História Drink Bar - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Jensen Ackles, Misha Collins
Personagens Jensen Ackles, Misha Collins
Tags Barman, Cockles, Jensen Ackles, Jensha, Misha Collins
Exibições 59
Palavras 4.143
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Festa, Fluffy, Lemon, Mistério, Shoujo (Romântico), Slash, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Heyyyyyyyyyyyy amores!
Mais uma one pra vocês!
Vi essa fanart do Dean como barman e OPA resolvi escrever! (͡° ͜ʖ ͡°)
Espero que gostem!
Boa leitura
*-*

Capítulo 1 - Drink Bar


Fanfic / Fanfiction Drink Bar - Capítulo 1 - Drink Bar

-Mas uma chefe?

-Não sei se devo... – respondeu o moreno colocando suas mãos entre a cabeça.

O barman que era um lindo loiro tatuado, pegou um copo de vidro e colocou ao lado do copo de seu cliente. Abriu a garrafa de whisky e disse – me conte sua história...se seu problema for tão ruim assim... essa será por conta da casa – disse enchendo os copos, com um sorriso encantador de lado.

O moreno que antes não tinha reparado na belezura a sua frente, sorriu ao lhe encarar.

-Nada demais...apenas as vezes eu odeio minha vida! – respondeu estendendo sua mão – prazer sou Misha Collins.

-Prazer é todo meu – sorriu – me chamam de Jenns! – o moreno sorriu de volta.

-Deixa eu advinhar...você trabalha numa multinacional, vive sempre ocupado, tem problemas em casa, por não ter tempo pra família...mulher...filhos...acertei? – disse o loiro pegando seu copo.

Misha iria pegar seu copo e levar a boca, mas colocou-o de lado – errou! Minha vida já é um inferno, pior seria se tivesse família, filhos...

-certo! Então...?

-Ah sei lá...não quero tomar seu tempo com bobagens minhas...

O loiro iria responder, mas se calou quando o celular do moreno tocou, e ele saiu para atender lá fora.

Minutos depois o moreno volta e sua expressão não era nada boa – enche mais por favor – disse apontando ao seu corpo.

O loiro nada disse apenas encheu com a bebida, e o viu tomar de uma vez só.

Misha se arrependeu pois ela desceu queimando em sua garganta.

-Mais problemas?

-Sim! O filho da puta do supervisor negou meu projeto... – com o copo em mãos ele pediu mais bebida que foi concebido com sucesso - ...e pior ele mostrou pro dono da empresa e parece que ele aceitou! CARALHO! – gritou antes de descer a bebida guela abaixo.

O barman precisou rir.

-Oh me desculpe gritar assim!

-Sem problemas! Você não é o primeiro a gritar num bar – ambos riram.

Misha reparou como era forte o barman a sua frente. Ele usava uma camiseta preta colada ao seu corpo, onde realçava mais seus músculos.

-Interessante sua tatuagem...tem algum significado?

Ele riu – sim, sou um lobo solitário...

-Mas porque lobo?

-Bem... – ele coçou a cabeça de um jeito sexy, Misha adorou ver isso mas nada disse - ...lobos, quando eles veem sua presa, não atacam logo de cara, eles observam de longe, seus passos, seus costumes, e ataca na hora certa!

-Ou essa bebida é muito forte, ou esse papo tá muito interessante!

Jensen nada disse, apenas se virou pro lado, onde serviu um casal, mas logo voltou a encarar os lindos azuis de Misha.

-Obrigado pelo papo...mas acho melhor ir embora...

-Certo...

-Boa noite lobo solitário!

-Boa noite pra você também! – e piscou ao moreno que já caminhava em direção a porta.

 

...

 

Misha acorda no meio da noite e se lembra do lobo de olhos verdes. Ele era impressionante. Parecia ser meio rebelde, mas de boas. Ele com certeza voltaria praquele bar pra conversar mais com aquele barman bonito.

