História Dreams - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias After
Tags Dreams, Fanfic, Romance
Exibições 11
Palavras 1.867
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Colegial, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá, pessoas! Mais um capítulo de Dreams para vocês. Espero que estejam curtindo.

Link do Wattpad: https://www.wattpad.com/user/Estermerencio_

Capítulo 4 - Capítulo quatro


Fanfic / Fanfiction Dreams - Capítulo 4 - Capítulo quatro

Estava curiosa para saber qual seria a surpresa de John. Eu não sabia o que iria vestir, pois não tinha noção de onde iríamos. Coloquei meu celular ao lado da minha cama, e programei o alarme para 16 horas. Estava me sentindo cansada, e queria estar bem disposta para hoje, apesar de não saber o que faríamos.

Acordei com o alarme tocando, peguei o celular e desliguei a música. Levantei da cama e fui direto para o banheiro. Hoje o dia não estava quente, nem estava frio.  Fiquei um bom tempo no banho, sem fazer nada. Apenas deixava a água cair sobre meu corpo.

Depois de mais ou menos 30 minutos, saí de lá. Eu ainda não fazia ideia do que usaria essa noite. Resolvi, depois de muito procurar, usar um vestido com estampa de flor e uma sandália baixa. Não era muito simples, nem muito arrumado, acho que iria servir para hoje.

https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/236x/26/13/9f/26139f84dbdf8a7c31b252ed895ed176.jpg

https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/736x/88/dc/78/88dc78494dbf81dadcb5464b1e77be2a.jpg

Deixei meu cabelo solto, ele estava absurdamente liso hoje. Fiz uma maquiagem simples, mas que causou uma diferença bem grande. Eu não entendia sobre essas coisas como Melissa, então não havia muito o que pudesse fazer. Peguei uma bolsa que Mel havia me dado, para não precisar ficar com o celular na mão o tempo inteiro.

Peguei meu celular em cima da cama, para ver a hora, 17:50. Desci até a sala, para falar com minha mãe. Ela estava dormindo no sofá. Desliguei a TV que ela deixara ligada, e coloquei um bilhete em cima da mesa, avisando que havia saído, e pedindo que me ligasse caso fosse necessário.

Às 18 horas em ponto, John tocou a campainha. Abri a porta, me surpreendendo ao vê-lo. Ele usava uma camisa jeans, dobrada até metade de seu braço, e uma calça preta, que estava um tanto larga.

http://media.shoes4you.com.br/lojas-pompeia/calca-sarja-masculina-occy-preta-1472062539.38.214x311.jpg

http://2.bp.blogspot.com/-rw2J86dJolA/VW8WNRYoVeI/AAAAAAAAByI/1jS9Q0qh088/s1600/bb8e47f51e78c767660700e7ebef0117.jpg

Ele estava tão lindo. Eu poderia olha-lo pelo resto da noite, sem me cansar.

------- John -------

Parei em frente à casa de Sam. Sentia um frio na barriga constrangedor, e podia perceber meu rosto corando. Fiquei sem saber o que fazer quando ela abriu a porta. Samantha estava perfeita. Ela era tão linda. O jeito que seu cabelo cobria seus ombros e descia até a cintura, seu sorriso tímido, suas bochechas coradas, seus olhos castanhos claros. Tudo nela era fascinante, e eu não cansava que apreciar.

------- sam -------

--- Bem na hora --- Disse, tentando quebrar o silêncio.

--- Vamos? --- Ele falou, me dando seu braço direito.

Fechei a porta, e saímos. John tinha um Jetta preto, fomos em seu carro. Assim como seu carro, John tinha um cheiro doce de canela que eu amava. Seguimos conversando sobre coisas aleatórias. Falamos sobre músicas, filmes, jogos. John gostava de jogos, e preferia séries. Tínhamos em comum o gosto pelo grupo Swedish House Mafia. E por acaso, nossa música favorita deles era a mesma, Don't You Worry Child. Possuíamos muitas coisas em comum.

Quando percebi, estávamos na praia. Havia muitas pessoas por ali, e um palco. Luzes coloridas, som alto e bebidas. Parecia que teria um show, ou algo do tipo.

--- Lembra do Scott? Ele tem uma banda, vão fazer um show hoje --- John disse, saindo do carro.

