História Dreaming - Imagine BTS(Hot) - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, J-hope, Jimin, Jin, Jinyoung, Jungkook, Mark, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V, Youngjae, Yugyeom
Tags Bts, Got7, Hentai, Hot
Visualizações 174
Palavras 2.155
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá Sweeties lindas do meu coraçãozinhooo...
Aqui estamos, mais um dia, mais um capítulo...
Espero que estejam todas bem depois do último tiroteio...
eheheh...
E aqui vamos nós para mais alguns tiros...
Preparadas??
Apontar, fogo!!

Boa leitura..

Capítulo 9 - Hora da Festa


Fanfic / Fanfiction Dreaming - Imagine BTS(Hot) - Capítulo 9 - Hora da Festa

Dreamer P.O.V

 

 

       Entrei em meu quarto e fui ver como o Kookie estava, porém acabei não o encontrando. Decidi ir tomar um banho primeiro para relaxar e depois procurar ele com mais calma. Entrei no banheiro, tirei meu vestido, que, como o anterior, havia mudado de cor, e entrei na banheira, a qual eu havia enchido de sais de banho e espuma. Hoje a palavra de ordem era relaxar. Permaneci ali por pelo menos 30 minutos.

         Quando senti meus dedos enrugando e meu corpo finalmente relaxado, saí da banheira indo até o closet e escolhi um vestido também de cores de arco íris. Este por sua vez era mais solto e sua fita mais longa. Haviam junto com o vestido, fitas extras para serem amarradas no pulso, achei meio estranho mas acabei amarrando as mesmas. Hoje decidi fazer diferente e trancei meus cabelos de maneira mais bagunçada, dando uma leveza ao visual. Passei uma maquiagem básica, porém, mais colorida e saí do closet.

         Entrei em meu quarto decidida a encontrar Kookie, ele precisava se alimentar. Acabei encontrando ele encolhido embaixo das minhas cobertas. Ele deveria estar com medo ou com frio. Vou até a mesa de minha varanda e pego uma fruta que havia ali.

 

(s/n) – Espero que goste Kookie. – Tiro um pedaço e ofereço para ele que come bem rápido. – Nossa, você deve estar faminto. – Dou mais alguns pedaços e ele come todos. – Daqui a pouco o Mark trará meu almoço e eu lhe dou algo mais para comer. Ou até peço para ele algo especial. Agora me da um cantinho, seu coelhinho folgado.

 

        Me deito ao lado de Kookie e ele logo trata de se ajeitar ao meu lado. Me viro de frente para ele e ele se aninha ainda mais perto do meu peito. Começo a acariciar seus pelinhos e suas orelhinhas e caio no sono.

       Começo a ter aquele sonho de novo, porém desta vez, após a mulher virar as costas alguém chega e pega o bebê no colo. Era um homem alto, não consigo ver seu rosto, mas ouço ele dizer, com voz grave, para o bebê não chorar, que logo minha vida ia melhorar. Ele leva o bebê dali indo em direção à outra casa. Espera, eu conheço essa casa. É a minha casa. Ele larga o bebê na porta, porém se desfaz da cesta dourada. Bate na porta e sai.

        Acordo agoniada, suando frio, e sinto alguém me abraçar. Abro os olhos e vejo Jungkook deitado ao meu lado me acariciando e me acalmando. Como ele veio parar aqui?

(s/n) – Kookie? Como entrou aqui?

Jk – Sou um mestre, esqueceu?

(s/n) – Não, claro que não. – Digo e dou um sorriso tímido. – Cadê meu coelhinho?

Jk – Coelhinho? Não tinha nenhum coelhinho aqui quando eu cheguei. – Diz e solta uma risadinha.

(s/n) – Era você não era Kookie? – Ele começa a rir mais. – Não acredito Jungkook, que você se disfarçou de coelhinho pra se aproveitar do meu coração mole.

Jk – Foi a melhor maneira que eu encontrei pra passar mais tempo com você meu amor. Minha mulher. – Estreitei os olhos e ele fez uma carinha de coelhinho pidão.

(s/n) – Tá bom, mas só porque você fica fofinho de coelhinho. – Ele dá aquele sorriso lindo, sim, aquele sorriso de coelho, e me beija carinhosamente. Mas somos interrompidos por sons vindos da escada de acesso ao meu quarto. – Deve ser o Mark. E agora Kookie? – Quando olho pra ele, ele já não estava mais ali, apenas o coelhinho. – Como consegue ser tão fofo? – Ele mexe as orelhinhas.

 

      Me levanto da cama para receber Mark, que vinha com um carrinho cheio de comida e um lindo vaso com as flores que eu tinha pedido pra ele colher. Ele leva o carrinho até a varanda, depositando os alimentos em cima da mesa. Ao voltar ele olha para mim e para o coelho em minha cama.

 

Mk – Um coelho? – Diz franzindo a testa com um olhar desconfiado.

(s/n) – Encontrei ele no jardim ontem de tarde. Achei ele tão fofinho. Eu posso ficar com ele né? – Fiz minha carinha de gatinho pidão.

