História Frozen - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alvo Dumbledore, Blásio Zabini, Draco Malfoy, Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Pansy Parkinson, Ronald Weasley, Theodore Nott
Tags Dramione
Visualizações 384
Palavras 1.665
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


eu queria deixar claro que, se vocês não conseguem ver dramione no livro, eu consigo, como na vez do baile de inverno, no cálice de fogo, quando draco não conseguiu insultar a hermione, assim como hermione já faltou aula por ele e sem falar de vários outros acontecimentos. é como já disse, dramione está escondida pelas linhas, se prestar atenção consegue enxergar; acredito que jk deixou assim justamente para nos jogarmos na imaginação de um casal tão incrível como esse, afinal, de jk não podemos esperar menos do que criatividade e perfeição.

Capítulo 6 - Quadribol e coração não são a mesma coisa.


Fanfic / Fanfiction Frozen - Capítulo 6 - Quadribol e coração não são a mesma coisa.

A escola estava ficando impecável: os planos para o baile batiam com cada acontecimento. Todas as aulas da terça-feira haviam sido canceladas e após o café da manhã, o Salão Principal havia sido fechadao para preparação do baile que aconteceria hoje a noite na escola, e todos os alunos seguiam para o campo de Quabribol, onde aconteceria o jogo de Grifinória contra Lufa-lufa, para decidir quem iria para o jogo final, contra a Sonserina.

Hermione Granger andava com pressa até às artibancadas, na esperança de conseguir um lugar bom para assistir ao jogo, obviamente na torcida de sua casa. O tempo era frio e a calça jeans junto ao moletom não foi suficiente para impactar o frio que sentia, mas mesmo assim seguia rapidamente. Seria o primeiro jogo de Ronald no time, e não perderia de o apoiar, além do mais, havia de uma forma atrapalhado o teste de Cormac – que por irônia era seu par para o baile – para de ele conseguisse entrar.

Avistou Neville sentado, vestido junto a peças grifinórias, claramente tentando mostrar uma grande torcida para o time de sua casa que entraria em alguns minutos.

– Neville! – cumprimenta ao sentar do seu lado, sorrindo. Esfrega as mãos uma na outra, na esperança de as esquentar, e olha ao redor do campo. Podia ver os corvinais, na torcida para sua casa, estavam visivelmente abalados por terem perdido o jogo para Sonserina, a qual, os alunos estavam com sorrisos de vitória no rosto. Os alunos da lufa-lufa, como sempre, carregavam uma expressão indecifrável mas ao mesmo tempo alegre, e bem, a grifinória tinha a expressão de jogo ganho, já fazendo briga aos alunos da Sonserina, dizendo que ganharia mais no jogo contra eles.

– Hermione, olá. Está com muito frio? – Neville pergunta, sorrindo para a amiga, ainda ansioso pelo jogo.

– Um pouco, peguei o primeiro moletom que vi, e ele é muito fino. 

Vê o rapaz tirar seu casaco jeans, entregando para ela. – Tome, ele irá lhe esquentar. Não ligue em me entregar hoje, amanhã me procure, ainda tem o baile para se preocupar.

– Obrigada Neville. – ela agradece sorrindo ao rapaz, colocando rapidamente o casaco, e suspirando ao sentir o calor bater a sua pele. Os tempos de inverno em Hogwarts são desnecessáriamente frios por ali.

– Atenção, os jogadores do time da Grifinória entram! Isso! Olivio Wood no comando, é um time nove esplêndido, pelo visto os grifinórios acreditam que a vitória é certa! – Lee Jordan fala alto em seu microfone, anunciando a entrada.

Hermione segue o olhar brilhoso de Neville em direção ao campo, vendo os jogadores começarem a entrar. Sorri automaticamente ao ver Ron entrar junto ao uniforme de goleiro e a vassoura na mão, com um sorriso brilhante no rosto, e sente o coração parar algumas batidas, e sorri orgulhosa para Harry, que anda ao lado do amigo, sorrindo para todos.

Abraça os próprios braços e tenta ao máximo não se encolher ao decorrer que os gritos aumentam fazendo suas orelhas parecerem explodir.

Observa o time da lufa-lufa entrar em campo, toda torcida da Grifinória fica calada, assim como a Corvinal também, mas os Sonserinos e obviamente Lufa-lufas gritavam tão alto quanto, ou mais.

– E aí está o time da Lufa-lufa! – Lee Jordan fala, diminuindo sua empolgação.

Todos acompanham atentamente todos os jogadores irem ao seus postos em suas vassouras, já voando, fazendo Hermione sentir calafrios: não era a maior fã de voar, sentia pavor qualquer coisa que a levasse mais de dez centímetros para cima sem o pé no chão. 

O jogo começou já com sua casa se destacando, estando na liderança sem perder para lufa-lufa, deixando os torcedores deles aflitos e a Grifinória junto a Corvinal gritar de emoção, até mesmo Hermione, pela vitória certa de hoje. A partida decorria, com Ronald sendo maravilhoso como goleiro, deixando Hermione explodindo de orgulho cada vez que ele impedia uma bola de entrar, e gritava assim como segurava o riso de cada comentário de Lee Jordan, que toda vez era repreendido por Minerva, que estava do seu lado tentando o fazer narrar corretamente sem prestigiar tanto a Grifinória.

A castanha sorria sem parar para o jogo que acontecia no campo, mais diretamente para Ron, e se assustou ao ver o olhar de Draco Malfoy em cima de si, a fazendo levantar uma das sobrancelhas em forma de pergunta, tendo logo a atenção do loiro fora de si. O mesmo estava junto ao seu grupo de sonserinos, olhando tudo com feição de tédio e claramente raiva por conta da vitória que a Grifinória estava tendo e pensava em táticas para seu jogo contra provavelmente essa casa, já que esse ano era capitão e não perderia para a casa inimiga. 

