História Drug Of Love - Capítulo 42


Escrita por: ~

Postado
Categorias Barbara Palvin, Justin Bieber
Personagens Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Pattie Mallette
Exibições 575
Palavras 7.160
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Crossover, Famí­lia, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá, td bem??? Eu estou ótima.
Espero que gostem.
Beijos, amo vocês. ♥

Capítulo 42 - Desejo, Jantar de Noivados... Anne is Back.


Fanfic / Fanfiction Drug Of Love - Capítulo 42 - Desejo, Jantar de Noivados... Anne is Back.

Stratford-Canada

 00:25 AM

Justin On

O jantar tinha sido ótimo, todos felizes e conversando. Bom, virou totalmente uma bagunça porque Carla e Chris acabaram brigando porque queriam ser os padrinhos. Mas bom, Ryan já era o padrinho de Liv então decidimos que o padrinho seria Christian e a madrinha seria Lisa, a garota que Chris revelou que já estava junto a dois meses. É, eles esconderam. E bom, Jennifer brigou com ele na mesa do jantar que rendeu muitas risadas ela dizendo o quanto estava ofendida por não saber do namoro do melhor amigo, mas no fim tudo se ajeitou. 

-Amor, eu gostei da Lisa. Você gostou? -Jennifer perguntou enquanto arrumávamos a cama para dormimos. 

-Sim, ela é legal. Mas você não tinha dito que não gostou dela? -Eu perguntei e ela deu de ombros se deitando, logo eu me deitei.

-Mas eu e ela conversamos um pouco e eu gostei dela! -Ela sorriu se virando de frente pra mim. -E eu não esqueci do que eu disse! -Ela subiu em cima de mim e eu franzi o cenho. -Eu disse que não te deixaria dormir essa noite, e bom, não vou! -Ela sorriu maliciosa e eu sorri junto dela. 

Ela se abaixou na minha altura tomando meus lábios logo o beijo foi esquentando cada vez mais. Quanto eu já estava totalmente sentado na cama com ela no meu colo e minhas costas encostada na cama, ela resolveu tirar minha regata e logo me jogou na cama subindo em cima de mim de novo.

- Você é tão gostoso, se eu pudesse eu passava o resto da minha vida fodendo contigo! -Ela disse com o desejo queimando em seu olhar, seus olhos tinham uma cor mais escura e seus lábios estavam completamente vermelho por causa do tempo que já estávamos se beijando. -Você é tão meu Justin, eu gosto disso! -Ela disse e apertou meu pênis por cima da cueca samba-canção. -Gosto do efeito que causo em você!

-Você é a unica mulher que faz isso comigo, me deixa completamente entregue, você é a unica mulher que desperta os desejos mais loucos em mim.

-Eu gosto disso! -Ela disse e voltou a me beijar só que agora unhando meu abdômen enquanto eu arfava! -Pode gemer Justin, eu deixo! -Ela disse e soltou uma risada logo brincando com a barra da minha cueca. -Será que devemos continuar? 

-Você não vai me deixar assim! -Eu disse já nervoso pela falta de estar dentro dela. Em um movimento rápido eu joguei ela na cama ficando por cima dela. Tirei sua blusinha florida cor roxa do pijama. -Você não sabe o quanto eu amo quando tiro sua blusa e você já esta sem sutiã. -Ela sorriu e eu retribui. Levei um de seus seios até minha boca enquanto eu massageava o outro. 

-Isso Justin, awn! -Ela gemia enquanto eu chupava seu seios. Uma mão minha desceu logo começando a estimular sua vagina por cima do shorts, ela mexia o quadril nervosa e eu chupava seus seios tentando fazer os dois ao mesmo tempo, e conseguindo. -ÓH meu Deus, Justin vai logo com isso! -Ela disse e tirou seu shorts junto com a sua calcinha me assustando com seus movimentos brutos! -Agora mete, vai Justin caralho! -Ela disse nervosa tirando minha samba-canção. Sem avisar enfiei meu membro nela arrancando um gemido super alto.- Isso! awn -Ela disse enquanto meus movimentos já estavam pra lá de rápidos. -Isso, óh meu Deus! -Ela dizia gemendo enquanto eu chupava seus seios.

-Mulher, por que você é assim? Tão gostosa! -Eu disse totalmente enfeitiçado olhando em seus olhos enquanto eu aumentava mais ainda os movimentos.

-Você é um gostoso, mete com mais força, por favor! -Ela dizia e assim eu fiz.

Nossos ritmos já estavam mais do que ritmados e isso era bom, ela gemia e arranhava minhas costas com certeza arrancando a pele mas eu não me importava, o prazer e a minha excitação anestesiava toda a dor. O suor escorria da nossas testas e nosso corpo totalmente colado um no outro transformando em um só, o cheiro de sexo e amor pelo quarto. Nossas respirações ofegantes e tentávamos regula-lá, mas a força que eu colocava na penetração não deixava isso, mas eu também não me importava. Tê-lá pra mim era tudo o que eu mais queria. 

♀♀

-Justin? -Ela disse tocando meu ombro. -Justin, acorda! -Ela disse praticamente gritando no meu ouvido.

-Que horas são? Eu to com sono. -Eu disse coçando os olhos.

-Eu to com desejo.

-Desejo? -Ela assentiu e eu me levantei olhando o relógio que estava na escrivaninha. 

Marcava cinco horas e seis minutos da manhã. Não fazia nem quarenta minutos que eu ido dormir. Jennifer estava em um fogo só e transamos umas quatro vezes até ela realmente se cansar e decidir ir dormir.

-Desejo do que?

-Picles com sorvete de uva! -Ela disse e eu franzi o cenho.

