História Dream - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Visualizações 9
Palavras 1.164
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Tem um tempinho né? Para quem acompanha (até mesmo os leitores fantasmas) essa fic vai ter uma pitada de ficção hehehe acho que esta na hora então bora bora para o capítulo!

Capítulo 4 - Should I?


Fanfic / Fanfiction Dream - Capítulo 4 - Should I?

TaeHyung



"Jin hyung? Cheguei!”  Gritei meio receoso pois era tarde e ele poderia estar dormindo. Ao entrar mais na casa olhei que a mesa estava pronta e havia bastante comida, seu celular estava em cima da mesa desbloqueado e estava sua conversa e de NamJoon aberta “Eu não estava brincando quando te chamei para sair. Nam. ♡” então fiquei muito contente, Jin precisava se distrair um pouco, mas conforme os segundos foram passando eu fui ligando algumas coisas e meu sorriso foi se desfazendo, corri até seu quarto e lá estava ele dormindo com roupas que ele costuma usar para sair e por fim pensei “ Ele não veio” Jin está triste, com certeza. O cobri e desci para guardar as comidas. Jin, sempre foi fechado sobre seus relacionamentos amorosos, ele não se permitia amar, pois sentia sempre que seria largado então eu entendo seu medo. Apesar de ser fechado sobre esse assunto ele saía muito, mas depois de um alguém aparecer ele apenas parou.


Tomei meu remédio para dor que sentia e iria tomar o de rotina, o encarei e o apoiei em cima do balcão e pensei “Consigo mais dia”,  ouvi um  “Tae!” esse sussurro vinha do lado de fora, com um copo de água olhei pela janela e lá estava Jimin de capuz e mãos nos bolsos.


-Venha aqui fora!


Abri a porta sem entender.


-Por que está aqui?


-Eu queria te dar uma coisa, mas acabei esquecendo.


-Espere. -Entrei, coloquei o copo de água na mesa e voltei para rua, trancando a porta atrás de mim e sorrindo curioso.


-Vamos, iremos a um lugar especial.


Então caminhamos por alguns minutos, eu me sentia nervoso, pois eu nunca tinha saído sem avisar a Jin, eu tinha medo. Hoje eu resolvi enfrentar esse meu medo de ficar sozinho então fui com Jimin. Chegamos em uma praça que tinha um lago, estava pouco iluminado então Jimin me puxou até debaixo de um poste de luz e me fez estender as mãos. Ele havia me dado um cordão com pingente e nele havia uma lua. Eu conseguia apenas sorrir, ele pegou o cordão e colocou em meu pescoço “lembra que quando éramos mais jovens e fizemos algo parecido com isso?” Então lembrei de Kook, nós três éramos melhores amigos, inseparáveis. Meu peito começou a pesar, minha boca a ficar seca e meus olhos a inundar de lágrimas, eu estava nervoso, estava ofegante.


-Jimin...eu…


-TaeTae, você se emociona rápido.- ele ria


-Não consigo respirar...


-Você não tomou seu remédio? Merda!


Jimin me pegou pelo colo e me carregou até um posto médico mais próximo, eu não conseguia enxergar direito e os sons se misturavam em minha mente, os gritos desesperados de Jimin me deixavam pior, eu me sentia mal por preocupar ele e Jin… meu deus, me perdoa Jin. Eu não sabia mais o que estava acontecendo, tudo estava se tornando escuro e frio, sentia mãos pelo meu rosto e braços, alguma coisa me furando e vozes. Jin, eu sinto muito, eu não deveria, mas achei que..eu errei com você. Desculpe.




SeokJin


Dia seguinte



Minhas mãos estavam frias, eu estava nervoso. Ele não me disse nenhuma palavra, apenas permanecia com a cabeça baixa e o semblante triste, e eu, não fazia questão de abrir a boca também, pois sentia que assim que começasse a falar iria desmoronar. Tranquei a porta e fui na cozinha preparar algo para comer e ele veio me seguindo.


-Jin hyung..


-Vá para seu quarto.


