História Duas almas, Um destino - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Sou Luna
Personagens Ámbar Benson, Delfina, Gaston, Jazmin, Jim, Luna Valente, Matteo, Miguel, Monica, Nico, Nina, Pedro, Personagens Originais, Ramiro, Simón, Yam
Tags Amon, Jico, Karol, Luna, Luna Valente, Lutteo, Matteo, Matteo Balsano, Ruggero, Simbar, Sou Luna, Soy Luna, Yamiro
Exibições 94
Palavras 4.356
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oiee gentiii, hoje me deu fogo no rabo e então cheguei com um capitulo fresquinho antes da hora, mas nao se acostumemm ruuuu kkk
Espero que gostem
Beijos de luz e BOA LEITURA!!
Capitulo gigannnntee sorry pessoas kk <3

Capítulo 7 - Filho da puta! Porque não sai de meus pensamentos?!


Luna ON

Eu estava em um lugar totalmente escuro, sentada em uma cadeira, que por sinal era bem desconfortavel, eu estava amarrada e uma fita em minha boca me impedia de falar, comecei a me debater, tentando me desamarrar, até que vi uma mulher e um homem, pareciam ser jovens, entre dezoito e vinte anos, não reconheci eles, pois não tinha iluminação onde eles estavam, até que ela se pronunciou.

-Não adianta se debater Karolzinha, isso não vai adiantar em nada, eu sei oque você fez, e você vai pagar por isso, além de ter tirado minha mãe de mim, tirou o amor da minha vida. 

Fiquei totalmente confuza com aquelas palavras, ela veio até mim, consegui ver seu rosto, ela era loira, tinha os olhos lindos em tom do mar, então ela deu um tapa em  minha cara e chamou o homem ao qual ainda estava na sombra, ela tirou a fita de minha boca, doeu, mas não doeu mais do que ver quem era o homem que estava ali com ela. 

-Simon?! - Falei totalmente confusa e com medo.

Ele simplesmente da um sorriso cínico em minha direção vindo até mim, então ele começa a me torturar, e a fazer todos os tipos de atrocidades comigo, eu por minha vez, tentava relutar, mas ele era muito mais forte que eu, ele me batia até eu parar, via aquela loira desgraçada rindo em um canto da sala, aquilo me fez sentir odio e nojo deles dois, então teve uma hora que ele me deixou lá no chão largada, chorando e clamando por Ruggero.

Acordo do pesadelo com Rugg me balançando, abraço ele, ele retribui, deixo umas lagrimas sairem - Oque aconteceu Karol? - Ele pergunta abraçando mais forte - você está chorando!

-Só um pesadelo Rugg, eu to bem - Falo soltando o abraço dele e ele enxuga as lagrimas que ainda estavam saindo de meus olhos e escorrendo em minhas bochechas.

-Tudo vai ficar bem Karol - Ele fala olhando em meus olhos, e logo em seguida me abraça, e aquele sentimento ruim que eu estava sentindo por causa do pesadelo vai em bora, como se Rugg me fizesse esquecer até de quem eu sou, ele simplesmente me acalma, quando ele vê que estou mais calma se separa do abraço e me encara.

-Não quer desabafar? - Ele perguntou me encarando. 

-Porque sonhei isso? - Falo para mim mesma me lembrando de cada detalhe dele, como se fosse real - Simon nunca me faria mal, ele é um cachorrinho.

-Cachorrinho? Karol, você não tá falando coisa com coisa, você ta bem? - Ele fala em um tom de preocupção.

-Estou - Falo tentando sorrir, uma tentativa muito falha.

-Você não me engana Karolzinha, eu te conheço des de criança - Ele fala sorrindo, mas ainda demonstrando preocupação - Me conte, vai se sentir melhor.

