História É dia das crianças - Capítulo 1


Escrita por: ~ e ~Butantan

Postado
Categorias EXO
Personagens Kris Wu, Lay, Lu Han
Tags Cookiesparasnakes, Dia Das Crianças, Exo!kid, Friendship, Layhan, Luxing, Slight!taoris, Xinghan
Visualizações 48
Palavras 3.144
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Famí­lia, Fluffy, Universo Alternativo

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, estrelinhas!

Essa é uma fanfic especial para o dia das crianças, que está saindo beeem no finalzinho dele, mas o importante é que está, não é mesmo? É friendship layhan porque a amizade desses dois é a coisa mais lindinha do mundooo! A participação do Kris na fanfic é influência da @kylniih, mais meigeni que ela só duas dela mesmo n.

A fanfic também pertence aos famigerados biscoitinhos, de número 19: Uma de dia das crianças. A capa é só uma fanart que a Niih encontrou pra mim, veja se não é a coisa mais linda do mundo todo aaaa <3

Eu espero que vocês gostem desses dois heroizinhos mirins contra vilões imaginários e tenham uma boa leitura!

Capítulo 1 - E Luhan não queria estar sozinho


É dia das crianças

Capítulo único - E Luhan não queria estar sozinho.

 

Luhan estava emburrado.

 

A bem da verdade, sempre fora uma criança bastante compreensiva e calma que entendia todos os motivos por seus pais não poderem estar ao seu lado o tempo todo. Como precisavam trabalhar para dar o melhor que podiam ao filho único, poucas eram as vezes em que estavam em casa para poder aproveitar o dia com o pequeno, mas Luhan entendia que era necessário e não fez birra quando lhe disseram que passaria os dias com babás, porque era pequeno demais para se virar sozinho em casa.

 

Porém, naquele dia seus pais lhe disseram que ficariam em casa para aproveitarem o dia das crianças juntos, mas não foi isso o que aconteceu. Imprevistos nos trabalhos dos dois aconteceram e se viram impossibilitados de passar em casa o dia que seu filho estava esperando há tanto tempo. Não sabiam como dizer ao pequeno Luhan de que não estariam juntos no dia das crianças, mas esperavam que os brinquedos comprados pudessem tornar a situação melhor.

 

Por esse motivo, Luhan se via rodeado dos bonecos de Power rangers, sua mais nova obsessão, e emburrado enquanto olha para Wu Yifan, o garoto que seria seu babá pelo dia das crianças.

 

“Eu quero os meus pais!”, Luhan bradiu mais uma vez, enquanto Yifan tentava fazê-lo brincar consigo para que deixasse de manha. “Eles prometeram!”

 

“Eles não estão aqui agora, Han, mas eu aposto que vão voltar super rápido!”, Yifan disse. “Você não acha que o tempo passaria mais rápido se você aceitasse brincar comigo ao invés de ficar aí sentado de braços cruzados?”

 

Wu Yifan era apenas um adolescente em seus quinze anos, necessitado de dinheiro para poder finalmente sair com sua namorada, YuTao, e que precisava exercer sua paciência sempre que ficava responsável pelo filho dos Lu. Luhan não era uma criança difícil, mas se tornava complicado lidar consigo quando estava emburrado. Apesar de tudo, entendia os motivos da criança, estava planejando o dia com os pais há semanas, todas as brincadeiras que fariam e Yifan sabia que não era a mesma coisa brincar consigo, mas precisava tentar.

 

“Eu não quero brincar com você, gege, eu quero o meu pai!”, Luhan tornou a repetir. “Você não pode me carregar nos ombros como ele!”

 

Yifan sabia que o pequeno garoto de sete anos não fazia por mal, mas já não tinha ideia de como poderia aliviar seu lado para que Luhan colaborasse consigo. “Que tal você ir lá fora encontrar as outras crianças, se não quer brincar comigo?”, tentou. “Você pode ver quem também ganhou bonequinhos e brincar com eles!”

 

“Eles não são bonequinhos, são os Power Rangers!”

 

Yifan tinha se esquecido sobre como crianças se ofendem fácil com as coisas que gostam.

 

“Erro o meu, aposto que os seus outros amiguinhos não vão errar assim”, respondeu. “Vai lá com eles!”

