História Drug Of Love - Capítulo 43


Escrita por: ~

Postado
Categorias Barbara Palvin, Justin Bieber
Personagens Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Pattie Mallette
Exibições 596
Palavras 9.369
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Crossover, Famí­lia, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi, voltei rapidinho né?
Boa leitura, beijos ♥

Capítulo 43 - Texas


Fanfic / Fanfiction Drug Of Love - Capítulo 43 - Texas

Stratford-Canada

 21:22 AM

Jennifer On

Justin não quis me responder que viagem e subiu, mas logo Pattie esclareceu tudo comigo. Como ele poderia ousar em jogar tudo pra cima e ir fazer essa maldita viagem por causa de uma droga de ciumes? Não tinha nada de mais em eu ter dado uma volta com ele, mas isso não me importa agora e o que me importa era sobre Anne ter vindo aqui, sim Pattie me contou. Fiquei com receio dela ter ido com ele por isso ele demorou muito, mas, Liv disse que eles tinham ido no shopping. 

-Você tem que me responder. Agora. -Eu dei um grito e ele me olhou revirando os olhos. 

-Deixa de ser dramática. Nós vamos pro Texas, ok? -Ele me olhou e desviou o olhar pras suas malas pré-arrumadas. 

-Justin, não podemos jogar tudo pra cima e irmos pro Texas, eu tenho meu trabalho, tenho minha vida aqui e coisas para serem resolvidas já pensou nisso?

-Você já pensou no quanto eu posso ficar magoado em ver você saindo com seus ex ficantes? -Ele falou incrédulo me olhando.

-FODA-SE, ele é meu amigo e muito melhor do que você. -Eu disse com raiva. -Ele é muito melhor do que você e seria um homem muito melhor. Eu vou sim sair com meus amigos, Justin, na hora que eu quiser e nem você e nem ninguém irá me fazer mudar de ideia, porque foi eles que estenderam os braços, cuidaram de mim e me acolheram quando um patético estava atrás de mim pronto pra me matar. ELES SÃO MUITO MELHORES DO QUE VOCÊ.

Só ai eu notei que Justin chorava, sim chorava. Justin pegou o abajur jogando contra a parede e em seguida pegou um vazo que enfeitava ali e jogou contra a parede, eu me encolhi ficando assustada. Justin colocou uma mão contra o rosto e encostou na parede. Seus ombros mexiam quanto mais as lágrimas caiam. Ele chorava como um bebê.

-Just...

-Chega, eu to cansado de você ficar falando que esse merdinha é muito melhor que eu, se ele é melhor faça o simples, vá embora. -Ele disse entredentes. -Fica com ele. -Ele me olhou e mais lágrimas caiam. -Não me peça desculpas.

Ele disse e em seguida terminou de arrumar suas malas. Joguei minha mala na cama e arrumei as roupas sem protestar. Coloquei alguns pares de sapatos e alguns acessórios. Perguntei pra ele algumas coisas sobre a viagem e ele respondeu o minimo com sua voz ainda embargada. Terminei de arrumar as coisas.

Quando terminamos de arrumar todas as malas, descemos e fomos jantar. Completamente em silêncio. Pattie e Justin combinaram algumas coisas da viagem e só. Depois do jantar teve um bolo de chocolate que Marcela tinha deixado pronto e comemos, eu comi uns cinco pedaços porque estava realmente ótimo.

Subimos pro nosso quarto e Justin foi tomar banho, me sentei na cama e fiquei me arrependendo por ter dito aquelas coisas pra ele. Eu sou mil vezes mais estourada que o Justin. Falo muita merda, por isso tenho vontade de me bater sempre que isso acontece. Logo que ele saiu do banheiro e eu entrei no mesmo e tomei um banho rápido. 

Coloquei uma camisola de ceda preta onde nos seios eram rendados. Justin perdeu seu olhar em meus seios e logo desviou o olhar. Sorri com isso. Justin deitou e tirou a cueca e eu arregalei o olhar.

-Você vai dormir pelado?

-Qual é o problema? Estou me sentindo bem assim. -Ele disse com um sorrisinho sacana nos lábios.

-A-ah... S-sim. -Gaguejei, minha boca tava entreabertas e eu tentava controlar minha respiração ofegante. 

-Boa noite, amor. -Justin disse e a ultima palavra sua voz se tornou sexy e ao mesmo tempo irônica.

Me deitei na cama e fiquei de costas pra ele. Senti ele se aproximar ainda mais e eu olhei pra suas mãos que agarravam minha cintura. Sua cintura chegou mais pra frente e logo senti seu pênis duro no meu bumbum me fazendo soltar um gemido. Justin algumas vezes dava umas esfregadas em meu bumbum e eu suspirava. Sua mão subiu até meu seio e deu um aperto me fazendo engolir a seco. Céus eu já estava tão molhada

Suas mãos desceram e foi até minha calcinha, Justin massageou bem ali e sorriu ao ver seus dedos molhados por eu estar bem molhadinha por causa dele. Meu Deus, eu estava tão molhada, tão molhada que a minha própria calcinha estava como se tivesse molhada por água. Justin desceu minha calcinha e senti sua respiração bater no meu pescoço.

-Durma assim também. -Ele disse e se virou pro outro lado.

Droga, ele apenas me atiçou mostrando quem é que manda. Virei pro lado e vi uma cena que me deixou ainda mais molhada. Justin descia e subia suas mãos sobre seu pênis e mordia os lábios, ele sorriu malicioso ao me ver o olhar. Me sentei na cama e fiquei encarando ele fazer seu "trabalhinho". Uma atitude me impressionou, uma atitude vindo de mim mesma, minhas mãos deslizaram sobre o pênis de Justin e ele mordeu os lábios ao me ver fazer aquilo. Me sentei encima de seu pênis e Justin arfou junto comigo por nossas partes intimas terem se chocadas tão forte.

Puxei o pescoço de Justin o beijando com volúpia e suas mãos segurava minha cintura que fazia movimentos de vai e vem por cima do membro dele. Justin me jogou na cama e abriu minhas pernas. Ele passou sua glande por meus clítoris e eu dei um quase grito. 

-Diz que ele é melhor que eu. -Ele falou rude. -Diz! -Ele acelerou os movimentos de sua glande no meus clítoris. -DIGA AGORA CARALHO. -Ele disse frio e enfiou seu pênis de uma vez dentro de mim mas em menos de um segundo ele o tirou me fazendo ficar ainda mais nervosa e com tesão.

-Nã-ão. -Eu disse enquanto ele ainda acelerava sua glande por meu clítoris. 

-Por que não? -Ele apertou meus seios por cima da camisola e puxou ela do meu corpo rasgando totalmente o pano, abri a boca em um "O" e ele riu.

-Porque você é muito melhor, Justin... Por favor. -Eu gemi e ele riu se divertindo com meu sofrimento.

Quando eu pensei que não Justin enfiou dentro de mim de uma vez me fazendo soltar um grito estridente, mas ele não se importou e começou os movimentos. Justin me entocava com força e penetrava com mais força ainda, eu sentia como se ele estivesse tocando meu útero, e ele estava. Em minutos Justin gozou e continuo a me entocar me fazendo gozar minutos depois.