Mas não foi possível reencontrá-lo, ele se frustou quando lhe falaram que Jenns não trabalhava mais naquele lugar. E agora? Bom não tinha nada o que fazer, na cidade havia milhões de bares, e ele não seria louco de ir em todos á procura dele. Sua vida continuava a de sempre, acordava as 8 da manhã, tomava banho, vestia seu terno e gravata, e tomava seu café da manhã, indo trabalhar. Ele era gerente de marketing de uma grande multinacional. Era solteiro, tinha 27 anos, não se dizia ser infeliz, mas também não era feliz. Apenas havia cansado de sua vida rotineira. Talvez ele esteja ficando velho, e uma companhia mais nova animaria sua vida, mas ele não tinha saco pra ir em baladas. Ele odiava conhecer pessoas, papos vazios, sem objetivos...

 

...

 

-Você? – foi só o que disse, tamanha era sua emoção de encontrar o barman de olhos verdes, servindo as mesas, na festa que ele precisou ir, pois seu chefe mandou.

-Boa noite – ele apenas disse isso com um sorriso de canto.

A festa estava começando a ficar boa, mas ele sabia que o rapaz estava trabalhando e não poderiam conversar. Logo os sócios da empresa o cercaram falando de trabalho, coisa que Misha já não aguentava mais. Mas ouviu tudo atentamente, sempre procurando por olhos verdes pelo salão. Quando via, sorria e pode reparar no andar que ele tinha. Um andar de lobo, rodeando sua presa. Mas precisou rir de seu pensamento, porque numa festa dessas, que só tem gente chata e velha, jamais teria alguém que ele gostasse...a não ser ele mesmo. Bebeu mais um whisky e foi pra fora tomar um ar.

Na sacana do prédio, avistou o loiro fumando um cigarro.

-Não sabia que você fumava...

-Muitas coisas você não sabe de mim... – disse com mistério. Misha não sabia o que dizer, apenas olhava o céu que estava estrelado hoje.

-Sim eu fumo...quer um? – disse apenas pra quebrar aquele silencio.

-Nunca fumei! – ambos riram.

-Muito certinho você hein...se fosse maconha ok dizer não...mas é apenas cigarro...

-Ok, lobo rebelde...aceito um – encarou aqueles olhos verdes, pronto pra ganhar essa disputa.

O barman tirou o cigarro de sua boca e disse – e só tragar. Misha pensaria que ele fosse lhe dar um novo, mas não se importou em pegar esse mesmo, que tinha saído de sua boca.

Quando ele deu a tragava, saia fumaça por todo lugar, ele começou a tossir.

Jensen não aguentou e riu, mas claro que o ajudou também.

-Me desculpe – disse o moreno que derrubou o cigarro no chão.

-Tá perdoado...mas você está bem?

-Minha garganta esta...argh fumar é ruim demais!

-hahaahahah relaxa que todo mundo se engasga na primeira tragada – respondeu o loiro acendendo outro cigarro – é muito simples, você apenas puxa a fumaça, abre a boca um pouco, puxa ar puro e solta.

-Uau! Parece fácil...mas pra mim já deu por hoje.

-Certo – disse rindo de lado.

Misha já ia voltar pra dentro da festa, mas ele precisava perguntar – por acaso você não trabalha mais naquele bar?

Jensen fez uma cara de surpreso.

-Não que eu queria me meter na sua vida...apenas curiosidade...

-Porque você voltou pra lá? – o moreno assentiu com a cabeça – sim pedi demissão logo depois que você foi embora...

-Wow! Não sabia que estava sendo um cliente tão chato assim...peço desculpas!

-Fique tranquilo, que você não teve culpa - piscou ao moreno. Logo ele terminou de fumar e precisou voltar ao trabalho.

Era tão estranho Misha ver Jensen vestido daquele jeito. Terno branco e gravata preta, não combinava com seu jeito. Mas ele entendeu que era apenas um trabalho. Ficou imaginando por uns minutos, como ele se vestiria num encontro – “talvez ums jeans surrado, camiseta preta, e uma jaqueta de couro?” – se perguntava mas começou a rir e voltou para a festa.

No meio de tanta gente bonita na festa, seus olhos azuis só tinham uma direção: os verdes daquele barman. Ele não sabia o porque, mas havia gostado de sua companhia, mesmo brevemente. Ele tinha um certo mistério, que ele adoraria investigar. Mas ele não poderia agir assim, seria no mínimo patético.

