História Dreams and Secret School - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias B.A.P, Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, J-hope, Jimin, Jin, JR, Jungkook, Mark, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V, Youngjae, Youngjae, Yugyeom
Tags Bts, Colegial, Comedia, Romance
Exibições 8
Palavras 1.722
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Musical (Songfic), Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hiiiii adorooo

Capítulo 2 - Capitulo 2.


Me levanto cedo, coloco os pés no chão e percebo que está frio olho pela janela e ainda esta de noite pego o relógio e ainda são 4:05 da manhã, como o chão esta frio eu enrolo dois lenços nos pés e me levanto com fome e vou até a cozinha minha casa não tem andar de cima porque minha mãe é cadeirante e ficaria meio difícil dela se locomover se fosse andar de cima. Chego na cozinha ascendo as luzes e vejo uns pratos quebrados no chão, me assusto pelo fato de estar sozinha em casa, escuto um ruido vindo de cima do armário quando olho vejo o Bartolomeu meu gato.

-Poxa gato, tu me assustou merda.-falo olhando em direção a ele. Não gostava de gatos e além disso com um nome desse, quem gosta dele é minha mãe. Pego a vassoura para varrer os cacos de vidro e acabo tropeçando no lençol e caiu com a mão e os joelhos no vidro.

-Aiii! Que merda gato, tudo culpa tua.-falo tentando sair de perto dos vidros. Olho pra minha mão e vejo que não aconteceu nada de mais, olho para os joelhos e percebo que em um deles entrou um pedaço de vidro.

-Não vou entrar em desespero Não …vou …ent …desespero.-respiro fundo para controlar a agonia e amenizar a dor. Meu joelhos e minha mãos estão sangrando estou quase me desesperando vou gritar! Vou morrer! Esse será meu fim! De repente lembro que meu pai disse que dentro da estante tem um quite de primeiros socorros para eu usar se preciso, ele sempre achou que meu ataque de asma pode voltar a qualquer momento ainda que eu ache que estou curada, mas sempre achei que ele teria razão um dia pelo fato dele ser enfermeiro de hospital público mas ainda é um enfermeiro.

Me arrasto até a estante retirando o lençol do meu pé, abro a uma portinha em baixo do som e vejo o quit, pego a caixa abro e vejo: um saco de algodão, uma garrafa de álcool e outra de soro, umas ferramentas básicas, gases, bandeides e outros curativos. Primeiro pego uma pinça, lavo no soro, encaixo no pedaço de vidro e… Esqueci oque é pra fazer agora não sei se puxo ou se tiro devagar. Demorou um pouco mas decido retirar devagar e controlar a dor e assim eu faço, depois de tanta dor e sufoco eu consigo tirar o vidro lavo a ferida com soro, enrolo um pano de ferida. Depois vou para o outro joelho e faço o mesmo procedimento e na mão eu só lavo e coloco bandeide.

Percebo que estou chorando, queria que meus pais estivessem aqui enxugo minhas lágrimas e levanto para limpar a bagunça do gato, começo varrendo todo o vidro depois coloco tudo no lixo e checo se esta tudo limbo.

-Perdi até a fome, vou tentar dormir.-vou mancando até o quarto dos meus pais queria sentir o cheirinho deles já vai fazer 4 semanas que estou longe deles. Deito na cama e tento dormir mas não consigo porque meu joelho esta latejando de dor.

[…]

Já esta na hora de ir trabalhar, me levando da cama com um pulo esquecendo-me do meu joelho e quase caiu no chão. Tiro a minha roupa e entro no banheiro para tomar banho, troco os curativos e procuro uma roupa. Pego uma short jeans azul e um blusão preto do meu pai regata que pelo visto ficou muito bem em mim. Pego a minha bolsa de costa e saio trancando apagando as luzes e trancando a porta.

Em direção ao trabalho coloco o fone e fico escutando uns raps dos bons, chego no café e já vejo Anna, Mari, Suellen e Ally.