 

Luhan ainda parecia um pouco emburrado, mas desceu do sofá com seus novos bonecos amontoados em seus braços e caminhou até a rua. Como de costume, havia diversas crianças correndo pela pacata rua mostrando seus novos brinquedos umas para as outras, algumas isoladas em grupinhos já com suas brincadeiras montadas. Yifan observou da porta a forma como Luhan se animou um pouco ao ver todos com seus brinquedos, o desejo infantil crescendo em si de mostrar também o que havia ganhado.

 

Resolveu deixá-lo sozinho por algum tempo; a rua da casa dos Lu era bastante calma e as crianças estavam espalhadas por toda a rua, não haveria perigo nenhum e Luhan era bastante sensato em saber que não deveria ficar no meio da rua. Aproveitaria o tempo em sossego para continuar conversando com YuTao, agora que não teria que continuar tentando animar o garotinho.

 

Com seus bonequinhos prontos para serem mostrados, Luhan caminhou pela calçada à procura de algumas crianças com brinquedos semelhantes com quem pudesse brincar. Já que seus pais não estariam consigo no dia que aguardou por tanto tempo e Yifan estaria ocupado com seu celular - Luhan não era nada bobo, sabia que seu babá não queria mesmo brincar com ele, só queria que Luhan falasse bem de si para seus pais -, ele se ocuparia com outras crianças que partilhassem do mesmo interesse que o seu.

 

Havia aguardado por muito tempo para que ganhasse seus bonequinhos e estava muito feliz com eles, ansioso para mostrar para todos em cada um dos pequenos detalhes. Adorava assistir aos episódios com seu pai e constantemente importunava seu progenitor para que brincassem das aventuras de seus heróis favoritos. Não teria presente de dia das crianças mais adequado para Luhan do que os cavaleiros que ele tanto amava.

 

Enquanto caminhava pela rua, olhou para uma das casas próximas à sua e encontrou um garoto mais ou menos da sua idade sentado à soleira da porta, olhando de forma cabisbaixa para as crianças passando com seus brinquedos. Luhan notou que não havia nada ao seu redor e a forma como os olhos tristes focaram-se em si assim que parou em frente a seu quintal. De repente, os bonecos em seus braços pareceram pesar mais do que o normal.

 

Luhan se aproximou, em passos cautelosos para não assustar ao garoto. Queria saber porque ele parecia triste e porque não havia nenhum brinquedo consigo. Era dia das crianças, ora! Não havia porque nenhuma criança ficar triste em um dia que significava apenas brinquedos novos e diversão para Luhan.

 

O garoto não esboçou nenhuma reação quando Luhan parou à sua frente, tampouco quando o intruso sentou-se à sua frente, os bonecos dispostos em suas pernas cruzadas. Seus olhos focaram-se nos bonecos e Luhan percebeu quando o garoto se moveu ligeiramente para frente, como se estivesse interessado em seus brinquedos.

 

“Qual é o seu nome?”

 

O garoto levantou o olhar, parando de olhar para os bonecos. “Yixing”, respondeu. “Zhang Yixing, na verdade.”

 

“Meu nome é Luhan”, respondeu, animado. “Na verdade, é Han, mas eu não gosto porque é muito curto.”

 

Yixing riu de leve porque seu novo conhecido parecia animado demais. “Tudo bem, Luhan então.”

 

Luhan sorriu porque não precisou de muito para fazer com que seu novo amigo - Luhan gostava de fazer novos amigos - rir, tirando de seu rosto o semblante triste que o encontrou. “E por que você está aqui sozinho? Todo mundo está na rua brincando!”

 

O sorriso morreu nos lábios de Yixing. “Ah… Eu não tenho com o que brincar com eles”, respondeu encolhendo os ombros. “Meus pais não puderam me dar nada este ano e está tudo bem para mim, mas as outras crianças só querem saber de seus novos presentes.”

 

Luhan não tinha pensado na possibilidade de que algumas crianças não ganhavam brinquedos no dia das crianças. De repente, pareceu bem ruim continuar ali sentado com todos seus bonecos à mostra, como se estivesse confrontando Yixing já que o garoto não havia ganhado nada. Encolheu-se em seu lugar, apanhando seus bonecos para mais perto de si e percebendo a reação de seu vizinho com sua ação; Yixing também pareceu se encolher, como se estivesse com medo de que Luhan estivesse pensando que apanharia seus bonecos.

