História Drastoria I Saw The Love In Your Eyes - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Visualizações 26
Palavras 1.898
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Magia, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura ❤

Capítulo 13 - Capítulo 13


Fanfic / Fanfiction Drastoria I Saw The Love In Your Eyes - Capítulo 13 - Capítulo 13

~~~Astoria~~~

O dia do feriado de inverno chegou. Uns alunos iriam ficar na escola e outros iriam para suas casas, Eu é claro, Iria para a grande Mansão Greengrass e junto dela o grande tédio que lá havia e aturar mais ainda minha irmã insuportável e seus namorados que troca toda semana. 

Acordei, arrumei meu malão e fui lá para o salão, encontrar alguém. Chegando lá encontrei Luna e Blasio, Juntos como sempre o que eu achava tão bonitinho 

- Oi,oi, Pombinhos 

- Oi..Asty— Sobre o "pombinhos" Luna ficar extremamente corada o que fez Blasio reparar e abraçar ela.—

-  Então, Vocês vão ir pra casa ou ficar aqui? — Pelo visto eu estava de vela—

- ãh, eu vou para casa e Luna também — Diz Blasio ainda abraçando Luna e dando leves beijos em sua testa—

Algumas meninas da Grifinoria passaram rindo de Blasio por estar abraçando Luna, o que fez a Loira ficar mais tímida 

— O que vocês estão rindo? Por a caso tem algum palhaço aqui e só eu não estou vendo? — Pergunto irritada para aquelas três mulas que estavam rindo, elas me olharam e pararam de rir assim saindo —

- Eu tenho vontade de matar cada uma delas.— digo irritada—

- Calma Asty, Não ligamos para isso—Diz Blasio, mas não sei se Luna concordou porque apenas ficou quieta—

– Hum, Ok

Sai, deixando os dois pombinhos ali, Eu não quero ficar de vela uma hora dessas, Então fui tomar meu café da manhã e lá estava Draco sentado, e pela cara que estava... Alguém Não estava gostando de nada 

- Eai? — pergunto me sentando ao seu lado—

- Oi. 

- Nossa Draco, arruma essa sua cara fechada 

- É que eu não quero ir pra casa, mas eu quero ir para ver minha mãe e meu pai, mas lá tem a minha tia Bellatrix que é o motivo do porque eu não quero ir — Diz com ainda aquela cara fechada —

— Mas eu acho a Bellatrix tão divertida — Digo Sorrindo para ele—

– Divertida? é porque ela gosta de você. Por que você não está afim de ir também?— Diz rindo—

- eu quero voltar, Mas é que lá tem a Daphine e ela me faz passar cada vergonha e me deixa irritada demais...ela já até pediu pra mim Escolher qual Peça de roupa Intima para usar com seu namorado que ela troca toda semana — Digo com decepção—

- Ei, Asty, Quer trocar de família? Que tal de a gente tomar uma poção Polissuco? Sabe, você vira eu e fica o feriado todo Com a minha tia Bellatrix e eu viro você e ajuda Daphine a escolher as roupas— Diz Draco rindo e Mordendo os lábios quando falou de Daphine — 

- Não confio em você Draco Malfoy.— Digo rindo e revirando os olhos—

- Ué, Por que não?

- Vamos.— Digo puxando ele pela mão—

 

Chegamos no maravilhoso trem para estação. Passamos por uma cabine que estava Blasio e Luna se pegando, Olhei para ele rapidamente

- Eu não tô afim de ficar de vela para esse dois de novo hoje não. – digo apontando para eles–

- Nem eu, Vamos concerteza para outra.

Eu e Draco nos sentamos numa cabine e nenhum sinal de Crabbe e Goyle.

- Sabe? Estou tentando evitar Pansy mas não está dando muito certo

- Ah, que novidade — Digo revirando os olhos —

- Ciúmes Asty? — Diz sorrindo de forma provocativa—

- Ah,tá! Vou ter ciúmes de você com Parkinson só quando eu estiver morta e três dias depois para confirmar que eu estava morta. — Digo revirando os Olhos e Rindo—

- Não é oque parece, toda vez que eu falo de Parkinson ou quando ela estava perto você faz a mesma coisa, revirar os olhos e bufar — Diz sem aquele maldito sorriso provocativo sair de seu rosto —

- É pelo simples motivo de eu não gostar nem 1% dela

- Se você diz, Mas então, por que não confia em mim? 