-Bom dia meninas!-eu falo para elas. Todas olham em direção a me espantada.

-Oque foi isso?-Anna pergunta.

-Foi o gato que derrubou os pratos lá de casa dai eu fui tomar água e acabei caindo em cima.-eu falo sentando na cadeira para descansar.

-Agora é uma boa hora de seu pai jogar esse gato fora neh? O que ele fez?-pergunta Suh.

-É… Ele… não fez nada por que a culpa foi minha de não acender as luzes da cozinha.-eu falo nervosa. As meninas não sabem que eu estou sozinha em casa essas semanas e eu não falei por que tenho medo que meus pais sejam prejudicados por deixarem uma menor de idade sozinha em casa por tanto tempo.

-Nada haver, que desculpa mal merda.-Fala Mari.

-Ta bom meninas não se preocupem, eu já estou bem agora vamos trabalhar neh! E onde estão as outras?-Eu pergunto.

-Não chegaram ainda.-Anna fala indo preparar as bebidas.

-Oie bom dia lindas!-fala Manu na porta do café com Amanda.

-Bom dia! -todas falamos juntas.

-Que demora foi essa de vocês?-pergunta Suh.

-Foi culpa de Amanda, demora da bixiga.-fala Manu indo ajudar Anna.

-Duvido nada.-dou uma risada.

-Muito engraçado, vocês não tem paciência de me esperar e eu que demoro.-fala Amanda.

- Eiih gente o chefe ta vindo, vão colocar os uniformes rápido.-fala Ally.

-Eu já estou de uniforme.-fala Mari.

-Eu também estou.-fala Suh.

-E eu também.-Anna confirma.

Eu, Amanda e Manu corre para o banheiro e colocamos os uniformes o mais rápido possível, saímos o mais rápido possível.

-Bom dia meninas.-fala o chefe indo em direção a sala dele.

-Bom dia chefe.-falamos todas juntas.

Olho para a porta e vejo o Jae entrando e indo em direção a Amanda. Eles se beijam e ficam conversado, depois de um tempo ele vai embora. Eles estão namorando faz uns 5 meses já, ele é legal mas é filho do nosso chefe e é meio desconfortável. As vezes eu me pergunto como será para eles, eu até já perguntei a ela mas ela disse que é normal então não descuti por bobagens minhas, só quero ver todas elas felizes seja com quem for. Todas começamos a trabalhar, percebi que dia de segunda as pessoas não vão muito ao café.

[…]

-Meninas, como hoje tem pouca movimentação aqui no café vocês largam de 12:30 ta certo?-fala o chefe.Todas aceitam, olho no relógio e já são 11:00 bate um certo alívio dentro do meu ser.

O café estava vazio pensamos que ninguém iria mais entrar, mas estávamos enganadas, estou limpando as mesas quando entra um grupo de 7 meninos rindo e falando alto, eles já chegam puxando 2 mesas para sentarem juntos.

-Bom dia senhores, queria perguntar se vocês vão demorar, por que iremos fechar as 12:30? -Mari pergunta atenciosa para os meninos.

-Poxa boneca, mal cheguei e você quer que eu vá embora!-ele fala puxando a saia de Mari.

-Não toca em mim tá? E outra não me chama de boneca não sou como tuas putas-Mari fala se afastando.

-Ei ei, volta aqui.-outro rapaz fala.

- Vamos querer só um suco para cada, 2 de manga, 2 de goiaba, 1 de pinha e 2 de acerola.

- Ta bom já já eu trago.-Mari fala.

Eles ficam brincando enquanto esperam, o suco não demora muito para sair.

-Eiih Anny me ajuda a levar.-fala Mari.

-Ta certo.-pego a bandeija e vou até a mesa mancando, de repente sinto uma tontura que me faz tropeçar e derrubar todo o suco na roupa de uns meninos que estavam na ponta da mesa.