 

...

 

Misha acordou morrendo de dor de cabeça. Olhou pro lado e estranhou o lugar – mas que porra aconteceu? Ele não sabia! Só lembrava que tinha bebido muito champagne na festa e depois era tudo em branco.

Na mesinha ao lado, ele viu um bilhete – Beba esse suco e toma esse remédio, vai melhorar, assinado por Jensen Ackles.

-Ackles? Meu Deus será que eu...ele? Minha nossa não me lembro de nada!

Após tomar o suco e o remédio, ele guardou o cartão, não sem antes reparar que tinha um número de celular no verso. Discou.

-Alô?

-Jenns? – ele ouviu o outro rir na linha – meu Deus o que aconteceu ontem? Aonde estou?

-Calma...se acalme! Você passou mal no final da festa. Deve ter bebido muito, e dançava loucamente. Por sorte a festa estava acabando e ninguém viu você pegar mico.

-Nossa!

-E antes de mais nada...não! Nada aconteceu com a gente. Meu trabalho tinha acabado, e antes de ir embora, ví você sentado no chão do banheiro. Tentei te acordar e nada. Peguei você no colo e coloquei no meu carro. Como não sabia aonde você morava, resolvi entrar num motel. Você resmungava alguma coisa, e eu dava risada. Mas cuidei de você. Tirei seus sapatos e sua calça e te coloquei pra dormir no meu peito. Você até roncava!

-Nossaaaaaaaaaaa que vergonha! Muito gentil da sua parte, não precisava me ajudar.

-Ajudei porque ví que você precisava.

-Muito obrigado! Estou te devendo uma!

-ahahahaah irei cobrar... – ambos riram.

-Tive que sair cedo por isso deixei o bilhete.

-Entendo...obrigado novamente.

-De nada, fique bem! E manêre na bebida!

-Irei sim... – ele já ía desligar mas perguntou – posso te ligar outro dia?

-Pra que seria?

-Ah sei lá, conversar...preciso conhecer melhor meu herói!

-hahaahaha sou o batman! E sim, já anotei seu número aqui...

-Ok...ate outro dia.

-Ate... – e desligaram.

 

...

 

Jensen e Misha marcaram um cinema alguns dias depois. O moreno estava meio nervoso, parecia um adolescente hahaha.

-Olá! – disse Jensen vindo em sua direção com um sorriso no rosto.

-Batman! – ambos riram.

-Adorei o apelido – e sorriu.

Escolheram um filme de super heróis: Doutor Estranho. O programa deles foi normal de boas. Após o filme, sentaram na praça de alimentação e conversaram.

Misha soube que Jensen tem 23 anos, e como nunca gostou de estudar, trabalhava como barman para sobreviver.

Na hora de irem embora, cada um foi pra um lado. Mas antes Jensen apertou sua mão cumprimentando. O toque de suas mãos foi forte, acendendo um fogo no moreno. Que acabou puxando ele mais pra perto e abraçando – obrigado pela noite – disse.

-Obrigado você também – Jensen se desfez do abraço, não sem antes encarar seus lindos olhos azuis. Num momento rápido ele selou seus lábios no dele, e foi embora.

O moreno foi pego de surpresa, mas tinha adorado, e queria mais. Mas ele não podia ir pra cima dele assim, tinha que ir com calma.

 

...

 

Durante a semana, eles sempre se falavam pelos whats. Jensen havia conseguido outro trabalho em outro bar. Ele ate convidou o moreno para conhecer, pois o lugar era bem bacana. Misha saiu do trabalho e foi direto pra lá. Quando entrou sorriu ao ver seu barman.

-Boa noite!

-Oii Misha...tudo bem?

-Tudo sim, estou apenas cansado, vim pra relaxar...bacana o lugar hein!

-Sim, gostei muito daqui. O salário é melhor, e as borjetas são boas.

-Que bom! – sorriu sendo servido pelo barman mais gato que já viu na vida.

Mas hoje ele apenas bebeu cerveja, pois não queria passar mal de novo.

