História Duelo de Animais – Jikook - Capítulo 4


Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Hibridos, Jikook
Visualizações 419
Palavras 2.286
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fluffy, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oieeeeee, turu bom, meus bebês?
Sentiram falta dessa fic gostosinha? Pse, Jae aqui novamente e pronta pra agradecer à todos os favs e coments, muito obrg pessoal! Amo vcs demais! ❤

Então, perdoem qualquer erro que tenha passado pela mão da Gessye, pois foi ela que betou e apreciem o cap

Capítulo 4 - Estrada Da Liberdade(?)


O sol já iluminava o chão e Jimin observava a luz adentrar a mata densa por entre os galhos. De fato era uma vista bonita, mas ele não parava de pensar em sua situação, era lamentável saber que não possuía uma casa, um lugar que poderia se sentir protegido e chamar de lar. Ele gostaria muito de ser acolhido por alguém e a tristeza tomava conta do seu coração quando percebia que Jeon não iria lhe proteger.


Era estranho sentir tal coisa com relação ao outro híbrido, mas tinha certeza de que estava certo. O cachorro não ligava, não deveria nem sequer lembrar de Jimin quando deliciava-se com frutas frescas, mas o gato sabia, sabia que deveria levar aquilo como um laço de sobrevivência, um laço formado para manter sua integridade física intacta e nada além disso.


Olhou as frutas ao seu lado e pulou até o chão com facilidade, permitindo-se sentir a terra molhada em sua pele, o cheiro suave do verde que o rodeava, a brisa que bagunçava seu cabelo… Dentro de si tudo estava confuso, mas por fora, Jimin vivia a calmaria, bom… Pelo menos até escutar um estrondo e um resmungo.


Olhou para trás assustado e se deparou com o corpo robusto do outro híbrido no chão e logo entendeu que o mesmo havia caído da árvore, despencando de forma bruta. O coração se apertou dentro do peito, sentiu medo de que seu companheiro estivesse machucado, então esgueirou-se por entre alguns troncos e chegou até Jungkook, olhando-o curioso e tirando alguns fios dos olhos daquele que possuía uma expressão de dor.


– Você está bem? – perguntou preocupado.


– Vou ficar… – disse baixo e suavizou a expressão para tranquilizar o Park – Eu não sirvo para isso, definitivamente não. Como consegue descer tão facilmente dessa altura e sem se machucar? É biologicamente impossível.


– Biologicamente impossível para você. Meu corpo é preparado para isso, é algo natural meu e acho que podemos usar nossos pontos fortes ao nosso favor, creio que nos ajudará bastante. – Jimin disse, enquanto Jungkook sentava-se sobre a terra e balançava o cabelo para tirar a sujeira.


– Como assim? O que está pensando? – questionou e Jimin deu de ombros, sentando-se em seguida de frente para Jeon.


Estava com medo de conversar com ele, mas era necessário. Precisavam manter uma boa comunicação para que tudo saísse muito bem e conforme o que fora planejado na mente do gato, enquanto observava o lugar que se encontravam.


Subiu rapidamente até o lugar onde dormiam e pegou algumas frutas, desceu novamente de modo ágil e entregou o café para híbrido à sua frente e voltou a se sentar, deliciando-se com o gosto doce de cada fruta que provava. Eram tão gostosas que Jimin não podia acreditar que fora tão abençoado ao encontrá-las.


– Bom, eu sei que quer o mesmo que eu, afinal, me tirou das mãos daqueles homens por isso. Deveríamos nos preparar para sair daqui e ir em busca de respostas sobre a marca que possuímos. – suspirou e desviou o olhar do híbrido para a grama que crescia bem verdinha – Eu entendo que será difícil, mas precisamos saber quem somos, de onde viemos e o motivo de estarmos nessa cidade do interior, afinal, você não se parece nem um pouco com os híbridos que nascem por aqui. É visível a sua classe. Não é nenhum tipo de vira-lata… Entende? Você não é daqui e se temos a mesma marca, a mesma identificação, pode significar que eu também não seja. Eu quero muito descobrir. Talvez venhamos de um lugar que possa nos acolher e o que eu mais quis e quero em toda a minha vida é ser acolhido dignamente, ter uma vida onde sou tratado com carinho.


– Olha… – introduziu o maior – Eu o entendo perfeitamente. Ser o matador da arena não me trouxe carinho ou amor, então sim… Assim como você, eu também quero saber de onde eu vim e se nesse lugar eu encontrarei o que eu tanto almejo, mas também quero propôr-lhe algo. – Jeon disse com certo pesar, deixando de lado a fruta que comia para olhar o menor com atenção, que acenou com a cabeça para que pudesse continuar falando – Se nada funcionar, se tudo der errado, se o que encontrarmos não for o que estávamos esperando… Temos que prometer que vamos nos separar e viver nossas vidas, esquecer que isso aconteceu, esquecer toda essa loucura. Apenas esqueceremos, entendeu? Topa?


