História Drug Of Love - Capítulo 56


Escrita por: ~

Postado
Categorias Barbara Palvin, Justin Bieber
Personagens Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Pattie Mallette
Exibições 426
Palavras 4.832
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Crossover, Famí­lia, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Vamos lá, esse capitulo me destruiu por INTEIRA. Eu quero que vocês prestem atenção no que eu vou falar.
1: PRESTEM MUITA ATENÇÃO NAS FRASES EM ITALICO E NEGRITO, essas frases vai ser tipo uma chave do que irá acontecer nos próximos capítulos.
2: LEIAM ESSE CAPITULO ESCUTANDO TEARDROPS ON MY GUITAR E AMNESIA :Essas musicas tem muito a ver com o capitulo.
3: DESFRUTEM MUITO DESSE CAPITULO
NÃO ME MATEM, SÓ PEÇO ISSO :)
BEIJOSSSSSS ♥

Capítulo 56 - Era o Pior Dia


Fanfic / Fanfiction Drug Of Love - Capítulo 56 - Era o Pior Dia

Stratford/Canada
12:25 PM
Justin P.O.V

1 ANO DEPOIS

-Hoje ela chega de viagem. -Disse tocando sua mão.

Ela apenas me olhou e assentiu voltando seu olhar para o milk shake. Muita coisa tinha mudado. Carla e Ryan estavam bem mesmo com as brigas que tinham de vez em quando. Carla nunca mais falou com a Jennifer e eu me lembro vagamente quando Jennifer foi atrás dela e ela a expulsou de sua casa. Nos últimos meses Jennifer tem ido a várias viagens e tem desaproximado de todos nós e principalmente de seus pais que também viraram a cara pra ela. Carla fez com que Ryan também virasse a cara pra Jennifer e eu até hoje não entendo o porquê. Chris viajou para o Brasil com Liza para conhecer os pais dela e Chaz continua o mesmo bobão de sempre só que agora faz dupla com Bella.

Quando eu digo que as coisas mudaram eu não estou brincando, eu posso ter cometido a maior besteira da minha vida, ou não. Eu me apaixonei por Ju, eu fiquei cada vez mais próximo dela e quando eu e Jennifer brigávamos quem me consola-vá é ela. Todas as vezes que estou mal eu só consigo dividir meus problemas com ela. Ela não deixa escondido que também gosta de mim. Nunca demos nem se quer um selinho porque eu queria ter certeza de que eu estava mesmo a amando. E tive a comprovação de quando vi Jennifer chegando de viagem e não senti vontade de nada, nem ao menos a beija-lá era como se eu estivesse traindo Ju. Sempre quando eu tentava roubar um beijo de Ju ela dizia que primeiro eu tinha que resolver minha vida pra depois fazer isso.

E eu sabia que ela estava certa. Ela era uma garota incrível, não é atoa que eu me apaixonei de verdade por ela.

Eu e Ju estávamos em um clima horrível porque era hoje que eu iria terminar com Jennifer pra me juntar a ela e ela se sentia culpada.

-Não fica assim. -Disse tocando a maça de seu rosto e ela apenas me olhou e sorriu fraco.

-Eu me sinto uma traidora. -Disse e eu neguei- Ela vai sofrer muito.

-E eu vou sofrer mais ainda se eu não ficar com você.

-Justin vocês estão juntos desde crianças e agora você vai se separar dela por causa da idiota aqui.

-Amor... -Ela me olhou repreendendo- Ju, eu gosto de você agora... Eu não posso ficar mais me engando nem a enganando, entende?

-Ela vai ficar destruída. 

-Ela vai encontrar alguém melhor.

-Como se ela te ama Justin? -Ela disse e uma lágrima saltou de seus olhos.

-Ju... não chora. -Disse secando sua lágrima.

-Vocês tem filhos juntos e eu estou estragando sua vida.

-Você está tornando minha vida melhor.

-Justin... Temos que buscar Math e Liv na escola. -Ela disse se levantando e pegando seu milk shake.

-Tudo bem, vamos.

Toquei sua mão e era a primeira vez que ela havia deixado, sorri abobado e caminhamos até o carro. Assim que entramos eu dei partida dirigindo para a escola das crianças. 

