História Dreams And Nightmares - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys (bts), Bruxas, Hoseok, Jimin, Jin, Jungkook, Lobos, Namjoon, Romance, Taehyung, Vampiros, Yoongi
Exibições 30
Palavras 1.535
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Agora podem sentir o cheiro e o gostinho do mistério. .. A partir do próximo capítulo as coisas iram acontecer ... mas claro em tempo lento ... para ser mais real se é que vocês entende ... ~PL~HB~SK

Capítulo 3 - Capítulo 2


Fanfic / Fanfiction Dreams And Nightmares - Capítulo 3 - Capítulo 2


Bom, não posso dizer que as coisas ficaram normais depois de reencontrar minha prima, mas sim confusas, sei que já estavam, pois mesmo aquele homem me odiando ele não gostava do irmão acredito que qualquer colégio interno seria uma opção que combinasse mais com ele. Pode ser paranóia minha afinal desde que mamãe foi embora sou considerada por todos maluca "a garota que desconfia até do ar, água que bebe e o chão onde pisa". Era isso ou acabar me machucando, confiar só trazia feridas por toda minha alma, era só pensar para as lágrimas rolarem pelas minha bochechas.

Dentro da casa me contive eram meus primeiros segundos ali não podia desabar. Forcei a garganta para dizer algo.

- Mas, cadê seus pais prima?  -  Estava sentada no sofá olhando cada canto da casa, voltei para a garota a minha frente, mas não recebi resposta e sim um silêncio horrível. Todos se olhavam com cautela e isso causou calafrios em mim, oque estava acontecendo?

- Você não sabe ?  -  Olha para a porta onde tinha uma garota quase da minha altura era meio morena e vestia uma calça jeans preta e uma blusa bege. Neguei com a cabeça olhado a minha prima que encarava seus pés.

- Seu pai disse algo ? -  A menina pergunta se deitando no sofá e olhamos para o teto  -  Provavelmente não, faz tempos que ele não fala conosco - outro arrepio "faz tempos que ele não fala conosco" como assim?? ele tinha me dito que havia avisado que eu viria.

- Não! Ele avisou ao seu pai da minha vinda. Onde ele está? Sei que eles brigaram, ok, mas onde?  -  Me levantei encarando todos ali a garota fofa, a outra em pé na entrada da sala e a Hai Ming deitada sem reação nenhuma.

- É melhor você parar -  Me deparo com uma menina do meu tamanho ao meu lado, mesmo séria ela era fofa -  Tayná certo? Bom esse assunto é delicado, melhor não fazer perguntas  -  Ela passa por mim e vai até a outra que estava observando tudo com uma certa paciência.

- Desculpe o modo da Alice  -  Suspira  -  Mas Hai Ming? Ela não sabe, fale com ela, eu e a Alice deixaremos vocês duas à sós - ela sai e se mistura nas sombras da casa onde a perco de vista.

Me assusto quando vejo a Hai Ming em minha frente, dou um pulo assim que me deparo com aquele olhar medonho dela.

- Você não sabe mesmo?  -  Tinha receio na sua voz ela ainda tinha dúvida? Eu não sabia nem o porque de não ter ido pro colégio interno e sim parado ali  -  Tayná, a mamãe morreu e o meu querido papai  -  Ela diz as últimas palavra com sarcasmo  -  Não vive aqui e sim em outra cidade, em outras palavras, ele me deixou  -  Continuo presa em seu olhar calmo e meio duvidoso.

-Mas... - Não conseguia completar a frase. A mesma se vira, mas permanece no mesmo lugar.

- Meu "papai" é como o seu, não quer a lembrança de algo bom que se acabou por perto. Não duvido que os dois andam de conversa e decidiram te mandar pra cá mas, ele não contar da minha mamãe é o cúmulo  -  Ela volta a se virar  -  Porque ele te mandou pra cá?

- Nem eu sei  -  Olhei minhas mãos, eu não sabia como poderia responder?  -  Só encontrei minhas malas na sala de manhã, e ele dizendo que eu iria morar com meus tios -  Ela ri sem emoção, o que me fez questionar se não estava brincando.

- Seu pai é mesmo irmão do meu. São uns babacas - ela volta a sorrir  -  Olha essa casa não é um hotel cinco estrelas, talvez uma casa velha cheia de trecos antigos  -  Ela observa tudo a sua volta - mas mesmo caindo aos pedaços ela esta aberta para você  -  Eu ainda estava confusa, mas oque iria adiantar prolongar aquela conversa?? Só mais perguntas iriam aparecer.

- Se você não tentar me matar a noite eu ficarei bem  -  Digo vendo as outras duas garotas vindo em nossa direção.

- Essa é Alice  -  Aponta para a menina fofa que atendeu a porta - essa é a nossa Nari  -  Aponta para a garota que estava com a blusa bege  -  E ninguém vai te matar aqui  - As três abrem sorrisos e logo surgem várias perguntas de como é morar no Brasil e logo depois em Seul.