♀♀

Eu já tinha checado todas as malas e tinha arrumado a de Liv, agora eu trocava a pequena garotinha. Coloquei uma calça de moletom nela bem apertada já que fazia frio lá fora. Canada é mais conhecido por seu frio, por isso que eu amo viajar. Coloquei um supra em seus pés e coloquei uma blusa de moletom e uma jaqueta por cima. Coloquei uma toca em sua cabeça e em seguida ela se jogou na cama voltando a dormir, ela morria de sono já que era de madrugada. Fui pro quarto e agora só faltava me trocar já que tinha tomado banho. Justin se arrumava, ele me deu um selinho e sorriu. Fui pro closet e peguei uma calça jeans, uma blusa cinza de mangas cumpridas e uma de moletom, peguei uma toquinha e um par de supra me vestindo(1), me sentindo bem em estar vestida como uma adolescente. Era madrugada então não teria problemas em me vestir como uma adolescente sem ser percebida por alguma mulher, já que eu sou a maior estilista de Stratford e conheço quase todas as mulheres dessa pequena cidade. Passei um batom rosa bem clarinho e logo desci com as malas com a ajuda de Jeremy. Me sentei no sofá e Justin se sentou comigo, estávamos apenas esperando o táxi.

-Você é louco. -Sorri negando.

-O que foi?

-Pegar todo mundo e sair de Stratford indo pro Texas. -Ri. -Sem consultar ninguém.

-Engano seu, falei com todo mundo, ou quase. Minha mãe ligou avisando sua médica, avisei a Marcela, avisei a escola de Liv, minha empresa. Agora só falta você avisar seu trabalho. -Ele sorriu e eu ri assentindo.

-Claro. -Sorri e ele me abraçou.

O táxi chegou e nós colocamos as malas no porta-mala e entramos no táxi rumo ao aeroporto. Chegamos lá e ficamos sentados nos bancos enquanto Pattie ia fazer o chekin-g. Avisou que o voo para JacksonVille estava pronto pra decolar e fomos ao portão de embarque, passamos as malas no detector de metal, a mala passou e Justin pegou nossas malas. Guardamos no porta-malas do avião e logo se sentamos nos nossos acentos. Justin segurou minha mão e sorriu me olhando. 

♀♀

-Diana, Bruce. -Pulei no colo de Bruce e abracei Diane.

-Querida, vocês estão tão crescidos. Oh meu Deus. -Ela sorriu. -Pequena Liv, meu amor. -Ela abraçou Liv que sorria, fazia um tempo desde que não tinha a visto.

Pattie ficou tão feliz em ver sua mãe que foi impossível não sorrir junto. Justin pegou minha mão enquanto íamos em direção a vã de Diane e Bruce. Entramos e eu e Justin sentamos nos últimos bancos. Pattie conversava super distraída com Diane e Jeremy e Liv brincava com Bruce enquanto ele dirigia. Justin prestava atenção na conversa dos avós e dos pais e eu o olhava. Sua mão estava na minha coxa e dava alguns apertos nelas que já começava a me excitar e as vezes eu sentava para frente tentando fazer com que sua mão parasse em minha virilha, mas não acontecia. Peguei suas mãos e coloquei em cima da minha virilha e ele me olhou e engoliu a seco. Sorri maliciosa.

-Pode continuar. -Eu disse e ele assentiu mordendo os lábios ainda engolindo a seco.

Ele começou a apertar a minha virilha ainda por cima da calça e eu abri meu zíper da calça. Ele enfiou a mão dentro da minha calça e começou a acariciar meus clítoris e eu mordia os lábios. Ninguém podia ver porque os encostos dos bancos eram altos então não dava pra ninguém ver. Justin enfiou dedos na minha vagina e começou a fazer movimentos de vai e vem e eu me segurava pra não gemer.

-Então Jennifer? -Diane falava, só ai percebi que eu olhava pro teto da vã revirando os olhos de puro prazer. Eu fiz cara de desentendida e tentei tirar as mãos do Justin de dentro de mim mas isso só fez com que ele fosse ainda mais rápido.

-O-oq..ue fala-lalavam? -Eu disse gaguejando, Justin soltou uma risadinha e eu me senti uma idiota. 

-Como vai ser o nome do pequeno?

-M..ath. -Eu disse isso e Justin acelerou os movimentos e eu olhei pra ele. -O NOME DA CRIANÇA QUE VAI SER MATH! -Eu disse olhando Justin com raiva e Justin riu. -Matheus. -Eu terminei de falar.

-Claro. -Ela disse desconfiada

Justin mexeu seus dedos mais algumas vezes em mim e logo eu gozei, ele tirou seus dedos e os chupou me fazendo morder os lábios. Abaixei minha cabeça e abaixei sua calça moletom e seu pênis pulou pra fora da box. Coloquei minha boca ao redor e comecei a chupar o pênis dele.

-Como esta os projetos da empresa, Justin?

-Estã-o ó-otim-o-o. -Ele gemeu e Bruce o olhou. Justin tentou tirar minha boca dali mais foi em vão. Justin puxou meu cabelo e eu revirei os olhos levantando.

Justin começou uma conversa com Bruce e em poucos minutos já estávamos na fazenda. Descemos do carro e subimos direto pro quarto. Justin se deitou na cama e eu deitei por cima dele.

-O que acha de a gente terminar o que começamos? -Eu disse e ele riu.

-Primeiro vamos tomar um café reforçado porque nosso filho deve estar morrendo de fome e depois nós fazemos o que você quiser.

Descemos pro andar de baixo e se sentamos na mesa do café onde estava bastante coisa, comecei a comer e Diane me olhava com os olhos arregalados pelo o tanto de coisa que eu comia, mas Justin sorria pra mim.

Terminamos de comer e eu fui dar uma passeada pela fazenda. Assim que entrei em casa Bruce estava arrumando o liquidificador e nós dois conversamos enquanto ele fazia seu trabalho. Decidi subir e Justin mexia no celular, fui direto pro banheiro e tomei um banho. Sai enrolada na toalha a procura de uma lingerie mas senti algo duro na minha bunda.

-Agora eu quero terminar o que começamos. -Ele disse sorrindo malicioso e eu mordi os lábios.

-Claro.

Joguei ele na cama e arranquei a toalha de meu corpo. Justin me olhava com os olhos brilhando de luxuria. Me deitei encima dele fazendo meus seios ficarem em cima dos seus e comecei um beijo selvagem. Justin me puxava cada vez mais pra cima e eu rebolava uma vez ou outra encima do seu membro (coberto pela calça moletom). Justin era uma tentação de moletom pelo simples fato de seu pênis ficar bem mais exposto. Eu rebolava em seu membro e ele segurava minha cintura me dando mais pressão para que eu rebolasse mais. Era como se eu estivesse sentada em cima de uma pedra, era deliciosa a sensação de sentir o pênis de Justin duro por baixo da calça e eu sentada em cima. Justin começou a passar as mãos no meu seios enquanto eu mordia os lábios. Segurei seu cabelo o puxando pra frente e senti a linguá de Justin em contato com meus mamilos, revirei os olhos e mordi os lábios tombando minha cabeça pra trás ao sentir aquela sensação incrível. 

Cada toque dele era como se fosse o primeiro, cada beijo dele era como se fosse o primeiro. Suas mãos passeando com brutalidade pelo meu corpo era como se ele estivesse provando que eu era dele, e sim eu era dele, inteiramente dele. Cada parte do meu corpo era dele, e só ele me fazia sentir aquela necessidade de sentir por perto, só ele me fazia sentir o amor. Justin é inteiramente meu, só meu. 