Então eu cedi, e acabo por contar todo o sonho pra ele, não deixando passar todas as emoções que eu senti naqueles momentos aterrorizantes, cada sentimento de despreso, odio, nojo e raiva que passava por meu corpo nos momentos em que era violentada e espancada por Simon, e aquela mulher de madeichas loiras, que era muito linda por sinal, mas me causava repulsa só de lembrar dela rindo, sem impedir ou falar para que Simon pare de fazer oque estava fazendo, não sei oque fiz, mas com certeza foi uma coisa muito grave, pois ela estava se "deliciando" com essa tal "vingança" que pra mim não tinha sentido algum - Mas isso não faz nenhum sentido, Simon nunca me encostaria um dedo, ainda mais depois de ter me pedido em namoro. 

-Você falou namoro? - Ele ignorou todo o meu sonho e se focou apenas no detalhe que mais o chamou atenção, e eu ri da expresão dele de confuso. 

-Sim, pediu, eu aceitei - ele arregala os olhos - Mas não vai durar muito tempo, pode ter certeza, além de nunca ter sentido nada por ele, peguei ele e minha secretaria dormindo juntinhos - falo e rio lembrando que ainda preciso pensar em minha vingança. 

-Humm - Rugg fala como se não tivesse interesse - Espera, você falou loira dos olhos azuis? - Ele fala com um tom meio assustado. 

-Sim, porque? - Falo confusa 

-Não, nada, só achei estranho, porque pelo que você falou nunca viu ela né? - Eu afirmo com a cabeça - Geralmente só sonhamos com pessoas que já vimos pelo menos uma vez da vida, você pode ter visto ela na rua, sei lá, deve ter achado ela estranha e sonhado com ela.

-É, pode ser, mas acho que me recordaria de olhos como os dela - falo pensativa me lembrando de seu rosto - Ela parecia magoada, com muita raiva e enfurecida comigo, falou que eu tirei a mãe e o amor da vida dela - Falo e vejo Rugg engolir a seco - Você está bem?

-Claro, porque não estaria? - Ele fala rapido de mais, parecia estar nervoso, quando abri a boca para perguntar do porque tanto nervosismo ele me interrompe.

 - Bom, Karolzinha, não sei se você se lembra, mas é a dona de uma das maiores mafias do mundo, e não sei se ja reparou, mas já se passa das nove da manhã, e você ainda não tomou café da manhã, e nem deu o ar da graça la em cima - ele fala sorrindo convencido 

-Bom, primeiro Balsado, Pasquarelli, seilá, ainda me confundo, primeiramente, MEU pudim falou que eu não iria ir lá para cima antes do almoço e segundo, como sabe que a mafia fica em cima daqui? Nunca te falei nada sobre isso!

-Bom Sevilla ou Valente, como preferir, primeiramente, niguém em sã consiencia ia ter um elevador em casa, ou em algum cativeiro, segundamente, você já me falou sim que aqui era a "Empresa" Sede - ele da um risadinha - Me falou quando estava falando que todos dormem aqui pq é a sede, e cada um tem seu quarto, e outra, Ramiro tambem comentou algo do tipo quando estavamos conversando.

Rio - Então virou inteligente nesse tempo separado de mim? - Falo provocando.

-Não só inteligente, mas tambem, lindo, desejado, gostoso e rei da pista - ele sorri convencido. 

-E seu ego tambem almentou bastante né Mauricinho? - Falo e reviro os olhos, mas logo sorrio - Espera, "rei da pista" Serio? Voltou a patinar só porque eu não estava la né seu chato - dou um tapa no braço de Rugg de leve e ele ri 

-Mais ou menos isso - Ele ri debochado, até que esculto um batinda na porta e logo vejo Nina e Gastón invadindo o meu quarto de Rugg quase gritando. 

-Como vai o casalsinho sensação? - Nina pergunta rindo pra mim com deboche. 

-Ai não Nina, não me diga que pegou essa mania HORRIVEL do Ramiro de chamar todos de casalzinho "Sensação" não, já basta ele me irritando com isso - Falo fingindo estar estressada mas acabo rindo e me levanto indo abraçar Nina. 

