História Dragon Soul - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Ação, Aventura, Dragão, Idade Média, Luta, Magia, Rpg, Shounen
Exibições 1
Palavras 809
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shounen
Avisos: Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 5 - Guerra Entre Sonhos!!


Fanfic / Fanfiction Dragon Soul - Capítulo 5 - Guerra Entre Sonhos!!

Oliver e Kitty estavam em uma casa da vila olhando para Terry que estava desmaiado depois de sua luta com Alexander, o Caçador de Recompensas.

Oliver e Kitty não sabiam o que fazer, o pensamento de Terry nunca mais acordar corroía a mente deles, mas eles tinham que pensar positivo.

-Conheço alguém que pode cuidar dos ferimentos do Terry, mas ele está longe então você precisa ficar com ele e cuidar dele ouviu Kitty?-avisou Oliver enquanto de preparava para sair.

-Sim!-afirmou Kitty.

-Ótimo! Não saía daqui por hipótese alguma, te vejo logo...-falou Oliver enquanto saía correndo pela porta.

Kitty se sentou ao lado da cama ensanguentada de Terry e começou a pensar:

-No que será que ele está pensando?

Enquanto isso, Terry, desacordado, sonhava em seus maiores pesadelos. Em seus sonhos ele via destruição, dor, berros e mais berros em um canto de batalha, ele via apenas violência e nada de paz, ele via uma guerra nem um pouco contente como era dito nos seus livros de histórias, aqui era guerra real, a guerra entre os monstros e os humanos, Terry se lembrava de seu pai, um forte lutador que venceu muitos monstros, seu nome era Richard, Terry tinha cinco anos quando seu pai foi atacado na rua por um monstro chamado Bulok que ameaçou matar a família de Ricardo que estava ao seu lado, mas Ricardo não recuou, ele pegou um galho e rasgou a cabeça do monstro sem piedade, hoje em dia isso parece desumano mas em uma guerra não existem humanos, só existem almas, puxando espadas e cortando cabeças, só existe dor, para qualquer um dos lados...

Terry também se lembra de seu pai conversando com alguns comandantes do exército que diziam que a situação estava crítica, eram dois comandantes com roupa verde e várias medalhas, eles estavam conversando com Richard sobre os monstros estarem invadindo as feiras com seus exércitos, matando inocentes, destruindo famílias, quebrando construções e tudo mais, mesmo em desvantagem eles estavam causa do danos demais, mas Richard não queria se arriscar e não ajudou, mas três dias depois a esposa e mãe de Terry, Rosaline, faleceu quando a casa de Richard explodiu em um ataque de monstros, os monstros que fizeram aquilo não foram encontrados, o pai de Terry ficou muito depressivo, ele não lutava mais pela sua família, a guerra tinha o transformado de uma tal forma que seus golpes não eram estratégicos e pensados, eram golpes de uma criança... Uma criança chorando e berrando mas ganhar uma luta, para ter uma vingança.

Richard aceitou entrar ao exército para lutar na linha de frente , ele venceu muitos monstros mas nada saciáva sua sede por vingança.

A última vez que Terry viu seu pai, Richard estava voltando de sua vitória, mas ele não via alegria naquilo e saiu da casa dando um simples adeus a Terry, duas semanas depois Terry descobriu que seu pai estava morto e incinerado pelos dragões, então Terry foi cuidado por sua avó que ajudou ele a viver até aquele momento, possivelmente o momento de sua morte.

Enquanto isso, Kitty estava cansada de ver Terry deitado, ela se levantou e saiu da casa, ela estava determinada a fazer o último pedido de Terry.

Ela foi até a feira onde encontrou Alexander, e lá estava Alexander novamente pronto para pegar a fruta da barraca quando ele avistou Kitty, ele logo correu e ela desapareceu, depois apareceu na frente de Alexander e o parou, ela agarrou no ombro dele e teleportou para a torre da igreja abandonada onde lhe deu um surra com seu cajado de luz.

-Por que me trouxe aqui?!?! Por que me bateu?!?!-perguntou Alexander.

-Você é um ser humano desprezível!! Precisava ser tão rude com o Terry? Ele apenas de fez uma pergunta e você logo lhe deu um murro e o desafiou sem avaliar as consequências.

-Tá falando daquele cavaleiro mimado? Ha, eu só falei a verdade para ele, no final ele vai acabar morrendo como o pai!!

-Não seja tão insensível!!-respondeu Kitty dando um tapa no rosto de Alexander.

-O que foi em? Você é a namoradinha daquele garoto?

-O QUE!?!?!?! NÃO!!!! CONHEÇO ELE FAZ DOIS DIAS!!

-Olha aqui meu anjo, conheço muito de amor, e posso ver que você está apaixonada pelo cavaleiro.

-Senhor Alexander, já que você conhece de amor, responda: com quantas mulheres já se deitou?

-Hehe!! São incontáveis!!

-E com quantas você ficou por mais de uma semana?

Alexander ficou quieto tentando pensar rm uma resposta.

-Pois é Alexander, você não entende de amor, pois amor é eterno e você é incapaz de sentir uma eterna amizade com alguém, quem dirá amor. Não se considere muito por quantas garotas você já ficou, mas sim por quantas garotas você já amou. Quer uma dica? Procure um amigo.

Depois de completar essa frase, Kitty soltou um raio em Alexander que o teleportou de volta para a feira, ele se olhou, de levantou e saiu da feira correndo, seu propósito de vida já não era mais o mesmo.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...