Por mais que eu dissesse para Ju que eu queria mesmo ficar com ela eu não podia negar meus sentimentos por Jennifer, todos esses anos ela tinha sido a mulher da minha vida que mais tinha me segurado a mulher que nunca me trocou e perdoou todos meus erros... mas agora era eu quem ia a trocar. Eu não ficava nada feliz com isso e sentia medo de falar com Jennifer, eu sabia o quanto ela me xingaria, choraria e gritaria e isso me deixava assustado. Mas era o melhor a fazer.

Depois de buscar as crianças deixei Ju em casa e fui em direção a minha casa sentindo meu coração bater forte. Deixei as crianças na casa da minha mãe dizendo que teria uma conversa com Jennifer. Assim que pisei os pés em casa vi suas malas na sala e meu coração disparou, droga porque algo dizia que oque eu iria fazer era errado?

Subi as escadas e entrei no nosso quarto vendo ela jogada na cama olhando seu celular. Assim que ela viu ela abriu um sorriso enorme e veio correndo em minha direção pulando em meu colo.

-Cara eu senti tanto sua falta. -Ela disse enchendo minha bochecha de beijos e eu apenas assenti- O que foi amor? Não sentiu a minha falta? -Ela disse descendo do meu colo. 

-A gente precisa conversar Jennifer...

-Diz amor...

-Jennifer, eu nem sei como e por onde começar a te contar isso. -Disse coçando minha nuca.

-É tão sério assim? -Ela perguntou risonha e eu assenti.

-Eu quero que você entenda que eu quero o bem de todos e não quero te machucar.

-Ai Justin, você está me assustando.

-Eu não quero que fique ruim entre nós, quero manter você sempre por perto.

-O que foi? Me conta logo.

 -Primeiro eu quero que você saiba que tudo o que passamos foi magico, foi incrível e eu amei passar todos esses anos com você mas eu me enganei sobre meus sentimentos... -Eu disse sentindo que oque eu estava falando era mentira.

-O que foi? O que você quer dizer com isso? ai meu deus... não pode ser o que eu to pensando. -Ela disse e seus olhos encheram de lágrimas.

-Jennifer não podemos mais continuar. Acabou. -Disse vendo as lágrimas caindo de seus olhos.- Todas essas suas viagens separaram a gente mais ainda e eu não quero continuar algo onde eu não me sinto bem, entende?

-ENTENDER? COMO VOCÊ QUER QUE EU ENTENDA? AI MEU DEUS. -Seus olhos se fecharam a começaram a cair mar de lágrimas. -MINHAS VIAGENS NUNCA ATRAPALHOU NÓS DOIS, NÃO INVETE DESCULPAS POR CIMA DISSO... Céus, eu não... -Ela disse e olhou pra mim- Você se apaixonou por outra não foi?

-Não...

-NÃO FOI? COMO NÃO FOI JUSTIN? EU TE CONHEÇO, NÃO MINTA PRA MIM PELO AMOR DE DEUS, VOCÊ SÓ PODE ESTAR FICANDO LOUCO.

-Me apaixonei pela Ju. -Disse rápido e ela fixou seu olhar na parede. 

-Céus... Eu não acredito. -Ela disse fechando os olhos com força- PARA DE MENTIR PRA MIM DESSA FORMA JUSTIN, ME DIZ QUE É MENTIRA ME DIZ QUE VOCÊ ESTÁ FICANDO LOUCO, ME DIZ QUE NÃO É ISSO. EU NÃO VOU AGUENTAR. -Ela disse se ajoelhando nos meus pés.

-Me desculpa... -Disse olhando para o chão.

-TE DESCULPAR? -Ela disse e começou a rir ainda chorando- E TODOS OS "EU TE AMOS" JUSTIN? TUDO NÃO PASSOU DE UMA MENTIRA NÉ? DEVE TER SIDO ENGRAÇADO BRINCAR COM A CARA DA OTÁRIA AQUI.

-Eu não pude evitar...

Eu não sabia dizer o quanto estava me sentindo mal pelo o que eu estava falando pra ela... Eu estava me colocando no lugar dela e estava me sentindo mal por ela. Ela olhou para o chão enquanto as lágrimas caiam sem parar e eu apenas fixava meu olhar no dela. Ela colocou a mão sobre o peito como se estivesse doendo.

-Me diz que é mentira, por favor... diz que é uma das suas brincadeiras que você sempre fez. Justin você não pode deixar tudo morrer aqui, você não pode me trocar por outra garota, você não pode acabar com nosso casamento dessa forma.