-Precisamos converçar - ela fala em um sussurro em meu ouvido.

-Eu sei - Falo no mesmo tom.

-Rum rum - Gaston limpa a garganta pra que vissemos que ele estava ali, então eu me largo de Nina e dou uma pequena risada abraçando ele, me separo de Gaston e sento na cama, porque querendo ou não, não importa o quanto eu durma, eu sempre vou estar com sono. 

-Bom gente, vamos tomar um café da manha que eu estou morrendo de fome, e depois tenho que ir trabalhar, infelizmente - falo e sinto Rugg se sentar ao meu lado. 

-Você não vai trabalhar hoje senhorita Luna - Ele diz com um pequeno sorriso entre os labios.

-E quem vai me impedir? - Falo provocando ele. 

-Eu - Ele fala convencido e eu rio.

-Arram, tá, como se você conseguisse - Falo ainda o provocando. 

-Quer apostar? - Ele fala rindo maldoso, e eu ja sabia onde isso ia acabar, cocegas, a coisa que eu mais odeio no mundo, então sem pensar duas vezes saio correndo e Rugg sai atrás rindo.

-Volta aqui Karolzinha, é só umas cosquinhas e você já desiste de tudo - Ruggero fala rindo e ainda correndo atrás de mim. 

-Nunca irei desistir - Falo rindo e correndo naquela casa, que por sinal era pequena, e muito dificil de fugir dele.

Pulo no sofá, e essa foi uma escolha muito ruim, pois Rugg se joga em cima de mim e começa a me fazer cocegas, e eu? Eu bom, estava gargalhando, quase morrendo de tanto rir, fazia tanto tempo que não brincavamos disso, a ultima vez que ele tentou me fazer ceder foi quando fui até a casa dele para brincar, pois seus pais nunca paravam em casa, e nós gostavamos de bricar com a babá dele, então anoiteceu, e começou a chover, eu falei que ia andando para casa, mesmo com a chuva, pois minha casa não era longe dali, mas ele com toda sua teimosia começou a me persseguir pela casa, pois sabe que quando boto uma coisa na cabeça, não tiro mais, só com cocegas, ai ja é pegar pesado, lembro dele correndo atrás de mim, então eu subi as escadas eu fui para o quarto dele, fui para baixo da cama, mas ele consseguiu me tirar de la, me fazendo morrer de rir. E por um momento eu me vi ali, com aquele Ruggero criança, sem problemas para me preocupar, com nada a nossa volta, só eu e ele, ali brincando igual a crianças.

-T..a J..a Poo..d...e parr....aa.aaa.rr. rru.gg - Falo entre gargalhadas, ele para por um instante e eu consigo respirar novamente. 

-Você vai ficar aqui comigo? - Ele pergunta manhoso. 

-Rugg, eu não poss.. - Ele começou me fazer cosquinhas novamente - Taaaa - eu grito entre risadas - vocee venceuu - Ele para de me fazer cocegas.

-Agora sai de cima de mim, seu gordo - Falo empurrando ele. 

-Gordo é Sevilla? - Ele fala rindo ironico - Tem certeza disso? - Fala com um tom de malicia..

-Tenho, agora sai de cima - e então ele deita em mim, sinto sua respiração em meu pescoço. 

-Não, aqui ta tao confortavel - ele fala me causando serios arrepios, ele deve ter se aproveitado de meu ponto fraco e começou a dar pequenos selinhos em meu pescoço e ombro. 

 

NINA ON 

 

Em quanto as duas crianças desnaturadas bricavam de pega-pega (e eu acho que dessa vez eles se pegam literalmente mesmo) eu e Gastón resolvemos ir para o quarto para não atrapalho o momento deles, me sento na cama e vejo Gastón fechar a porta e a chaveiar, faz um tempo que estamos ficando, mas só beijos e nada mais, noite passada Gastón até tentou me fazer ceder, mas quero maltratar ele um pouquinho antes de me entregar por completo a ele, ele veio até mim e se sentou ao meu lado. 