-Não temos picles e muito menos sorvete de uva. Você não come picles, você odeia. 

-Mas agora eu quero! -Ela sorriu. -Você não quer que seu filho nassa com cara de picles, né? -Ela sorriu sínica.

Me levantei e coloquei minha calça e uma blusa de frio por cima da regata. Coloquei um supra e desci sem falar uma palavra com ela, eu estava irritado, tudo bem são hormônios da gravidez, mas sou eu o filho da puta que vai ter que acordar cedo pra ir trabalhar. Entrei no meu carro e dei partida tentando achar um mercado, depois de quase duas horas rodando Stratford eu achei um mercado. E lá estava eu no corredor procurando por picles, logo que achei peguei um pote. 

-Você tem sorvete de... -O cara não me deixou nem terminar de falar e me interrompeu!

-Não trabalho com gelados! -Ele sorriu. -Mas conheço um lugar onde esta aberto essa hora! -Paguei o picles e ele colocou em uma sacola me dando o endereço. 

Dirigi até o lugar do endereço e logo achei o bendito endereço, a sorveteria abria já. Já era seis e dez da manhã. Paguei o sorvete e dirigi até em casa. Peguei uma vasilha assim que passei pela cozinha. Subi e ela estava sentada com cara de emburrada, joguei a vasilha pra ela e a sacola do mercado. Tirei a roupa pronto pra dormir e me virei pro outro lado.

-Espera eu terminar de comer? -Ela sorriu e eu neguei.

-Eu to com sono, tenho que acordar cedo!

-Foda-se! -Ela sorriu cínica. -Eu sou sua mulher gravida e quero que você espere eu terminar de comer meu picles.

Encostei minhas costas na cama esperando ela terminar de comer, mas parecia que de um jeito ou de outro ela fazia tudo pra me provocar, então comia que nem uma lesma. Passei a mão no rosto, morrendo de sono. 

-Nossa, por que demorou tanto?

-Não tinha um lugar aberto. -Fui curto e grosso.

Ela deu de ombros voltando a comer, logo que terminou ela me deu um beijo na bochecha e foi dormir. Suspirei me virando pro outro lado e finalmente conseguindo dormir

♀♀

Eu estava sem paciência pra nada na porra dessa empresa, tudo me estressava. Já ameacei pelo menos colocar dois no olho da rua. Qual é? Eu fico um cú quando eu to com sono. Não é eles que tem que aguentar a mulher totalmente insaciável por sexo, não que isso seja ruim, até porque não é, mas era estranho porque ela nunca foi assim (exceto na gravidez de Liv). Eu estava na sala de reunião e tinha alguns sócios meu e alguns empregados meus e os meninos. Ryan estava lá na frente explicando os novos projetos que ele havia estudado a noite toda. Eu era dono de uma empresa de ônibus, mas nós tínhamos uma empresa de um dos mercados mais famosos americanos. Ryan, Chris, Chaz e eu eramos donos dessa empresa. Pode até ser estranhos nós termos vinte anos e sermos assim, com duas empresas e tudo mais. Meu pai sempre foi muito impulsivo nas coisas, desde quando eu tinha quatorze anos ele já fazia projetos para mim e construía coisas pra mim cuidar do futuro, tudo isso com razão. 

Ryan estava fazendo esses novos projetos porque como sempre Dennis, aquele filho de uma mãe estava fazendo de tudo pra acabar com meus projetos novos e de um jeito ou de outro ele tinha conseguido roubar um novo projeto meu no mercado novo. Mas, tudo bem, Dennis acha que pode acabar comigo, mas ele só acha mesmo. 

Chaz, Ryan, Chris e eu fomos almoçar em um restaurante que tinha aqui perto e acabamos encontrando Carla e Jennifer entrando. Chris chamou ela e elas veio, Jennifer me deu um selinho sentando do nosso lado e logo fazendo seu pedido.

-Gente, o Justin ta nervoso hoje! O que aconteceu? -Jennifer perguntou.

-Uma filha da puta não me deixou dormir a madruga inteira e fez eu caçar picles e sorvete de uva no fim do mundo! -Sorri cínico arrancando risadas de todos principalmente dela que me deu um selinho.

-Ai amor, perdão! -Ela disse fazendo biquinho e eu quase voei em cima dela, mas preferi não voar e simplesmente depositar um selinho em seus lábios. -Você sabe que e eu te amo, não é?

-Eu também amo você!

-Nossa, vocês são tão nojentos! -Chris disse.

-E Lisa? -Eu disse rindo.

-Ah, Lisa! -Ele sorriu abobado como se estivesse voando nas nuvens. -Ela é tão linda cara, nossa! -Ele sorriu.

-Espero que fique com ela, a madrinha do meu filho não vai ficar mudando e trocando não! -Jennifer disse brava e eu ri.

-Você ainda ta brava comigo? -Ele fez bico e eu revirei os olhos.

-Você escondeu de mim, Xis! -Ela disse apertando o bico dele. 

-Você sabe que eu te amo, não é? -Ele sorriu e ela assentiu rindo.

-Ei, eu to aqui! -Protestei com ciumes. 

-Não fica com ciumes, bebê! -Ela sorriu e me beijou.

-Bom, nós temos que ir! -Eu disse levantando.

-Ah, poxa! Não podíamos ficar só mais um pouquinho? -Ryan que estava beijando a namorada sem parar, disse.

-Não! -Eu disse bravo. -Vamos!

-Eu e Ryan vamos dar um jantar em casa, hoje! Queremos vocês lá! -Carla disse.

-Tinha outros projetos pra hoje de noite, mas tudo bem. -Jennifer disse sorrindo maliciosa me olhando. 

