História Dust Bones - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Zayn Malik
Tags Família, One Direction, Romance, Violencia
Exibições 11
Palavras 1.443
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oii amores!! Voltei com mais um cap!! Prometo que vai ficar melhor daqui a um ou dois caps agora ainda está meio no começo por isso não desistam de mim!!!!!!!!!

Espero que gostem e boa leitura.

Capítulo 2 - 002


Fanfic / Fanfiction Dust Bones - Capítulo 2 - 002

Eu me inclinei sobre a bagageira do meu carro, retirando minha bagagem que eu trouxe comigo em “caso de emergência”, como papai gosta de chamar. Eu suspirava e chingava debaixo de minha respiração. Sim eu estou irritada, mas mais chateada por deixar México para trás.

 

Foi bastante divertido morar aqui, o ar quente. A piscina com amigos novos todos os dias, estudar debaixo das estrelas. Eu sempre morei em lugares maravilhosos, mas eles nunca duraram. Alguns de meus lugares preferidos eram luxuosos, mas outros eram calmos e quietos. Mas desde que eu me sentisse protegida, não interessava onde eu estava.

 

Minha bagagem rapidamente se tornou demasiado pesada para mim me fazendo tropeçar e cair no chão. “Au,” Eu sussurrei agora ainda mais irritada, mais uma vez suspirei e finalmente me levantei do chão. Eu conseguia sentir uma dor em minha bunda, mas eu a ignorei.

 

Quando me virei, eu vi uma figura a uns 100 metros de mim me fazendo guinchar, mas depois eu vi que era Harry, com um sorriso estupido na cara. Na verdade, mal se via seu sorriso, mas dava pra entender pois seus lábios estavam levemente curvados para cima. Ele deve ter me observado esse tempo todo. Não se ofereceu pra ajudar e nem perguntou se eu estava bem. Ele silenciosamente ficou na mesma posição me encarando como o estranho que ele é. Eu continuei me perguntando porque papai acha que Harry é assim tão bom.

 

Amarga eu perguntei, “Ta rindo do que?”

 

Eu pensei que ele finalmente fosse falar depois de um dia inteiro sem nem espirrar. Ele apareceria atrás da porta do banheiro enquanto eu tomava banho, ele sentaria no sofá brincando com sua faca enquanto eu bebia chá e ficar atrás de mim encostado à parede enquanto eu fazia aviões de papel. Ele até me observou estudando enquanto brincava com seu lip piercing. Ou cada passo que eu desse ele se levantaria para me seguir. A única coisa que eu poderia fazer era rolar meus olhos e esperar que esses 3 dias passassem o mais rápido possível.

 

Resmungando silenciosamente eu rolei meus olhos e levantei minha bagagem novamente e andei em direção da carrinha preta – e como eu suspeitava – Harry me seguindo. Eu me virei o olhando com pura irritação estampada em meu rosto. Harry parou de andar e me observou com seus olhos aborrecidos. Sim, eu estou agradecida que ele me esteja protegendo mas eu não preciso dele enquanto bebo chá ou faço aviões de papel. “Deus do céu, dá pra você parar de me seguir?!” Eu explodi.

 

Ele não reagiu. Ele era sempre sem emoções. Toda a vez que eu falava pra ele desaparecer ele ficava estático no mesmo lugar. Eu sempre que mandava ele dispersar ele ria bobamente e não fazia absolutamente nada. E sempre que eu o chingava ele me encarava com sua mandíbula travada. Todas as emoções que aparentava ter eram negativas, e eu já estava cansada disso. Sim, ele é sexy demais, mas mostrava poucas ou quase nenhumas emoções e ele era tão quieto que me deixa louca.

 

Harry ficou ali parado com seus braços cruzados encarando a parte de trás da carrinha. Passados uns 2 minutos ele finalmente se chegou mais perto abriu a bagageira da carrinha pegou minhas malas e as jugou dentro e fechou tudo sem nem algum esforço. Outra coisa que me intrigava era que ele é muito abrupto. Faz as coisas do nada.

 

Por exemplo, hoje mais cedo enquanto ele brincava com sua faca e eu bebia meu chá lendo meu livro ele jugou a faca no ar. Quando eu vi o que ele tinha feito eu gritei e a faca acabou acertando 5 centímetros a cima da minha cabeça. Eu podia jurar que ele estava mais tentando me matar e não proteger. O facto dele ter uma boa mira era bastante sexy também. Eu estou tento sentimentos diferentes. Eu odeio sua personalidade, mas ele é tão atraente. E aqui é onde a frase “O que conta é o que estava por dentro” entra.

 

“Coisas frágeis estão dentro dessas malas Harry!” Eu reclamei com ele passados uns segundos, o segundo assim que ele começou a ir embora.

