História Dramione - True love - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Emma Watson, Harry Potter, Tom Felton
Personagens Astoria Greengrass, Blásio Zabini, Draco Malfoy, Emma Watson, Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Luna Lovegood, Minerva Mcgonagall, Neville Longbottom, Ronald Weasley, Tom Felton
Tags Bruxos, Dracomalfoy, Dramione, Granger, Harrypotter, Hermionegranger, Hogwarts, Malfoy, Romance
Exibições 56
Palavras 1.128
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Boa tarde!
olha eu aqui de novo. dessa vez demorei menos, e pretendo postar outro capitulo ainda essa semana, tomara que consiga.
estamos chegando na parte onde as coisas começam a mudar entre eles, acho que daqui há dois capítulos tudo realmente começa a acontecer, sei que muitos podem achar que está demorando mas tentei fazer as coisas um pouco mais reais, afinal foram anos se odiando, não dá pra passar a se amar da noite pro dia, ainda mais duas pessoas com os temperamentos como os deles.

novamente reforço que estou aberta a criticas e sugestões, sendo assim sintam-se a vontade para comentar.
obrigada a todos que tem acompanhado a fic e principalmente aos 23 lindos que favoritaram ela.

mil bjus e boa leitura.

Capítulo 7 - Apostas


Era inegável que Hogwarts era mais que uma escola, era na verdade a segunda casa para quase todos os alunos que por ali já haviam passado e  para muitos era na realidade a primeira vez que se sentiam em casa, era um lugar imponente e suas paredes, quadros e fantasmas, tinham presenciado muitas histórias, algumas conhecidas por todos, outras que deixariam muita gente de queixo caído. Quantos não haviam sido os romances que tiveram inicio naquelas salas, quantos sorrisos tímidos, olhares decepcionados e beijos de apaixonados não haviam ocorrido desde a fundação da escola?! Foram tantos os casos ocorridos em todos aqueles anos, que alguns quadros tinham costume de no final da primeira semana de aula fazer um tipo de aposta para saber quais casais se formariam por ali, e esse ano não foi diferente, diversos nomes foram citados e as apostas foram feitas, porém todos ficaram surpresos quando Úrsula, uma antiga professora da escola, que agora passava seus dias em uma paisagem muito aconchegante, no seu quadro localizado no corredor do 6 andar citou os nomes do jovem Draco Malfoy e da Senhorita Hermione Granger, muitos riram e falaram que a senhora já estava senil, mas ela apenas sorriu e disse que aquela era sua aposta para aquele ano. 

Conforme as semanas foram passando, os quadros começaram a achar que talvez Úrsula não estivesse tão louca assim, eles começaram a notar a diferença no relacionamento entre os jovens, afinal desde o primeiro ano de ambos, todos os momentos que compartilharam foram acompanhados de xingamentos, ofensas, lágrimas e até mesmo um soco (muito bem dado e merecido diga-se de passagem), porém esse ano as coisas estavam diferentes, inicialmente ambos se ignoravam, depois surgiram comprimentos formais e mais recentemente tem sido comum observar os dois conversarem animadamente durante as rondas noturnas pelo castelo, fazendo com que o nome trazido pela velha bruxa tenha sido apoiado por mais alguns quadro. 

 

Alheios a toda essa movimentação, tanto Draco como Hermione se encontravam refletindo em como aquele ano estava sendo diferente do que imaginaram.   