-Será que dessa vez as criancinhas se entendem? - Gastón fala com um sorriso nos labios, já falei o quanto esse sorriso me desconcerta por completo? bom se não falei falo agora, fico la olhando para ele parecendo uma louca, mas logo saio do meu devaneio.

-Acho que desse vez vai - falo dando um pequeno sorriso.

-Tomara - ele fala e se aproxima de mim selando nossos labios, no começo era apenas um roçar de labios, ele pediu permição com a lingua e eu cedi, o beijo começou a se intensificar, e virou de um beijo calmo, sem segundas intenções, a um beijo totalmente intenço, selvagem, suas mãos passeavam pelo meu corpo, indo des de minhas costas até minha coxa, o beijo estava otimo, mas tivemos que nos separar por falta de ar, ele começou a dar beijinhos em meu pescoço, e eu apenas estava estasiada com os carinhos dele, quando ele me tocava era como se cada pedacinho do meu corpo acendece uma chama muito intença, fazendo cada celula ali existente esquentar. 

-Meu amor, eu amo você tanto - Gastón falou manhoso ainda destribuindo beijinhos em meu pescoço - Sei que voce merece muito mais que isso, mas acho que vai gostar do que eu preparei para voce - ele para suas caricias e pega seu violão - essa musica se chama Corazón e fiz ela pensando totalmente em você - Então ele começa a tocar a musica. 

Eu não sei oque deu em mim, eu realmente não sou nem um pouco sentimental, mas Gastón conseguegue despertar esse lado em mim, eu começo a chorar, ele toca de uma maneira lenta, a musica é muito linda, ele faz me sentir unica, ele me faz querer ser dele, ele é um total fofo, des de quando nos conhecemos em uma praça, tirando fotos, foi até engraçado aquele dia. 

 

Flashback on 

 

Era um dia lindo, então eu resolvi dar uma saida, já que não iria trabalhar naquele dia, pois a chefinha, que por um acaso é minha melhor amiga, me deu folga, decido que vou até uma praça que tinha ali por perto, lá tinha umas flores totalmente lindas, umas paisagens magnificas, que ao fim de tarde, com o por do sol, ficavam ainda mais explendidas, fui caminhando mesmo, queria aproveitar e tirar fotos e curtir o ar livre, então peguei minha maquina fotografica e comecei a andar em direção a praça, pelo caminho parei muitas vezes para fotografar coisas que me chamaram atenção, comprei um milk-shack, e depois de mais ou menos meia hora de paradas e caminhadas, chego a praça e começo a andar por lá, tiro varias fotos, e não querendo me gabar, mais estavam lindas, até que alguem tropeça em mim, e me leva pro chão junto.

-Não olha por onde anda não? - Falo irritada e me levantando, ajudando o garoto a se levantar, que por um acaso era um loiro totalmente lindo, com um sorriso totalmente desconcertante, derrubaria qualquer garota aos pés dele, fiquei lá encarando ele, acho que estava com uma cara de boba, acho não, tenho certeza, então decido quebrar o silencio - está bem? 

-Estou, e desculpe, eu estava tirando fotos, não te vi, desculpa mesmo - Eu sorri.

-Está tudo bem, tambem não te vi, estava distraida também - falo e mostro a camera em minhas mãos - Nina - Estendo minha mão, e ele pega.

-Gastón - ele fala e sorri. 

depois disso lembro que converssamos muito, varios assuntos diversos e intereçantes, vimos que tinhamos muita coisa em comum, muita coisa mesmo, fomos até uma sorveteria, tomamos sorvete, mas depois voltamos a praça pra ver o por do sol com ele, sentamos em um dos bancos e ficamos la parados, somente curtindo o momento e a presença um do outro, que pelo menos para mim já  bastava, aquele dia foi realmente perfeito, acho que me apaixonei des da primeira vez que o vi. 