Após algumas garrafas, Misha já estava ficando alegre, Jensen era muito engraçado.

Ele se levantou, ao perceber que Jensen foi pro banheiro. Era agora ou nunca, entrou sem fazer muito barulho e o viu lavando suas mãos na pia.

Se aproximou dele, e o beijou.

-Me desculpe...

-Ahhh Mish, jamais irei te perdoar...

-Oh meu Deus! Eu...eu...não resisti... – dizia de cabeça baixa, que o loiro fez questão de ergue-la – jamais vou te perdoar, se não me beijar de novo!

O moreno abriu o maior sorriso e o beijou novamente.

-Queria fazer isso há muito tempo já... – sussurrava o moreno em seu ouvido.

-Pena que estou trabalhando...

-Ah mais eu espero! Que horas você sai daqui?

O loiro olhou no relógio e disse – daqui 1 hora mais ou menos.

-Ok, eu espero! – piscou a ele, vendo sair do banheiro, voltando pro trabalho.

 

...

 

Quando o expediente acabou, ambos sorriram. Do lado de fora, eles se beijaram. Incrível que Jensen era forte, agarrava sua cintura, sem largar seus lábios.

-Ah! – Misha soltou um breve gemido, que Jensen adorou.

-Vamos pra um lugar mais reservado? – propôs o moreno.

-Sim.

-Certo, me siga – disse o moreno entrando em seu carro, que era uma bmw preta fantástica. Já Jensen possuía um carro clássico: um impala 67 preto, muito bem reservado.

Andaram algumas ruas, e logo chegaram. Misha estacionou seu carro e espera Jensen fazer o mesmo.

-Só não repara na bagunça! – disse ele pegando na mão de Jensen o fazendo entrar no elevador.

Beijos e amassos foram trocados ali, ambos respiravam ofegantes.

-Você não tem cara de ser bagunceiro... – disse ao sair do elevador.

Misha colocou sua digital na porta que a abriu. O loiro adorou essa tecnologia. Porque ele vivia perdendo as chaves de seu apartamento, e com uma digital seria mais fácil.

-Fique á vontade... – o moreno deixou que ele entrasse.

-Bacana seu apê.

-Obrigado – sorriu – aceita uma bebida?

-Uma cerveja seria ótimo.

Misha caminhou ate a cozinha pegando duas garrafas. Depois voltou pra sala – você precisa ver a vista daqui de cima. E abriu a porta da varanda.

-Uau! Incrível! – Jensen sorria, pois era muito bonita a vista lá de cima mesmo.

-Aqui sua cerveja – lhe entregou e o loiro agradeceu.

-Você mora sozinho aqui?

-Não queria...mas sim.

-E porque?

-Ah sei lá, me sinto muito sozinho...

-Hum...querendo uma companhia? – o loiro se aproximava.

-Seria ótimo... – disse colando seu corpo no dele. O loiro colocou sua breja na grade da varanda, depois apertou forte sua cintura.

Misha já fechava seus olhos, ansiando por mais um beijo. Que rolou vários.

Prensado na parede fria, Misha ofegava, seu corpo estava mais quente que o inferno. A pegada de Jenns era muito boa.

Mas ele precisa de mais e queria muito.

Jensen também queria, pois seu membro por dentro da cueca já dava sinal de vida. Pegou seu moreno erguendo-o do chão. Que automaticamente envolveu suas pernas em sua cintura. Que sem largar suas coxas, caminhava pra dentro do apartamento, chegando ate seu quarto.

O jogou-os na cama, e seus beijos só aumentavam.

-Jamais imaginei que você seria gay... – disse o moreno.

-E porque?

-Porque você é...ah bonito demais! Mas que bom que você é...tive sorte!

-A sorte foi minha, de encontrar um moreno com olhos tão azuis, os mais lindos que já vi... – e mais beijos foram trocados ali.

Eles rolavam na cama, uma hora era Misha que estava por cima, na outra era Jensen.

Os dois já estavam excitados, e queriam mais um do outro.

