História Drown me - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Black Veil Brides (BVB), Bring Me The Horizon
Personagens Andrew "Andy" Biersack, Ashley Purdy, Christian "CC" Coma, Jacob "Jake" Pitts, Oliver Sykes, Personagens Originais
Tags Andy Biersack, Bmth, Demonios, Oliver Sykes, Thriller
Exibições 170
Palavras 1.219
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Hentai, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


demorei um pouco, mas tá aí.
espero que gostem e se houver algum erro, relevem, pois estou postando pelo celular e não posso fazer tanta coisa por aqui.
podem comentar, eu deixo haha <3
muitos heart pra vocês e beijossss <3333

Capítulo 3 - Fight... I confess, I love


Foi como eu pensei, Jake não foi a aula. Ele está fodido em relação a Claire. Talvez ele peça para eu mentir por ele, e talvez eu peça algo justo em troca disso. Material para uma chantagem futura? Com certeza. 

O resto da aula foi normal, até demais, exceto pelo olhar nada discreto de Oliver sobre em mim. Aquilo estava começando a me dar nos nervos. Uma raiva havia crescido em mim essa manhã, tudo porque minha única e melhor amiga não havia ido à aula. Não sou antisocial — quem sabe um pouco — mas o meu caso é um tanto chato. Eu tinha sim meu grupinho de amigas, porém elas resolveram ir para outras escolas, restando apenas eu e minha melhor amiga, vulgo Elizabeth. Por ter um nome extremamente grande, pelo menos para mim, me limito a apenas chama-la de Liz, ou Beth. Mas Liz é mais bonitinho. 

Voltando ao meu drama escolar: vaca maldita. Como ela pôde me abandonar aqui com esses animais? Ainda mais tendo um tarado que não tira os olhos de mim um segundo sequer. Me arrepio só de lembrar... e pensar que ainda terei que vê-lo na minha garagem, na minha casa, com meu irmão. 

O barulho irritante do sino havia soado por toda a escola, o que significava apenas uma coisa: adeus professores mal-encarados; adeus alunos que odeio; adeus todo mundo. Antes que eu alcançasse de uma vez o portão e poder sair daquela escola o mais rápido possível, senti alguém me puxando pelo braço. Estava torcendo para não ser Oliver, O tarado. E, por sorte, não era.

— Oi gatinha. — disse Ash com sua voz travessa acompanhado de um sorriso tão travesso quanto a sua voz.

— E aí, "cunhado"? — disse fazendo aspas com os dedos no ar. 

Ash riu baixo.

— Vou levar Andy em casa, e bem, ele mora perto da sua. Quer carona?

Ai meu Deus. Andy. AIMEUDEUS. O que posso falar de Andy, vulgo deus grego? Jake e Andy se conheceram em um bar, eles foram pegos com identidades falsas, um pouco tarde, já que ambos já estavam podres de bêbados. Jake levou um desconhecido para casa nessa noite, que depois de um tempo, descobrimos que ele se chamava Andrew e que havia dormido no nosso sofá. Desde lá, amigos unidos. E óbvio, os dois resolveram fazer uma banda. Antes era apenas Andy no vocal e confesso que além de deus grego, pianista e ótimo com as palavras, ele também canta super bem. Depois de um tempo, Oliver apareceu, que também canta muito bem... porque mesmo lembrei desse garoto agora?

— Claro. — respondi por fim. Olhei por trás do ombro de Ash e Andy já estava no banco da frente fumando e com os olhos um pouco erguidos, parecia olhar o céu. 

Ai meu Deus.

Me aproximei devagar e entrei no carro, sentada ao lado de roupas amontoadas no banco de trás do carro. 

***

O percurso da escola até a minha casa foi ótimo. Não tinha idéia o quanto Andy era um garoto legal e engraçado. 

Assim que cheguei em casa, fiquei batendo panela, pois Jake ainda dormia.

— Me deixa em paz! — gritou Jake enquanto enterrava seu rosto no travesseiro.

— Quer parar de bancar o adolescente incompreendido e acordar antes que Claire chegue? 

Senti o travesseiro ser arremessado ás minhas costas. Criança. Peguei o travesseiro e arremessei de volta. Ouvi Jake dizer alguma coisa, mas foi baixo de mais, apenas ignorei e me direcionei ao meu quarto. Precisava de um banho demorado.