-Jennif...

-Me diz por favor, me diz que tem um jeito de concertar tudo isso? me diz Justin. Eu faço o que você quiser, eu juro que faço.

-Não tem nada que você possa fazer.... aconteceu.

-Eu sabia que isso iria acontecer... -Ela disse olhando pra mim. -Céus esta doendo tanto. -Ela colocou a mão na boca começando a chorar.

Eu sentia vontade de chorar.

-Você prometeu...

-Me desculpa. -Eu disse olhando pra ela. 

-Não peça desculpa sobre algo que é impossível pra mim. -Ela disse e abaixou a cabeça.- Eu não acredito que você ta acabando comigo dessa forma, VOCÊ É UM IDIOTA JUSTIN, UM MENTIROSO, TRAIDOR! VOCÊ NUNCA CUMPRE O QUE DIZ. -Ela gritou dando socos no meu peitoral.

-JENNIFER, CALMA. -Eu segurei seus pulsos- Fazer isso não vai mudar em nada.

-Diz que é mentira...

Ela sussurrou acabada com as lágrimas caindo sem parar. Aquilo me matou por dentro. Eu apenas abaixei a cabeça.

 -Você acabou com a minha vida Justin. Você tirou tudo de mim até se separando de mim. -Ela disse e levantou meu queixo fazendo a olhar- Eu me sinto perdida agora, sem você. Você estragou tudo, estragou todos os planos de vivermos juntos até o fim. -Ela deu de ombro.- Eu me sinto uma idiota por tudo o que fiz por você. E doí sabe? dói porque eu sempre achei que seriamos apenas você e eu e nunca iriamos separar. Agora como eu vou encarar o dia sem você? -Ela derramou uma lágrima- O que eu vou fazer sem você? o que eu vou fazer sem amigos, sem família. O que eu vou fazer? Eu não vou poder me apaixonar por mais ninguém porque eu nem ao menos vou conseguir porquê minha promessa pra você foi sempre te amar e ela vai continuar em pé. Até porque quem iria se apaixonar por mim? uma mulher com dois filhos nas costas pra cuidar, não que eles seja um peso porque eu amo meus filhos mas eu não vou mais ter a oportunidade de me apaixonar por ninguém. -Ela disse e fechou os olhos enquanto as lágrimas caiam.- E o medo de você voltar sempre vai prevalecer, mesmo sabendo que você não vai mais voltar, mas é que todas as vezes que nos separamos você sempre voltou então eu tenho medo. Mas eu desejo a mim mesma que eu não me apaixone por mais ninguém... porque se for pra passar por tudo isso de novo eu prefiro estar morta.

-Não diz...

-DIGO, DIGO SIM! -Ela me olhou e respirou fundo- Se põe no meu lugar, se fosse eu fazendo isso com você e colocasse Tyler no meu lugar? Claro, quando você ainda sentia algo por mim se coloque naquela época.

-Eu ainda sinto algo por você...

-Não me iluda, você já me iludiu muito nessa vida. -Ela deu uma risadinha e abaixou a cabeça- Foram quase vinte e três anos jogados fora né? -Ela me olhou e eu neguei. -NÃO? -Ela me olhou e riu- Não foi jogado fora? Porque até onde estou entendendo você esta me deixando pra ficar com outra. Engraçado que você me prometeu a exatamente um ano atrás, nesse mesmo dia que "eu prometo me apaixonar por você todos os dias e não me apaixonar nenhuma outra mulher" engraçado que você levou esse tempo pra me substituir né?! Justin? -Ela me chamou.

-Sim?

-Não ache que eu estou fazendo isso para dar uma de dramática ou te fazer se sentir culpado, pelo contrário eu quero que você seja muito feliz nessa aventura de adolescente, sim, aventura adolescente porque você esta deixando sua mulher, mãe de dois filhos seu pra viver uma aventura adolescente com uma garota de dezessete anosLembre-se que tudo tem consequências, ok? Lembra que você vai ter que cuidar dela pra que nenhum homem mais novo a roube de você.

-Você está dizendo como se eu fosse um velho de cinquenta anos. -Eu disse irritado. 

