História Dream - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Castiel, Dakota, Debrah, Iris, Kentin, Lysandre, Nathaniel, Personagens Originais, Rosalya
Tags Alexy, Amor Doce, Armin, Castiel, Dakota, Debrah, Drama, Hentai, Kentin, Lysandre, Nathaniel, Rosalya
Visualizações 23
Palavras 1.679
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


A intenção era postar esse capítulo ontem, mas tive alguns imprevistos e enfim... Apesar do capítulo ter sido curto, eu espero que gostem. E me perdoem caso haja algum erro ortográfico.

Boa leitura, Pudinzinhos <3

Capítulo 2 - Um Beijo, Um Motivo Para Complicações


Fanfic / Fanfiction Dream - Capítulo 2 - Um Beijo, Um Motivo Para Complicações

Eu já estava demorando muito tempo dentro daquele quarto, então eu resolvi sair dali e ir comer alguma coisa para que a tia Ângela não ficasse preocupada. Peguei meu celular e comecei a descer as escadas. Então comecei a escutar uma gritaria, o que me fez parar no mesmo momento.

Kentin - Carolyne, não foi minha culpa! Eu não quis beijar a Ambre! (Como assim? AMBRE E KENTIN?! QUE NOJENTO! Era meio óbvio que a Tia Angel não estava em casa)

Carolyne - Não foi o que eu vi, Kentin... (A voz de Carol estava trêmula e bem baixa)

Ambre é uma garota que sempre implicou com a minha irmã por causa de Kentin, o que me leva a pensar que Ambre o ama também. Mas Ambre é do tipo de garota bem fresquinha que gosta de mandar nas pessoas, não é do tipo gente boa e companheira como Carolyne. E por incrível que pareça, Kentin já teve uma quedinha por Ambre e eles inclusive já até namoraram antes de ele e Carol se conhecerem, claro. Sei como a minha irmãzinha é em relação a ciúmes, ela não é agressiva muito menos ignorante (só quando realmente tem razão), mas ela acaba se magoando e ficando completamente alterada por conta disso. Ela é teimosa e demora bastante pra esquecer das coisas, então... Boa sorte, Ken.

Kentin - Você sabe que ela faz essas coisas pra te provocar, amor...

Carolyne - Mas você parecia estar gostando. E eu sei que ainda gosta de mim como uma amiga. (É, Carol também costuma exagerar quando está com ciúmes.)

Kentin - Você viu que eu a empurrei para longe de mim quando ela começou a me beijar, e ainda diz que eu estava gostando Carolyne?! Eu te amo como o amor da minha vida, e não como uma amiga!

Carol - Ken, me desculpa, mas não vai dar para continuarmos desse jeito. (O QUÊ?! NÃO ESTÃO TERMINANDO, NÉ?)

Ken - Está desistindo de nós Carolyne?... (Não! Ela só está com ciúmes! Eu estava me segurando para não falar nada)

Carol - Talvez eu precise de um tempo pra esquecer tudo isso... Não quero ter que encontrar a Ambre e meu namorado se beijando toda vez só para aquela vadia me provocar. Não venha com mentiras pra cima de mim Ken, eu sei que você gostou do beijo. Tenta se colocar no meu lugar... Isso dói muito! (Ela tinha dificuldades para falar agora porque estava chorando. Isso é muito tenso pra ela e eu não quero ver minha irmãzinha chorando.)

Eu não ouvi respostas da parte dele. Tudo que eu pude escutar foi ele resmungando alguma coisa, o barulho da porta se abrindo e fechando com muita agressividade e após isso...

Carol - DROGA! MIL VEZES DROGA! MENTIROSO! EU SEI QUE VOCÊ NÃO ME AMA, PORRA! (Eu desci correndo em direção a ela, sei que ela precisava ser consolada agora.)

A sensação de ter a confiança traída machuca muito, faz com que nos deixe fraco, perdemos o controle, acabamos fazendo besteira e nos arrependemos mais tarde. Então eu achei melhor ir falar com ela, creio que o que aconteceu não foi culpa do Kentin, isso tudo não passa de insegurança da parte de minha irmãzinha. Tudo bem que é muito doloroso ver a pessoa da qual você mais ama beijando a ex, mas vamos olhar pelo lado do Ken também! Ele não teve culpa.

Carol - Lenna?! Você ouviu... (Não a deixei terminar de falar)

Helenna - Sim, Carol. Eu ouvi. (Ela me abraçou bem apertado, como se estivesse precisando disso, alguém pra lhe fazer esquecer.)

Carol - Eu odeio ele! (Eu sei que ela estava errada, mas a minha intenção agora não era corrigi-la e sim não a deixar sozinha. Ela precisava desabafar com alguém e eu estava dando liberdade para fazer isso comigo) Estávamos tão felizes, EU estava feliz! (Deu ênfase no "eu" tentando mostrar o quão estava feliz e qual era o seu estado agora) Mas alguém sempre tem que estragar tudo, o que não é novidade pra mim... (Ambre estava sempre estragando o relacionamento deles mesmo, nisso ela tinha plena razão.) Estou cansada de chorar, Lenna. (Limpei seu rosto marejado com o meu polegar impedindo com que outra lágrima descesse, logo me lembrei da cena em que eu me encontrava da mesma maneira que minha irmã e uma loura radiante me ajudou.)

     O meu telefone começou a vibrar, o que nos assustou e nos fez cair na gargalhada logo em seguida. Nem olhei para o visor, tinha certeza de que era o Dake, eu não sei o que deu em mim, mas eu ativei o meu foda-se e atendi o celular.

