.

Não respondi, apenas o fitei fazendo bico, de um jeito que sabia que ele gostava.

_Vou ali tomar o meu banho.- o avisei, pronta para ir.

_Eu já acabei por aqui mesmo, acho que posso te acompanhar, não posso ?

_Já lhe dei essa permissão.-mordi o lábio inferior mais uma vez, aproveitando dessa nova mania.

Me virei e sai dali, tendo a companhia de Natsu até chegarmos ao banheiro, pequeno, mas confortável. Pela janelinha do cômodo, vi a chuva cair intensamente, porém silenciosa.

_Acho que vamos ter que ficar aqui até ela passar.-falei, já enchendo a banheira enorme e linda para logo depois revirar as prateleiras perto da pia.

_E parece que vai demorar a estiar.-olhou para a chuva.-não que seja algo ruim.-voltou seus olhos atentos a mim, daquele jeito.

_De maneira alguma.-ergui o canto dos lábios.

Joguei gotas dum sabonete líquido que achei na água da banheira. O cheiro de madeira me fez lembrar da mansão e em tudo o que acontecia por lá.

_Será que está tudo bem por lá ?

Me sentei na beirada da banheira, fitando meu rosado.

_Está, tenho certeza.-Natsu se apoiou na pia.-Rogue, Daniel e Gajeel sabem o que devem fazer, mesmo que eu não esteja por perto. Eles devem estar mantendo Acnologia bem mantido e sob controle, arrisco até dizer que conseguiram arrancar alguma informação útil dele.

Assenti, tamborilando os dedos pela superfície de louça.

_Sabe, eu andei pensando sobre a sua maldição.-fisguei a atenção de Natsu.-e acho que fiz tudo certo, mas está faltando algo. Uma coisa que tem a ver comigo e que tenho de fazer alguma coisa.

_Eu até entendo aquela bruxa.-me disse.-mas ela podia ser mais específica, falando de cara o que acabava com essa maldição, não precisava desse enigma maldito.

Eu tinha de admitir, Natsu ficava muito sexy com raiva.

_Bem, ela queria te ensinar algo, não é ?-ergui uma das sobrancelhas.-e espero que tenha.

_Eu aprendi, realmente.

Ele veio até mim.

_Mas foi você, a minha luz, a minha benção de todos os deuses, o meu sangue, fôlego e coração. Foi você, Luce, quem me ensinou a ser um homem digno. A bruxa tentou, mas foi você quem conseguiu.

_Assim eu fico convencida.-admiti.-mas quando eu te conheci, você já era um homem bom.

_Eu tentava, mas foi você quem me deu alegria, razão de viver. Antes eu só existia, ao contrário de agora que desfruto de toda essa felicidade ao seu lado e por sua causa, Luce.

Corei, tão encantada por ser uma pessoa de tanto significado a Natsu.

_Espero que eu nunca te decepcione.-falei.

_Nunca.-afirmou.-nem se quisesse conseguiria.

Suspirei apaixonada, fechando a torneira da água. Não sabia o por qual motivo, mas ela saia quentinha. Não me importei com esse detalhe, tirei a camisa de Natsu, mostrando a ele o que o mesmo conheceu muito bem ontem à noite. Entrei na água, sentindo a calor reconfortante e suave do banho. Comecei a me lavar, ensaboando cada canto do meu corpo, nem me importando com o pequeno desconforto que sentia por causa de Natsu, e claro eu, por desfrutar de tudo aquilo com muita vontade. Logo em seguida o rosado me acompanhou, deixando a sua calça no chão e se juntando a mim na banheira, cabendo nós dois confortavelmente, como se fosse feita para ambos.

_Então, é a sua vez de ensaboar as minhas costas.

Dei a ele a esponja e me virei de costas, revirando a água.

_Pode deixar.

Tirei os cabelos das costas e Natsu começou a ensaboá-las. Tão gentilmente e cuidadoso, de um lado a outro. Ele estava tão perto de mim que eu podia sentir o seu calor e perfume, me excitando e instigando o meu desejo por ele e seu corpo.

_Eu não sei como você conseguiu aguentar aquele dia em que eu ensaboei as suas costas.-comentei.

_Muito controle.-me disse.-eu estava quase te puxando para dentro d'água para ficar junto de mim.

_Não precisa se controlar tanto hoje.

_Mesmo ?

Natsu não precisava de resposta, ela estava no modo como eu me virei para ele, fascinada e sedenta pelo homem maravilhoso a minha frente. Tirei os cabelos do busto, jogando-os para as costas cheias de espuma.

_Às vezes precisamos perder um pouco do controle.

O puxei para um beijo molhado, saboreando e apreciando cada segundo do seu toque. Natsu deslizava as mãos pelo meu corpo, indo de um lugar ao outro, sentindo minha pele e as faíscas de calor que ele me fazia sentir. Ele apalpou minha bunda, me fazendo rir em meio ao nosso beijo, mas não me importei, deixei que ele me trouxesse para mais perto do seu quadril, onde envolvi as minhas pernas, não me contendo, indo com tudo, recebendo seu membro dentro de mim, arfando e gemendo de tanto prazer. Mesmo eu tendo provado dessa sensação ontem à noite, foi como se eu acabasse de descobrir o quão fantástico era fazer amor com Natsu. Ele era tão perfeito e fazia tudo com tanto carinho e cuidado, que eu me apaixonava o dobro do que era apaixonada por ele, se é que é possível eu amá-lo mais.

_Que delicia, Natsu.

_Assim esta bom ?

Sua pergunta fora feita ao pé da orelha, rouca e sedutora.

_Desse jeito.

Suas estocadas eram precisas, tão prazerosas que me fazia querer mais e mais.

_Argh...assim....

_Você é tão gostosa, Luce....você me excita com cada suspiro. O jeito como me olha e diz meu nome, tudo em você é um fetiche.

Eu queria gritar alto, mas ao mesmo tempo queria sussurrar e gemer o nome de Natsu a todo instante. Nos movíamos, indo e vindo num ritmo alucinante e gostoso,fazendo a água da banheira se mover e ameaçar a molhar todo o chão.

_Ah...Natsu...mais rápido.

_Como você quiser...Luceee.

Ter meu nome sido pronunciado daquele jeito, me fez entrar em ebulição. O calor que estava perto, me tomou por inteira, alcançando o ponto alto do nosso amor molhado. Natsu deu uma última estocada e então se realizou dentro de mim.

_Isso foi incrível...-consegui dizer.

_Devemos fazer mais assim....

Natsu me sentou sobre as suas pernas.

_Nunca pensei que desse jeito fosse tão bom, Luce.

_E se foi, heim.-toquei seu nariz com o indicador.

_Aposto que os biscoitos que fiz acabaram esfriando.-fingiu lamento.

_Uma pena.-brinquei também.-mas mesmo assim eles devem estar saborosos, assim como você é, Natsu.

A risada dele fez meu peito cantar.

_Você tem razão.-me disse.

_É claro sim, pois tenho bom gosto.
 


Notas Finais


Nossa Lucyy, fica provocando o Natsu assim heim.........

Mds, eu fico que nem um tomate cereja lendo caps assim kkkkkk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...