– Sim, eu topo. – Jimin estava com medo de ter que se virar sozinho, mesmo perante sua ótima performance na mata densa. Não sabia o que o esperava fora dali e não sabia se gostaria de descobrir, então manteve a postura e concordou com a cabeça, tentando parecer confiante.


Era estranho saber que aquele laço de sobrevivência iria se desmanchar, mas seria preciso. Jungkook tinha em mente que aquilo não daria certo, mas estava errado… A união seria preciosa naquela jornada.


– Vamos, precisamos sair cedo se quisermos chegar à algum lugar com rapidez. – Jeon afirmou, levantando-se rapidamente e olhando para Jimin, que também se ergueu e se pôs à fazer uma sacola improvisada com folhas grandes e galhos finos e flexíveis – O que está fazendo?


– Uma sacola, para levarmos as frutas… Precisamos nos alimentar ou o nosso rendimento caíra. – suspirou e continuou dando pequenos nós para que a bolsa pudesse manter-se firme – Achei um pântano mais à frente, mas a água é muito parada, suja, então precisamos ser rápidos, em três dias estaremos definhando sem água…


– Não podemos tomar a do pântano? – Jungkook perguntou e Jimin o olhou incrédulo, o que parecia era que Jimin sabia se virar muito melhor na floresta, o cachorro era somente a força bruta.


– Não… – disse e apontou para as grandes folhas que pendiam das árvores, com suas gotículas de água e pequenas poças em seu interior – A água suja e parada poderia nos deixar doentes, existem vermes em locais como aquele. as folhas servem copo copos depois da chuva, então tome o necessário para saciar sua sede agora, antes de pegarmos a estrada.


– Você entende tão bem da floresta… – o mais alto disse, andando até as folhas e derramando toda a água em sua boca – Você não vai tomar?


– Não, eu já tomei mais cedo, gatos não tomam água frequentemente. A água das frutas me ajudarão, tome tudo sozinho, você precisará mais que eu. – o mais baixo disse, doando a sua porção de água ao maior. Ele precisaria sim, mas por algum acaso, ele queria que Jeon matasse sua sede, era como um ato de cuidado.


Assim que terminou a sacola, colocou as frutas que restavam na mesma e a pendurou em seus ombros para que pudesse levar sem problemas. Jeon já saciado, fora até onde seu companheiro estava e começou uma caminhada lenta, pois precisavam tirar os galhos da frente.


O sol queimava a pele dos dois e os dava um tom amarronzado. Jeon podia jurar que haviam chamas queimando-o, pois com o sol forte ninguém imaginaria que as gotas da chuva perturbaram os dois quando a tempestade ficou ainda mais forte.


– A estrada fica logo à frente, acho que deveríamos seguir por ela. – Jeon disse e Jimin o olhou confuso.


– Tem certeza? E se nos acharem? Alguns aliados da máfia que é a arena costumam ficar aos arredores da estrada. – disse, amedrontado – Pode ser perigoso, eles nunca estão sozinhos, estão sempre com os híbridos de caça e os cachorros.


– Eu sei, mas podemos passar despercebidos se tivermos cuidado… – suspirou e olhou o mais baixo – Vai ficar tudo bem, confie em mim!


Jimin queria confiar em Jeon, mas sabia que a intimidade dos dois ainda não havia chegado naquele nível, sabia que não seria fácil ultrapassar todos os medos que possuíam. O gatinho não queria mais pensar em ser preso ou morto, queria liberdade, queria poder viver sua vida sem incômodos, sem medos e mais temores que assolavam seu pequeno e frágil coração.


Seu pequeno pé se pôs a andar mais rápido, seguindo o mais alto e pensando no quão forte ele era. Pensara também em como deveria ser o treinamento daquele que o acompanhava, cogitava a ideia de ter comida boa e água fresca, diferente da ração velha e com areia que comia, era quase intragável, mas não se permitiu morrer de fome. Era uma morte muito cruel e fácil demais para tudo aquilo que se permitia sonhar. Em seus sonhos Jimin era forte e não iria deixar se abater por um homem mau.


– Deveria ignorar essa fome que estou sentindo? – Jeon questionou em voz baixa, não esperava que fosse respondido e realmente não foi, pois o gato estava distraído demais em seus pensamentos, então o cão apenas olhou para trás e o avistou, sorriu minimamente com sua expressão suave; infantil e voltou a olhar a trilha que seguia – Sabe, Jimin? Você é corajoso… A maioria dos híbridos teriam entrado na minha boca, esperando pela morte.


– Do que está falando? – dessa vez a sua voz ecoou, fazendo um sorriso ladino brotar no rosto do moreno.