Senti Justin querer tirar sua calça e eu sorri. Sai de cima dele e ajudei ele a abaixar sua calça e minha distração foi outra, Justin já estava nu, céus... Ele já estava preparado para mim. Justin sorriu ao notar minha feição de satisfação ao saber que ele estava sem cueca. Justin me puxou pra cima dele me fazendo sentir um arrepio ao notar seu membro ainda mais duro. Pele a pele, oh eu amava tanto isso. 

Sua linguá entrou em contato com a minha pele me fazendo sentir uma queimação no pescoço, eu estava tão entregue a ele. Justin segurou minha cintura me levantando um pouco pra cima e seu pênis ficou em pé totalmente ereto. Justin me puxou pra baixo e eu fui descendo lentamente. Era olho no olho, respiração com respiração e gemidos com gemidos, eu sentava delicadamente no pau de Justin e ele suspirava agarrando minha cintura mais forte. Finalmente sentei no seu colo sentindo seu pênis tocar meu útero e suas bolas perto de meu bumbum. Justin me olhava nos olhos e puxava meus cabelos da nuca com obséquio enquanto eu quicava em seu colo. Justin me abraçou colocando sua cabeça em meu ombro e logo senti seu corpo tremer de baixo de mim liberando seu liquido quentinho. Eu ainda pulava em seu colo e ele ainda me ajudava. Logo gozei. 

Justin me deitou na cama e subiu em cima de mim sem colocar sua força. Justin me beijou, diferente dos outros esse era um beijo completamente apaixonado. Era ótimo quando nós queríamos apenas sentir nosso amor e não todo aquele fogo que só nós dois tínhamos, ah... Mas nosso fogo ninguém iria apagar, nunca. Apenas estávamos dando um tempo dali e não estávamos só sentindo prazer no sexo e sim o amor, que é o mais importante, porque sexo sem ser com amor não é sexo de verdade, não pode ser considerado sexo. Mas quando sexo é sexo, amor é amor. Fechei os olhos ao sentir ele entrar dentro de mim, abri meus olhos devagar e Justin observava cada detalhe meu. Ele sorriu enquanto fazia movimentos de vai e vem, não muito devagar e nem muito rápido. Sorri de volta e ele me deu um selinho e em seguida beijou a ponta do meu nariz o que me fez sorrir. Justin começou a dar selinhos no meu pescoço e logo subiu pro meu ombro e em seguida meu rosto, depositando beijos em minha bochecha e em minha testa. 

Justin me deu um sorriso e juntou nossas mãos segurando-as fortemente e eu o olhava com a boca entre aberta enquanto alguns suspiros e gemidos escapavam da minha boca. Olhei pra nossas mãos juntas e sorri para ele que logo sorriu pra mim de volta. Ele fechou os olhos e eu mordi meus lábios quando senti que ele tinha gozado. Justin continuou os movimentos mas depois aumentou quando sentiu minhas paredes da vagina se contrair com seu pênis o apertando mais ainda dentro de mim, o que fez ele morder os lábios mas não conseguiu reprimir o gemido que tinha acabado de sentir. Gozei.

Justin continuo dentro de mim e relaxou ainda mais em cima de mim e eu abracei sua cintura, nossas respirações estava ofegantes mas quando começou a se acalmar ele saiu de mim por completo e se deitou ao meu lado e logo se arrumou ainda mais deitando um pouco abaixo do meu peito e logo ele começou a falar com Math o que me fez sorrir e eu senti chutinhos.

-Uou, você escutou isso? -Ele disse sem tirar o sorriso do rosto, ele falava tão bobão que eu acabei sorrindo junto com ele.

-Sim... Ele sabe que você é o pai dele. -Eu disse e ele voltou a deitar sorrindo.

-O papai ama você, meu amor.

Justin continuou conversando com Math mais um pouco e logo caímos em um sono.

Abri os olhos mas a claridade me incomodou fazendo que eu fechasse novamente. Me sentei na cama logo abrindo os olhos e piscando algumas vezes até me acostumar com a luz do quarto, a gente havia esquecido acesa, o que não era muito diferente já que nós sempre esquecíamos. Me levantei, colocando a roupa que tinha colocado depois do banho e desci. Olhei no relógio da parede enquanto descia as escadas, eu só tinha dormido vinte minutos. Fui até a sala e olhei pra cozinha onde Bruce estava lá sorrindo orgulhoso olhando o liquidificador. 

A sala e a cozinha era separado apenas por um grande balcão, a sala era simples: branca e os azulejos da mesma cor, um sofá bastante confortável azul claro e uma televisão média encima da estante, em cima da estante alguns enfeites azul também, do lado do sofá um criado mudo braco com alguns detalhes preto e um abajur pequeno em cima do mesmo, do outro lado do sofá tinha outro criado mudo braco idêntico o outro só que com um pequeno vazo de flor. O balcão era marrom com o granito de cima da cor prata. A cozinha era com uma ar mais antigo. As paredes eram branca e no canto tinha uma pia de inox, um fogão e uma lavadoura de louças. Nas paredes tinham alguns objetos pendurado enfeitando o local. Perto do fogão tinha três panelas penduras e algumas colheres de ferro e de pau também penduradas. A mesa da cozinha era de madeira com algumas cadeiras em volta dela, de madeira. 

-Querida! -Diane me chamou. -Venha, alguns vizinhos quer te ver! Tem um tempo que você não vem aqui. -Diane veio me puxando pelo braço.

-Boa sorte! -Bruce murmurou me fazendo sorrir fraco e assentir.

-Esses são a irmã e o irmão Davis. Lembra deles? Blaine e Elliott. -Diane disse sorrindo. 

Encarei as figuras a minha frente, como esquecer? Eu costumava brigar muito com Blaine porque sempre que passávamos as férias aqui ela ficava dando em cima de Justin mesmo sabendo que ele era meu namorado. Elliott costumava falar que tinha sentimentos por mim, e eles já tramaram tanto pra me ver longe de Justin, mas no fim não resultou em nada.

-Ah, claro! Lembro. -Sorri cinicamente.

-Então você esta gravida? Meus parabéns, querida -Blaine disse, que falsa!

-Meu segundo filho -Sorri cinicamente vendo seu sorriso falto se transformar em um de fúria.

-Parabéns, Jennifer! -Elliott disse. Pelo menos um tinha que mudar né?

-E como vai o Justin? -Blaine falou na maior cara de pau.

-Meu marido? -Sorri cínica. -Esta ótimo.

-Jennifer? Você pode vir aqui? -Bruce gritou de lá de dentro me salvando. 

-Um minuto! -Gritei de volta. -Foi um prazer revê-lós. -Sorri para Elliott. 

-Tem alguém que eu quero que você veja, você vai ficar muito feliz -Diane exclamou. -Mas deixe pra mais tarde. Venha, Jeremy esta chamando! Entre Blaine, Elliott. 

-Eu tenho que ir na casa da Aubrey, deixa pra próxima. -Ele sorriu. -Nós vemos por ai, foi um prazer vê-lá. -Ele sorriu pra mim e saiu andando.