Mas quem começou a tirar a roupa foi Jenns primeiro. Sentado em cima do colo de Misha, ele apenas deixou suas mãos na cabeça e ordenou para que ficassem lá. Misha obedeceu tudo encarando aquele corpo, que aos poucos se mostrava.

Seu abdômen era perfeito. Seus braços fortes bronzeado de sol, dava um ar de deus grego. Misha ousou a tocar seu peito, fazendo Jensen bater em sua mão – eu disse para não se mexer...

-Não resisti! Você é gostoso demais... – e de novo se atreveu passando suas mãos por aquele abdômen cheio de tanquinho.

-Tô vendo que você é muito desobediente... – disse o loiro pegando em suas mãos as prendendo em sua cabeça novamente.

Com a outra mão livre, ele tirou a gravata que o moreno usava e as amarrou.

-Agora sim...

-Mas...isso é tortura! – disse e o loiro soltou seu sorriso maligno.

-Esqueceu que eu sou um lobo...

-Um lobo que está louco pra me atacar né...

-Calado! – deu um tapa no rosto do moreno, acendendo um fogo naqueles intensos olhos azuis.

Ele terminou de puxar sua camiseta preta de seu corpo, onde a jogou em qualquer lugar. Verdes nos azuis, suas respirações ofegavam. Jensen retirou seu cinto devagar, e abriu o botão de sua calça.

Misha já podia ver um grande volume se formando bem diante de seus olhos.

-Você quer? – perguntou com sua voz rouca.

Misha salivava, passando sua língua entre seus lábios carnudos. Jensen não resistiu tamanho era o desejo do moreno, e o beijou. Deixando aqueles lábios de mel molhados. Aproximou-se do rosto do moreno, e abaixou sua cueca, fazendo seu pênis duro saltar para fora.

Sem nem pedir, Misha já lambia aquele brinquedo.

-Ohhh! – o loiro começava a gemer, jogando sua cabeça para trás.

Mas logo abriu os olhos e começou a foder aquela boca.

 -Que boca mais deliciosa...quentinha!

-Não é só a boca que é quente... – provocou Misha, que foi puxado pra cima sentando-se no colo do loiro. Suas mãos ainda amarradas foram parar em sua nuca, e sua boca era devorada por aquele lobo.

Movimentava seu quadril de encontro ao pênis do loiro, sem parar de beijá-lo. Gemiam um na boca do outro.

Erguendo um pouco Misha, ele conseguiu abaixar sua calça e cueca, deixando seus pênis se esfregarem.

-Hummmm! – o loiro gemia em seu ouvido, esfregando-se ainda mais naquele moreno.

-Me diz...que você estava louco por ser possuído por mim né?

Misha era leonino e não queria se entregar assim logo de cara.

-Responde! – ordenou o loiro, mas apenas recebeu uma forte mordida em seu pescoço, gemendo ainda mais. Com certeza ficaria marca, mas ele não se importava com opiniões alheias.

-Ok...quer se fazer de difícil? Hahaha não por muito tempo! – disse o loiro deitando o moreno na cama novamente, só que agora de bruços. Retirou toda a sua calça, e quando viu aquela bunda deliciosa a sua frente, deu um forte tapa.

-Aiiii! – Misha reclamou, mas ele não tinha o que fazer, mesmo porque suas mãos ainda estavam amarradas sobre a cabeça.

Jensen desligava sua mão grande, pelas pernas de Misha, passando pelas coxas, chegando naquela bunda, onde deu mais um tapa. Ele sorriu ao ver a marca da sua mão ali e continuou.

Com beijos e mordidas, foi subindo pelas costas do moreno, chegando ate sua nuca. Sua língua ávida e experiente, lambia o local, fazendo Misha se remexer.

Sim ele sabia que o moreno estava louco pra ser fodido por ele, mas ele queria ouvir, implorar.

Puxou seus cabelos morenos para trás, trazendo seu rosto perto do seu. Onde sua boca devorava novamente aqueles lábios.

Enquanto o levava a loucura com seus beijos e mordidas, uma de suas mãos, descia pela sua bunda, mais precisadamente em sua entrada. Onde rodeou o lugar. Precisou largar seus lábios, apenas para fazer Misha chupar seus dedos.