-Você tem quase vinte e cinco anos, imagina quando tiver cinquenta? ela ainda vai ter quarenta e quatro, três sei lá. Você acha que ela vai querer cuidar de você? a garota com quarenta anos ainda vai ter um corpinho de vinte. Não pense apenas nessas possibilidades, pense que você não está só deixando sua mulher pra viver com outra, você ta abrindo mão dos seus filhos. -Ela disse voltando a chorar- Droga, eu não acredito que você está abrindo mão da sua família.

-Eu não vou ficar longe dos meus filhos.

-Eu vou ficar longe de você, e meus filhos vão comigo. Ou você tava achando que eu seria sua vizinha onde me sentaria no jardim e conversaria com a sua bela mulher? -Ela disse irônica- Vão todos rir da minha cara, até mesmo seus amigos que devem ser mesmo muito a favor dessa sua ideia maluca. Eu não vou ficar aqui pra ver todos rindo da minha cara, eu vou pegar um destino e ir embora dessa cidade que não trouxe mesmo nada de bom pra mim. -Ela disse dando de ombros e eu engoli a seco. 

-Você não pode... -Eu disse engolindo o choro.

-Você achou que eu deixaria uma garota de dezessete anos cuidar dos meus filhos? dar uma de mãe deles? alias, você já conversou com ela sobre isso?

-Ela é uma garota incrível Jennifer, incrível mesmo e eu nunca achei outra igual a ela e eu não vou deixa-lá partir por sua causa, eu to mesmo gostando de Julia e não vai ser você quem vai impedir isso. -Eu disse irritado fazendo seus olhos se encherem de lágrimas novamente- Eu não to indo viver em uma aventura adolescente, eu estou indo viver um amor que Deus planejou pra mim.

-Você tem uma boa forma de acabar com uma pessoa. -Ela disse e bateu palmas- Você está iludido por essa garota. -Ela disse e saiu andando- Quando perceber vai ser tarde de mais. -Ela disse pegando suas roupas no chão e abrindo as malas. -Inclusive -ela disse e se virou pra mim- Nunca faça com ela o que esta fazendo pra mim, eu sou uma garota crescida e posso muito bem superar isso, mas ela é uma garota que ta na fase adolescente ainda que tem apenas como problemas os gatinhos da escola e as lições, as únicas. Ela não vai ser capaz de aguentar essa barra. Se for pra ficar com ela Justin, namore com ela e nunca traia, namore com ela e a ame todos os dias, namore com ela e entenda sempre os momentos em que ela estiver mal, namore com ela e nunca brigue com ela, nunca acabe com a autoestima dela, nunca diga pra ela o quanto se arrepende de estar com ela. 

Ela disse com os olhos transbordando lágrimas. Eu já tinha feito isso com Jennifer muitas vezes.

-Se você acha que esta fazendo o certo de verdade, faça, continue fazendo mas não cometa erros e muito menos faça algo errado, continua ali no certo.

-Eu não queria que você fosse... 

Eu disse sentindo vontade de desistir de tudo e continuar com ela. Meus olhos estavam cheios de lágrimas e a vontade que eu tinha era de me jogar em seus joelhos e pedir para que ela ficasse.

-Você já fez sua escolha, alias, a melhor. -Ela disse e sorriu- Espero que seja feliz. 

-Jennifer... por favor. -Disse sentindo as lágrimas caindo.

-Eu posso ficar uns dias até arrumar um lugar? 

Ela disse de costas pra mim, sabia que ela estava chorando.

-Eu vou sair de casa, eu tenho que sair. Você vai continuar nessa casa porque ela é sua.

-Não. -Ela negou- Eu não quero essa casa e nada que venha de você. Eu já disse que vou ir embora desse lugar, dessa cidadezinha. 

-Ok. -Assenti cabisbaixo- você pode ficar o tempo que você quiser. - Ela assentiu 

-Obrigada. -Ela disse saindo do quarto.

Assim que ela saiu eu me permitir a chorar. Por que parecia que eu estava me arrependo do que eu tinha feito? Talvez porque eu odiasse a ver daquele jeito. Mas agora não tinha mais volta, eu já tinha cometido a burrada.