-Eu vou amar entrar e ver o Justin, ele deve estar bem mudado, não é Jennifer? -Ela me olhou quando entravamos. 

-Muito mudado! -Falei com desdém. 

-Amor? -Justin disse coçando os olhos e descendo com uma bermuda jeans, e sem camisa. -Blair? -Eu simplesmente odiava o jeito que ele chamava ela, ele sempre fingiu não notar a forma que ela dava em cima dele e isso me irritava muito. 

-Justin, nossa. -Ela mordeu os lábios. -Você esta mesmo muito mudado. Eu senti saudades! -Ela disse e foi o abraçar. Cruzei os braços o olhando com fúria. 

-Jenni? -Bruce apareceu na sala. -Eu estou te chamando a horas.

-Já vou! -Exclamei irritada.

Bruce queria minha ajuda pra pegar algumas coisas em cima da geladeira enquanto ele colocava no liquidificador pra ver se estava funcionando corretamente. Ele podia muito bem fazer isso, por que ele simplesmente não fez? Eu em.

-Sei que você não gosta nenhum pouco de Blaine, por isso lhe chamei. Ela adora provocar as pessoas, nunca mudou nada. -Bruce disse olhando Blaine que praticamente se jogava pra cima de Justin lá na sala, e o safado ainda sorria pra ela com aquela cara de tarado dele.

-Ela me irrita, sempre me irritou. -Exclamei irritada. 

-Não fique assim, querida -Diane apareceu na sala e eu assenti rolando os olhos. -Me ajuda com o almoço?

-Claro! -Sorri.

Eu sempre gostei muito de Diane, quando eu passava as férias da escola aqui era as melhores, ela sempre cuidou muito bem de mim, me escultava e me dava conselhos sobre seu neto. Eu costumava contar todos meus segredos pra ela, lembro de muitas vezes chorar em seu colo por ver Justin beijando as garotas aqui na fazenda. 

Flash Back On

Como eu poderia ser tão idiota? Droga, eu já tenho quatorze anos e preciso urgentemente parar de chorar por quem não me merece. Mais uma vez eu chorava no colo de Diane porque vi o amor da minha vida beijando outra garota.

-Quando ele vai notar que eu amo ele, Diane? -Eu funguei enquanto as lágrimas caiam sem parar, ela afegava meus cabelos e algumas vezes até ria com as coisas que eu falava de Justin. 

-Você tem que contar, assim ele nunca saberá. -Ela suspirou, talvez cansada de me dar tantos conselhos sobre Justin e eu nunca seguir nenhum deles.

-Eu já joguei tanta indireta, já falei tantas coisas, mas ele é um tapado e não percebe. -Disse mais uma vez triste, me levantando e olhando ela. 

-Meu amor, você precisa entender que garotos são assim... Eles nunca vão perceber nada até você contar. Tente conversar com ele e conte pra ele. -Ela sorriu e logo a nossa atenção foi pra porta. 

Justin entrou todo feliz se jogou no sofá abraçando-me pelo ombro e abraçando sua vó. Fazia exatamente uma semana que havíamos se beijado, desde então ele veio me ignorando e me evitando o que machucava bastante já que eu dei meu primeiro beijo com ele.

-A vida é bela. -Ele exclamou feliz me dando um beijo na bochecha.

-Por que esta tão feliz assim? 

-Peguei duas garotas, vovó -Justin disse feliz, Diane deu risada mas logo me olhou percebendo o meu olhar. 

Fiquei quieta me acostumando com isso, ele nunca gostaria de mim, ele nunca me daria bola, ele era Justin Bieber todas garotas queriam ele. Ele só me via como melhor amiga enquanto eu o via como o amor da minha vida. 

-Não esta feliz por mim, Jenni? -Ele disse rindo e eu levantei do sofá correndo e chorando.

FlashBack Off

Eu encarava Justin rindo na sala com o que Blaine falava, eu nem queria saber o que era, nem tinha vontade. Eu dava as coisas que Diane pedia pra fazer o almoço. Ela me colocou pra fazer uma sobremesa e assim eu fui fazer uma torta de chocolate, tanto fazia pra mim, eu estava ocupada tentando ter mais memórias de quando eu tinha quatorze anos, que foi a melhor época da minha vida. 

Sem duvidas. 

Coloquei a torta na geladeira assim que pronta, fiquei escorada no balcão olhando o chão, eu não me sentia bem e nem me sentia mal. Eu sempre tive medo de que Justin encontrasse alguém melhor que eu, o que não deveria ser muito difícil já que qualquer pessoa é melhor que eu. Eu posso muito bem não ter falado pra ele e nem pra mim, mas, eu nunca me esqueci da forma que ele olhou a menina que estava cuidando das crianças na festa do filho do amigo de Justin, eu nunca me esqueci da forma que os olhos dele brilharam, foi como a primeira vez que dissemos "eu te amo" um para o outro, os olhos dele brilharam da mesma forma. Os olhos dele não brilhavam mais assim comigo. Senti olhares caindo sobre mim. Olhei na direção em que Justin estava mas ele continuava conversar com aquela garota insuportável. Diane, Bruce.

-Querida, não precisa ficar assim. -Ela sorriu e eu sorri forçadamente. -Você se lembra de quando vinha deitar no meu colo porque Justin estava beijando outras garotas?

Assenti sorrindo e ela também sorriu largando as coisas, secando as mãos e logo vindo me dar um abraço no qual eu correspondi forte. Ela afegou meus cabelos e se separou de mim sorrindo, sorri de volta. Voltei a ajudar ela nas coisas e logo colocamos a mesa. Fiquei olhando ela colocar as coisas na mesa.

FlashBack On

Depois de eu ter subido correndo e chorando eu me deitei na cama começando a soluçar, eu sei, sou uma tola por estar chorando por esse idiota. Mas qual é? eu nunca vou poder fazer nada. Escutei batidinhas na porta e tentei limpar minhas lágrimas.

-Pequena, por que você esta chorando? -Ele disse e eu não respondi- Me conta, Jennifer -Justin disse acariciando meu cabelo. -Me conta quem quebrou seu coração que eu quebro a cara dessa pessoa. -Ele disse e eu o encarei.

-Vai se bater? -Ele franziu o cenho. -Esse garoto começa com a letra J, sabia? E a ultima é N! -Eu praticamente gritei.

-Não sei. 

-JUSTIN BIEBER VOCÊ É UM TOLO, SAI DO MEU QUARTO AGORA.

Ele me encarou assustado e saiu do quarto enquanto eu jogava diversas almofadas em sua direção, logo ele saiu do quarto e eu deitei na cama voltando a chora. Por que ele tinha que ser tão idiota assim? Por quê?

FlashBack Off

Ajudei Pattie a colocar as coisas na mesa e logo Pattie chegou com Jeremy, todos foram lavar as mãos mas logo voltaram sentando em seus devidos lugares. Blaine se sentou e eu a encarei com fúria, essa garota mal apareceu e já ta me causando problemas. Justin estava sentado ao lado de Blaine, eu estava entre do lado de Pattie que era de frente pro Justin, Liv estava do lado do pai e conversava animadamente, Dianne e Bruce estava sentando do lado de Jeremy. A cadeira ao meu lado estava vazia. 

- Vô? Vó? -Escutei uma voz e eu arregalei os olhos. 