 

Flashback OFF

 

Gastón acaba de tocar a musica, e eu já estava com o rosto totalmente molhado, ele se levanta e vai até o criado mudo, abre uma gaveta e pega uma caixinha de veludo vermelha, ele vem até mim e se ajoelha e abre a caixinha revelando duas lindas alianças de compromisso, nesse momento eu quase infartei, nenhum namorado tinha feito isso pra mim, nem em sonho, mas Gáston é diferente, é fofo, romântico, e sabe muito bem ter pegada na hora certa, acho que estou completamente apaixonada pelo Perida, bom, acho não, tenho certeza.

-E então, Nina Simonetti - Ele fala pegando uma de minhas mãos - Você aceita ser minha namorada? - Ele fala com um tom doce meigo e apaixonado. 

-É claro meu amor - Falo entre soluços, então ele da um sorriso bobo, levanta-se, põe a aliança de compromisso em meu dedo, e eu ponho no dele, ele me olha apaixonado e me beija, então ficamos lá o resto da manhã  trocando caricias, beijos e amaços até que acabo adormecendo em seu peito. 

 

LUNA ON

-Matt, seu gordo, sai de cima de mim - falo empurrando ele 

-Não! - Ele fala ainda deitado em cima de mim, e nem sequer se mechendo quando tento empurra-lo.

-Você é muito chato! - Falo desistindo de empurrar ele.

-Sou, e sei que você gosta dessa chatice - ele fala convencido.

-E muito convencido também - Falo ignorando seu comentario. 

-Viu, nem negou, ta na sua cara que você gosta de mim - Ele fala levantando sua cabeça para me encarar. 

-E muito metido também - Falo tentando ignorar esse comentario que vem sendo minha duvida por algum tempo. 

-Eu sei - Ele fala se aproximando. 

-Que bom que sabe - aproveito que ele estava distraido, o empurro e ele cai no chão, levanto pego minha bolça e corro pro elevador rindo dele. 

-Isso não vai ficar assim - ouço ele gritando.

-De noite eu volto mauricinho - Grito de volta. 

-Vai ter vingança - Ouço ele e entro no elevador, aperto o  botão do terceiro andar, chegando lá o elevador para, confiro se não tem ninguém por lá e então corro pro meu quarto, vejo que ele estava entre aberto, eu gelo por inteira, acho que eu me esqueci como se usa os pulmões - Quem está lá? - Era a unica coisa que eu conseguia pensar, então vou pé por pé até meu quarto e vejo que não tinha ninguém, uma onda de alivio invade meu corpo, então passo pela porta e vou em direção a meu closet, mas escuto a porta bater, e uma voz familiar falar. 

-E então, posso saber onde a senhorita estava? Vim aqui hoje de manhã, a porta estava trancada, então peguei uma reserva, achei que você poderia estar passando mal, mas nem aqui no seu quarto você estava, acho que me deve explicações certo? - Ele fala e eu paralizo onde eu estava, então para ter certeza de quem vinha aquela voz eu me virei, é era ele, que merda! 

-Nossa Simón, que susto - Falo e ponho a mão no coração, tentando esconder meu nervosismo - Eu não estava passando nada bem, então eu fui para casa ontem a noite.

-Arram, tá, com essa roupa - ele fala com ironia fitando meu corpo.

-Droga eu me esqueci que estava só com a blusa ainda - Penso e me chingo mentalmente por isso. 

-Eu acordei muito atrasada, vesti oque vi pela frente - falo tentando ser convincente 

-Então tá, se não vai me contar a verdade acho que já vou indo - Ele fala se virando em direção a porta tentando me fazer confessar alguma coisa, mas agora quem vai brincar com ele sou eu.

-Vai! - Falo dando de ombros - Não adianta nada ter um namorado que não acredita em mim. 

-Está terminando comigo? - ele pergunta se virando para mim e erguendo uma sombrancelha. 