 

Stratford/Canada
13:05 PM
Jennifer P.O.V

Era isso que você ganhava por fazer de tudo por uma pessoa. Eu tinha feito de tudo por Justin, eu tinha até mesmo ignorado meus pais. Sempre fiz o possível e o impossível pra ficar com ele e nunca acabarmos, sempre fiz o impossível para que eu não abandona-ló, porquê eu o amava mais que tudo, mas no final ele quem fez isso comigo. Se eu tinha e ele não eu dava pra ele pra ele não ficar sem, sempre foi assim, desde quando eramos crianças mas ele nunca me deu nada em troca, carinho ele me dava as vezes, quando bem queria! Machucava, era claro que machucava, eu estava ali chorando porque tinha acabado de ser deixada! mas é isso que você ganha de uma pessoa quando você faz tudo por ela, um belo pé na bunda.

Assim que eu entrei no quarto eu me joguei na cama e comecei a chorar liberando toda a minha dor comecei a socar o travesseiro. Será que eu era tão substituível assim? eu não podia acreditar que isso estava acontecendo. Eu não podia acreditar que tinha perdido Justin pra sempre.

Essa dor dilacerava meu coração.

Eu preferia receber cem facadas do que viver isso.

Depois do meu ataque de surto de quebrar tudo o que tinha no quarto eu me sentei no chão perto da cama e permitir-me a chorar. Céus estava tudo perdido, eu tinha perdido Carla, Ryan, Chris, meus pais e agora Justin. Eu não queria que isso fosse verdade eu queria apenas que esse pesadelo acabasse, eu queria que Justin entrasse nesse quarto me perguntando o que eu estava fazendo ali e dizendo que tudo foi apenas um pesadelo.

Mas essa era a verdade, era o que eu estava vivendo. 

Drew looks at me, I fake a smile so he won't see

(Drew olha pra mim, eu finjo um sorriso assim ele não vai ver)

That I want and I'm needing, everything that we should be

(Que é tudo que eu quero e preciso e tudo o que deveríamos ser)

I'll bet she's beautiful, that girl he talks about

(Aposto que ela é linda, a garota que ele fala)

And she's got everything that I have to live without

(E ela tem tudo que eu tenho que viver sem)

 

Drew talks to me, I laugh cause it's just so funny

(Drew fala comigo, eu rio porque é muito engraçado)

That I can't even see anyone when he's with me

(Mas eu não consigo ver ninguém quando ele está comigo)

He says he's so in love, he's finally got it right

(Ele diz que está tão apaixonado, que ele finalmente acertou)

I wonder if he knows he's all I think about at night

(Eu me pergunto se ele sabe que ele é tudo que eu penso à noite)

Eu sentia tudo desmoronando sobre minha cabeça e eu não podia fazer nada. Eu não tinha forças pra levantar, eu não tinha mais forças nem mais pra viver mas eu tinha que me manter forte pelos meus filhos. Por mais que isso fosse impossível.

Peguei meu celular e tentei ligar para meus pais mas como sempre ele desligava... Porque eles pararam de falar comigo? Simples, meus pais presenciaram uma briga minha e do Justin muito feia e ele tentou levantar a mão pra me bater mas antes dele fazer isso meus pais entraram na sala. Meu pai disse pra mim terminar com Justin mas eu fui ignorante o suficiente pra mandar ele pra todos os lugares e parar de se entrometer na minha vida, desde então ele nunca mais me ligou e nem deixou que eu entrasse em sua casa.

Senti as lágrimas caindo assim que me lembrei de quando fui na casa do Ryan e ele me tratou super mal e ainda Carla me expulsou de lá foi um momento horrível já que a rua estava lotada. Eu tinha perdido todos, até mesmo meus amigos.

Respirei fundo limpando as lágrimas e peguei meu celular discando o numero de Chris.

-Chris...-Disse com a voz falhando.

-Jennifer? Oi.

-Chris... eu preciso de você. -Disse desabando.

-Jennifer, me desculpe mas eu não tenho tempo pra ficar resolvendo os problemas que você tem com Justin. 

Depois que ele disse ele desligou, sim... Ele desligou sem ao menos se importar comigo. Me encostei na cama sentindo as lágrimas voltando. 

He's the reason for the teardrops on my guitar

(Ele é a razão das lágrimas no meu violão)

The only thing that keeps me wishing on a wishing star

(A única coisa que continuo pedindo à uma estrela cadente)

He's the song in the car I keep singing

(Ele é a canção dentro do carro que eu continuo cantando)

Don't know why I do

(Não sei porque eu faço)

Depois de tentar ligar pra todas as pessoas que me deixaram eu finalmente desisti e decidi ir até lá embaixo. Justin estava no sofá de cabeça baixa. Tentei fazer com que ele não me notasse eu não queria que ele visse meu olhar deplorável. Peguei minha mala grande e a pequena e fui arrastando só que ele escutou o barulho e eu senti seu olhar sobre mim mas eu nem me importei. Quando empurrei as malas pro quarto onde eu ficaria não por muito tempo eu abri e peguei uma bota preta, uma calça preta de couro, uma jaqueta jeans e uma regata branca. Arrumei meu cabelo e vesti a roupa passando uma maquiagem clara no meu rosto pra disfarçar meu olhar deplorável. 