-AI MEU DEUS! -Exclamei vendo a figura aparecer na cozinha. -EMMETT, MEU AMOR! -Eu gritei saindo da cadeira e saindo correndo pulando no colo do meu amor platônico.

 Emmett é um primo de Justin que vive aqui na fazenda morando com Diane e Bruce depois que seus pais morreram. Eu gostava dele quando amava Justin, digamos que eu tinha um amor platônico por ele e as vezes eu ficava com ele.
 -Eu não to acreditando, senti tanto a sua falta. -Eu mordi os lábios tentando reprimir um grito.

-Amor da minha vida! -Ele disse me rodando no ar. -Eu senti a sua falta também. Me diz que você veio morar aqui? -Ele disse fazendo biquinho, eu costumava beijar ele quando ele fazia isso. 

-Não -Fiz biquinho também. -Eu vim passar um tempo aqui. Vem, vamos almoçar! -Disse o puxando pelo braço. Só agora tinha percebido a força raivosa que Justin me olhava. Dane-se ele tava praticamente se agarrando com aquela puta e agora fica me olhando com ciumes? ah que idiota. Tirei comida pra Emmett e ele sorriu.

-Obrigada, vida. 

Tudo bem, talvez ele esteja passando só um pouquinho dos limites com esses apelidos carinhosos, mas dane-se. Sorri pra ele que sorriu pra mim. Eu comecei a ficar com Emmett depois que tentei dar dicas para Justin e ele nem sacou, logo estava pegando outras. Mas eu não deixei barato e peguei o primo dele, o qual eu quase tive momentos íntimos, mas tudo bem. Emmett e eu comemos conversamos e eu sentia o olhar pesado de Justin sobre nós. Assim que terminamos de comer ele quis me levar pra passear na fazenda e eu aceitei. Conversei com ele e contei tudo de mim e de Justin e ele riu, alguma vez ou outra ele jogava algumas cantadinhas em mim. Depois de tanto andarmos paramos na cachoeira, a mesma que eu e Justin nadávamos a alguns anos atrás, a mesma que Justin assumiu gostar de mim. 

 -Eu ainda gosto de você, sabia? -Ele disse rindo nervoso e coçando a nuca. -Nunca deixei de amar.

-Emmett. -Eu disse um pouco assustada.

-Eu sei que você não gosta de mim e muito menos pensou em mim todos esses anos, mas você não sabe o quanto foi doloroso ver você ir embora prometendo voltar pra mim e quando voltou, voltou com uma filha. -Ele disse mordendo os lábios olhando pra baixo.

-Me desculpa, Emmett... Por tudo que eu causei mas eu sempre gostei dele, só nunca disse pra ninguém, apenas pra Diane. -Entortei a boca. -Me perdoa.

-Tudo be... Deixa isso pra lá, já passou. Você está gravida mesmo? -Ele disse me olhando. Justin tinha deixado bem claro isso no almoço. 

-Sim. -Sorri automaticamente.

-Nossa! -Ele sorriu. -Parabéns. -Ele sorriu e eu assenti. 

-Obrigada, vamos voltar?

Voltamos pra fazenda e continuamos conversando. Justin e Liv brincava na piscina que ali tinha. Justin brincava com Liv e ela gargalhava. Emmett se despediu de mim dizendo que tinha que cuidar dos cavalos e eu apenas assenti. Tirei o chinelo e sentei na borda da piscina. Justin deixou Liv na boia e veio se enfiando no meio das minhas pernas. 

-Eu odiei te ver de gracinha com o Emmett. -Ele disse me encarando, bravo?

-Você estava com a Blair -Imitei uma voz irritante e ele gargalhou. -E nem por isso eu te disse nada! -Disse encarando-o. Ele riu e deu um tapa de leve na minha perna me puxando pra um selinho, inclinei minha cabeça e lhe dei um selinho.

-Estávamos apenas conversando, ciumenta. -Ele disse e por fim revirou os olhos. Gargalhei sarcástica revirando os olhos. 

-Conversando? -Foi uma pergunta recíproca. Ele me encarou assentindo.- Por Deus, Justin! -Disse o olhando. -Essa garota sempre foi louca por você, sempre deixou bem claro que iria ficar com você de uma forma ou de outra.

-Mas ela não esta, então pronto! Não tem porque você ficar com esse ciumes ridículo. Vinhemos passar férias aqui e ficar longe de todos os problemas que Stratford nós trás. Tyler, Anne, Tracy... Porra Jennifer! Você sempre arruma um jeito, viu? 

-Ciumes ridículo? Ciumes ridículo é você que esta do seu primo. Ta colocando a culpa em mim por que, Justin? Era pra ser tirar férias dos problemas não era? -Ele assentiu. -E por que você fica dando corda pra primeira que aparece?

-Eu não tava dando corda. Se toca, Jennifer! Eu estava sim com ciumes de você e do Emmett, até porque você e ele ficavam, não era? -Assenti sorrindo cínica. -Tira esse sorriso sínico do rosto, eu simplesmente odeio isso.

-Azar o seu. Idaí que a gente ficava? Você também ficava com Blaine, na verdade com quem você não ficou dessa fazenda né, Justin? É tão difícil achar alguém que você não tenha ficado. -Eu disse revirando os olhos e tirando as mãos dele da minha perna e em seguida me levantando. -Cuida da Liv, que ela ta quase morrendo ali.

Ele me encarou me repreendendo com o olhar mas tudo o que eu fiz foi entrar pra dentro de casa. Subi pro quarto e procurei meu celular mas não achei, desci e o encontrei em cima da estante da televisão. Peguei o mesmo e fui andando pra perto da piscina. Justin percebeu minha presença mas tudo o que eu fiz foi me sentar no murinho dali. Liguei pra Carla e não demorou muito pra que ela atendesse.

-Jennifer? Oi, amiga.

-Oi, Carla. -Sorri automaticamente. -Tudo bem por ai?

-Claro. E por ai? E alias, porque você foi sem se despedir, poxa, Jennifer. 

-Desculpa, foi tudo de ultima hora. Sabe como, Justin é né? -Ela murmurou um sim. -Então, tem como segurar as pontas no atelie até eu voltar?

-Claro, mas por quanto tempo você vai ficar? Seu aniversario é daqui a algumas semanas.

-Bom, talvez eu não vá passar ai... Me perdoa. -Mordi os lábios. -Justin queria dar um tempo nos problemas, sabe? 

-Claro, pode deixar que eu vou cuidar de tudo por aqui, e eu acho melhor mesmo você passar um tempo ai, você só fica estressada e isso pode te fazer mal. 

-Bom, pois é... Mas sabe como é né? Sempre tem coisas pra atrapalhar.

-Do tipo?

-Do tipo inimigas de infância! -Eu disse como uma adolescente a fazendo rir.

-Isso soou meio adolescente. -Ela riu novamente e eu a acompanhei.

-Mas eu sou adolescente ainda. Eu tenho dezenove anos ainda. -Eu disse e ela riu.

-Com seu segundo filho, ah claro, adolescente. -Ela disse me fazendo rir- Vinte daqui a algumas semanas. 

-Você não precisa ter me lembrado -Disse visivelmente magoada.

Afinal, eu sairia da minha faze de juvenil e entraria na minha faze adulta -o que claro, eu tive que ser forçada a entrar nessa fase quanto tive meus dezesseis anos por causa da minha filha- Mas de um jeito ou de outro, eu não gostava... Não queria fazer vinte anos, já pensou daqui a dez anos eu estou com trinta? Isso vai ser o fim.