--- Achei que não gostasse dele --- Falei, lembrando do que havia acontecido entre eles.

--- Nada pessoal, vamos --- Ele disse, dando de ombros.

Assim que chegamos perto de onde as pessoas estavam, reconheci Becca, a menina da festa, ela estava com o mesmo rapaz que a acompanhava no dia que a conheci.

--- Oi, Sam, tudo bem? --- Becca disse, me abraçando com certa euforia.

--- Oi, Becca. Tudo, e você? --- Perguntei, devolvendo o abraço.

--- Tudo ótimo, que bom que veio. Fico feliz por John ter encontrado você, vamos ver se toma jeito, agora ---  Disse ela, rindo para John.

Olhei para John, e seu rosto estava sério, agora. Ele parecia não ter gostado da brincadeira. Fiquei sem entender, mas achei que aquele não era o memento mais adequado para perguntar alguma coisa.

--- BOA NOITE, GALERA --- Scott disse, em cima do palco. Ele estava segurando uma guitarra, e havia mais duas pessoas no palco. Dois garotos, que aparentavam ter no máximo 22 anos.

Assim que Scott começou a falar, todos já estavam gritando, pulando, chamando pelo nome dos integrantes da banda. Pude ouvir três nomes. Scott, Josh e Harry.

Eles tocaram músicas que eu conhecia e gostava. Na terceira música, tocaram  Uptown Funk. Não consegui me controlar. Puxei o braço de John e o levei até bem próximo do palco. Eu pulava, cantava e dançava junto com as pessoas que estavam ali. John me olhava de um jeito engraçado, como se eu fosse uma criança brincando. Depois de um tempo, ele se soltou também. Não parávamos de pular, de cantar junto. Sabíamos todas as músicas.

Na sétima música, a banda deu uma pausa. Saímos de onde estávamos, e fomos para onde não tinha muita gente. Eu estava completamente molhada de suor, John também. Nossos rostos estavam vermelhos, nossos cabelos molhados e bagunçados. Ríamos feito crianças. Nunca tinha feito aquilo na minha vida, nem com Melissa. Não entendia o motivo de nunca ter feito, aquilo era maravilhoso.

--- Não sabia que você era assim --- John disse, olhando para mim.

---  É, também não --- Respondi, rindo mais.

--- Vou comprar alguma coisa para beber, o que desejas? --- Ele perguntou, secando a testa com a camisa.

--- Água, por favor --- Falei, e ele saiu para comprar.

Me sentei um uma escada de madeira que havia ali, minhas pernas estavam me matando. Não conseguia ficar em pé.

John estava demorando para voltar, estava ficando preocupada. Não havia motivos para demorar tanto assim. 

Vi umas pessoas vindo em minha direção, imaginei que estavam querendo passar pela escada, então levantei. 

--- Não precisa levantar, princesa, não vamos passar --- Um dos garotos disse.

--- Qual o seu nome? --- Outro garoto perguntou, passando a mão pelo meu cabelo.

--- Samantha --- Respondi, tentando parecer calma com a situação.

--- Então Samantha, o que acha de dar uma volta coma gente? --- O primeiro garoto perguntou. A malícia transbordava de sua voz.

--- Não, obrigada. Não estou sozinha --- Respondi. Minha voz saía mais baixa do que eu desejara.

--- Não é isso que estamos vendo --- Um terceiro garoto falou.

--- Está tudo bem, Sam? --- John gritou, descendo as escadas.

Graças a Deus, pensei.

--- O que está acontecendo aqui? --- John perguntou. Sua expressão era a mesma de quando houve a confusão com Scott.

--- Nada, estávamos apenas conversando --- Um dos garotos disse, sorrindo para mim.

--- Já podem ir embora --- John disse, me puxando para perto de si.

Os garotos saíram, sem falar nada. Eu não sabia o que fazer. Estava tremendo muito. Nunca havia passado por isso antes, e não queria passar nunca mais. Não sei o que  aconteceria se John não estivesse ali.

--- Você está bem? Fizeram alguma coisa com você? --- Ele perguntou. Sua expressão agora demonstrava preocupação.

--- Estou bem, só estou assustada --- Respondi, sentando na escada novamente.

John me deu a garrava de água, e eu bebi mais da metade, de uma vez só.