– Da arena. Você foi muito corajoso, deveria ganhar uma premiação por isso… – Jungkook afirmou e bagunçou os próprios cabelos, estava um pouco envergonhado ao fazer aquele comentário, aquele elogio e foi a única maneira que achou de espantar o sentimento.


O caminho continuou silencioso, Jungkook parecia distraído e Jimin estava calado por vergonha, tinha medo de incomodar. O Park era assim, não gostava de ser um incômodo e mantinha-se calado quando necessário e falava somente quando lhe era perguntado algo, exceto as vezes que sentia-se no dever de alertar alguém.


A mata estava se dissipando, o chão claro de areia e barro podia ser visto ao longe e logo os dois estavam na beira da estrada, olhando de um lado para o outro para verem se havia alguém, mas nada, então um alívio momentâneo se instalou no peito daqueles que estavam cansados e já famintos novamente. As frutas não eram suficientes, algo mais faltava, mais proteína, Jungkook pensava na deliciosa carne de um dos gatos mortos que havia comido no duelo passado, seu dono gostava de assar e dar aos híbridos, achava que era merecido.


Jungkook não queria gostar do gosto daquela carne, da selvageria com a qual comia, mas sentia falta e seu estômago mais ainda, chegou a pensar que fosse cair, caso não sentisse o sangue da carne mal passada em seus dentes.  


– Vamos… Temos que seguir toda essa estrada se quisermos chegar até a cidade.


– Sim… – Jimin concordou e continuou a caminhada, arrastando os pés pelo chão de argila e poeira.


Os passos pesados de cansaço e as bocas secas pareciam que os matariam em breve, pois o sol escaldante não dava trégua, mas isso era coisa de suas cabeças. Eles não morreriam daquela forma, não naquele deserto, seus corpos ainda aguentariam por mais um tempo e a água das frutas não os deixariam totalmente desidratados, mas o cansaço sim, esse poderia acabar com todos os planos dos híbridos.


Jeon sabia que já haviam andado quilômetros e conhecendo muito bem aquela estrada, sabia que ainda iria demorar muito naquela lentidão, já que de carro levava um dia inteiro até chegar à divisa. Talvez pensasse em desistir, talvez pudesse sentir seu corpo fraquejando, mas queria parecer forte. Por algum motivo, queria ser o porto seguro de Jimin, não queria que o loiro achasse que estava sozinho, queria muito estar hábil.


– Jungkook… – Jimin segurou o braço do moreno e engoliu em seco, sua narina atenta farejou algo, o cheiro de cachorros, o cheiro que queimava por ser fétido. Os pêlos de seu corpo se arrepiaram e logo o pulso de Jungkook fora agarrado e puxado para correr pela estrada – Corre, eles estavam nos procurando na floresta e agora estão aqui!


Jungkook não entendia o que Jimin estava falando, mas logo se deu conta quando latidos e patas apressadas tomaram conta de seus ouvidos em uma sinfonia ruim. Os dois começaram a correr, com aqueles cães logo atrás. Os corações pareciam que iriam sair pela boca, a areia e a poeira cobriam suas visões, mas seus instintos não os permitiam parar.


– OS CÃES OS ACHARAM! ATRÁS DELES! – a voz grossa de um homem soou e mais cães foram soltos.


– Droga, eu sabia que havia sentido cheiro de cachorro na mata, só pensei que fosse o seu. – disse choramingando.


Jimin se pôs a correr mais rápido, esquecendo completamente das frutas que carregava nas costas e as deixando cair por conta do seu corpo que estava sacolejando. Sentiu pena e incerteza, sabia que se não morresse ao ser levado por todos àqueles homens, morreria sem comida e detestava as duas hipóteses, sentia-se fraco, com medo… Sem um objetivo em sua vida e uma razão.


Mas Jungkook não os deixaria morrer daquela forma, tentaria fugir mais uma vez, ele não entregaria Jimin tão fácil, sabia que o companheiro queria descobrir o mundo assim como ele, então avistou uma trilha e continuou correndo, puxando o loiro por entre as folhas, enquanto os cachorros não paravam de correr atrás deles. Jimin queria achar um jeito de disfarçar seu cheiro e percebeu que poderia fazer tal coisa ao sentir um cheiro desagradável que se mantinha entre alguns arbustos, então apenas jogou-se em um amontoado de esterco de cavalo, puxando o moreno consigo.


As folhas que estavam em volta do monte os cobririam, ele tinha certeza disso, sabia que seria sua salvação por hora, que poderia se manter à salvo por mais algumas horas, antes que seu estômago começasse a reclamar mais e mais vezes até deixá-lo louco, mas seu cérebro o fez pensar estar errado, pois assim que ouviu  os latidos ao longe, daqueles que os perderam – supostamente – de vista, Jimin se assustou ao sentir uma mão em seu ombro, mão essa que não era de Jungkook.


Haviam sido pegos.


Notas Finais


Até mais 🍼


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...