-Desculpa senhores, espera que eu limpo vocês.-eu falo desesperada.

-Desculpa uma ova, sai não toca em mim, sua garçonete de … deixa eu calado.-um deles falam gritando e eu odeio quem grita comigo.

-Calma Tae, ela pedio desculpa você não viu que ela tropeçou?-fala um rapaz simpático.

-Não se mete Jin, isso não é da sua conta se ela esta aqui é para fazer o trabalho sujo ficar limpo.-ele fala me encarando.

-Só estou fazendo meu trabalho e se estar achando ruim o problema é seu e eu pedi desculpas ta! seu fresco.-eu falo encarando ele.

-Humm, bom trabalho em tão, vamos galera.-ele fala saindo.

-Ei Ei, vocês tem que pagar pelo menos, porque enquanto ele ai…(Manu aponta para o rapaz que gritou comigo)… tava dando o showzinho dele vocês beberam todo o suco.

-É verdade gente, temos que pagar pelo menos, até por que acho que elas precisam.-fala o rapaz de voz grossa em direção a Anna. Dois rapazes vão em direção ao caixa onde Suellen e Amanda estavam.

-Quanto deu?-um deles pergunta.

-Vocês pediram tudo em copo grande que vale 6,00$, 3 derramaram e 4 vocês beberam, então fica um total de 28,00$.-fala Suh nervosa com aquele homem a encarando.

-Como é? Você quer me roubar sua azinha? Nem tente viu porque eu não sou tão imbecil.-ele fala colocando o dinheiro na mesa.

-Desculpa… Eu… Não…-ela fala nervosa, conta o dinheiro e vê que tem 24,00$.

- Ham…bem… Vocês querem contribuir com a caixinha de Natal? Para ajudar as crianças carentes nesse natal-pergunta Amanda para amenizar as coisas.

-Você acha que eu tô com vontade de colocar dinheiro nessa caixa? Até porque eu estou vendo que você não esta precisando de dinheiro e que nem mesmo é tão criança assim.-ele fala olhando a mesma da cabeça aos pés.

-O que você esta insinuando? Que a gente vai ficar com esse dinheiro?-Amanda pergunta batendo no balcão do caixa.

-Não falei nada, mas já que você esta dizendo, quem sou eu para não acreditar.-ele da um sorriso de lado.

- Ha seu filho de uma…-ela levanta a mão para bater na cara dele.

-Oque está acontecendo aqui?-fala o chef já bravo.

-Suas serventes derrubaram suco em nós, tentou nos roubar e ainda queria nos agredir.-um deles falam, ele tinha um nariz meio grande.

-Mentira, a gente só… fez… Mas… quando… Deixa pra lá-Manu tenta falar mas não consegue porque todos os fatos estão contra nós.

-Senhores eu peço mil desculpas, se quiserem o dinheiro de volta eu devolvo.-o chefe fala.

-Não precisa, acho que elas precisam mais que a gente, toma aqui uns 50,00R$-fala o garoto de cabelos verdes encarando Amanda.

Eles saem com cara de deboche e some virando a direita de uma rua logo a frete do café.

-Vocês estão ficando malucas? Em?-o chefe pergunta bravo. - E Limpem tudo isso aqui e vão embora deixa que eu fecho tudo.

-Ta bom chefe.-todas falamos abaixando a cabeça.

-E sem conversa, vou sentar aqui para checar se vão conversar umas com as outras.-ela fala sentando no balcão.

[…]

          O tempo passou, não deu para comentar sobre o acontecimento do café com as meninas porque todas corremos para pegar o ônibus. Já cheguei em casa, tomei banho e estou deitada. Tudo oque eu mais quero agora é ir para escola onde não dormirei sozinha e nem me sentirei sozinha as aulas começaram semana que vem estou ansiosa e com boas expectativas.


CONTINUA...


Notas Finais


Foi forte num foi, esperem ate o prox cap. Vai ser tiro...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...