-Eu to começando a ficar com medo de você! -Disse me escondendo atrás de Christian e todos riram.

-Nossa, Jennifer ta com tanta potência assim que ta até assustando o coitado do Justin? -O comentário surgiu de Ryan.

-Deixa de papo e vamos!

Se despedimos das meninas e fomos pra empresa. Tinha muita coisas ainda do novo projeto pra ser resolvidas. Jennifer ligou pra mim pra dizer apenas que me amava e pelo menos isso me deixou de bom humor, o que fez Chaz ligar pra ela e agradecer, o que causou uma boa risada. 

-Eu pedi a Carla em casamento! -Ryan disse discretamente do meu lado. Enquanto Tomávamos um copo de água, eu acabei engasgando.

-O que? -Perguntei incrédulo, afinal fazia uns dois ou um mês de que eles já estavam juntos. Acelerados. 

-É. O irmão dela e a mãe dela ta vindo pra cá, minha família também! O jantar é justamente pra avisar. -Ele disse revirando os olhos e em seguida sorriu.

-Ah, eu não acredito que o filho da puta do Alex vai vir pra cá de novo. -Eu já disse nervoso.

-Puta que pariu, Justin! Eu falo pra você que vou casar e o que você entende é que o Alex vai vir pra cá? -Ele disse rindo.

-Claro! -Eu disse como se fosse obvio. -Esse filho de puta vive no pé da minha mulher!

-Relaxa! Nem fala pra ela que eu te contei, nem fala do casamento só disse porque você é meu melhor amigo, se Carla souber que eu te contei ela me come vivo. -Ele disse e eu ri. -E o Alex é uma surpresa pra Jennifer!

-Grande merda de surpresa!

-Grande mesmo -Ele deu de ombro. -Você acredita que ele me ligou pra perguntar se eu trato a irmã dele bem? Nossa eu quase mandei ele comer pena, namoral. -Ele disse nervoso. -Ele fez um teatrinho no telefone, nem respondi, mandei ele tomar no cu e me deixar em paz. -Ele disse naturalmente e eu ri.

-Isso ai Ryan, por isso que você é meu melhor amigo -Fiz um toque com ele.

-Qual é o papo, pessoal? -Chaz disse chegando colocando as mãos dele em meu ombro e no do Ryan.

-Nenhum que te interesse seu gordo fofoqueiro, vamos trabalhar! -Ryan disse dando um cascudo em sua cabeça o que me fez rir. 

Stratford-Canada

 15:32 PM

Jennifer On

-Eu to tão nervosa, amiga! -Ela disse nervosa e rindo, o que me fez rir.

-Quem diria não é? Só vou casar quando eu terminar a faculdade! -Eu disse tentando imitar a voz dela.

-Eu falava isso antes de me apaixonar por um garoto dos olhos azuis! -Ela disse sorrindo e batendo palmas.

-Me diz como foi o pedido?

Ela me contou como foi e eu ri, ela disse que quando ela e Ryan brigou ela foi pra sala e dormiu lá, no outro dia que foi meu jantar eles fingiram que estava tudo bem mas que na verdade estava tudo péssimo entre eles. Ela disse que foi dormir no sofá e ele ajoelhou em frente o sofá e começou a dizer um monte de coisas fofas e mostrou o anel dela. Ela sorria me contando e eu estava feliz por ela. Carla sempre foi alguém muito no seu lugar sem se preocupar com a vida, mas ela sempre me disse que nunca se comprometeria a alguém antes de cursar os quatro anos de faculdade, mas no fundo eu sei que ela sempre quis se casar, no fundo eu sempre soube que ela não iria aguentar esperar todo esse tempo, afinal, quando estamos com uma pessoa que realmente amamos nós queremos se juntar o mais rápido a esse pessoa com medo. Fala sério, você passa quase a sua vida inteira procurando um amor e quando acha vai me dizer que você não tem medo que ele desista de você? Eu morro de medo do Justin se cansar de mim e resolver me abandonar, mas eu sei que ele me ama, ama todos os meus defeitos e minhas qualidades, sei que ele nunca me deixaria por qualquer outra pessoa.

No fim de tarde resolvemos ir pra casa dela e procurar uma roupa adequada pro jantar, já que, ela estava muito nervosa por que iria conhecer a família de Ryan, uma família que na verdade não tem nada de normal. Quando eu disse isso ela só faltou me matar me perguntando como iria reagir na frente dele. Bom, meu conselho foi "aja naturalmente, seja você mesmo, não finja ser uma pessoa que você não é, alias, você vai casar com Ryan, vai se juntar com ele pra sempre". Ela concordou e me abraçou. Depois de irmos comer alguma coisa no MC Donald's por minha insistência resolvemos passar em uma loja de roupas de bebê. Compramos vários macacões e roupinhas, ela comprou a banheira e comprou dois macacões lindos. Depois resolvemos passar na casa de meus pais que também haviam comprando roupa pro pequeno, sorria agradecendo. Fiquei alguns minutos conversando com meu pai e conversamos muitas coisas, ele estava realmente feliz pelo pequeno.

-Não é questão de desconsiderar Liv, nunca. Aquela garota é minha vida. -Ele sorriu e eu sorri junto. -Mas eu sempre quis ter um neto, fazer coisas de homem, sabe? -Ele riu e eu assenti. -Jogar basquete e essas coisas.

-Ah pai nem me fala. -Disse rindo. -Justin ta tão animado. Eu gosto tanto de ver ele feliz.

-É eu sei. -Ele riu. -Você realmente ama esse filho da puta.

-Pai, não fala mal da Pattie!

-Ok, sem xingar a Pattie! -Disse ele rindo. -Eu não gosto do Justin, mas o gosto é seu.