-Ah para -Ela riu. -Você sempre muito dramática. -Ela disse e eu previ que ela havia revirado os olhos, qual é? Eu conheço minha melhor amiga. -Veja pelo lado bom, você vai se tornar oficialmente uma adulta.

-Isso é o lado mal. -Eu murmurei e ela riu.

-MÃE, VEM AQUI? -Liv me gritou da piscina e eu fiz sinal com a mão para que ela esperasse.

-Liv? já estou com saudades da minha pequena. -Ela disse e eu ri.

-Eu vou ter que desligar, sabe como é né? Eu te ligo qualquer hora.

-Ok amiga, e pode ficar despreocupada em questão ao atelie eu vou cuidar direitinho.

-Ok amiga, obrigada! Beijos te amo.

Caminhei até a piscina em passos lentos. Liv estava desconcentrada brincando com o pai que as vezes a afundava na piscina. Eu amava vê-los brincando dessa forma, é sempre bom ver o sorriso no rosto da minha filha. Ela já tinha sofrido tanto no passado, seu pai nunca tinha tempo pra ela porque ia as baladas e ainda ela tinha que ver as cenas de sua mãe sendo espancada pelo próprio pai, e eu odiava isso. Agora pelo menos seu pai havia mudado e tinha tempo pra ela e ela nunca mais tinha visto seu pai espancado a mãe, isso já um bom começo. Mas ainda tinha que ver as brigas constante, isso pra uma criança deve ser péssimo, é como se entrasse na cabeça dela que a qualquer hora o passado frio, escuro e atormentador voltasse novamente, mas se fosse por mim nunca mais voltaria. Eu nunca mais deixaria Liv ver isso, nunca deixaria Math passar por tudo que a irmã passou, isso deve ser assustador. Eu já provei isso. 

Meus pais costumavam ser bastante unidos mas como todo casal eles brigavam, e isso quando acontecia para mim era atormentador, eu era uma criança e não sabia como reagir a tipo de brigas dessa forma. Mas meu pai nunca foi como Justin, ele nunca bateu na minha mãe -Não que eu não soubesse- a qual é? Eu sei que meu pai nunca fez isso com a  minha mãe, ela é totalmente diferente de mim teria ido embora no primeiro momento. Fui tirada dos meus pensamentos quando fui acertada com um jato de água. 

-LIV! -A repreendi enquanto o pai dela ria igual uma criança.

-Foi o papai que mandou mamãe. -Ela disse tentando esconder a risada levantando a mão em defensiva. 

-Tinha que ser. -Disse revirando os olhos e encarando minha blusa cheia de agua.

-Você estava no mundo da lua, eu não posso fazer nada.

-Mamãe, entra na piscina?

-Ah,  não filha, e já esta na hora de você sair.

-Para de ser chata, Jennifer. A gente acabou de entrar, olha o sol que ta. Temos que aproveitar já que no canada nunca faz sol.

Revirei os olhos e entrei em casa e subi procurando um biquíni na mala, peguei um que a parte de cima era tomara que caia da cor azul bebê a parte de baixo era preta com um babado de cima. Me vesti e peguei um shorts do tecido leve mas que parecia jeans, ele tinha flores rosinhas claras e o shorts era branco. Coloquei e desci. Liv comemorou, prendi meu cabelo em um coque e me sentei na ponta da piscina passando protetor. Justin me encarou mordendo os lábios, fiquei um tempo tentando pegar uma corzinha e por fim entrei na piscina. Eu e Liv brincávamos na água e eu tentava ignorar as vezes que Justin chegava por trás me abraçando e me fazendo sentir a sua ereção. 

-Você está extremamente gostosa. -Ele disse sussurrando no meu ouvido de uma forma sexy. 

Virei pra trás o encarando, as gotículas de água caia sobre o seu abdômen definido me fazendo morder os lábios, seus lábios extremamente molhados e vermelhinhos me fazia querer beija-ló até o folego faltar. A forma que ele passava a mão no seu topete para me provocar me fazia querer pular encima dele, mas decidi ignora-l, afinal Liv estava aqui e ainda tinha Jeremy, Pattie, Diane e Bruce sentados na cadeira com roupas de banho. Subi nas costas de Justin e Liv ria enquanto brincávamos com ela, ela queria que queria que Justin também a levasse o que arrancava risada de todos. Pelo menos um momento bom estava acontecendo até agora. Nem Blaine mesmo (que acabou de chegar) vai acabar com esse momento. 

Eu estava nas costas de Justin e ele segurava minha perna com firmeza. Jeremy que tinha acabado de entrar na piscina com Pattie pegou ela também nas costas e acabamos na briga de galo, o que me fez cair primeiro que Pattie arrancando risada de todos dali, menos de Blaine que encarava tudo com raiva. Eu e Pattie conversamos enquanto víamos a cena de Jeremy e Justin brincando com Liv. 

-É tão vê-lós sorrindo. -Ela disse e eu sorri assenti- é tão bom ve-lós juntos. Você mais do que ninguém sabe que Justin nunca se deu muito bem com o pai.

-Bom, pois é. -Eu disse sorrindo- mas é passado, vamos pensar em outra coisa.

Ela sorriu assentindo e voltamos a conversar. Diane convidou Blaine pra entrar mas a mesma negou, vai saber. Passamos a tarde toda brincando na piscina e quando saimos entramos todos juntos. Diane fazia aquela torta de maça que só ela sabe fazer. Fomos repreendido por ela porque queríamos comer e depois se trocar. Tomei banho com Liv e depois Justin entrou e foi tomar também. Descemos depois de nos trocar e Jeremy e Pattie já estavam lá. Comemos a famosa e deliciosa torta de maça de Diane e eu acabei comendo uns cinco pedaços, o que fez Justin me repreender e Diane brigar com ele.

-Para de comer, tem gente ainda sabia? -Ele disse brigando comigo e eu assenti sem graça deixando o pedaço de torta que Diane tinha acabado de cortar pra mim encima da mesa. 

-Justin, deixa ela comer! -Diane brigou com ele.

-Desculpa, Diane. -Disse totalmente sem graça.- Com licença. 

Eu estava totalmente sem graça com aquela situação. Subi pro quarto e me deitei na cama. Justin entrou logo em seguida e brigou comigo falando que eu não estava na minha casa, eu apenas assentia concordando com tudo o que ele falava. Eu estava fraca demais pra falar qualquer coisa. Ele brigava comigo e meus olhos ficavam cada vez mais marejados. 

-Se troca que de noite vamos a uma festa daqui da fazenda.

Ele disse e saiu. Fiquei deitada na cama e logo Diane subiu avisando pra mim ir me arrumar e aproveitou pra dizer que eu poderia comer o que eu quisesse, o que me fez rir. Me arrumei colocando um vestido branco com alguns detalhes preto, cinza e branco. Coloquei a sandália verde(2).  Justin entrou e começou a se trocar logo quando eu estava colocando os acessórios. 

-Não precisa se arrumar toda, estamos em uma fazenda. -Ele disse rude e eu assenti.