 

Me levou algum tempo até conseguir andar ao mesmo ritmo que ele. Ele tinha pernas compridas o que o ajudava a dar passos mais largos o fazendo andar mais rápido. Já eu, eu estava usando saltos e era só um pouco alta, mas nada comparado a Harry.

 

Nós entramos dentro de casa e ele continuou calado e eu estava dedicada a fazer com que ele me pedisse desculpas. “Tudo o que você tem que fazer é pedir desculpas. Um homem de verdade faria isso sem problemas.”

 

Pela primeira vez eu o ouvi zombar. Ele virou na esquina e abriu uma porta e eu corri atrás dele antes que ele conseguisse fechar a porta na minha cara. Assim que eu o fiz eu me arrependi, bem não totalmente. Harry começou a desabotoar sua camisa e em segundos a tirando. Tudo o que eu conseguia ver eram os músculos em suas costas se mexendo a cada movimento que ele fazia, suas tatuagens nos ombros acabando atrás de seu pescoço. O pouco de pele que não estava tatuada era lisa e morena, parecia tão suave.

 

Eu engoli em seco, meus olhos congelando em seu corpo até que ele se virou para mim. Eu tentei correr dali mas meus pés estavam colados no chão. Harry me olhou removendo seu colar em seguida. Ele tinha duas andorinhas em seu peito e era isso. Seus braços eram lindos. Sarados e tatuados. Seu estomago era duro e sarado também, e eu conseguia ver sua profunda v-line entrando em suas calças.

 

Meus olhos finalmente encontraram seu carinho até sua cara, e eu consegui ver o fantasma de outro sorriso estupido em sua cara, ele apontou para a porta, me expulsando do seu quarto logo antes de ele desabotoar o botão das suas jeans pretas. Eu fechei minha boca que eu não tinha nem ideia de que estava aberta. Ele provavelmente me viu quase desmaiar por causa de seu corpo. Deus do céu ele é perfeito. Mas um idiota também.

 

Eu bufei e rolei meus olhos pela milésima vez hoje. Ele pensa que pode simplesmente ficar calado? Veremos. Mais cedo ou mais tarde ele terá de falar. Assim que me sentei na sala eu pensei que talvez ele fosse mudo. Oh Deus, e se eu estiver o chateando por algo que ele não consegue controlar? Eu sou a idiota se esse for o caso. Mas eu duvido que ele seja mudo. Papai me teria contado.

 

Dez minutos se tinham passado e eu ouvi vozes atrás de mim. Eu me virei um pouco ainda sentada no sofá e vi papai e Harry sussurrando sobre algo. Quando eu vi os lábios de Harry se moverem eu sorri. Minhas sobrancelhas se ergueram. Eu tive que me concentrar bastante para tentar perceber algo mas não consegui. Ao menos eu consegui ouvir seus tons de voz bem grossas.

 

Eles estavam calados quando vieram para ao pé de mim. Eu os observei andando ganhando dois olhares sem emoção vindos de Harry e papai. Eu me levantei me preparando pra mais uma vez ouvir um milhão de ordens vindas do papai. Harry simplesmente ficou ali ficando com seu cabelo quase seco.

 

“Bom, está na hora pra vocês os dois irem.” Ele anunciou. “Lembre-se” ele apontou seu dedo pra mim “Harry sabe o que é melhor pra você. “Eu autorizei ele a usar força mínima com você se você não obedecer a ele.”

 

Minha boca se abriu levemente. Harry pode me arrastar por ai quando ele quiser com a força que quiser. Parece que papai deu pra Harry o “daddy card”, e agora ele pode fazer o que bem quiser. Papai confia demasiado em um cara que quase enfiou uma faca em minha cabeça hoje mais cedo e apenas me observou depois de tirar a faca da parede.

 

Eu assenti, sorrindo levemente pra ele o abraçando. Eu sei que papai se importa bastante comigo e Paige. Isso eu percebo. Eu só o odeio por fazer isto comigo. Mesmo que seja pra minha segurança eu odeio ser arrastada pelo mundo fora de duas em duas semanas. Sem duvida eu só faço isto para ele não se preocupar.

 

Nós nos despedimos e rápido o suficiente eu já estava dentro do carro esperando Harry entrar. O interior era confortável. Acentos de cabedal macio.

 

Harry finalmente entrou no carro o ligando em seguida e eu coloquei meu cinto. Eu observei como seus dedos longos se enrolavam à volta do volante e sua outra mão descansava em cima das mudanças.


Notas Finais


Espero que tenham gostado!!
AVISO: amanhã posto um capitulo mas vai ser bem pequeno porque estou em semana de testes então não tenho muito tempo mas mais vale um cap pequeno que cap nenhum né?
Obrigado pelo suporte que me teem dado amores!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...