Com eles bem molhados, voltou a dar atenção aquela entrada rosada e apertada do moreno. Introduziu um dedo, sempre rodeando, abrindo espaço, sem parar de beijá-lo.

Em sua boca ele ouvia Misha gemendo, e sua bunda rebolava de encontro ao seu dedo. Sorrindo de lado, ele introduziu mais um dedo.

-Hummmm – era impossível Misha não gemer. O loiro estava levando-o a loucura, uma loucura deliciosa.

-Admita... – mordeu sua orelha - ...que você... – mordeu seu pescoço - ...está louco pra ser fodido por mim... – finalizou beijando sua boca com fúria, comendo sua língua, que virava pra todos os lados.

Seus dedos que estavam em sua entrada, entravam e saiam com força, sempre abrindo mais espaço.

-Humm...não! – Misha não estava pronto pra admitir ainda. Ele adorava provocar, e aguentaria mais um pouco.

Jensen soltou seus cabelos, e deitou melhor Misha na cama. Se ajoelhou no chão, trazendo aquela bunda mais perto de si. Sem avisar sem nada, lambeu aquele rabo, que estava muito quente. Introduziu 3 dedos ali, que entravam e saiam, rodeando sua entrada. E com sua língua, cuspia dentro. Misha sentia o cuspe quente em sua entrada e surtava. Os dedos lhe fodiam rapidamente, quase acertando seu ponto g.

-AHHHHH! – seus gemidos, começavam a virar gritos. Sua bunda parecia que queria mais, pois rebolava entre seus dedos.

-Jenns...minhas mãos estão doendo! – Misha pediu para que as soltassem.

O loiro ficou com dó da carinha de anjo que ele fazia, e as soltou. Mal ele sabia que tudo era um truque do moreno. Que logo se deitou por cima do loiro, beijando sua boca com fúria. Além de beijos ele também mordia aqueles lábios carnudos do loiro.

Com sua língua, foi descendo pelo peito desnudo do loiro. Quando chegou próximo ao pênis, não demorou muito para abocanhá-lo. Hora ele passava sua língua pela cabecinha, e hora o engolia com tudo. Quase se engasgou, pois ele era grosso. Quando sentiu o pré-gozo do loiro, precisou parar e voltou a beijar aqueles lábios.

Seu corpo já tinha sentado em seu colo novamente. Sua bunda rebolava em seu pênis, deixando Jensen á loucura.

-Quero sentí-lo dentro de mim! Agora! – disse, fazendo o loiro sorrir.

-Mas não pense...que é porque você me dominou não...

-E porque então?

-Porque ele é grosso demais, preciso senti-lo dentro de mim... – respondeu, se levantando um pouco, e se encaixando bem dentro dele.

-Ohhhhhhhhhh Mish!

O moreno ria – admite que sou mais quente que você pensou...

-Ohhh fuck yeah! – Jensen dava tapas naquela bunda que rebolava, entrando e saindo dentro de si.

Vitorioso Misha sorria lhe beijando.

Seus corpos estavam mais juntos que o normal. Mas parecia que não estavam próximos suficiente, pois queriam mais. Jensen logo se jogou pra cima dele. Erguei as pernas de Misha, e o penetrou fundo e forte!

-Ohhh Deus! Desse jeito vou morrer! – Misha mal conseguia respirar, ainda mais dizer.

Jensen queria acabar com aquele moreno, o faze-lo gritar, revirar os olhos, e morrer de tesão.

-Admita que você gosta do meu pau...assim...lhe fudendo!

-Mais...esse é seu máximo? – Misha ria provocando ainda mais.

-Ah Misha...você é um filho da puta sabia! Vai se arrepender por ter me desafiado desse jeito – disse saindo de cima dele. Antes de Misha se sentar na cama, o loiro já puxou seus braços com força, deixando-o de pé. Depois empurrou-o na cama, deixando ele de quatro. Se montou atrás dele e disse – agora aguente! – e fodeu sem dó nenhum aquele rabo. Que era quente e o acolhia muito bem.