Coloquei apenas duas pulseiras de ouro que eu havia ganhado de Pattie, um colar e brinco de argola. Justin terminou de se arrumar e desceu, logo desci atrás. Me elogiaram dizendo que eu estava linda e logo partimos pra festa. Todos da fazenda estavam ali. Tinha um homem no palco com uma voz suave e doce cantando no mini-palco que tinha ali. Blaine estava ali e assim que viu Justin puxou ele levando ele até o meio do salão onde tinha alguns casais dançando. Justin sorriu pra ela e colocou as mãos na cintura dela enquanto as dela estavam no ombro dele. Eu não falei nada muito menos fiz barraco, desde quando eu cheguei aqui eu comecei a ter medo, porque eu me senti diminuída e com medo de Justin me trocar por qualquer uma. Eu estou gravida e gorda, que chances que teria em competir com uma mulher magra e linda, então eu decidi ficar quieta... com medo de ir brigar e Justin se estressar e terminar comigo. Justin ainda dançava com ela e Pattie me olhava e as vezes eu olhava sorrindo pra que ela pensasse que eu não estava nem ai com aquela dança, mas o modo em que ela estava falando coisas no ouvido dele me estressava. Jeremy e Pattie acabaram levantando e indo dançar, Diane e Bruce também. Emmett veio me chamar pra dançar diversas vezes mas eu recusei todas. Liv estava dançando com uma garotinha filha da vizinha e eu olhava sorrindo pra ela. 

E foi assim a noite toda, Justin dançando com Blaine e eu sendo ignorada a noite toda. O que eu fiz? Eu não fiz nada, mas eu vou ficar quieta. 

Já estava tarde quando fomos pra casa. Jeremy carregava Liv no colo, Justin e Blaine estava lá na frente de braços dados e conversava. Ela se fingia de bêbada só pra ser carregada por ele. Chegamos na fazenda de Bruce.

-Vou deixar Blaine na fazenda dela. -Ele disse rude e eu assenti.

Subi pro quarto de Liv e troquei ela colocando um pijama na mesma enquanto ela dormia. Fui pro meu quarto e tomei um banho rápido colocando meu pijama. Fui pro quarto e Justin não tinha chegado ainda. Me deitei na cama e comecei a chorar, eu estava morrendo de medo. Blaine sempre fez de tudo pra me separar de Justin, e que chances eu teria agora gravida e gorda? Liguei pro Alex conversando com ele e chorei algumas vezes com as coisas que ele me falava, ele falava várias coisas tentando me fazer rir, mas no fim não ri de nada o que fez ele xingar Justin. Depois de alguns minutos desligamos e eu continuei chorando em silêncio, quando escutei passos no corredor eu funguei e fingi dormir. Justin entrou no quarto e logo escutei a porta do banheiro fechar. Depois de alguns minutos escutei o chuveiro ser desligado e a porta do banheiro sendo batida, a cama sendo afundada e ele se virando pro outro lado, de costa pra mim. Olhei pras costas dele e algumas lágrimas caiam até eu consegui pegar no sono.

♀♀

Nesse tempo que estivemos aqui Justin esta cada vez mais afastado de mim e cada vez mais próximo de Blair, duas semanas se passou e faz exatamente uma que Jazzy e Jaxon chegaram fazendo Liv feliz. E sim, hoje é meu aniversario. Não fui surpreendida por nenhum buque de flores, nenhum café na cama e muito menos por um parabéns. Justin não se lembrou, ninguém se lembrou. Diane e Bruce não se lembrou por eu não ter falado, Pattie e Jeremy também. Fiquei olhando as crianças chegarem na piscina e recebi telefone da Carla, Ryan, Chris, Chaz e Belle me desejando feliz aniversario, não disse pra nenhum deles que Justin e nem ninguém havia se lembrando, pelo contrario, eu menti dizendo que eles tinham feito uma festa pra mim. 

A noite chegava e Justin ainda não tinha aparecido. Eu estava deitada na cama e logo ele entrou me dando um beijo nas costas, como ele fazia toda noite. 

-Jennifer? -Ele me chamou me fazendo sorrir, talvez ele tenha se lembrado- Preciso te contar uma coisa. 

-Conta. -Eu disse visivelmente feliz e com um sorriso enorme no rosto. Ele coçou a nuca e meu sorriso ia desaparecendo cada vez mais quando eu percebia que boa coisa não era.

-Blaine me beijou. -E então meu mundo inteiro desabou, o que eu mais temia tinha acontecido. Meu sorriso havia se transformado em olhos marejados e boca totalmente seca. Meu queixo tremeu denunciando que eu iria começar a chorar. Minha mão tremia também- Mas eu não correspondi e nem deixei que ela me beijasse mais, foi apenas um selinho. Eu juro que não quis -Belo presente de aniversario.

-Tu-tu-tudo bem -Eu disse querendo chorar, Justin franziu o cenho e assentiu me dando um beijo na bochecha e indo pro banheiro.

Assim que ele entrou no banheiro eu comecei a chorar desesperadamente, ele esqueceu meu aniversario e ainda deixou que Blaine o beijasse. Escutei o chuveiro desligar e fechei os olhos e acabei dormindo.

Acordei e Justin não estava mais lá, coloquei um shorts com um pano leve e uma blusa leve também. Fiz minha higiene e desci e todos estavam na mesa tomando café, dei bom dia a todos e me sentei começando a comer. Comi apenas um pão e um copo de suco. Eu estava faminta mas vai que Justin briga comigo?

-Jennifer, estávamos querendo fazer uma festinha pra você. Eu estava conversando com Bruce.. -Diane porque você tem que meter logo essa? eu olhei pra ela sorrindo nervosa vendo seu sorriso doce. 

-Ah, não precisa. -Eu disse totalmente sem graça.

-Claro que precisa, é seus vinte anos. Quando você completa? -Ela disse me fazendo abaixar o olhar, olhei pra Justin e ele esperava minha resposta assim como todos dali. -Em querida?

-Eu já completei Diane -O olhar de todos focaram em mim, boquiabertos, Justin olhou pra mim com os olhos arregalados, meus olhos marejaram ao lembrar como esperei ontem que alguém se lembrasse.- Ontem... -Eu disse e Justin olhou de boca aberta pra mim. 

-Jenni... -Justin disse tentando falar algo...

-Não, tudo bem... -Eu disse tentando sorrir.

-Oh meu Deus. -Diane e Pattie falaram em coro e eu sorri sem graça.

-Amor... -Justin tentou falar alguma coisa, notei que seus olhos estavam marejados. As minhas lágrimas ameaçavam cair.

-Ta tudo bem gente, não é como se o mundo fosse acabar porque vocês esqueceram -Eu disse e minha voz falhou no final e duas lágrimas cairão.-Com licença.

Eu fui pra piscina e fiquei alguns minutos ali com os pés na água. Diane, Bruce e Pattie veio conversar comigo se desculpando e dando feliz aniversario atrasado. Jeremy também veio e ficou uns minutos ali conversando comigo me fazendo rir. Todos decidiram ir pra cidade fazer compras, menos Justin. Ele veio até mim caminhando em passos lentos e se sentou do meu lado, olhei pra ele tentando sorrir. 

-Amor... me descu..-Ele tentou falar mas eu interrompi colocando o dedo na sua boca. 

-Não precisa pedir desculpas. -Eu disse tentando convence-ló que eu estava bem, mas na verdade eu estava quebrada, não só porque esqueceram, mas sim por Justin ter se afastado de mim todo esse tempo. 