-Mas-


-Agora.


-Desculpe hyung.


Sua voz saiu chorosa, pronto, agora que não iria conseguir me segurar.


-Desculpa? -Me virei para encará-lo, me apoiando na ponta da pia- TaeHyung, me diga, quanto tempo está sem tomar seus remédios?


-Por volta de duas semanas.


-Eu não acredito! -Bati a mão na pia- Por que? Hm?


-Eu achei que poderia melhorar sem eles e nada aconteceu nesse tempo, hyung.


-Nada Kim TaeHyung? Nada? O que aconteceu ontem? E além disso você não veio para casa depois da casa do Jimin, não é? Saiu sem me avisar! Como quer que eu te deixe sair assim?


-Hyung me perdoa, mas eu… eu sei que errei, mas eu queria tentar. Queria arriscar só uma vez.


-Arriscar a sua vida? Era isso? E se o Jimin não estivesse com você?


-Eu lembrei dele!


-JungKook? TaeTae, de novo com isso..


-Sim. Eu lembrei dele ontem, eu fiquei feliz por não esquecer seu rosto, mas então eu lembrei do dia que...bateram na gente. Eu não te contei né? Sonhei com aquele dia. Eu sei que errei, mas eu queria viver, eu achei que nada daria errado, prometo me comportar, hyung.


-Você não é mais uma criança Tae, mas só de pensar que eu poderia perder você eu fico atordoado. Eu quero deixar você ser livre, mas tenho medo, muito medo. Apenas vá para seu quarto descansar.


Disse em um tom sério. Meus olhos já não aguentavam mais, quando ouvi a porta do quarto dele bater eu caí, sentei no chão e chorei como se tivesse seis anos novamente. Eu não gostava ser assim com ele, mas era preciso.  Batidas foram dadas na porta, eu não estava nem um pouco com vontade de atender, meu rosto provavelmente estava vermelho e meus olhos inchados, sequei as lágrimas e com um leve tom de irritação fui atender a porta, lá estava NamJoon, com um buquê de flores tão grande que mal conseguia ver seu rosto, ele vestia um sobretudo e ainda era possível ver que ainda vestia algumas peças de seu uniforme, seu sorriso estava gigante em seu rosto, dando mais vida a suas covinhas.


-Oi meu… anjo?


Dizia ele desfazendo o sorriso, ele então abaixou o buquê e me abraçou forte. Não sabia o que tinha acontecido, mas mesmo assim veio me consolar, eu não estava nem aí que ele tinha me feito esperar duas vezes, só queria chorar em seu ombro sem que tenha alguém me julgando sobre minha atitude desesperada.


-Joonie, eu sou uma pessoa ruim?


-Você é a melhor pessoa que conheci em toda minha vida, depois da minha mãe, claro. Quer me contar o que aconteceu?


-TaeHyung teve uma crise ontem, Jimin me disse que ele chegou a desmaiar. Dormiu por algumas horas e ficou de repouso. Chegamos não tem muito tempo.


Fechei a porta e lhe ofereci alguma bebida. Ele colocou o enorme buquê em um jarro e tirou seu sobretudo. Enquanto ia ajeitando algumas coisas jogadas no chão da sala ele veio me abraçar por trás, dando beijos inocentes em minha bochecha.


-Você precisa entender que ele quer mostrar a você que ele sabe se cuidar. Precisa confiar nele de vez em quando.


-Depois de ontem… não tão cedo. Aliás, ele te fala coisas que não fala comigo, por que?


-Ele quer crescer e você o protege demais, Jin. Me escute -Ele me virou segurando meu rosto - Minha irmã trabalha em um café, não muito longe daqui e precisam de ajudante. O que acha dele trabalhar lá?


-Não sei, Nam.


-Confie nele. Oh, tenho que ir, nos falamos amanhã.


Ele me roubou um selinho e saiu correndo nos chuvisco que começaram a cair repentinamente. Passei o restante da noite pensando sobre ele, aliás, era só o que eu fazia.



















Notas Finais


E ai?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...