História Drowning In You - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Suga
Tags Bangtan, Bts, Hoseok, Jimin, Jin, Jungkook, Namjoon, Taehyung, Yoongi, Yoonmin, Yoonseok
Visualizações 12
Palavras 1.329
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Colegial, Drama (Tragédia), Ecchi, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Seinen, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


oi, já aviso que não é universo alternativo (ou seja, eles são membros do bangtan)

não sei mais o que falar

boa leitura (?)

Capítulo 1 - Feeling


 Surpresa, mágoa, nervosismo, raiva. Esses são alguns dos sentimentos que tomam conta de meu corpo enquanto batuco meus dedos na mesa, encarando aqueles dois indivíduos sentados à minha frente. Ninguém tinha coragem de pronunciar a primeira palavra – e ninguém se atreveria a tal. Desviei meu olhar para minhas mãos, até escutar o pigarreio, e então sua voz rouca; aquilo acabaria comigo, e eu tinha plena consciência disso. 

 –  Você sabe que teremos que conversar uma hora ou outra – Ele disse em seu tom naturalmente calmo. –, então prefiro que sejamos rápidos. 
 –  Irônico você achar que se dá para conversar rapidamente sobre isso – Sussurrei, e pude sentir seu olhar fulminante sobre mim. 
 –  Eu entendo que você deva estar irritado pelo que viu, Jimin. Nem ao menos sei se você aceita... – Ele pareceu esperar alguns instantes para escolher as palavras corretas. –... Isso. Mas espero que, por respeito à nós, não comente nada com os outros garotos, nem com ninguém. 

Ele estava brincando, certo? Como ele podia achar que eu apagaria aquilo da minha mente, como se fosse algo que se vê todo dia? 

 Direcionei meu olhar novamente para eles, e abri minha boca para falar algo, porém nenhum som foi proferido. Eu não tinha palavras para dizer tudo o que eu sentia. Não podia simplesmente fechar os olhos para a realidade e continuar com meu dia-a-dia normal, encarando aqueles dois. 

 – Você realmente quer que eu esqueça isso, hyung? – Perguntei em um fio de voz, e antes que recomeçasse a falar, fui impedido pelo outro na mesa.
 – Eu sei que você deve estar confuso, Jimin. Mas, acredite se quiser, eu e Yoongi também estamos. É a primeira vez que tenho esse sentimento, e creio que é a primeira vez dele também, então tente nos entender – Seu sorriso tentava demonstrar o quanto eu deveria ser compreensível, e isso me abalou por alguns segundos, até que eu percebi uma movimentação encima da mesa, e quando olhei para o local, suas mãos estavam entrelaçadas. – Preferimos contar para os meninos nós mesmos, quando tivermos certeza de tudo. Nem sabemos como eles vão reagir, ou então as fãs... Ah, por Deus, isso é tão complicado – Ele suspirou, e eu fiz o mesmo, soltando um riso irônico em seguida.
 –  Na verdade, Hoseok, não é tão complicado assim. Se você ama uma pessoa, você sabe disso, independente de ser uma garota ou garoto. Continua sendo amor. E eu, particularmente, não vejo problema nenhum nisso – Falei calmo, e me levantei com certa pressa, encarando Yoongi com um resquício de mágoa em meus olhos, já marejado pelas lágrimas. – Eu não vou contar para os garotos, mas não espero que achem que isso é um sinal de respeito à vocês, porque não é. Esse "joguinho" que estão fazendo é um desrespeito comigo, com todos os outros, e com vocês mesmos, se querem saber. Se fosse algo tão real, não precisariam ficar se agarrando nos cantos desse dormitório – Cuspi as palavras e virei as costas, podendo jurar ver surpresa estampada nos olhos de Yoongi, que logo voltaram à ser aquela vasta escuridão misteriosa. 
 – De qualquer forma, obrigado por não contar – Escutei novamente seu tom de voz sendo dirigido à mim, e minha respiração vacilou. 

 

Não me virei novamente para eles, afinal, não queria sentir mais uma vez aquele gosto amargo em minha boca: o gosto da derrota – e o pior, era a derrota de algo que nem ao menos tentei conquistar. 

Caminhei a passos firmes até o terraço. Eu gostaria de simplesmente poder ir para meu quarto, me jogar em minha cama, agarrar o cobertor mais quente e peluciado que tivesse e chorar. Mas só a ideia de adentrar aquele recinto me fazia sentir certa repugnância; eu me lembrava daquela cena que me destruiu por dentro, que fez com que eu me sentisse fora de mim mesmo, fora do universo.