Mk – Acho que pode, mas que eu saiba não tem animais no castelo. A não ser... – Ele semicerra os olhos em direção ao coelho.

(s/n) – Bom, eu encontrei ele. Então acho que tem animais aqui sim. Agora com licença que eu vou comer. – Digo e saio em direção à varanda, antes que a situação ficasse mais embaraçosa.

Mk – Eu vou indo lá. Se precisar de algo.

(s/n) – Já que você falou, será que tem como providenciar comida pro meu coelhinho?

Mk – Mas é claro. Você já colocou nome nele?

(s/n) – Sim, Kookie. Em homenagem ao Mestre Jungkook.

Mk – Ah sim, claro claro. Acho melhor  darmos um banho nele, já que ele estava solto por aí nos jardins né.

(s/n) – Talvez, mas não se preocupe, eu mesma dou. – Falo com um sorrisinho convincente no rosto.

Mk – Se a senhorita preferir assim. Com licença. – Sai lançando mais um olhar desconfiado para o coelho.

 

      Termino de almoçar e volto para a cama. Pego Kookie no colo e me dirijo para o banheiro. Deixo ele lá e coloco a banheira para encher enquanto pego uma toalha e os sais de banho com as espumas. Coloco tudo na banheira e saio do banheiro, indo em direção ao closet para colocar um vestido mais simples para que o meu não molhasse. Quando volto ao banheiro dou de cara com Jungkook mergulhado na banheira me olhando com um sorriso sapeca nos lábios.

 

(s/n) – O que foi? Quem mandou você entrar na banheira já?

Jk – Não achou que eu ia perder a chance de você me dar um banho né? – Diz e eu não contenho minha risada.

(s/n) – Muito malandrinho você, mas já que está em plena forma humana, creio que possa tomar banho sozinho. – Ele desfaz o sorriso.

Jk – Vai mesmo deixar seu coelhinho aqui sozinho? Nessa banheira enorme? – Fala fazendo biquinho.

(s/n) – Vou.

Jk – Já que você quer me forçar a fazer isso. – Diz e eu lhe olho franzindo a testa. – Eu sou seu mestre e ordeno que entre nessa banheira comigo agora!

(s/n) – Sério isso?

Jk – Sem me responder ou resmungar. – Reviro os olhos e vou em direção à banheira. – E pode tirar esse vestidinho. Prefiro você sem ele. – Tiro o vestido e entro com ele na banheira. Pego a esponja fazendo sinal para que ele se aproxime, o que ele logo faz. Começo a deslizar a mesma por seu corpo, que corpo, e peço pra ele se virar para que eu possa lavar a parte da frente. Vou lavando, alisando cada músculo, aproveitando para explorar todo seu abdômen definido, parando um pouco acima de seu membro.

(s/n) – Pronto, já terminei, posso sair?

Jk – Não, você esqueceu de um lugar. Mas que tal lavar de outro jeito? – Ele diz e abre seu sorriso malicioso, mordendo o lábio inferior. Ele se senta na parte mais alta da banheira e, alisando seu membro, faz sinal para que eu me aproxime. E assim faço.

 

         Pego seu membro e começo a estimular fazendo movimentos lentos com as mãos, o ouvindo gemer rouco, o que me faz sentir um arrepio e uma vontade enorme de abocanhar seu membro. E acabo o fazendo. Me inclino e enfio todo seu membro em minha boca até minha garganta, e começo a acelerar os movimentos, ora chupando sua glande, ora lambendo toda sua extensão. Seus gemidos ecoavam por todo o banheiro. Senti seu membro pulsando e tratei de abocanhar ele todo chupando mais forte, até que ele goza em minha boca e eu, como uma gatinha manhosa, engulo todo seu leitinho.

 

Jk – Nossa (s/n), que delícia essa boquinha. Vou ter que fazer isso mais vezes. – Diz isso e se levanta, saindo da banheira. Faço o mesmo me secando e indo em direção ao meu closet vestindo novamente a roupa de antes.

 

        Vou até a varanda e pego duas frutas, dando uma pra ele e comendo a outra. Não demora muito para ele terminar de comer e voltar a sua forma de coelho. Pouco tempo depois, Mark entra no quarto com uma bandeja com o que eu concluí ser comida de coelho. Olhei para Kookie e o mesmo estava aninhado em minha cama dormindo profundamente.

 

Mk – Trouxe o que você pediu, tem algumas frutas e... Sei lá o que coelho come... Cenouras?

(s/n) *risos* Tudo bem Mark, já está muito bom. Muito obrigada.

Mk – Já deu banho nele?

(s/n) – Sim, acabei de dar.

Mk – Ok, se precisar de algo mais, me avise.

