História Dwell In Your Soul - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Tags Ally Brooke, Camren, Fifth Harmony, Norminah, Vercy
Exibições 15
Palavras 2.299
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Ficção
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Alô alô não tem terror não tem caô, boa leitura lindas.

Capítulo 4 - End Of Vacation


Às vezes você acha que ama alguém só porque gosta de estar com essa pessoa, só porque gosta de vê-la feliz e só porque se dão bem. Amor não é isso. Amor é mais, é um pacto que se adquire de imediato, amor é mais que só amizade. Amor não é monotonia, amor é o encontro de duas almas, é o coração acelerado, respiração irregular. Amor você sente no momento em que seus olhares se encontram, e a partir daí você tem absoluta certeza.

[...]

Camila

Era um domingo à noite, sete dias após minha conversa com Dinah sobre o primeiro dia de aula, e eu estava deitada no sofá assistindo à TV com Sofi e Dinah ao meu lado, bastante ansiosa pra começar a incrível maratona de Grey's Anatomy. Eu tinha chegado de viagem hoje de manhã, e claro, assim que cheguei Veronica e Dinah estavam à minha espera, prontas para começar uma incrível conversa sobre a primeira semana de aula e os primeiros vexames do ano.

As coisas foram bastante calmas, elas disseram. Sem muitas novidades. Veronica disse que alguns professores entraram esse ano, pra mim tanto faz já que vou entrar no primeiro ano agora. Quem diria, colegial.

- Veronica, anda logo, a maratona vai começar! - dizia Dinah.

- Calma, você esqueceu que quem tá fazendo comida pra você comer sou eu? - falava ela lá da cozinha. De onde nós estávamos dava para vê-la de costas para o microondas, onde esperava a pipoca ficar pronta.

- É você tem razão, pode demorar o quanto quiser.

Reviro os olhos e opto por me deitar no chão já que Dinah ocupa a maior parte do sofá. Com alguns poucos minutos de espera decidi ajudar Veronica com a comida já que ela estava demorando demais.

- Quer uma ajudinha aí?

Ela olha pra trás e dá uma risadinha debochada.

- Mila, nem cortar uma maçã você faz direito sem se machucar. Tá brincando? Sai fora.

- Ei isso não é verdade! Essa semana toda eu fui muito independente já que minha mãe e meu pai pareciam mais é estar em uma segunda lua de mel.

Ela começou a sorrir e eu suspirei, olhando para ela.

- É mesmo é? Vê se eu acredito. Agora me ajuda, pega aquele suco de laranja da geladeira, honey.

É verdade que eu tive de me virar sozinha para fazer alguma comida para mim e Sofia. Meus pais não paravam quietos em casa e eu tive que dar um jeito quanto à tudo, mas não insisti  no assunto.

Passado algum tempo eu e Vero nos acomodamos na chão da sala pois Dinah estava pegando todo o espaço do sofá e não queria abdicar dele.

Sofi já tinha se retirado e meu pai a colocou para dormir.

Eles também se retiraram cedo e ficamos só nós três.

Dinah já estava roncando em cima de nós e com um pouco de delicadeza eu me aproximei de Veronica, ambas estávamos enroladas em um enorme edredom.

- Sabe, acho que devíamos deixá-la aqui para acordar com dor nas costas já que tomou todo o sofá. - ela sussurrou. Eu apenas dei um leve sorriso.

- Não seja tão má. Diga por você porque quando ela acordar amanhã ela vai me matar.

- Mila, como você está em relação a amanhã? Seu primeiro dia em uma escola nova...

- Vou deixar as coisas acontecerem, eu penso demais e dessa vez quero que aconteça tudo natural.

Olhei para ela e ela estava me observando. Os olhos castanhos dela me refletindo. Fiquei bastante nervosa quanto à isso.

No começo do ano passado, quando ainda estava abalada com a morte de meu avô, Vero e Dinah foram meu porto seguro de todas as formas, mas as coisas começaram a ficar estranhas quando passei a sentir bastantes sentimentos por Veronica. Ela estava lá para mim como ninguém, era extremamente cuidadosa, me cuidava para eu não ficar triste e todos os dias ia me visitar. Passava horas conversando sobre tudo, dividindo comida e músicas. Ela até me ensinou a tocar violão, e com muita dificuldade eu consegui, e isso se tornou uma distração. Àquela altura eu já sabia que nutria alguma coisa a mais em relação a garotas. Ela e Dinah sabiam disso, tanto que cheguei até a namorar sério uma garota, antes de meu avô morrer, mas não deu certo, éramos muito diferentes. E então eu me apaixonei da forma mais idiota. Nunca falei nada, mas sempre esteve na cara tanto pra mim quanto pra ela o que eu sentia. Com um tempo eu fui esquecendo disso, mas então voltou tudo à tona alguns dias antes da minha viagem, no término das aulas, e desde então temos trocado flertes e olhares que não sei ao certo decifrar. 

