História Dramione - Um romance complicado. - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Blásio Zabini, Draco Malfoy, Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Luna Lovegood, Pansy Parkinson, Ronald Weasley
Tags Draco, Dramione, Harry Potter, Hermione, Hogwarts, Magia
Exibições 391
Palavras 1.528
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Magia, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico)
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Me desculpem pela demora! Eu realmente não estava conseguindo escrever nada decente e eu particularmente não gostei muito desse, mas enfim aí está, espero que gostem...

Capítulo 19 - Capítulo dezenove.


          POV – HERMIONE GRANGER 

 Acordo com o sol batendo no meu rosto, olho para o relógio em cima do criado-mudo e vejo que ainda é cedo, então me levanto e fecho as cortinas, coloco minha roupa íntima novamente e volto a me deitar.

 — Bom dia. — Draco diz sonolento, me abraçando.

 — Bom dia. — Sorrio.

 Ficamos deitamos assim por algum tempo em silêncio, até que escuto alguém batendo na porta e meu coração gela.

 — Hermione, já acordou querida? — Mamãe diz e gira a maçaneta, automaticamente eu jogo o Draco da cama derrubando-o no chão. — O que foi isso? Está tudo bem? — Ela tenta novamente entrar, mas a porta está trancada, me fazendo lembrar do feitiço.

 — Está sim, só caiu um negócio aqui. — Grito, me levanto e abro a porta do guarda roupa e aceno para o Draco entrar. — Só um minuto! — Ele entra e eu recolho suas roupas e jogo para ele, pego meu roupão, pego a varinha e digo “Alohomora”.

 — Feliz natal querida! —Mamãe me abraça. — Só queria te dizer para você se arrumar e ir acordar seu amigo para tomar o café da manhã. 

 — Ah sim, tudo bem... — Digo tentando parecer o mais neutra o possível.

 — Obrigada. — Ela desce.

 Eu fecho a porta e tranco aliviada.

 — Certo, agora volta pro seu quarto que eu tenho que ir te acordar. — Digo rindo, abro o guarda-roupas rindo e vejo um Draco meio vestido.

 — Mas já? — Ele me puxa para si.

 — Infelizmente. — Dou um selinho nele e me separo.

 Vou em direção a porta, deixando-a entreaberta verificando se havia alguém, vejo se Draco já se vestira e aceno em positivo para ele, e sai o loiro sai. 

 Me encosto na porta e sorrio, ainda surpresa com o que eu havia feito, então escuto um barulho na janela e vejo a coruja dos Weasley com o que eu e Gina havíamos combinado. Em seguida, estico minha cama e separo uma roupa e vou para o banheiro. Ligo o chuveiro e deixo escorrer pelo meu corpo, me lavo e desligo-o. Assim que termino de me arrumar vou “acordar” o Malfoy. 

 Desço para tomar meu café da manhã e deixo a carta embaixo da árvore de natal, junto com os outros presentes.

 — Bom dia! — Cumprimento o papai com um beijo.

 — Bom dia, Querida... Já acordou seu amigo? — Ele levanta os olhos sobre seu jornal.

 — Sim... — Respondo enquanto preparo algumas torradas.

 — Obrigada Hermione. — Mamãe Agradece.

 Começo a comer e pouco tempo depois Draco desce, cumprimenta meus pais e senta-se na mesa conosco. Assim que terminamos vamos para o nosso ritual de natal. Nos sentamos na sala próximo à árvore e minha mãe nos traz seus biscoitos recém assados. Sou a primeira a pegar um dos presentes debaixo da árvore, vejo que era do papai, rasgo o embrulho e vejo vários livros trouxas, eu sempre gostei dos livros trouxas.

 — Obrigada. — Agradeço abraçando-o, então pego o presente que eu havia comprado para os meus pais e entrego-o a eles.

 Eles abrem e encontram variados tipos de doces bruxos.

 — Oh! — Ela exclama surpresa quando seu sapo de chocolate salta. — Obrigada, querida... — Ela agradece.

 — Interessante, er.... Obrigado. — Papai diz analisando e eu sorrio.

 — Agora é minha vez. — Anuncia Draco e entrega uma caixa de presentes para os meus pais. — O presente não é muito bom, já que é a primeira vez que eu passo o natal... Hm... Com Trouxas. — Diz ele claramente  envergonhado.

 — É muita gentileza da sua parte ter lembrado de nós. — minha mãe diz gentilmente, olhando os vários cachecóis que Draco dera.

 Ele vira-se para mim e me entrega uma pequena caixinha. Eu abro-a e encontro uma pulseira delicada, escrita “Unbreakable Vow” em dourado. Olho no fundo da caixa e dentro tem um pedaço de pergaminho onde estava escrito “Prometo te amar”. Deixo escapar um sorriso bobo, nesse momento eu senti uma necessidade enorme de ir até ele e beija-lo até perder o fôlego e dizer que o amava com todas as minhas forças, mas me limito em apenas abraça-lo e sussurrar um obrigada em seu ouvido, assim que nos afastamos, ele puxa meu braço e coloca a pulseira no meu pulso e eu sorrio.

    *

 Depois do almoço, retiro a mesa e ajudo mamãe na louça, e aviso-a que já estava indo. Eu já havia conversado com ela sobre assistir ao jogo e ela havia deixado. Desde que retirei o feitiço, meus pais se tornaram muito mais compreensíveis comigo e eu, achei isso particularmente legal. 

 Subo para meu quarto e faço as malas novamente, pego tudo que é necessário e coloco na minha bolsa de fundo expandido. Assim que termino espero o Draco arrumar suas coisas e as coloco dentro da bolsa. 