Foi um fim de tarde bem cansativo e confuso.

《...》

- Ei! Tem sangue novo na cidade  -  Digo olhando pela janela da mansão  -  Acho que voltar para esse lugar vai ser interessante -  Solto um sorriso de lado e encaro aquela floresta que era nosso jardim.

- É melhor focar no outro grupo sabe como ele fica quando nos pega brincando com  comida  -  Olho para o ser que mexia nos papéis o mesmo se encontrava sentado no chão  -  Não me olhe assim pode ficar com raiva, mas você não é o líder. É o segundo  no comando  -  O garoto remexe em seu óculos - se os dois voltarem de viajem e não verem isso terminado estaremos mortos.

- Mas já estamos  -  Digo rindo do mesmo que lança um olhar por cima das lentes - Oque? Sabe que não tenho medo daqueles dois e afinal não é sempre que há sangue novo nesse lugar  -  Fecho os olhos tentando controlar minha raiva.

- E não é sempre que temos alguém da corte nos perseguindo  -  Ele deixa escapar e ao mesmo tempo resmunga pelo ato. Sabia desde o começo que Yoongi não tinha ido viajar com aquela vadia só por negócios - eu não contei porque ele pediu para não fazer besteira  -  Volte a mexer nos papéis.

- Ah Namjoon porque insiste em guerrear comigo?  -  Olho pela janela vendo a mesma agora quebrada, aquela brisa era refrescante e me acalmava de certa forma.

- Pensando bem, pode vir com seu grupinho de merda.

《...》

Acordo com outra confusão na minha consciência, suspiro e observo o quarto em que dormiam, a Tayná e a Nari permaneciam ali cada uma de um lado, eu estava no meio das duas oque me fez perceber "Alice teve outro pesadelo" me levanto devagar para não acordar as demais vou até a porta fechando a mesma mas antes olho para as duas deitadas no colchão que foi jogado no chão para todas dormirem juntas.

...

Assim que piso na cozinha, vejo a menina comendo sorvete "ela adora sorvete" a mesma se assusta quando me vê parada a observando.

- Tô com fome  -  Pego uma colher e me sento ao seu lado  -  Um pesadelo ou o estômago roncou alto demais e você voltou do país das Maravilhas?  -  Perguntei levando uma colher de sorvete na boca.

- Pesadelo  -  Suspira  -  Sempre pesadelo.

- Quer contar ou vamos continuar a comer em silêncio? -   Da um leve sorriso e assente, me preparo para escutar a menina.

- É  sempre o mesmo mas hoje foi diferente não sei...  -  A garota toma um pouco do sorvete -  Tenho medo deles, são tão reais.

- Oque acontece?

- Você quer mesmo saber? -  Confirmo com a cabeça  -  Primeiro é um sonho normal... Como se estivéssemos vivendo em um dia qualquer, depois as coisas ficam nubladas, você e a Nari somem mas, escuto os gritos das duas e uma voz falando que só posso salvar uma  -  Seguro o sorvete oque fez ela parar.

- Sorvete... Muito... Bom  -  Sorrio desajeitado - É só um pesadelo não é como se fosse acontecer de verdade  -  Volto a comer e peço que ela continue.

- Mas só tenho vocês  -  Suspira  -  Não posso continuar. Me dê esse sorvete! -  Ela me ordena mas não obedeço.

- Vai me diz logo. Eu morro?  -  Olho para ela que me encarava e a mesma assente.

- Sempre que tenho esse pesadelo eu consigo encontrar a Nari mas não consigo te encontrar, e quando eu a vejo, algo te mata... uma sombra... seus olhos ficam brancos, sua roupa sangrando, e depois você começa  a se debater no chão  -  Engulo em seco.

É possível ela ter pesadelos com coisas que nunca viu? Mesmo que acontecesse como ela saberia? Aquilo não era a mesma coisa. Senti a minha cabeça explodindo, sabia que seu sonho não era nada, mas agora.

- Oque foi?? Está vendo, ficou com medo por isso não conto para a Nari ela também fica assim  -  A menina abaixa a cabeça.

- Não é isso. É  que...  -  Como posso dizer? - Alice isso é um pesadelo sabe? é por causa do trauma mas é só isso.  -  Não podia dizer nada pra ela, já bastava a Nari falando que eu era paranóica.

- Vamos assistir um filme??? Não quero dormir.

- Agora! -  Pulo do banco da cozinha e vou para a sala, vendo a mesma vindo atrás de mim.

Morrer... porque isso era a única coisa que eu não tinha medo?


Notas Finais


Aviso
Iremos postar sempre... Terça,quita e domingo .... isso se não ter problemas...

E esperamos que tenha gostado ... ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...