-Claro que preciso amor, eu sei muito bem como é isso. Me desculpa por favor, eu sei que desculpas não vai adiantar mas é a unica coisa que eu posso fazer por você. Nós podemos sair pra comemorar, o que você acha?

-Justin meu aniversario foi ontem, não a nada pra comemorar hoje. -Eu disse fazendo seus olhos ficarem perdidos. 

-JUSTIN? AMOR! -Blaine apareceu na área da piscina e eu olhei pra Justin fazendo ele me olhar também. 

-Ele não é o seu amor. Ele é meu marido! -Eu disse me levantando cansada de todo aquele show. Eu estava cansada de ficar quieta cada vez que aquela vadia aparecia falando como se Justin fosse o marido dela e não meu. Ela me olhou e começou a rir.

-Não foi o que ele me disse ontem sabe? -Ela disse rindo e eu olhei pra Justin que estava com o cenho franzido- Como foi mesmo Justin? a é, trair Jenni com você é a melhor coisa que eu já fiz.

-PARA DE MENTIR SUA VADIA -Justin explodiu a fazendo o encarar assustada.-Desmente essa porra agora ou eu acabo com a sua vida. -Ele chegou perto dela e com uma mão fez um rabo de cavalo no seu cabelo puxando 

-Eu estou apenas brincando, Jenni. -Ela sorriu sínica mas no fundo eu sabia que ela estava assustada.

Eu suspirei tentando me fazer tentar tirar força da onde não tinha. Puxei Blaine pelo cabelo e a joguei no chão começando a dar tapas na sua cara e arranhar a mesma, eu descontava nela toda a dor que eu senti nesses últimos dias, eu descontava até mesmo toda a raiva que Anne já tinha me feito passar, elas são duas vadias que poderiam se unir. Quando eu dei por mim eu já dava murro na cara dela e ela tentava se defender. Foi como no colegial quando eu bati nela na mesma intensidade e pelo mesmo motivo, ela sempre foi assim ela sempre deu encima de Justin, o que me fez bater nela quando eu tinha quatorze anos. Justin tentava me puxar mas eu já estava completamente perdida, eu só sabia bater nela. Justin por fim conseguiu me puxar e eu ainda me esquivava e dava chutes na barriga dela que estava jogada no chão reclamando de dor. Eu nunca bati na Anne porque eu sei o quanto ela é forte e pode machucar meu filho, mas na Blaine era diferente, eu sempre soube que ela é frouxa e não sabia se defender. Me soltei de Justin e puxei Blaine pelo cabelo a arrastando a caminho da piscina onde eu a joguei enquanto ela gritava me xingando de vários tipos de nome. Ela gritava de dor também pelos machucados que eu fiz em sua cara. Ela estava completamente desconfigurada e eu gostei de fazer isso, seu nariz sangrava assim como sua boca. Ela saiu da piscina completamente sem força e eu notei que metade da água transparente já estava vermelha de sangue.

-VOCÊ VAI ME PAGAR SUA VADIA. -Ela gritou e eu sai correndo pra bater nela, ela me encarou assustada mas antes de eu conseguir fazer algo nela Justin havia me puxado- E VOCÊ VAI ME PAGAR JUSTIN, ME PAGAR POR NÃO TER SEGURADO ELA. -Ela disse chorando e saiu mancando dali.

-Você ta bem? -Justin disse me olhando sorrindo, talvez orgulhoso. 

-Você tem que perguntar isso pra ela -Eu disse visivelmente brava- Ela não encostou um dedo em mim.

-Minha garota brava -Ele disse me puxando e agarrando minha cintura. -Me perdoa por ter esquecido... eu estava organizando algumas coisas, passei a tarde inteira no shopping com a cabeça cheia e acabei esquecendo.

-A tarde inteira no shopping com a Blaine. -Disse revirando os olhos.-Mas tudo bem, Justin.

-Para amor, eu sei que não ta bem. -Ele disse me dando um selinho- Eu não estava com ela no shopping, eu fui compras roupas pro Math -Ele disse encarando o chão- Eu queria fazer uma surpresa pra você... eu fui com o Emmett. -Ele disse e eu arregalei os olhos- Eu vi a Blaine aqui de noite quando eu cheguei -Ele disse e eu assenti olhando o chão e ele suspirou- Não tem nada que eu possa fazer pra você ficar feliz e tentar esquecer que eu esqueci o dia mais especial pra você? 

-Justin... amor, não precisa ficar assim. -Eu disse e ele assentiu com os olhos marejados- Você não vai chorar né? -Eu disse rindo e ele negou sorrindo fraco.

-Semana passada eu tava organizando uma surpresa pra você -Ele disse mordendo os lábios- Eu comprei uma nova casa para nós morarmos... -Ele disse e eu imediatamente olhei pra ele- Pra esquecemos tudo o que aconteceu no passado, eu estava mobiliando a casa, passei todo esse tempo longe de você porque estava ocupado falando no telefone com mil pessoas -Ele riu fraco- eles estão preparando nossa casa. Eu já tinha preparado a surpresa do seu aniversario, e eu estava ansioso... mas eu acabei esquecendo.

-Eu não acredito que você comprou uma casa nova.

-Pois é...

-O que é a surpresa?

-Eu tava organizando as coisas porque o aniversario do nosso casamento esta chegando, eu queria fazer uma festa, tipo um segundo casamento sabe? mas sem igreja, sem vestido de noiva... mas direito a lua de mel -Ele me olhou- Liv concordou em ficar um tempo com meus pais e minha mãe gostou da ideia de que Math poderia ficar também. Alias, meus pais compraram nossa casa, eu sei que tivemos momentos ruins ali mas também tivemos bons e eu não queria vender pra qualquer pessoa, então vendi pros meus pais. -Ele disse e uma lágrima caiu de seus olhos- Eu juro que não queria esquecer amor... Eu preparei algumas viagem pra nós fazermos juntos. Eu queria viajar pro México em Cancún, comprei nossos ingressos, para o spring break... -Um sorriso se formou no meu rosto- Eu comprei nossa passagem para Las Vegas também e reservei nosso hotel lá... Bom, nosso filho vai nascer da qui a mais ou menos três meses e ele nasce em outubro, então eu queria fazer a viagem em novembro. Poderíamos finalizar nossa lua de mel em Paris, ou Dubai com nossos pais e nossos filhos. Em seguida partiríamos pra Disney realizar o sonho de Liv e depois poderíamos passar o natal na nossa nova casa... O que acha?

-Justin... mas isso tudo é muito caro.

-Amor, você sabe que eu tenho dinheiro de sobra -Ele disse sorrindo- Qual é amor? Por favor... é tudo o que eu quero, imagina? Las Vegas, cassinos, baladas... Apenas nós dóis meu amor. 

-E o Math? ele precisaria de mim. -Eu disse tentando conter a felicidade.

-Amor o Math ficaria em boas mãos. -Ele disse sorrindo- Por favor, Jenni?

-Como eu vou poder recusar?

-Sério?

-Sério. E eu perdoo por você ter esquecido o meu aniversario -Eu disse sorrindo e lhe dei um selinho. -Eu te amo.

-Eu te amo.


Notas Finais


Enfim, é isso. Obrigada, beijinhos ♥♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...