-Você não gosta dele?

-Não né Jennifer, depois de tudo que ele fez com você, você acha que eu vou gostar dele? Eu realmente preferia ter outra pessoa casado contigo, mas foi ele quem você escolheu pra passar sua vida e ser pai dos seus filhos, então eu tenho apenas que respeitar sua decisão. -Ele disse me fazendo sorrir.

-Obrigada, pai! -Sorri e abracei ele que depositou um beijo na minha testa.

-E essa coisa, quando cresce? -Ele passou a mão na minha barriga.

-Já to ficando uma bola.

-Ah para, você parece só ter engordado uns vinte quilos! -Ele riu me fazendo resmungar. -To brincando! -Ele levantou a mão pra cima em sinal de rendição! -Eu até to achando que você ta muito magra pra quem ta entrando nos cinco meses! -Ele disse me fazendo dar de ombros.

-Na gravidez da Liv foi assim também!

Carla os convidou para o jantar e eles prometeram que iriam, por insistência da minha amiga que já os tinha como pais. Fomos pra minha casa e Justin não tinha chegado ainda, nós tínhamos ficado pouco tempo lá no atelie já que eu queria passar no Mc Donald's e ela queria ir arrumar uma roupa. Arrumei ela, arrumei seu cabelo e logo escutei batidas na porta. 

Sorri pra Justin que entrou e olhou Carla com o cabelo arrumado, ele nem falou com ela e foi pro closet logo descendo. Fiz as unhas de Carla e em poucos minutos depois ela foi embora. Decidi que iria no salão. Desci e Justin estava no sofá pulei em cima dele e comecei a beijar ele que desceu uma mão e apertou minha bunda.

-Oi, pra vocês! -Liv entrou com a avô sorrindo. 

-Oi, meu amor! -Abri os braços e ela veio correndo e me abraçou. -Vai lá em cima, coloca aquele shorts jeans que a mamãe comprou na viagemm lembra? -Ela assenti. -Coloca uma blusinha e veste o supra e desce que vamos sair!

-Quem? -Ela disse animada.

-Eu, você e o papai! 

-Eba! -Ela sorriu e subiu correndo.

-Pattie, tem o jantar da Carla e do Ryan hoje tudo bem? Você vai né? 

-Eles mandaram me chamar? -Ela disse sentando no sofá.

-Sim! -Sorri.

-E onde eu vou que eu não estou sabendo? -Justin perguntou.

-Bom, nós vamos ao salão e você vai levar a gente.

-Opa, eu também vou! -Pattie disse subindo.

-Ah não Jennifer, não mesmo!

-Justin, amor por favor. -Disse fazendo biquinho e ele me beijou. -Por favor?

-O que eu não faço por você? -Ele disse triste. -Mas porra, salão? -Ele disse bravo.

-Por favor!

-Tudo bem! -Ele suspirou.

Liv e Pattie finalmente desceram e fomos pro carro do Justin que tava resmungando até o ultimo, fomos conversando e quando chegamos no salão descemos no carro. Pattie, eu e Liv iriamos fazer o cabelo. Mas apenas eu e Pattie iriamos fazer unha do pé e da mão. Justin pagou a conta do salão o que me fez rir ao ver ele arregalar os olhos com o preço que tinha dado, mas sem reclamar ele pagou tudo, esse é meu marido. 

Enquanto uma fazia meu cabelo outra fazia minhas unhas da mão e outra do pé, o que acontecia no mesmo com Pattie. Liv sorria feliz ao ver a mulher arrumando seu cabelos castanho claro que agora estava começando a ter um tom ruivo natural, sim, minha filha aos poucos esta ficando com o cabelo ruivo natural. Liv não fez nada de mais no cabelo, apenas a mulher fez escova e pegou uma mexa lateral passando por sua testa uma franja na qual ela prendeu com uma presilha, ela ficou linda. No final minhas unhas estavam lindas, meu cabelo estavam perfeitamente caídos. Pattie estava linda, seu cabelo até parecia natural. Justin suspirou ao perceber que nós estávamos prontas. Ele segurou minha mão e fomos até o carro de Justin. Pattie decidiu passar no mercado ali perto e Liv foi junto. Justin encostou no carro e eu fiquei no meio de suas pernas.

-Você ta linda meu amor, na verdade linda você sempre é! 

-Obrigada meu anjo -Dei um selinho nele. -Justin? -Disse olhando sua gola da blusa e brincando com a mesma. -Eu te amo! -Disse e em seguida olhei pra ele que sorriu. 

♀♀

Eu estava tomando banho na banheira, Justin queria tomar banho comigo mas eu corria risco dele molhar meu cabelo. Sai do banheiro enrolada na toalha e ele me olhou e me beijou puxando a toalha e eu arregalei o olho. Justin estava de cueca e começou a me beijar, eu estava sem reação tudo ocorreu muito rápido. Ele agarrou minha cintura e eu resolvi corresponder seu beijo com desejo também. Ele apertava minha cintura enquanto me beijava e cada segundo que passava o beijo ficava mais fogoso. Tirei a cueca dele e joguei ele na cama, ele sorriu em aprovação e eu subi em cima dele, ambos nus. Assim que subi em cima dele já encaixei seu membro dentro de mim. Assim que ele entrou por completo eu comecei a fazer movimentos de vai e vem enquanto ele apertava minha cintura me dando apoio a continuar. Não demorou muito para nós trocarmos de posição e ele me colocar por baixo. Justin odeia ficar por baixo. As minhas paredes da vagina contrairão engolindo seu membro, o que o fez gemer alto. Não demorou muito até gozarmos. Justin descansou em cima de mim e ainda dentro de mim, assim que sua respiração tranquilizou ele saiu de dentro de mim.