-Se é isso que você entendeu - falo cruzando os braços, ele se aproxima de mim e entrelaça minha cintura com suas mãos, sorrio mentalmente. 

-Amor, me desculpe por desconfiar de você, é porque, eu não sei, não gostei desses novos reféns, eles me dão nojo, não sei porque, mas sinto que tem alguma coisa que eu não sei e que você não quer me contar. 

-Bobagem amor - falo e dou um selinho nele. 

-Bobagem é esse selinho - Ele fala e sela nossos labios, e sem pedir permissão, sinto minha boca sendo invadida por sua lingua, ele começa a intensificar o beijo, e eu correspondo na mesma intensidade, ele desse sua mão para a minha bunda, eu deixo pois além de tudo ele ainda é meu namorado, certo? 

Ele me puxa para cima e eu circulo sua cintura com as minhas pernas, sinto que ele já estava exitado por causa do volume em meio a suas pernas, ele começa a me levar em direção a cama, e me deita lá, ele separa o beijo e começa a tirar minha blusa, ele tira e eu fico somente de langerie, ele me beija novamente, e não posso mentir, estava adorando a sensação de ele estar louco por mim, então eu começo a tirar sua blusa, ele deixa eu tirar, nem me ajuda, folgado, ele volta a me beijar, eu já estava completamente perdida com tanta exitação, mas tenho que confessar, não estava assim por causa de Simón, minha mente por alguma razão estava vendo Matt ali me beijando e não meu namorado. 

-Aii meu deuss - Grito sem querer, enchergando Matt ali em cima de mim.

Ele me olha confuso - Oque foi amor? Não está gostando? - Ele fala meio assustado. 

-Não é isso meu anjo - Falo doce tentando esconder meu desespero - É que eu já estou mega atrasada e ainda não fiz nada, nem tomei café da manhã - falo saindo de baixo dele - Amor me da licença por favor, daqui a pouco desso para meu escritório, me espere lá okay?

-Okay - Ele fala desapontado saindo da minha cama e indo em direção a porta, então ele sai do meu quarto fechando a porta. 

Solto um suspiro de alivio, mas logo lembro de minha "visão" - Como assim? Eu estava quase transando com Simon pensando em Rugg?! Filho da puta! Porque não sai de meus pensamentos?! - Falo pra mim mesma, sentindo odio por não conseguir controlar meus proprios sentimentos.

Então tento afastar esses pensamentos bobos e vou tomar um banho, tiro minha langerie e fico nua, vou em direção ao banheiro, entro no box e ligo o chuveiro, sinto a água quente escorrer em meu corpo, dando aquela sensação que eu tanto amo, de conforto e relaxamento, fico lá esperando meu corpo se acostumar com a temperatura, pouco depois esfrego meus cabelos e meu corpo, fico mais um pouco lá parada em baixo da água quente e logo saio, pois tudo que é bom dura pouco, e eu ainda tenho que tomar café, que na verdade vai se transformar em almoço se eu não sair agora desse banheiro, então eu saio correndo do banheiro e vou direto para meu closet, pego um vestido num tom de azul escuro, quase preto, tubinho e um salto fino preto, seco meu cabelo o mais rápido possivel e prendo ele em um coque meio desarrumado por estar com pressa, então saio do meu quarto, chaveio e vou direto para o elevador, aperto no botão do primeiro andar, chegando lá, saio correndo do elevador indo direto para sala de Ramiro, entro sem bater e vejo ele consentrado em alguma coisa no computador.

-Ei - Falo meio alto e ele volta sua atenção a mim com um sorriso.

-A bela adormecida acordou, que milagre - Ele fala com um sorriso debochado. 

-Ha Ha Ha - Falo ironica - Se você não sabe, a bela adormecida aqui ainda não comeu e está com fome, então eu vim aqui atacar sua comida, porque eu sei que você é um gordo que não para de comer e sempre trás algum "lanchinho" pra cá - Falo indo até a maleta dele e pegando umas frutas e chocolates que tinham la.