***

15h00. Claire mandou uma mensagem dizendo que iria direto ao trabalho. Casa vazia: garotos na garagem fazendo barulho. Estava na cozinha tomando uma caneca enorme de café, tentando me concentrar no livro que estava lendo, até ouvir a voz de Andy falando alguns palavrões. Sabia que isso tinha a ver com Oliver, o que não era nada bom.

Larguei o livro ao lado da caneca e corri em direção a garagem.

— Será que você não entende que ninguém aqui gosta de você? — gritou Andy para Oliver, ambos estavam com os punhos cerrados.

Merda.

— Cala boca, Andy. Sabe que não é isso! — gritou Jake tentando ficar no meio dos dois. 

Vi Oliver indo em direção a Andy. O mesmo desferiu um soco que foi em cheio próximo ao olho de Andy. Andrew cambaleou um pouco para trás e, antes que pudesse rebater, acabei me metendo no meio dos dois. Foi uma péssima idéia, mas pelo menos, havia funcionado.

— Oliver! — gritei — Sai daqui, por favor!

Em seguida, peguei o pulso de Andrew e o levei à cozinha. Me direcionei a um dos armários e procurei a caixinha de remédios de Claire. Havia um corte perto do olho de Andy, não era nada grave, mas ficaria roxo no local. Quanto a isso, não poderia fazer nada. Peguei alguns remédios e gelo. 

— Vai ficar bem feio. — disse enquanto passava algodão com remédio perto do corte.

O ouvi praguejar baixo devido a dor. 

Olhei para os braços de Andy e suas veias estavam saltadas demais; a todo momento seu maxilar se contraía. Seu rosto claramente ainda estava tomado pelo ódio. O entendia... ou pelo menos imaginava o que ele estava passando. Um desconhecido tentar tomar seu lugar na banda. Também ficaria com raiva.

— Clarice... — disse baixinho enquanto abaixava meu braço que ainda passava o algodão com remédio próximo ao seu olho — Você... você quer sair comigo hoje à noite?

Meu coração palpitou. Minha boca ficou seca. 

— Sim... eu quero. — disse enquanto tentava não gaguejar. 

O vi abrir um sorriso satisfatório e em seguida se levantou bruscamente. 

— Hoje as oito. — disse enquanto se aproximava. O senti depositar um beijo calmo e preciso em minha bochecha. 

Meu Deus. O deus grego do Andy Biersack havia me chamado pra sair. Puta merda. PUTAMERDA. 

Enquanto guardava as coisas na caixinha com um enorme sorriso bobo no rosto, senti alguém ali comigo. Olhei para trás e dei um pulinho devido ao susto. Oliver estava ali me encarando. Parecia com raiva.

— Você... você está saindo com o Andy? — perguntou por fim quebrando o silêncio.

— Isso não é da sua conta. — respondi rispidamente enquanto guardava a caixinha de volta ao armário.

Estava me perguntando o porque ter agido assim e respondido de tal forma. Talvez eu estava com raiva de Oliver por ter dado um soco em Andy, ou talvez eu estivesse com medo dos olhares nada discretos dele hoje de manhã. 

— Uou — disse Oliver colocando os braços na frente do corpo, como se estivesse se rendendo — apenas fiz uma pergunta.

— Porque está fazendo esse tipo de pergunta? — apoiei os braços na mesa enquanto o encarava querendo acabar com o assunto imediatamente — Você não é o meu amigo, e nem chega perto de ser. Você é apenas amigo do meu irmão, não o conheço.

— Não conhece porque nunca se interessou. — respondeu prontamente — Eu sei muita coisa sobre você Clarice, coisas que nem mesmo Andy sabe. 

Ri sarcasticamente.

— Beleza Oliver, mas eu não quero falar com você e espero que continue assim por muito tempo.

Me virei para a pia enquanto fingia lavar uma colher qualquer, apenas queria que ele fosse embora dali o mais rápido possível. Senti uma mão sob minha cintura e logo já estava cara-a-cara com Oliver. 

— Você vai ver que tenho razão. — disse enquanto me olhava nos olhos. Logo em seguida me soltou e foi embora.

Idiota. 


Notas Finais


sorry pelo capítulo pequeno ;-;


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...