- Aah, eu não falei sério àquilo mas se você quer saber o porquê que eu não confiaria em você eu te digo, Okay?— Digo Sorrindo a ele —

-Okay

- Eu não confiaria em você pelo simples motivo de você ser tarado. — Digo rindo da Reação dele que estava com uma cara de desentendido—

- Eu não sou tarado, Se eu fosse eu já teria atacado você agora mesmo. — Diz a levantando suas Sombrancelha com aquele sorriso que apareceu de novo de forma Maliciosa—

- Você é sim — Digo rindo a ele para ele não notar meu nervosismo—

- Só porque eu te ataquei aquela madrugada eu já sou tarado?

- De tão bêbado que você estava, eu jurei que não iria lembrar de nada – Digo a Draco que me olhou rapidamente—

– Eu só lembrava por partes, até que Blasio falou àquilo no salão e me fez lembrar a cena

– Oh, bem, Você.. Ficaria com a minha irmã? Tipo namorar?— Pergunto meio sem graça e não mais olhando direto para os olhos dele—

- Huum, Deixa eu pensar...Daphine Greengrass? É eu acho que.. Nãooo, Ela não é meu tipo — Diz calmamente como se fosse qualquer pergunta—

- E quem é seu tipo Draco? Pansy Parkinson?— Volto a olhar para seus olhos com uma das minhas Sombrancelha arqueadas—

- Pansy é só um jogo, Nunca tive ou teria algo sério com ela, porque eu sei que se eu namorasse com ela, em 10 minutos eu arrumaria um belo par de chifres pra mim — Diz rindo—

- E que é seu tipo?

- ãh eu tô com uma leve impressão que você está querendo que eu diga que é você — Diz provocando de novo—

- Para com isso! Idiota — Digo irritada jogando bolas de papel nele—

- Ok, calma parei — Diz rindo ainda é fazendo sinal de rendimento—

- Acho bom se você não quer ser morto aqui mesmo 

- Eu sei que você me ama Asty, já até pensa no nosso casamento — Diz Draco dando gargalhadas—

- Caralho Malfoy! Não fala mais comigo! — Digo irritada enquanto Draco não parava de dar gargalhadas—

-Calma Asty, agora ficou sério se você me chamou de Malfoy, Você sabe que eu gosto de implicar com você para ver você brava, Você sabe muito bem que eu amo ver você brava.— Diz ainda rindo —

- Mas Não deveria gostar! 

- Desculpa tempestade!

 

Depois de ficar aguentando as provocações de Draco que tinha algumas que eu até dei risada oque  fez ele provocar mais ainda.Chegamos na estação onde meus pais estavam me esperando e esperando a Daphine também

Cheguei até eles e os Abracei 

- Tudo bem com as duas? — Pergunta mamãe—

- Sim..— Respondemos no mesmo tempo—

- Vamos para casa. — Diz meu pai—

 

Chegando na Grande e tediosa Mansão Branca Greengrass, Fui diretor ver o meu avô, Ele era a pessoa que eu mais me dava super bem naquela mansão e o motivo de eu sempre querer voltar para mansão e matar a saudade que eu tinha dele.

Fui correndo em direção ao Quarto dele e chegando lá abraçando 

- Oi! Minha querida Astynha —Diz Sorrindo de emoção ao ver a neta —

- Oi! Vovô

- Você fez a mesma coisa que você fez quando tinha 11 anos, Chegou em casa e veio direto correndo para meu quarto, Nunca vou esquecer aquele dia, que a pequena Astoria estava correndo até aqui!

- Eu estava com muita saudade de você! 

- Como está sua escola? 

- Está tudo bem

-  E o Malfoyzinho? que você me fala sobre ele desde que entrou naquela escola 

Contei tudo que aconteceu ao meu avô, Eu contava tudo a ele e sabia muito bem que ele eu podia confiar..