Justin bateu na minha bunda o que me fez rir, e logo entrou pro banheiro. Continuei na cama nua e sorrindo, logo me dei conta de que tinha que me arrumar. Levantei me vestindo, logo fiz uma maquiagem escura. Passei um delineador forte e passei uma sombra preta com branca, passei um brilho labial rosa clarinho e fiz um puxadinho nos olhos com delineador, passei um lápis de olho reforçado e logo. Desfiz meu cabelo e amei como ficou, desfiado e enrolado nas pontas. Decidi fazer uma trança desfiada com a minha franja caindo. Vesti minha lingerie roxa com alguns detalhes pretos, depois de soltar a toalha de meu corpo. Vesti uma saia que ia até o pé preta que tinha um véu transparente preto por cima da saia curta. Coloquei uma clopped preta e sapatos rosas. Justin saiu do banheiro e sorriu com os olhos arregalados. Coloquei a pulseira que ele havia me dado e coloquei dois colores, anéis e coloquei brincos rosa junto de um bracelete(1). 

-Caralho, ta linda em! -Ele disse me dando um sorriso e eu retribui. Ele vestia uma calça branca com um jaqueta preta junto de uma blusa branca. Seus supras também eram branco. Ele estava lindo.- Não acha que ta gordinha demais de pra usar uma clopped?-Ele riu e eu fiquei séria. -Estou brincando, amor.

-Você é um ridículo, Justin. -Disse nervosa. -Preciso ir vestir minha pequena, venho já.

-Me ama. -Ele sorriu. Sai do quarto indo até o quarto de Liv que dormia. Toquei nela e mexi nela. 

-Deixa eu dormir, mamãe! 

-Vamos meu amor, vamos se arrumar pra ir pra casa do titio e da titia. 

-Tudo bem. -Ela levantou.

Amarrei o cabelo dela que estava lindo ainda com o penteado. Dei banho nela enquanto ela falava que seu cabelo estava ficando laranja, e eu ri. Coloquei uma calça jeans nela preta bem colada, sorri ao ouvir ela dizer que eu era a mamãe mais linda. Coloquei uma blusinha branca que era soltinha na barriga mas que na barra era apertada, coloquei uma jaqueta college nela e subi a manga até o ombro dela, fazia um friozinho lá fora então sempre é bom evitar. Coloquei um supra branco nela e soltei o cabelo dela que estava lindo. Ela sorriu pra mim.

-Vamos tirar fotos mamãe?

-Claro, filha.

Fui até o quarto e Justin estava lá, Liv e eu sentamos na cama e começamos a tirar diversas fotos uma diferente da outra, Justin acabou se enturmando também e tiramos fotos juntos, fomos na frente do espelho enorme que tinha na parede e tiramos fotos lá. Justin tirou uma foto linda comigo na qual ele estava beijando minha bochecha enquanto suas mãos estava na minha barriga. Postei pelo menos umas três fotos no instagram, inclusive postei essa minha com o Justin. Logo descemos e Pattie estava lá, linda com uma calça colada e um salto alto azul fechado. Uma blusinha parecida com a de Liv, só que azul. Seus cabelos estavam encaracolados nas pontas e ela estava linda. Jeremy também estava lá só que com uma calça jeans escura e tênis, uma jaqueta preta e uma blusa branca, ele estava lindo. 

Fomos todos juntos no carro de Justin, mas Pattie foi com o Jeremy. Fomos conversando e Liv mexendo em meu celular.

-Você não acha que meu pai e minha mãe estão juntos demais? -Ele disse prestando atenção na estrada, franzi o cenho e ele continuou... -Não sei, eles estão saindo demais e eu conheço minha mãe quando ela esta escondendo algo de alguém.

-Ah, eu acho que não deve ser coisa da sua cabeça!

-Mamãe?

-Oi, meu anjo? -Disse olhando pro banco de trás. Logo ouvi um barulho de flash. -Você tirou uma foto minha?

-Sim, mamãe -Ela disse rindo e me mostrou o celular e logo voltou a mexer.

♀♀

Todos nós já estávamos na casa da Carla, conversando e tudo mais. Justin estava encostado conversando com o Ryan escorado na parede enquanto os dois segurava um copo de champanhe e bebericava o mesmo. Eu e Carla conversamos e Jeremy e Pattie também. Escutamos a campainha tocar e Carla foi correndo atender, meus pais apareceram cumprimentando todos nós. Mamãe se sentou com nós mulheres e os homens foram conversar. Logo a campainha tocou e eu franzi o cenho. Carla foi atender logo relavando a Sra.Cornelle e Alex. Eu arregalei os olhos e Justin me olhou com o maxilar travado. Sai correndo e o abracei.

-Alex! Que saudades. -Por mais que nós tivéssemos brigado eu o amava e o tinha como um irmão, e não queria o perder.

-Oh minha pequena, que saudades! -Ele disse me apertando. -Eu senti tanto a sua falta! -Ele disse no meu ouvido. Logo se separando de mim e sorrindo. -Eu senti muito a sua falta. -Ele disse me dando um sorriso enquanto segurava minhas mãos. -Maninha! -Ele disse abraçando Carla. -Que saudades! 

Eu fiquei conversando com o Alex em um sofá, só nós dois. Ele me pediu desculpas pelo o que aconteceu no telefone e me perguntou várias coisas, contei tudo pra ele no minimos detalhes e ele riu assim que contei que tinha traído Justin. Olhei pra onde Justin estava e ele ainda estava com o maxilar travado enquanto me olhava. 

-Eu já volto! -Disse a Alex que assentiu. Sai andando até Justin e abracei ele pela cintura. Seu olhar desceu até mim me olhando, com o maxilar travado e calado.