Peguei minha bolça e desci.

-As crianças... Estão aonde? -Disse sentindo minha voz falhar.

-Na casa da minha mãe. -Ele disse olhando pro meu trajes de roupa.

-Tudo bem, vou dar uma saída e não irei demorar. Qualquer coisa eu passo para busca-lós.

-Não precisa se preocupar.- Ele disse engolindo a seco ainda olhando meu corpo.

-Ótimo. -Eu disse e fui até a porta mas sua voz me fez parar.

-Jennifer? -Ele me chamou e eu me virei pra trás.

-Sim?

-Onde você vai?

-Deixou de ser da sua conta a partir do momento em que nos separamos.

Vi a sua boca se formar em um "O" e sai de dentro de casa sorrindo pra mim mesmo por ter dado essa resposta incrível nele. Mas mesmo assim sentia meu coração todo quebrado e doendo, eu estava tão acabada.

Drew walks by me, can he tell that I can't breathe?

(Drew passa por mim, será que ele percebeu que eu não consigo respirar?)

And there he goes, so perfectly, the kind of flawless I wish I could be

(E lá vai ele, tão perfeito, o tipo impecável que eu gostaria de ser)

She'd better hold him tight give him all her love

(É melhor ela abraçá-lo bem apertado dê-lhe todo o seu amor)

Look in those beautiful eyes and know she's lucky cause

(Olhar naqueles lindos olhos e saber que ela é sortuda porque...)

Entrei dentro do meu carro e dei partida mais uma vez para aquele lugar, era a terceira vez em que eu iria lá. Presidio. Sim, eu iria visitar Anne... Eu não tinha cumprido minha promessa de que não iria mais visita-lá, depois daquele dia eu fui seis meses depois e era incrível o fato de ela estar mais acabada ainda, eu até pedi para os diretores dali que ficassem de olho nela para que ninguém fosse bater nela e depois de um mês fui de novo mas apenas pra conversar com os diretores e eles disseram que seu estado estava melhor.

Respirei fundo antes de pegar minha bolça e descer do carro. Fui caminhando até lá.

-Pois não? -Uma mulher disse.

-Eu quero visitar Anne... Anne Monroe. -Eu disse e ela me olhou como se eu fosse uma idiota.

-Anne Monroe sela dezesseis?

-Sim, exatamente. -Disse com um sorriso fraco.

-Anne morreu ontem a noite. -Ela disse seca.

Eu abri a boca e senti as lágrimas voltarem novamente. Céus eu não podia acreditar que Anne tinha morrido, eu não podia acreditar que a unica pessoa que esteve comigo havia me abandonado. 

-Como? -Eu disse sentindo medo da resposta.

-Briga de facada. 

-Céus... -Disse sentindo minha boca secar.

-Entramos em contato com a família dela mas ninguém quis cuidar das coisas de sua morte e então tudo iria ser por conta da prefeitura.

-Não... Eu vou pagar caixão, o cemitério eu pago... 

-Tudo bem. -Ela me deu um papel. -Você precisa estar no IML as duas. E todas as coisas você cuida lá.

-Ok...

He's the reason for the teardrops on my guitar

(Ele é a razão das lágrimas no meu violão)

The only thing that keeps me wishing on a wishing star

(A única coisa que continuo pedindo à uma estrela cadente)

He's the song in the car I keep singing

(Ele é a canção dentro do carro que eu continuo cantando)

Don't know why I do

(Não sei porque eu faço) 

Caminhei até meu carro e assim que entrei no mesmo coloquei a cabeça sobre o volante do carro começando a chorar, eu não queria acreditar que Anne tinha partido, eu não queria acreditar que eu podia tira-lá da qui mas não o fiz, eu não queria acreditar que ela tinha partido sem eu ao menos ter a chance de abraça-lá pela ultima vez. Eu não queria acreditar que a sua família não estava nem ai com a morte dela. Eu não queria acreditar que eu não tinha mais ninguém, eu não queria mais acreditar que Justin tinha se separado de mim pra ficar com outra, eu não queria mais acreditar em nada.