Helenna - O que você quer, merda?! (Eu disse revirando os olhos)

??? - AI SUA GROSSA, ASSIM VOCÊ ME MATA DE SUSTO! QUE MAL HUMOR LENNA! (Ela disse gritando e fingindo estar chateada, eu sorri, só que dessa vez foi sincero. Era a Rosalya, minha melhor amiga.)

Helenna - Ooopa! Desculpa Rosa, eu pensei que fosse o canalha do Dake. (Poxa, fiquei até com vergonha de ter sido tão ignorante)

Rosalya - Eu sei, sua bobona! Eu só estou brincando com você. MAS EAI? COMO VOCÊ TÁ?! (Eu acho que Rosa estava um pouco que empolgada com alguma coisa, tive até que afastar o celular do meu ouvido de tão alto que ela falava. Carol começou a rir, sinal de que ela também estava escutando.)

Helenna - Eu estou bem Rosa, me diga o porquê desse ânimo todo por favor? Eu não estou entendendo.

Rosa - FALA QUE VAI TRABALHAR NO BEER HOJE LENNA, POR FAVOOOOR! (Ela estava realmente bem empolgada, ela adorava me ver cantar e curtir as festas no beer. Rosa e Alexy os meus dois amigos mais festeiros, amo ter amigos assim.)

Lenna - Eu não sei Rosa, não estou nem um pouco com ânimo pra cantar, beber e curtir justamente hoje.

Rosa - Quer saber, Helenna? Se você não for, eu vou aí te pegar e levar você de qualquer jeito! Nem que seja arrastando você! (Eu precisava sair desse climão tenso mesmo, então... Por que não aceitar o convite?)

Beer é o nome do bar onde eu costumo cantar, raramente minha irmã Carolyne canta junto comigo. O que nos fez apaixonar pela música foi nossa mãe que tanto amava cantar, papai cantava mas era raro vê-los cantar juntos, ele preferia apreciá-la com a sua voz linda e doce. Acho que esse é um dom que eu e Carol puxamos da mamãe. Acabamos que criando laços com a musica, uma parte em homenagem à mamãe e a outra parte por amor ao que fazemos. Nossa querida mãe tinha um longo cabelo negro e olhos cor de mel radiantes, era realmente apaixonante, já papai era loiro de olhos azuis (Carolyne é igualzinha a ele fisicamente).

Lenna - Tudo bem, eu vou. Mas Carolyne vai junto, ok? (Nós precisávamos esquecer um pouco e se divertir, os barmans são uns gatos! Um dos olhos híbridos verde e amarelo maravilhoso e um outro louro dos olhos amarelados.)

Rosa - Não tem problema, eu só quero que você fique bem e a vontade. Vou levar o Alexy, tá? (Eu estava morrendo de saudade do Lexy, a última vez que falei com ele foi por telefone e foi um dia após a "traição Dake". Ele me ajudou muito.)

Lenna - Claro Rosa, eu estou com saudades de vocês dois, mas só vou por vocês. (E eu estava com uma puta vontade de cantar também, eu não estava com ânimo pra sair, mas estava ansiosa para cantar no Beer hoje junto com a minha irmãzinha.)

Rosa - Isso é muito fofo da sua parte! Eu preciso ir Helenna, nos falamos depois. Te pego às 20:00, certo? (Eu concordei com um "aham" baixo e me despedi, em seguida desliguei o telefone.)

     Alexy é meu amigo afeminado que eu tanto amo. Ele já me ajudou muito, tanto quando eu fui traída pelo Dake como todas as outras vezes que eu precisava do consolo de alguém. Rosa e Alexy são meus melhores amigos a 5 anos, ter alguém pra poder contar sempre, dividir todos os segredos, pra te aconselhar e pra curtir todas as festas contigo. Eu amo estar acompanhada deles, isso me faz sentir a vontade ao lado deles.

Lenna - Carolyne... (Ela estava sentada no sofá da sala, fazendo círculos no mesmo com o seu indicador, era como se ela estivesse desligada da realidade estava praticamente dormindo acordada.) Carol! (Sua atenção foi voltada pra mim) Rosa quer ir no beer hoje. Vamos?

Carolyne - Poxa Lenna, Você sabe que eu não estou nada bem... (Ela disse desviando o seu olhar do meu e abaixando sua cabeça. Me sentei no sofá ao lado dela e levantei sua cabeça com o meu dedo indicador.)

Lenna - Por isso mesmo Carol... Quero me divertir um pouco contigo e me esquecer dos problemas. (Sorri sem mostrar os dentes)

Carol - Mas você sabe que quando o Kentin era solteiro, ele ia pra lá se divertir... E eu não quero me encontrar com o Ken lá, muito menos se agarrando com qualquer outra garota que seja. (A probabilidade de encontrar o Kentin lá é grande, mesmo assim, acho que não estaria se agarrando a outra garota. Creio que ele ainda ama a Carol.) Eu só quero ficar sozinha.

Lenna - Carolyne, eu respeito a sua vontade, mas é para o seu bem. Não quero te ver desanimada todos os dias, você vai comigo sim! E ainda vai cantar comigo!

Carol - Não mesmo, Helenna. Vou ficar sentimental, cantar uma música melancólica e vai dar merda! O povo quer se divertir e não ficar escutando esse tipo de música numa festa.

Lenna - Você vai sim! Nem que seja levada à força sendo puxada pelos cabelos, mas vai! Nós vamos cantar qualquer música que você escolher seja melancólica e melosa ou não, mas tem que ser uma que eu conheço, se não nem rola. (Ela sorriu, sincera.)

Carol - Tudo bem Lenna, eu vou. (Sorri, sem mostrar os dentes.)


Notas Finais


Nada a dizer.
Até o próximo capítulo (que eu prometo ser maior que esse)! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...