-Lembrou que eu existo? -Ele disse me olhando sem me tocar.

-Eu sempre lembro que você existe. -Disse revirando os olhos. 

-Não pareceu quando você tava conversando com o seu amiguinho, que alias, já foi seu namorado! -Ele disse olhando pra qualquer lugar menos pra mim.

-Deixa de ser assim. -Dei um tapa leve em sua barriga. -Ele é só meu amigo. Você não precisa ter ciumes dele.

-Quem disse que eu to com ciumes? -Ele disse passando um braço na minha cintura.

-Deixa eu ver... Seu jeito arrogante, seus olhos, esse sorriso debochado, esse maxilar travado que te deixa muito sexy. Posso te contar um segredo?

-Pode sim! -Ele disse dando um gole no champanhe.

-Eu estou com muita vontade de ser fodida por você só de olhar seu maxilar travado, então pare! -Disse discretamente. 

-Eu também estou morrendo de vontade de te foder só de olhar seus peitos quase pulando desse decote. -Ele disse no meu ouvido me fazendo arrepiar-se por inteira.

♀♀

O jantar tinha sido ótimo, Ryan e Justin implicando com o Alex, claro. Carla tentando se dar bem com a mãe de Ryan que no fim, pelo o que eu percebi ela a odiou, como odiar Carla? Ela é tão doce, meiga e educada. Ela fez muitas perguntas pra ela e isso me irritou bastante, Carla dava o melhor de sí pra agradar a sogra mas ela é um pé no saco. É essa hora que eu agradeço a sogra que tenho. 

No jantar Jeremy disse que ele e Pattie iriam se casar, mas apenas nos papéis,e ele também deu satisfações sobre eles estarem saindo muito. Jeremy e Pattie compraram uma casa e vão morar juntos. Fiquei feliz ao conversar com Jeremy e ele dar a noticia que as crianças chegariam depois de amanhã, já que, Erin iria viajar a trabalho. Justin também ficou muito feliz. 

Justin e eu se jogamos na cama exaustos. Tínhamos acabados de fazer um dos nossos sexos mais selvagem e gostoso. Ele estava ficando cada vez mais quente e insaciável, nada diferente de mim. Eu e Justin tínhamos um fogo inacabável, eramos como fogo e água. Eu tinha dependência do Justin, ele era minha maior droga e ficar sem ele era como ficar em abstinência, eu ficava louca, descontrolada e sem ar.

♀♀

Eu havia acordado péssima hoje, meu humor estava super pra baixo. Suspirei me levantando olhando a figura perfeita dormindo igual a um anjo. Me despi ali no quarto mesmo e fui até o banheiro me jogando de baixo da água gelada. Coloquei um macacão florido, soltinho e curto. Liguei o secador acordando Justin que virou e se revirou na cama algumas vezes.

-Hoje é sábado. Vai fazer o que no trabalho?

-Eu não disse que ia trabalhar! -Disse rude.

-Vai fazer o que?

-Ir dar uma volta com Alex, eu combinei com ele.

-Ah legal! -Disse e foi pro banheiro.

Decidi ignorar o ciumes dele, até porque ele não tem o porque de desconfiar de mim. Passei uma maquiagem fraca e um batom rosa claro também. Enrolei meus cabelos na ponta e logo calcei uma rasteirinha. Logo Justin saiu do banheiro.

-Tava bom demais pra ser verdade, né? -Disse sentado na cama. Olhei pra ele através do espelho enquanto eu terminava de me arrumar.

-O quê?

-Sem brigas, só amores. -Ele disse irônico. -Estava ótimo, Anne tem sumido e eu nem sei o que ela ta fazendo da vida, Tyler não enche mais seu saco. E entra esse cuzão do caralho pra estragar tudo.

-Você é paranoico. Ele não ta estragando nada! Eu não posso mais ter amigos?

-Sim, Jennifer. Desde que eles queiram ser só seu amigo e não coisa a mais.

-Alex foi pra frente, Justin. Ele andou, coisa que você não ta fazendo, não é? -Eu disse fazendo-o engolir a seco.

-Jennifer, quem sempre briga por coisas do passado aqui é você. Eu te amo porra, você acha que eu gosto de saber que você vai sair com um amigo seu? -Ele disse fazendo aspa com as mãos na palavra "amigo". -Que alias, já foi seu namorado.

-Para de paranoia. Ele não é nada meu, apenas meu AMIGO. A-MI-GO.

Ele assentiu com o maxilar travado e levantou indo até o closet, logo saindo do quarto vestido apenas com uma bermuda e chinelos. Peguei uma bolsinha atravessada no corpo, coloquei minha carteira, meu iphone e as chaves de casa. Coloquei meu batom e logo desci colocando o óculos no meu cabelo. Ele estava na cozinha tomando café, passei reto enchendo um copo de suco de laranja.

-Não vai nem tomar café?

-Vou no Starbucks com o Alex. -disse virando o copo de suco.

Ele não falou mais nada. Eu precisava sair de casa, ficar em casa acabaria resultando em brigas porque eu estava em um dia ruim e acabaria descontando nele. Fui até ele e dei um beijo em sua bochecha avisando que não tinha horário pra chegar. Sai andando logo mandando uma mensagem e Alex estava lá no portão. Sorri e abracei ele, fomos conversando até o starbucks apé mesmo.

Stratford-Canada

 11:26 PM

Justin On

Um cuzão, um idiota, era assim que eu me sentia. Que homem no mundo deixaria sua esposa sair com um cara que ela ficava? Eu me sentia um idiota, um pau no cu. Eu era o homem da casa e deveria impor ordens, mas ela fazia bem o que quisesse e foda-se o marido idiota aqui, alias, ela sabe que eu sempre voltaria mesmo. 