Malfoy tinha que confessar que após quase dois meses de aula, as coisas já não estavam tão ruins assim, ainda tinha uns poucos colegas Sonserinos com os quais conversava em algumas ocasiões e quanto aos demais, depois de tanto fingir que a opinião dos outros sobre si não importava em algum momento isso passou a ser verdade, porém mesmo a contragosto tinha que admitir que uma certa Grifinória de cabelos e olhos castanhos vinha sendo a responsável pela maioria dos bons momentos que vinha tendo. Afinal a  convivência com a menina estava sendo agradável e por incrível que pareça ela tinha um seno de humor e podia ser bem sarcástica quando queria. Diferente do esperado ela não o olhava com rancor e muito menos com um olhar de superioridade dado ao seu status de "salvadora" do mundo mágico, na verdade ele observou que ela parecia não gostar desse titulo e procurava se manter o mais discreta possível e bem longe dos mais recentes "amigos" ou fãs. Claro que não poderia dizer que eram amigos mas ele gostava de conversar com ela, seu ânimo sempre acabava por melhorar após as rondas ou mesmo quando ficavam a tarde no salão comunal que dividiam. Ele ainda adorava implicar com a garota, afinal era divertido vê ela ficando vermelha de raiva ou até mesmo corada com alguns comentários, principalmente quando ela sorria, ela tinha um sorriso bonito e verdadeiro que ele adorava vê. A verdade era que ele gostava da companhia dela e se surpreendeu ao perceber que a ideia maluca da diretora de aproximar os dois talvez tenha sido a melhor coisa que poderia ter acontecido com ele naquele momento.  

Já Hermione estava pensando em como ela se enganou achando que aquele ano seria tranquilo, riu ao se pegar pensando nisso, como foi ingênua, parece que ela não tinha esse direito. Primeiro porque os professores estavam realmente empolgados em ensinar e a carga de deveres era gigante, somado a isso os afazeres como monitora chefe também estavam sendo maiores do que esperava, veja bem não estava reclamando dessa parte, afinal voltou ao colégio para estudar e estava realmente aprendendo muitas coisas e o cargo de monitora chefe sempre foi seu sonho, mas com isso acabava não tendo muito tempo livre e quando achava que iria poder descansar tinha que aguentar a bajulação irritantes daqueles que queriam se aproveitar de sua "fama" (agora conseguia entender um pouco do que Harry havia passado ao longos dos anos) e os problemas trazidos por um certo loiro de profundos olhos azuis acinzentados. O mais irônico disso tudo é que o Malfoy em si não era o problema, na verdade por pior que fosse ter que admitir isso, é que ela estava gostando muito da companhia dele, após o episódio do quadribol, eles passaram a  se cumprimentar, depois resolveram fazer a ronda juntos como deveria ter sido desde o inicio, o que acabou gerando conversas entre os dois, já que ambos se incomodavam com todo aquele silencio e então as conversas foram se tornando frequentes, afinal os dois pareciam fugir dos outros alunos e acabavam passando muito tempo no salão comunal. Com essas conversas ela pode conhecer um pouco mais do sonserino que tanto odiou nos anos anteriores, percebeu que era estudioso, inteligente, divertido, claro que o jeito esnobe, o olhar indiferente, e a irritante mania de perturbar ela, ainda estava ali, mas percebeu que em grande parte isso era uma máscara e até mesmo uma proteção que ele criou, a pesar de não entender o porque, afinal esse Draco que vinha conhecendo é sem duvidas infinitas vezes melhor que o Malfoy dos anos anteriores, acontece que se o fato de dividir o dormitório com ele tinha deixado seu namorado estressado o fato de ter comentado que estavam se dando bem deixou Ronald transtornado ao ponto de ele está a infernizando no últimos dias, as cartas que antes eram carinhosas, contando sobre os dias de ambos e reafirmando a saudade e amor agora se resumem a discussões, ele querendo controlar a namorada e ela enfurecida, achando aquilo inaceitável, a deixando com um humor péssimo, que acabava sendo aliviado no final do dia ao conversar com seu companheiro de dormitório, o que chegava a ser irônico. Mas ela não aceitaria que ninguém dissessem o que ela tinha que fazer e nem com quem poderia falar, nem mesmo seu namorado, afinal a ideia da Minerva era justamente que os alunos se dessem bem e era o que ela estava fazendo, conhecendo o Malfoy. Sorriu ao perceber que quando soube que seriam "parceiros" achou que a diretora estava louca e agora quase dois meses depois tinha que confessar que estava gostando bastante de conhecer um outro lado do rapaz. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...