Veronica é linda. Tem essa cara de menina inocente, mas só a cara. Ela é determinada e nada boba. O que eu mais gosto nela é seus olhos, não só a íris mas também todo o seu contorno, seus cílios longos e a cor castanho escuro deles. Eles me passam carinho toda vez que ela me olha. Eu não sei quanto a nós, mas espero que dê tudo certo.

Bocejei e ela sorriu.

- É melhor irmos dormir, amanhã você precisa estar descansada.

- É, você tem razão. - respondi e em seguida me levantei, fechei a televisão e fui em direção a cozinha para beber água enquanto Veronica cuidava de acordar Dinah.

Encontrei ela na sala de novo e subimos em direção ao meu quarto.

Eu e Dinah sempre dormimos na cama enquanto Veronica dormia no meu saco de dormir.

Não adiantava, ela insistia em dormir lá.

Dei um beijo na bochecha de Dinah e sussurrei um "boa noite". Me virei para o outro lado para desejar boa noite a Veronica, que para minha surpresa já estava olhando para mim.

- O que? Não está com sono?

- Aham. Deita comigo? - me juntei à ela no saco de dormir e ficamos conversando sobre a minha semana e a dela.

- Eu te contei? - começou ela. - Eu e Dinah conhecemos umas garotas bem legais na nossa turma, aliás, sexta nós ficamos juntas no refeitório. Amanhã tenho que apresentar você a elas. - falava enquanto tirava uma mecha de cabelo do meu rosto. Estávamos sussurrando e a maneira que ela falava isso... Era como se eu fosse sua garota.

- É mesmo? - sorri.

- É... - ela fechou os olhos.

- Veronica?

- Hum? Diga, honey.

- Boa noite. - dei um beijo em sua testa, virei para o outro lado e adormeci ali do lado dela mesmo, mas não sem antes perceber um beijo no topo de minha cabeça.

- Boa noite, Mila. - sussurrou de volta.

[...]

Na manhã seguinte, acordo com o barulho do despertador de Dinah pelo quarto todo. Abro os olhos e vejo que Veronica ainda está dormindo ao meu lado e Dinah toda esparramada na minha cama.

Chamo Vero com todo o cuidado e, quando ela já estava acordada, me dirigi a Dinah e joguei um travesseiro nela.

Fui a primeira a entrar no banheiro e fazer minha higiene matinal e enquanto me vestia pude ver melhor como o uniforme ficara em mim. A saia batia até o meio de minha cocha e a blusa de manga ficava um pouco comprida, mas nada que não resolva. Optei por um All Star básico cano médio pra acompanhar.

Assim que terminei esperei Dinah e Vero ficarem prontas, e assim fomos à escola, com Vero dirigindo seu carro. Ela sempre nos buscava em casa e nos levava, mas sempre que vai dormir lá ela leva o carro.

- É isso aí meninas, hoje começa pra valer o ano. - Dinah anuncia atrás do carro. Estava com um óculos escuros e seu cabelo estava com ondas.

- Pode crer, nada de farra, só estudos! Vamos levar esse ano a sério. - falou Vero.

- Tá brincando né? Logo você que adora uma festa.

Comecei a rir no banco do carona ao lado de Vero, que estava dirigindo.

[...]

Chegamos na escola atrasadas, como sempre. Todas as vezes Dinah sempre se atrasa, seja porque está se arrumando ou está comendo. Típico.

Nos dirigimos imediatamente às salas, mas não sem antes receber um beijo de Vero na bochecha:

- Boa sorte, respira fundo, vai dar tudo certo. Te vejo no refeitório honey.

A primeira aula era no laboratório com o professor Lugger, então eu demorei um pouco para encontrar a sala.

Bati na porta e Lugger já estava dando aula. Murmurei um "desculpa o atraso" e fui em direção ao fundo da sala.

Algumas pessoas estranharam minha chegada, outras estavam mais atentas a aula. Sentei ao lado da única garota sem uma dupla e tentei ao máximo prestar atenção ao que Lugger estava ensinando.

- Oi, você é nova aqui né? Sou Lucy. - disse a garota ao meu lado. Ela tinha uma beleza notável e sorria para mim de forma simpática. Cabelos longos castanho claro, olhos cor de mel. Sorri para ela.

- Oi, meu nome é Camila.

- Então, nova aqui? Não que eu seja louca, mas não vi você semana passada nas aulas. - ela falava, enquanto observava as misturas químicas à nossa frente.

- Eu meio que estava viajando, então só pude voltar ontem.

- Ah sim, dizem que o primeiro ano sempre é o mais difícil.