 Despeço-me de meus pais e sinto uma tristeza por ter ficado tão pouco tempo com eles, era sempre muito acolhedor ficar em família.

 Confiro o movimento na rua e percebo que ela está bem calma, então seguro na mão do Draco e aparato no local do jogo. 

        POV – DRACO MALFOY

 Vejo centenas de barracas montadas ao longo de muitos hectares, mais à frente estava o Robert, o trouxa que sempre nos recebia quando eu vinha nos jogos com meu pai e eu particularmente nunca fui muito educado com ele.

 — Boa tarde. —  Granger cumprimenta-o.

 — Boa tarde! — O trouxa responde.

 — É tenho a reserva de uma barraca... — Ela diz nervosa. 

 — A senhora é? 

 — Granger.

 — Muito bem... — Robert verifica a lista. — É um local bem afastado, não? Apenas dois dias? — Ela confirma com a cabeça.

 — Quanto ficou? — Ela pergunta, vasculhando sua bolsa.

 — Deixe que eu pago. — Coloco a mão nos bolsos em busca de alguns galões.

 — Isso é por minha conta. — Ela entrega uma quantidade de dinheiro trouxa.

 — Também acho. — Concordo.

 — Um bom acampamento pra vocês! — Robert diz e entrega o troco para a Hermione, junto com um mapa e nós seguimos em frente.

 — Obrigada! — Ela responde e eu apenas dou um rápido aceno.

 Seguro a mão da Granger, para não nos separarmos em meio à multidão de gente. Deixo Hermione nos guiar, afinal ela estava olhando o mapa. Olhava ao redor e às vezes enxergava um rosto familiar, outras vezes alguns olhares de desprezo sobre mim por conta da má reputação do sobrenome Malfoy, mas isso era algo que eu não podia evitar receber, mas eu apenas decido ignorar. 

 — Encontrei! —  Ela aponta para a parte vazia. — Me ajude com isso. — A garota diz revirando sua bolsa e em seguida me lança algumas barras da barraca, me pegando de surpresa.

 Enquanto ela joga as coisas eu tento começar a montar, e não tenho êxito algum. 

 — Acho que assim é mais fácil... — Granger sacode sua varinha e a barraca começa a armar.

 — Também acho. — Digo com uma ponta de frustação.

 — Você já acampou antes? Não acampou? — Ela pergunta debochada.

 — Claro que sim... Mas os elfos que montavam tudo. — Digo envergonhado e ela ri.

        *

 Depois de terminarmos de montar tanto por fora, como por dentro da barraca, sentamo-nos para descansar. 

 — Eu já te contei sobre o pequeno detalhe que a barraca ao lado vai ser a dos Weasley? — Hermione me diz e eu olho surpreso para ela.

 — Não, acho que você esqueceu desse detalhe... — Murmuro.

 — De qualquer forma é só amanhã que eles virão... Mas me promete que não vai se comportar mal? — Suplica ela.

 — Parece minha mãe falando....

 — Você não me respondeu! Você promete? — Insistiu.

 — Vou tentar o máximo o possível. — Resmungo.

 — Obrigada. — Ela me dá um selinho e se afasta, mas eu a puxo para junto de mim juntando nossos lábios com mais intensidade.

 — Estava precisando disso. — Digo afastando os lábios, mas ainda com minha testa colada na sua.

 — Eu também estava. — Ela fala, e eu torno a beija-la.

        *

     POV – HERMIONE GRANGER

 — Isso não é justo! — Protesto.

 — Não tenho culpa de ser tão bom. — Ele debocha e eu finjo estar chateada.

 — Você já ganhou três rodadas seguidas. — Encaro o tabuleiro e vejo a maioria das minhas peças quebradas. — Eu deveria ter escolhido outra coisa para passar o tempo... — Resmungo.

 — Quer fazer outra coisa? — Draco me pergunta com ar de superioridade.

 Verifico e relógio e vejo que já se passam das 18:00, logo ia escurecer.

 — Vamos. — Puxo Draco pela mão.

 Caminhamos em silêncio até nos aproximarmos da floresta, onde não haviam muitas barracas.

 — O que viemos fazer aqui? — Draco me questiona.

 — Me ajuda a recolher os gravetos. — Ignoro sua pergunta.

 Depois de ter pego uma boa quantidade de gravetos, pego a varinha e digo “Incendio” e assim monto uma fogueira. Vasculho na bolsa um cobertor e puxo-o, sinalizo para que o Draco sente-se do meu lado.

 — Toma... — Retiro um pacote de marshmallows da bolsa. 

 — Obrigado. — Responde ele.

 — Sabe, lá em casa você foi bastante adorável... Acho que meus pais gostaram de você. — Comento.

 — Cá entre nós que eu sou bem adorável. — Ele zomba.

 — Acho que vou contar à eles sobre nós. — Digo encostando a cabeça no seu ombro.

 Ele não disse nada, apenas ficou me encarando.

 — O que foi? Tem alguma coisa no meu rosto? — Esfrego a mão no rosto.

 —  Não, apenas estou lembrando de como você é gostosa. — Ele ri.

 — Idiota. — Eu empurro-o.

 — Brincadeira, estou pensando em como você se tornou tudo pra mim em tão pouco tempo. — Ele diz e eu puxo-o para um beijo.


Notas Finais


Desculpem-me pelos erros ortográficos. Só para avisar, eu não tenho previsão para o próximo capítulo... Espero que tenham gostado!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...