 

      Me despedi de Mark e voltei para a varanda. Estava ansiosa. Qual seria o Mestre de hoje? Pego uma maçã, dou um beijo em Kookie que dormia tranquilamente em sua forma de coelho e desci em direção aos jardins. Fiquei caminhando entre as flores e me sentei em baixo de uma cerejeira. Fiquei ali, deliciando minha maçã até escutar vozes vindas em direção ao jardim. Me escondi atrás da cerejeira, vai que é algum Mestre? Não sei se seria correto encontrar com algum antes da primeira conexão. Vi então dois homens, muito bonitos.

 

???? – E você acha que ela poderia mesmo nos amar igualmente, Yoongi? – Falou o primeiro, e logo o reconheci, era o mesmo que eu tinha visto no meu primeiro dia da janela do meu antigo quarto. Ele era ainda mais belo de perto.

Yg – Jin, isso só saberemos quando ela passar por todos nós. Não tem como controlarmos os sentimentos dela. – O outro tinha a pele extremamente pálida. Seus cabelos negros destacavam ainda mais sua pele, o que o deixava mais bonito ainda.

J –Não vejo a hora de tê-la novamente em meus braços. – Nesse momento me desequilibro e caio, torcendo meu pé. – Ouviu isso Yoongi? Tem alguém aí?

(s/n) – Ah merda, merda, merda! – A dor era tanta que senti as lágrimas rolarem por meu rosto. Vejo quatro pés em minha frente.

J – Você está bem? – Levanto meu rosto e dou de cara com os dois belos homens parados me olhando. Imediatamente abaixo minha cabeça.

(s/n) – Estou sim, foi só um mau jeito, Mestre. – Tento me levantar, mas acabo caindo de novo, dessa vez sou segurada pelo mais alto.

J – Você não está muito bem, vamos lhe levar para seu quarto. Vem Yoongi, me ajude. – Ele me pega no colo e vai em direção ao meu quarto, Yoongi vem logo atrás. Ao entrar em meu quarto, Mestre SeokJin me leva até minha cama e me deita na mesma. Kookie acorda de imediato e vem para cima de mim.

Yg – Kookie? O que você está fazendo aqui? Sabia que não iria aguentar ficar muito tempo longe.

J – Kookie, não se faça. – Kookie logo toma sua forma normal se sentando ao meu lado.

Jk – O que houve com ela?

(s/n) – Eu só torci meu pé. Logo estará bom.

Jk – Deixa eu ver. – Ele pega levemente meu pé e começa a massagear. – Está apenas destroncado.

Yg – Deixa comigo. Aguente firme, vai doer um pouco. Ok vai doer muito. – Diz isso e puxa meu pé, fazendo o mesmo soltar um estralo alto e eu gritar de dor. – Pronto, agora tente se levantar. – Assim faço, e com certa dificuldade, consigo dar alguns passos.

(s/n) – Obrigada! – Falo e dou um sorriso tímido. – Me desculpem, não era minha intenção atrapalhar a conversa de vocês, mas eu gosto de ficar nos jardins e...

J – Não se preocupe, nós sabemos. Nós que não deveríamos estar perambulando por aí, não por enquanto. – Ele diz e da o seu mais lindo sorriso, me tranquilizando por completo.

 

        Ficaram os três ali me encarando, até que escuto um som de tambores tocando. Olhei para eles tentando saber de onde vinha, mas parecia que eles não escutavam. Logo aquele som foi aumentando e senti que já estava novamente perdendo todo o controle de meu corpo. Olhei mais uma vez para eles e eles franziram suas testas.

 

(s/n) – Não estão escutando?

Jk – O que?

(s/n) – Esse som. Eu preciso... eu... eu tenho que ir. – E mais uma vez, lá estava eu andando sem ao menos saber para onde ia. Escutei os gritos dos três atrás de mim, mas já não conseguia mais controlar minhas pernas. Vi a torre dos festejos iluminada e já sabia exatamente onde ia parar.

 

       As portas já estavam abertas, uma iluminação fraca revelava um quarto decorado com bandeirolas e correntes. Ao entrar as portas se fecham e sinto ser puxada para baixo, de encontro a uma cama gigante que tomava todo o chão. Olhando para meus pulsos, percebo estar acorrentada. As correntes grossas pendiam do teto, passando por roldanas que davam a liberdade para que eu fosse colocada na posição que o Mestre daquela torre bem entendesse. Escuto uma risada rouca e vejo um homem alto vir em minha direção com seu sorriso quadrado e cativante. Por um momento me esqueci das correntes e foquei apenas no seu sorriso. Foi então que ele pronuncia com sua voz grave:

 

Th – Bem vinda à festa do Mestre Kim Taehyung!


Notas Finais


Coelhinho danadinho hein...
Quero um desses....
E quanto à festinha, como faço pra ganhar um convite??
ueheuheu....
Não esqueçam de deixar aquele comentário totosinho que eu tanto amo, não sabem como me alegra os comentários de vcs, todo o amor que vcs estão me dando.... Me deixa muito feliz saber que estão realmente gostando da minha fic. Não esqeçam tbm de me seguir para ficarem por dentro das novidades.

Beijinhos e até o próximo Capítulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...