Se repreendeu quando se deixou ficar olhando para Hermione Granger, mas sentiu a curiosidade tomar seu corpo a vendo com um sorriso tão radiante olhando para o Weasley, se perguntando mentalmente se ela gostava dele, o que seria irônico, afinal, o ruivo não merecia alguém como ela. No seu pensamento, não a estava elogiando ou algo do tipo, apenas era fato que ela era tudo aquilo que ele não merece. Ele mesmo era assunto na escola, por vários assuntos, artificiais normalmente, assim como todos os outros, e principalmente outras, mas Hermione Granger, mesmo sem perceber, era assunto de quase todos e jamais passou perto da palavra artificial, sempre elogiada por seu inteligência, esperteza – apesar do hábito irritante de sempre opinar durante as aulas – e querendo ou não concordar, Draco sabia que um dos assuntos era a beleza dela. Nunca precisou de pó no rosto para ser bonita, sempre com sua naturalidade e sorriso brilhante no rosto, que sempre o despertou curiosidade para saber qual a razão do mesmo. Ela era boa demais para qualquer um ali, e se ela achasse por algum momento que não tinha tanta atenção masculina em si por defeito, estava totalmente errada. Apenas todos viam o quão ela era brilhantemente dela e independente, para aceitar se entregar a qualquer garoto. 

E nenhuma tortura faria Draco admitir isso: mas ele, de alguma forma, admirava isso nela.

O jogo acabou com a vitória para Grifinória, terminando com Ron impedindo a última bola de entrar antes do tempo acabar e todos irem a loucura, saindo comemorando das artibancadas e em direção ao Salão da Comunal da Grifinória, onde os alunos da casa glorificavam Ron, e Hermione apenas observava sorrindo, até ver a imagem que desprezou com todas as forças: 

Lila Brown, foi até onde Ron estava, e o puxou, sem qualquer direito, segundo Hermione, e o beijou, fazendo todos gritarem.

A cena a fez sentir ânsia de vômito, principalmente ao ver Ron retribuir o beijo, e não conseguiu continuar ali, saindo correndo do Salão em direção ao um corredor qualquer onde apenas sentou e começou a chorar.

– Você parece uma adolescente clichê ridícula, Hermione Granger. Tenha pena de si mesma, como se deixou prestar a esse papel? – diz para si mesma batendo na parede.

– Calma, a parede não fez nada para você. – uma segunda voz se instala: Draco Malfoy. Passava simplesmente pelo corredor, próximo ao Salão Comunal da casa rival da sua, sem saber o porquê, ao ver uma cena única, Hermione Granger, sentava em um degrau, chorando e reclamando para si mesma.

Ela ri pelo nariz. – Eu não tenho cabeça para te aturar agora, Malfoy. Por favor, não.

– Você não tem que me aturar, Granger. Eu estou apenas no mesmo corredor.

– Por que está aqui? Veio apreciar a cena da sabe-tudo irritante chorando? 

– Porque.. Bem, eu não sei porque estou aqui, mas não deveria, isso é muito perto da sala dos leões. Desnecessário. Só pensei que se você está me ajudando tanto, que eu poderia lhe ajudar.

Suspiro. – É só que quabribol acontece e meu coração quebra. 

– Quabribol e coração não são a mesma coisa, Granger.

– Justo você, entender sobre coração?

– Bem, eu entendo que não pode pegar o coração e usar para um jogo, com quem não merece isso.

– E o que você fez com todas aquelas outras meninas, Malfoy?

– Isso agora é você, Granger. E é você que não merece. – ele diz se virando. – Tem um baile daqui duas horas, você vai ficar com rosto inchado se continuar chorando aqui, melhor ir se arrumar e aproveitar a festa, é a única coisa que te resta a fazer. Sofrer não é uma boa opção. – ele sai rapidamente a deixando sem resposta.

Após respirar fundo e decidir que Malfoy, pela primeira vez, estava certo, a castanha sai dos degruas após pelo menos meia hora pensando sentada onde estava e volta para seu Salão Comunal, vendo as meninas já começarem a se juntar para se arrumarem, e começa a se arrumar sozinha – tudo aquilo de se arrumar em grupo era sufocado demais. Havia se passado pelo menos duas horas e alguns minutos quando se levantou da cadeira e alisou o vestido que usava, uma das garotas havia gritado para ela que Cormac a esperava em frente ao Salão Principal. Tinha passado o tempo, após terminar de se arrumar, a tentar aceitar o fato de que Ronald Weasley jamais a irá ver de outro modo além de melhor amiga.

Os corredores estavam vazios, todos já estavam pelo Salão Principal, então após controlar a respiração e pôr uma feição de feliz no rosto, pôs seus pés na escada começando a desce-la, sentindo os olhares sobre si.

Draco Malfoy viu todos olharem para escada e fez o mesmo, tirando os olhos da sua acompanhante, Pansy Parkinson, e perdeu qualquer noção do mundo ao redor de si: Hermione Granger descia as escadas e era o significado de beleza. Parecia uma princesa, com uma das mãos segurando o vestido para poder descer e a outra mexendo ao decorrer que descia.

Seu cabelo preso perfeitamente em um coque, com uma maquiagem bela e o vestido que a realça, brilhoso com um decote na área dos seios, que chamava a atenção de toda parte masculina, e o mais encantador de tudo: o sorriso que tinha no rosto.

Naquele momento, até Draco Malfoy tinha que admitir, Hermione Granger, era sem dúvidas, a mais bonita de todo o baile.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...