Bufei subindo pro andar de cima e me trancando no quarto. Liguei pro meus avôs e fiquei conversando um bom tempo com eles e decidi que viajaria pra lá, pelo menos um tempo com a minha família. Era um bom jeito de deixar Jennifer longe de Alex até ele decidir ir embora. Liguei pro Ryan e fiquei um bom tempo conversando com ele, perguntei que dia ele iria embora de lá, e ele disse que ele ficaria uma semana em Stratford. Por que esse cara não da o fora de uma vez? Ele não percebe o quanto a presença dele incomoda?

Eu ainda me sentia um idiota por não ter impedido Jennifer de ter ido com aquele babaca. Pelo o que eu conheço ela, ela não tinha acordado em um dia bom. Ótimo. Porquê eu também não tinha acordado em um momento bom. 

Levantei do sofá e subi correndo as escadas entrando no quarto da minha mãe. Ela estava lá dormindo, agradeci aos Deuses por meu pai não estar lá. Com certeza na próxima vez eu tenho que me prevenir em abrir a porta dessa forma. Sentei na cama e fiquei a observando enquanto ela dormia. Sorri ao perceber que ela suspirava como se estivesse em um sono bom. Ela iria se mudar pra outra casa e isso com certeza não me agradou muito, qual é? Eu amo minha mãe aqui em casa. Mexi em seus cabelos e como ela tinha um sono leve ela acordou, piscou umas duas vezes até que se acostumasse com a claridade. Ela sorriu ao me ver ali.

-Bom dia meu anjo, o que faz essa hora acordado? -Ela disse olhando o relógio em seguida subiu na cama se encostando na cabeceira da cama relaxando as costas. Ela fez um coque em seu cabelo.

-Jennifer, acordou cedo e acabou me acordando. -Sorri fraco. -Mãe, eu queria conversa umas coisas com a senhora.

-Claro. Mas você pode me espera tomar banho antes? -Ela disse levantando da cama e se espreguiçando. 

-Tudo bem. -Disse brincando com uns enfeites do quarto dela.

Ela entrou pro banheiro depois de escolher uma roupa, me deitei na cama dela e continuei ali uns tempos. Ela não demorou muito no chuveiro já que eu ouvi o barulho do chuveiro acabar. Ela logou saiu arrumada do banheiro e se sentou.

-Então? -Ela disse se sentando.

-Mãe, eu estava pensando... Se bom... A gente viajasse pra casa da vovó, o que acha? -Eu disse sorrindo e ela sorriu.

-Claro, meu amor. Esses dias eu estava até conversando com a Jennifer sobre isso. Mas, espera ai, tem alguma coisa no meio? -Ela perguntou desconfiada e eu ri. -Porque sabe, você querer ir viajar de uma hora pra outra é muito estranho! -Ela disse rindo o que me fez rir também. 

-Não mãe, não tem nada... -Disse rindo. -Talvez até tenha. -Ri e ela riu negando.

-Eu sabia, Justin. Te conheçom meu amor! -Ela disse rindo e arrumando o cabelo e eu ri. -Que dia você sugere para irmos? -Ela perguntou enquanto ligava o secador de cabelo.

-Amanhã. -Disse sorrindo.

-Mas amanhã? -Ela me olhou assustada. -Não ta muito cedo não?

-Quanto mais tempo a Jennifer ficar longe daquele cara é melhor -Eu disse e ri e logo me praguejei. Minha mãe me olhou rindo e negando, como alguém poderia ter um bom humor desse a essa hora da manhã?

-É, eu sabia que envolvia isso. Seu pai, ele vai?

-Bom, se ele quiser. -Dei de ombros. -Tem como ligar pra ele agora? Vou ir dar um banho na Liv porque eu já vou comprar as passagens. Ela vai comigo! -Avisei-a e ela assentiu.

-Pode deixar, que eu ligo sim. -Ela disse enquanto pegava o celular.

-Bom, eu vou lá acordar aquela dorminhoca. -Eu disse me dirigindo até a porta e antes que eu abrisse ela falou mais alguma coisa.

-Boa sorte! -Ela disse soltando uma risada fraca. E eu ri também.

Andei o corredor enorme dos quartos e logo que parei enfrente a porta do quarto da minha pequena, eu abri e lá estava ela... dormindo como um anjo. Sorri a olhando. Sentei em sua cama e balancei ela a chamando enquanto ela não acordava, nunca vi alguém mais dorminhoca que essa menina. Jennifer, pensei. Ela me olhou e eu ri. Apontei pro banheiro e ela bufou indo até lá. Escutei o barulho do chuveiro e ela fechou a porta, ela odeia que eu dou banho nela, sempre que eu dou banho nela o sabão acaba entrando em seus olhos. 

Ela demorou um bom tempo o que me fez ficar irritado, fui até o banheiro e bati na porta dele e ela gritou avisando que já iria sair. Ela saiu enrolada no roupão e foi até o guarda roupa dela, antes que ela fizesse uma bagunça eu peguei uma shorts e uma blusinha enquanto ela pegava a calcinha e os chinelos. Ri

-Nós vamos sair, anjo. Coloque uma sapatilha.

-Eu quero ir de tênis.

-Ta calor, coloca uma sapatilha -Eu disse ela assentiu indo pro banheiro se vestir. Ela logo saiu. Ela secou seus cabelinhos com a toalha e veio até mim segurando o pente.

-Você pode fazer isso?

-Ahn... eu acho que sim! -Disse confuso. Peguei o creme que ficava na estante dela e passei em uma cotidade pequena em seu cabelo logo começando a pentear.