Porquê minha realidade era muito mais cruel do que eu pensava.

Depois de um tempo ali chorando eu decidi ir pra casa já que eu estava passando mal. Enquanto eu dirigia as lágrimas caiam sobre o meu rosto sem parar e eu sentia como se fosse um pesadelo tudo que estava acontecendo.

Esse era o pior dia da minha vida.

So I drive home alone

(Então eu dirijo sozinha até em casa)

Decidi ir pra casa já que eu estava passando mal. Enquanto eu dirigia as lágrimas caiam sobre o meu rosto. Assim que cheguei em casa eu entrei e Justin ainda estava na sala falando com alguém no telefone. Passei correndo e subi pro quarto me jogando na cama sentindo as lágrimas caírem novamente.

As I turn out the light

(Apago a luz)

I'll put his picture down and maybe

(Vou colocar a foto dele para baixo e talvez)

Get some sleep tonight

(Eu consiga dormir um pouco hoje anoite)

Senti a presença de alguém no quarto e sabia que era ele, mas eu não queria que ele visse eu dessa forma, eu não queria que ele achasse que eu estava assim por causa dele... talvez até estivesse, mas tudo o que estava me deixando ainda mais acabada era a causa da morte de Anne... ela era uma garota e tanto, ela era tão nova e agora ela tinha sido morta, tinham assassinado Anne e eu não conseguia acreditar nisso.

-Jenni? -Justin disse tocando minha costa.

-Não toca em mim. -Eu disse baixo.

-O que aconteceu?

Essa pergunta tinha me irritada tanto que eu levantei da cama em um pulo e o encarei.

-O QUE ACONTECEU? VOCÊ QUER MESMO SABER? -Eu disse e ele assentiu- Meu esposo Justin, meu ex marido terminou comigo pra ficar com outra.-Disse sentindo as lágrimas tomarem conta de meu rosto- Todos me abandonaram e a unica pessoa que se importava comigo morreu, esta morta, MORTA. -Eu disse caindo de joelho começando a chorar.

Era horrível a forma que isso tudo soava bem mais difícil quando alguém dizia. Justin me olhava com os olhos arregalados e eu só sentia meu mundo desmoronar-se sobre mim.

He's the reason for the teardrops on my guitar

(Ele é a razão das lágrimas no meu violão)

The only one who's enough for me to break my heart

(O único que gostei o bastante para quebrar meu coração)

He's the song in the car I keep singing

(Ele é a canção dentro do carro que eu continuo cantando)

Don't know why I do

(Não sei porque eu faço)

Eu sentia como se o mundo estivesse acabando e eu estivesse sozinha. Agora tudo vagava por minha mente, o que eu iria fazer agora? sem esposo, sem marido, sem lugar pra ficar. O que estava acontecendo com a minha vida? Ontem eu estava em um daqueles desfiles de gente rica e chique e hoje eu estou jogada sobre um chão de um quarto de hospedes chorando na frente do meu marido porque o perdi e porque estava tudo acabado pra mim. Talvez esse seja ser o game over da minha vida, talvez eu não fosse aguentar mais essa vida, talvez isso foi pra pagar todos os pecados que eu cometi. Talvez tenha sido pra mim aprender com meus erros, ou talvez até para levar-me de uma vez desse mundo.

-Ei... shiu. -Justin disse me abraçando.

Eu juro que queria tirar os braços dele de mim, mas nem pra isso eu tinha forças... Eu não tinha forças nem pra manda-ló sair desse quarto.

E era nesse momento que eu olhava pro teto do quarto e pedia pra que Deus me levasse.

He's the time taken up, but there's never enough

(Ele é o tempo gasto, mas nunca é o suficiente)

And he's all that I need to fall into...

(E ele é tudo o que eu preciso para amar ...)

Drew looks at me

(Drew olha pra mim)

I fake a smile so he won't see.

(Eu finjo um sorriso assim ele não vai ver.)


Notas Finais


Quer entrar no grupo? 011 9 77481970
Beijos ♥

FAVORITEM MINHA NOVA FANFIC
https://spiritfanfics.com/historia/os-gemeos-bieber-6843616


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...