- você sabe né Astoria? Se ele lhe fazer algum mal eu faço aquele cabelo engordurado dele se arrepiar! — Diz meu avô Ashton Greengrass —

- É claro que eu sei — digo rindo a ele—

- Papai! Não esquece que você tem que tomar seus Remédios! — Diz minha mãe Gritando para o meu avô—

- Ah, essas Drogas de remédios, você em imagina o quanto eu tenho que ouvir sobre esses remédios todo dia — Diz rindo—

- Imagino sim!

Ficamos conversando até a hora do jantar. Fui para meu quarto e troquei de roupa e desci as escadas para ir para sala de jantar 

- E a escola Daphine? — Diz meu pai perguntando a Daphine. Daphine sempre foi a preferida de meu pai—

- Tudo ótimo!, Eu queria apresentar você ao meu novo namorado!— diz Daphine toda animada—

- Novo? Mas e o outro rapaz Daphine? — Pergunta minha mãe—

- Nós terminamos — diz Daphine na maior naturalidade—

- Eu tenho certeza que seu novo namorado é um belo rapaz — Diz meu pai, o que fez eu revirar os olhos—

- E você Astoria? — Pergunta minha mãe—

- Nada de interessante — Digo—

- Nada de interessante? Por que não conta sobre seu peguete? Adryan Pucey — Diz Daphine rindo —

- Oque? Quem é Adryan Pucey? — Pergunta meu pai—

- Ele não é meu peguete sua idiota! Ninguém que deva se importar!

- Aham sei, Astorinha — Diz Daphine provocando—

- Me explique Astoria! Não quero minha filha como uma vadia! — Diz meu pai se a levantando —

- LOUISE GREENGRASS OLHA COMO VOCÊ FALA! — diz minha mãe irritada com as palavras de meu pai—

- Você não quer uma filha vadia? Como você não vai querer uma filha vadia sendo que você já tem uma filha vadia! Não sei se você sabe mas Daphine é a Vadia de Hogwarts! —Digo completamente irritada —

- Eu não sou vadia!

- Olha como você fala da sua irmã!! — Diz Meu pai se aproximando de mim e me deu um tapa na minha cara, oque me fez cair no chão

Ele nunca tinha me batido, apesar das minhas brigas com ele. Eu fiquei em estado de Choque por alguns segundos até me levantar 

- VOCÊ FICOU MALUCO? SEU IDIOTA ELA É SUA FILHA ESQUECEU?!!!!! — Diz minha mãe Gritando de raiva—

- Ele não é meu pai. Você não é meu pai e nunca foi e nunca será! — Digo me a levantando do chão e subindo as escadas correndo— 

Cheguei no meu quarto e tranquei a porta e fui em direção ao espelho ver meu rosto e lá estava vermelho por causa do tapa. Comecei a jogar e quebrar as coisas de meu quarto e depois deitei em minha cama e sim comecei a chorar...

Depois de alguns minutos, minha mãe começou a bater na porta 

- Astoria abre a porta 

- Não! Você sabe muito bem 

- Ele errou mas.. — foi interrompida pelo meu avô—

- Astoria abre  porta, por favor, é o vovô

Eu queria ficar sozinha mas não pude deixar a porta fechada a meu avô, então abri a porta para ele e depois tranquei de volta. 

- Você viu Oque ele fez? 

- Oh, querida é claro que sim, Seu pai é um filho da P#ta por isso. Me desculpe o palavrão, você quando estiver com raiva fala esse palavrão mas não conte que fui eu que ensinei você — Diz tentando me fazer rir, o que deu certo—

- Eu sei que ele é, e é claro que eu não vou contar — digo sorrindo a ele—

- Essa é a Astoria que eu gosto de ver, minha menina sorridente.

Ficamos conversando até eu ir dormir enquanto meu avô contava suas velhas história que contava quando eu era pequena.


Notas Finais


Capítulo meio pesado né kkkk
Espero que tenham gostado 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...