- É...

Ela era uma boa parceira e assim fizemos as misturas, e até ganhamos um elogio conforme o professor ia anotando o desempenho das duplas.

- Você até que é boa com isso. - tentei começar uma conversa. Em parte porque a achei legal e porque precisava de alguém para me mostrar as coisas da escola nova.

- É, eu realmente gosto dessa coisa de química.

- Queria dizer o mesmo, mas não consigo aprender essas coisas assim tão fácil. Por outro lado eu adoro literatura, filosofia, artes e essas coisas. - eu falava e ela prestava bastante atenção. Parecia do tipo que não vê problema nenhum em conversar com uma estranha perdida como eu.

- Eu te entendo. - ela riu. - No começo sempre é difícil assim.

- Como é os professores daqui? Escuta será que você podia me ajudar a encontrar as salas?

- Eu gostei bastante deles, parecem ter bastante conhecimento. Próxima aula é história sim? Eu te acompanho, afinal, somos do mesmo ano.

Assenti e voltamos nossa atenção para a aula. Lucy se provou uma pessoa bastante atenciosa e não me deixou nem um segundo sozinha, o que eu agradeci mentalmente porque pela primeira vez eu estava sem Dinah e Vero por perto.

Ela me chamou para ir ao refeitório com ela e suas amigas e eu acabei por aceitar pois ainda não tinha encontrado as garotas.

[...]

- Onde será que está Lauren e as outras? - Lucy falava mais pra si mesma que para mim.

Me perguntei quem era Lauren embora não tenha dito em voz alta. Ao longe avisto Dinah e Veronica que não estão sozinhas. - Ah, ali estão elas! Camila, venha conhecer minha tribo, elas são legais relaxa.

Levantei meu braço afim de que elas me notassem, eu estava pouco atenta a Lucy. Dinah me viu do outro lado e acenou, chegando perto. Procurei Vero e a avistei, mas não estava sozinha. Uma garota estava ao lado dela andando em minha direção.

Cabelos longos negro escuro, pele clara como a neve. De longe dava para notar que era um pouco mais alta que eu, talvez uns três centímetros. E apesar de nunca ter sido boa em matemática, eu notei.

Enquanto ela se aproximava pude ver o que mais me chamou atenção entre todo àquele conjunto de coisas que a tornava tão diferente aos meus olhos. Verdes, como as folhas das árvores que eu costumava observar por horas à fio. A princípio não dava para notar se a cor dos olhos dela eram verde claro ou escuro, mas ainda sim eram únicos.

E em pensar que verde sempre foi minha cor favorita.

- Chegaram. - disse Lucy.

- Camila! Lucy? - dizia Dinah, enquanto revezava o olhar entre mim e Lucy. Veronica estava logo atrás dela enquanto a garota dos olhos verdes conversava com outras duas meninas, atrás de Dinah.

- Espera aí, vocês se conhecem? - perguntei confusa. A garota de olhos verdes parou a conversa e olhou para mim.

- Claro honey, essa são as garotas que te falei. - disse Vero. - Lucy essa é a Camila, nossa amiga que esteve fora por uma semana.

- É a gente já se conhece! Eu disse que ia apresentar ela à vocês!

- Bom, acho que não precisa. - disse enquanto mantinha meu olhar na garota dos olhos verdes. Ela estava me olhando todo esse tempo.

- Já que vocês se conhecem deixa eu apresentar as minhas amigas a ela. - Lucy se pronunciou. - Essa é Normani. - ela me apresentou a uma menina negra, alta e bastante bonita. Dei um "oi" envergonhado, eu estava sem jeito com tudo aquilo. - Essa gostosa aqui é a Keana. - continuou ela, apontando para uma garota realmente muito bonita, olhos castanhos e corpo esbelto. Keana foi a mais calorosa e me deu um abraço, o que me deixou sem graça, mas eu o retribui.

E por fim ela apresentou-me a garota dos olhos verdes, aquela ao qual estava olhando fixamente para mim desde que chegou. - E essa garota dos olhos verdes incríveis é a Lauren. - ela, que ainda me olhava, deu-me um meio sorriso sincero e simpático enquanto acenava com a cabeça. Eu tinha que concordar que seus olhos eram realmente incríveis.

- Prazer Lauren. - disse, enquanto a observava atentamente, com o coração perigosamente acelerado, e ela fazia o mesmo.

Eu acho que você sabe imediatamente. Você sabe assim que seus olhares... Então tudo o que acontece a partir dali apenas comprova que você estava certa desde o primeiro momento. Quando você de repente percebe que você estava incompleta e que agora você está completa.

- Imagine eu e você.


Notas Finais


Perdoem-me os erros e dêem suas opiniões. Boa leitura gente.❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...