--- É, acho que você estava mesmo com sede --- Ele falou, rindo.

--- É --- Falei, bebendo mais.

--- Peguei uma toalha no carro, o que acha de dar uma volta? --- Ele perguntou, seus olhos brilhavam. 

--- Acho uma boa ideia --- Respondi, sorrindo para ele.

Andamos pela areia, até nos afastarmos completamente de onde estávamos. Até não conseguirmos mais ouvir o som da música.

--- Vamos ficar por aqui? --- Perguntei.

--- Vamos --- Ele disse, colocando a toalha no chão.

Sentamos, de frente para o mar. A luz da lua cobria a água, nos permitindo ver quando a onda chegava até a areia. Um vento frio tocou minha pele, me fazendo arrepiar.

--- Está com frio? --- John perguntou, já tirando sua camisa.

--- Não, não precisa. Estou bem. --- Falei, tentando impedi-lo.

Tarde demais, ele já havia tirado a camisa e colocado em meus ombros. Não havia como não olhar para o seu corpo. Todos os seus músculos eram muito bem definidos. Aquilo me fazia pensar em horas e horas levantando pesos, muitas abdominais e flexões. O resultado era visível. 

Lembrei do que Becca havia dito mais vedo, quando chegamos. Achei que era uma boa hora para perguntar sobre.

--- Então, o que Becca quis dizer com "Vamos ver se toma jeito, agora" --- Perguntei olhando para ele.

--- Porque quer saber? --- Ele perguntou, rindo da minha pergunta.

--- Achei que não fosse ter problema perguntar --- Respondi.

--- Nada demais. Becca não sabe o que fala, na maior parte do tempo --- Ele disse, olhando para o mar.

--- E por que não pode me contar? --- Perguntei, brincando com a areia.

--- Não acho que seja necessário --- Ele respondeu --- Não vai mudar nada em sua vida se eu contar.

--- Mas eu quero saber --- Disse, começando a desconfiar de que fosse algo um pouco mais sério.

--- Bom, Sam, não foi para isso que eu te chamei. Não foi para falar de coisas do meu passado --- Ele disse, olhando para mim, agora.

--- Então por que me chamou? --- Perguntei, olhando em seus olhos.

Sem avisar, John me beijou. Sua mão direita subiu para minha nuca, me puxando para mais perto. Sua outra mão passeava pelo rosto, fazendo carinho. Seus lábios estavam frios, por conta do tempo. Seu beijo era incrível. Beija-lo era incrível. Sentir seu toque, seu carinho. Entrelacei meus dedos em seu cabelo, fazendo com que ele se aproximasse mais. John ficou sobre meu corpo, me fazendo deitar.

Seu beijo ganhou intensidade, vontade, desejo. Sua boca se encaixava perfeitamente na minha. Desci minhas mãos para suas costas, tocando em cada parte dela. Ele era exatamente o que eu queria agora.

Troquei de posição, ficando por cima dela. John sentou, fazendo com que eu sentasse em seu colo. Suas mãos corriam pelos meus braços, minhas costas, minhas pernas. Seu toque queimava minha pele, de um jeito maravilhoso.

Seus beijos passaram para o meu rosto, meu pescoço. Meu corpo não sabia reagir aos seus toques, seus beijos. Eu estava totalmente tomada pelo prazer.

Ouvi meu celular tocar dentro da bolsa. Devia ser minha mãe, já estava tarde. 

--- Atende depois, por favor --- John disse, no meu ouvido. Sua voz estava me matando.

--- Não posso --- Respondi, pegando o celular --- É a minha mãe, acho melhor irmos.

A decepção tomou conta de seu rosto. Foi engraçado de ver. Saí de seu colo, e ele levantou. Pegamos a toalha e fomos andando até onde ele havia estacionado o carro. Andamos o caminho todo em silêncio, olhando para frente, apenas.

Em 30 minutos estávamos na frente da minha casa.

--- Gostei de hoje, acho que deveríamos repetir --- Ele disse, olhando para mim.

--- Qual parte? --- Perguntei, o fazendo sorrir.

--- Todas --- Ele disse, e se inclinou para me beijar.

--- Obrigada pelo passeio. Boa noite --- Disse, abrindo a porta do carro.

--- Boa noite, Sam --- Ele respondeu.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...