-Você penteia melhor que a mamãe. Mas não contra pra ela! -Ela disse rindo e eu ri. -Cadê ela papai?

-Saiu com o Alex.

-Anhexi, anhexi -Ela disse brava o que me fez rir. -Nós não vamos se separar de novo não, né papai? sempre que o Anhexi vem ele faz você e a mamãe brigar.

-Tem raZão, mas não... Não vamos se separar. -Disse fazendo ela abrir um sorriso. -Nós vamos viajar. Eu, você, a mamãe, a vovó e o vovô. 

-Sério? -Ela disse sorrindo. -Para onde? -Ela disse curiosa.

-Para a casa dos vovôs. E quem sabe nós podemos fazer uma viagem pra Las Vegas no natal.

-Las Vegas? A professora já me mostrou fotos. É bonito! -Ela disse sorrindo e eu assenti. 

-É realmente muito bonito.

Terminei de arrumar ela. Fui pro meu quarto, afinal, não tinha me arrumado ainda. Tomei um banho rapido porque com certeza Liv me apressaria, ela odeia atrasos. Assim que terminei o banho enrolei uma toalha na cintura e a outra sai secando meu cabelo e logo quase dei um pulo assim que vi a figura com os cabelos vermelhos encostada na parede. Ela sorriu pra mim maliciosa mordendo os lábios e eu neguei pra ela revirando os olhos.

-O que você quer aqui? -Perguntei parando de secar o cabelo. Joguei a toalha no cesto e cruzei os braços olhando pra ela.

-Oh, que cena sexy! -Ela disse vindo até mim e passando as mãos na minha nuca, empurrei ela enquanto pegava uma cueca e uma roupa. -Você pode se trocar na minha frente, eu realmente não vou me importar. -Ela disse fazendo uma voz... Sexy?

-Se manca garota, eu tenho mulher. Quem te deixou entrar?

-Os seguranças me conhece. Não tinha ninguém na cozinha e nem na sala.  -Ela disse sorrindo cínica. E eu suspirei a encarando com cara de tédio.

-Eu vim te ver, meu amor. Não gostou da surpresa? Eu senti sua falta. -Ela disse me empurrando me fazendo cair na cama e ela sentou no meu colo. -Eu senti muito a sua falta. -Ela disse mordendo minha orelha o que me fez apertar sua cintura e empurrar ela fazendo ela cair no chão me fazendo cair em plena consciência de que tenho uma mulher e de que essa mulher é uma vagabunda que quer acabar com meu casamento.

-Eu te deixei excitado amor? -Ela disse levantando.

-Tudo o que você me faz ter é nojo de você! -Eu disse bravo entrando no banheiro. Me troquei e logo quando sai ela estava lá.  -Anne, da um fora daqui. Agora! Eu não to afim de brigar com a Jennifer se ela chegar aqui e ter ver dando em cima de mim.

-Ah relaxa, pelo o que eu vi ela estava muito bem conversando com o Alex no parque. -Ela disse sorrindo maldosa, engoli a seco. -Ele estavam sorrindo. Uma vez o outra ele beijava ela na bochecha, pareciam um verdadeiro casal.

-SAI DAQUI AGORA, SUA VAGABUNDA. -Eu disse puxando ela pelo braço. Minha mãe saiu do quarto vendo a cena na qual eu arrastava aquela vadia escada a baixo. Puxei ela pelos cabelos a levando a entrada da casa. Fui até o portão da casa e ela me xingava e gritava para que eu a largasse. -Some daqui. -Eu disse a jogando na rua. -E não aparece nunca mais. NUNCA.

-Seu idiota, seu bruto! -Ela disse com raiva levantando. -Você não perde por esperar, Justin. Eu vou acabar com a sua vida seu... Seu... CHIFRUDO. -Ela disse e saiu andando. 

Encarei-a com raiva enquanto ela virava a rua da minha casa. Entrei em casa e suspirei me sentando no sofá, Liv desceu e sorriu pra mim. Fomos tomar café e logo fomos até o carro. Dei partida indo até o aeroporto. Passei pelo parque e Anne estava completamente certa, virei o parque na maior brutalidade chamando a atenção dos pombinhos e Liv gritou e tapou a boca. Jennifer me olhou assustada enquanto tirava o braço do cara de seu ombro. Parei o carro no meio da rua e ela veio na direção do carro, logo que ela estava perto eu dei partida a assustando.

-Papai, a mamãe estava vindo! -Liv falou praticamente gritando.

-Sua mãe esta muito bem. -Disse com raiva.

Fomos até o aeroporto e logo eu fui até a areá de compras e retirada, eu poderia ter comprado pela internet, mas eu estava afim de ir até o local comprar mesmo, e estava precisando de um tempo com a pequena. Assim que eu comprei as passagens, que no caso era pra de madrugada. Entrei no carro com Liv e fomos até uma sorveteria, levei ela no shopping também e comprei a boneca que ela tinha me pedido a uns dias atrás. Comprei mais alguns brinquedos pra ela e umas roupinhas que ela pediu. Fomos pra casa e Jennifer estava lá, entrei e ela estava comendo conversando com a minha mãe e parecia irritada.

-POR QUE VOCÊ NÃO ME ESPEROU? POR QUE VOCÊ FOI EMBORA E ME DEIXOU COM A MAIOR CARA DE TAPADA? -Ela gritava batendo em meu peito e Liv ria baixinho sentando no sofá.

-As passagens estão compradas! -Disse ignorando ela e falando com a minha mãe. -Viajamos de madrugada.


Notas Finais


E aí?? Esses doisssss hahahhaa
Quer entrar no grupo? 011 9 77481970
Beijos <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...