Jensen segurava seus braços pra trás, deixando seus joelhos se afundarem na cama. Misha jamais escaparia dele assim. Ele teria o que merecia.

-Oh...oh! – o moreno soava muito, e estava totalmente vermelho. Seus cabelos molhados caiam topando sua visão. Ele nada conseguia pensar, mal gemer, pois Jensen o fodia tão fortemente, que ele achava que iria morrer. O único barulho que se ouvia, era o encontro de sua bunda, com o corpo de Jensen batendo cada vez mais forte.

-Jeeeeeennnnn... – soltou quando sentiu seu corpo extravasar tudo que sentia. Gozou sem nem ser tocado. O loiro sorria vitorioso, mas não parava de fode-lo. Saia e entrava com força, acertando seu precioso ponto g.

-Ahh...Mish...vou...gozaaaaaaar! – sem mais forças para nada, ele só se aliviou dentro do moreno, que caiu na cama, respirando com dificuldade, coração batendo a mil.

De olhos fechados, Jensen também tentava normalizar sua respiração. Estava morto, mal conseguiria se mexer e ficou assim, abraçado com as costas de Misha. Apenas deu um beijinho em sua nuca, e pode ver que o moreno já dormia tranquilamente.

 

...

 

Na manhã seguinte, Jensen desperta com o sol batendo em seus olhos. Se sentou na cama e teve a melhor visão do mundo: Misha dormindo de bruços, com aquela bunda virada pra cima, onde continha marcas de suas mãos. Seus cabelos estavam bagunçados, e ele respirava normalmente. Deu um beijo em sua nuca e começou a se vestir.

Olhou no relógio e droga ele estava atrasado para o trabalho. Não quis acordar o moreno, e apenas deixou um bilhete na mesinha ao lado e foi embora com um feliz sorriso no rosto.

 

...

 

Quando Misha acordou estranhou estar sozinho, mas imaginou que Jenns teria trabalho e não quis acordá-lo. No banheiro ele se olhou, havia um brilho no ar, e um sorriso bobo no rosto. Ligou o chuveiro e deixou a agua lavar seu corpo, se lembrando dos toques da noite passada. Pra Misha tinha sido tudo perfeito. Jensen era um Deus na cama e conseguiu mata-lo literalmente.

Desligou o chuveiro e saiu com a toalha enrolada pela cintura. Avistou um bilhete ao lado da cama e sorria lendo.

A toalha caiu no chão, e Misha começou a rir, das marcas que pode ver em sua bunda no espelho. Abriu um sorrisão pois tinha gostado e muito.

Já passava de duas da tarde de sábado quando Misha acordou. Estava faminto e foi almoçar.

 

...

 

Hora mais tarde, acabou cochilando no sofá, deixando a tv ligada. Foi acordado com seu celular tocando – droga! – reclamou pois era seu chefe.

Eram mais problemas para resolver na empresa, mas hoje ainda era sábado, e amanhã domingo, não precisaria se preocupar agora. Tratou de subir pro quarto e tomar um banho para relaxar.

Ele precisou trocar os lençóis da noite passada, pois estavam sujos. Depois que os trocou, viu o bilhete que Jenns tinha deixado na mesinha, caído no chão. Mais um sorriso bobo se formar em seus lábios, ao reparar que tinha algo escrito no verso.

Guardou o bilhete e começou a se arrumar. Ele iria encontrar Jensen de novo, precisava de seus beijos, pois era viciantes.

 

...

 

-Champagne! – pediu um Misha sorrindo se sentando no bar. O barman lhe sorriu de volta e perguntou – comemorando algo?

Misha apenas tirou o bilhete de seu bolso e Jensen entendeu o recado.

 

“...adorei a noite, e gostaria de mais! Você sabe onde me encontrar...” – Jensen Ackles.


Notas Finais


"Esse era o bilhete que ele tinha deixado pro moreno.
Os dois se conheceram por acaso, mas não seria por acaso que continuariam juntos."

AWWWINNNN AMEI! ♥.♥
Se gostaram: gritem, comentem, favoritem!!
Bjssss

ps: meu twitter... https://twitter.com/suckmemisha67 ;)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...