-Sua ladra - Ele fala rindo.

-Uma ladra com muita fome - Falo sentando na cadeira a frente a dele e dando uma mordida no chocolate. 

-Tá, mudando de assunto senhorita ladra faminta, hoje você vai ter que intrevistar o novo contador daqui da empresa. 

-Tá, que horas? - Falo ainda comendo. 

-Daqui a quinze minutos - Ele fala rindo da minha expreção. 

-É oque?! Daqui a quinze minutos? - Falo arregalando os olhos - Meu deus eu não sei nada sobre ele! 

-Pega a ficha dele aqui - Ele fala me entregando uma pasta com papeis. 

-Obrigada pudim, me salvou, me chame no meu escritorio quando ele chegar - Falo me levantando e saindo da sala de Ramiro, vou em direção ao meu escritorio e entro, dando de cara com Simón sentado em minha cadeira olhando pro celular, reviro os olhos - Droga, me esqueci que falei pra ele me esperar aqui, droga, droga, droga - Me chingo mentalmente por ter falado pra ele me esperar. 

-Rum Rum - Limpo minha garganta e ele olha pra mim - Amor, me desculpa, mas daqui a pouco, tipo, daqui a treze minutos, tenho que entrevistar um novo integrante da empresa - falo olhando para meu relogio.

-Te entendo amor, bom vou indo então - ele fala se levantando e vindo até a mim, dando um beijo rápido e saindo do meu escritorio, solto um suspiro de alivio, pois ele não insistiu em ficar dessa vez, isso me cheira a enrrascada, mas não vou pensar nisso agora. 

Então eu vou até minha cadeira e me sento, como o resto de meu chocolate e abro a pasta rápidamente, vendo as principais caracteristicas do novo contador.

-Nome: Nicolás Navarro, idade: 22 anos, Já trabalhou como contador em três empresas, se formou dois anos antes do que a idade normal, pois tem um QI maior que a maioria, Okay, acho que não preciso saber mais nada sobre você - Falo pra mim mesma e começo a procurar uma foto em meio aos papeis, encontro, e dou de cara com um homem meio loiro, lindo, com olhos azuis meio esverdeados, eu estava esperando, sei lá, um homem estranho, por ser "inteligente" estava realmente esperando tudo, menos um anjo igual a esse, fico lá encarando aquele ser, que aos meus olhos é perfeito, mas infelizmente paro com esses pensamentos quando ouço batidas na porta, ela se abre e se revela uma figura cacheada na minha frente. 

-Ele chegou - Fala meu pudim.

-Mande ele entrar Pu... quer dizer Ramiro - Quase chamo ele pelo apelido, ele da um sorriso com o meu erro e manda a figura loira dos olhos azuis esverdeados entrar, meu queixo quase vai ao chão quando o vejo, ele é ainda mais lindo pessoalmente, mas graças a deus consegui me segurar, ele vem até mim e estende a mão.

-Nicolás Navarro, mas pode me chamar de Nico se preferir - Ele fala com um sorriso de tirar o folego de qualquer garota, pego a mão dele e o respondo educadamente.

-Luna Valente - Falo retribuindo ao seu sorriso.


Notas Finais


aaaaaa eu xonei nesse capitulo serioo! kkk
Que bafoo, Luninha quase perdendo a virgindade com simon, mas pensando em Matt, que coisa não?! kk
E esse sonho da Luna? Será que quer dizer alguma coisa?
Nico já chegou arrasando não chegou ? Será que vai rolar treta? kkkk
Desculpaa pelo cap giganntee kkkk
Espero que vocês tenhas gostado de coração mesmo.

QUERO VER GERAL COMENTANDO AII XENTTII

Bjs seus lindeusesss

LINK DO VESTIDO DA LUNA: http://impressionmoda.com.br/wp-content/uploads/2014/05/image44-630x630.jpg


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...