Eu podia ver com clareza como eles pareciam aproveitar aquele breve momento antes de eu estragar tudo. Só Deus sabe o que teria acontecido se eu não intervisse, mesmo que sem querer. 

Quando menos percebi, eu já estava empurrando a porta de correr que me separava daquele lugar onde eu podia sentir o ar fresco, o vento em meu rosto, e um certo frio. Me sentei no chão, com as costas escoradas na parede, e agarrei meus joelhos, fechando meus olhos e sentindo as lágrimas surgirem involuntariamente; era triste, decepcionante, agonizante. Como pude ser tão cego? Passamos anos juntos, como nunca percebi? 

As emoções vieram como uma avalanche em uma tempestade de neve. Sem aviso nenhum. Eu me perguntava se eles não haviam deixado falhar algum ponto; se em algum fansign ou show as coisas não tenham ficado óbvias, mas não consegui. Para mim, eles sempre haviam sido apenas amigos e colegas de trabalho. 

E então, me peguei relembrando aquele momento. Aquele maldito momento que resolvi entrar no quarto para pegar minhas coisas, e vi o que não devia. Era até mesmo ridículo como eu preferiria ter continuado cego, sendo iludido por Yoongi e Hoseok, do que saber de tudo aquilo. Claro que não era o fato de estarem em um relacionamento homossexual que me perturbava, mas sim o fato de ele estar ali com outro, e não comigo. Eu não sou tão bom quanto ele?

Ah, essa minha paixão platônica e unilateral pelo meu hyung. Não deveríamos ter sido tão próximos no pré-debut e debut, isso não ajudou meus sentimentos. Você era tão tedioso de longe, e tão magnífico de perto. Não me impressiona que ele tenha se apaixonado por você, e nem você por ele; afinal, quem não se apaixonaria por um garoto com aquele carisma, sorriso radiante e bom-humor? 

Não pense que, só porque estou elogiando-os já os perdoei. Isso não. Demorará para reconquistar a minha confiança – mas não necessariamente para reconquistar meu amor (que você nem sabe que existe). Será que você me amaria se soubesse que sinto o mesmo? Pff, devo estar enlouquecendo. Você tem Jung Hoseok em suas mãos, não precisa de mais nada. 

E, foi me afogando nesses sentimentos, foi me afogando em você, que eu me lembrei do que ocorreu há poucas horas atrás; me lembrei do que me matou por dentro.

 

FLASHBACK ON 

 

 Eu havia passado as últimas três horas treinando uma de nossas novas coreografias, e me encontrava completamente cansado e suado. Precisava tomar um banho, sem contar que um lanche não me faria nada mal, também. Estava feliz por ter errado uma quantidade quase imperceptível de passos, e mesmo que ainda não houvesse alcançado a perfeição tão esperada, estava contente por esse pequeno detalhe. 

Caminhei saltitante até o quarto que dividia com Yoongi, enquanto cantarolava "We don't talk anymore", de Charlie Puth. Eu esperava que o hyung estivesse dormindo ou algo do tipo, então resolvi não fazer muito barulho, caso minha teoria estivesse certa e eu o acordasse; mas, bem, eu estava errado. 

Ao abrir a porta, eu não me deparei com um Yoongi exausto, dormindo preguiçosamente em sua cama. De fato, ele estava em sua cama. Mas não estava dormindo. E nem mesmo só; Hoseok estava com ele, muito próximo. Próximo até demais. Com os lábios colados, e línguas entrelaçadas. Eu fiquei paralisado, em choque, sem saber o que falar. Gostaria de fugir, correr, fingir que fora algo da minha cabeça, mas a única coisa que fiz foi tossir alto, fazendo ambos se separarem e olharem assustados para mim.

 – Jiminie... – Ele sussurrou, e sorri tristonho, sentindo meus olhos se marejarem por um instante. 

 E depois? Eu simplesmente saí do quarto, tentando controlar todas as minhas emoções. Não precisava deixar-me transparecer, como meus hyungs faziam.

 

FLASHBACK OFF 

 

Após repassar mentalmente todo o inferno que havia vivido no dia, e chorar o máximo que podia, me levantei. Soltei um suspiro cansado, e baguncei meus cabelos, secando algumas lágrimas. Eu não poderia chorar para sempre. Ainda tinha o Bangtan, amigos, família e as Armys. Eu iria conseguir me distrair, mesmo que as coisas não sejam mais as mesmas.

E eu sei que não serão...


Notas Finais


então, primeiro capítulo foi isso, e eu sei que está pequeno, desculpa (primeira fanfic que escrevo, tô nervouser)

eu realmente não sou boa em comunicação.

só me digam o que acham, e se devo continuar :) tchau


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...