 

“Você…”, Luhan começou, agora tímido. “Você quer brincar comigo? Eu tenho vários Power rangers, como você pode ver.”

 

“Você não se importa?”, Yixing perguntou.

 

“Qual a graça em brincar sozinho?”, Luhan sorriu, entregando-lhe um dos bonecos. “Eu vou ser o ranger azul e você pode ser o vermelho!”

 

Yixing apanhou o boneco estendido, com um novo sorriso em seus lábios. Luhan se sentia mais à vontade agora com Yixing sentando-se ainda mais próximo de si e articulando o boneco para que pudessem criar uma história com eles. Os demais power rangers foram esquecidos ao lado das duas crianças, até que pudessem ser introduzidos na trama que criavam no improviso. Estava tão feliz em poder ajudar seu novo amiguinho que Luhan sequer se recordava do porquê estava triste antes.

 

A brincadeira entre os dois garotos evoluiu até que não pudessem mais continuar sentados, correndo pelo quintal com os bonecos em mãos, Luhan segurando o azul e o preto enquanto Yixing levava o vermelho e a amarela; o som de suas risadas eram audíveis e atraíam atenção dos vizinhos, que observavam curiosos aquela aproximação. O garoto dos Zhang não costumava se entrosar com muitas crianças e era uma surpresa que o filhos dos Lu tenha conseguido se aproximar.

 

Na mente das duas crianças, o quintal se transformou na moderna Tóquio, que estava sendo destruída pelo vilão chamado de Pirralho - Yixing não tinha ideia de como alguém com este nome poderia ser um grande vilão destruindo a cidade, mas Luhan escolheu e ele apenas continuou se divertindo - e ambos precisavam lutar para salvá-la de seu terrível destino. Parecia bobo para quem visse de fora, mas, para aqueles dois, era a maior aventura que já viveram.

 

Yixing já não se divertia dessa forma há muito tempo, sem se preocupar com o que diriam ao ouvirem seus risos. Estava há tanto tempo preocupado em parecer um bom garoto e não dar trabalho aos seus pais que já eram ocupados o suficiente que esqueceu-se de como era bom se divertir sendo apenas uma criança como qualquer outra, inventando histórias em sua mente, correndo pelo quintal enquanto se imagina sendo o maior herói já existente.

 

Era ainda mais divertido quando tinha companhia e, apesar de ser a primeira vez que via Luhan, já sentia como se fossem os amigos mais próximos do mundo. Os risos do novato invadiam seus ouvidos ecoando os seus, enquanto corria à sua frente fazendo os bonecos voarem acima de sua cabeça. Yixing corria às suas costas, imitando seus movimentos, salvando o mundo ao lado da única criança que prestou atenção em si e não apenas em novos brinquedos.

 

Luhan também estava se divertindo mais do que esperava; talvez não se divertisse tanto assim com seus pais, já que nenhum dos dois teria paciência de correr consigo pelo quintal para salvar o mundo. Normalmente ficavam sentados de frente um para o outro brincando no sofá da sala de estar, enquanto sua mãe assistia e, por vezes, fazia o papel do monstro a ser derrotado. Eram poucos momentos, mas Luhan amava cada um deles; agora, seu novo passatempo favorito se resumia a Zhang Yixing.

 

“Vem, Xing!”, Luhan o chamou. “Nós vamos derrotá-lo agora!”

 

“Como é aquilo que você disse?”, Yixing perguntou, correndo para ficar lado a lado com Luhan que agora encarava a entrada do quintal como se fosse um grande oponente a ser vencido.

 

É hora de morfar!”, Luhan gritou fazendo com que seu novo amigo risse alto.

 

Ambos se colocaram em posição, unindo seus bonecos como se realmente pudessem realizar a metamorfose. Os gritos infantis tornaram-se ainda mais altos, enquanto gritavam palavras de ordem como se, dessa forma, pudessem vencer o vilão que existia apenas em suas mentes. Luhan não se recordava de já ter se divertido dessa forma porque não havia ninguém lhe dizendo para fazer silêncio ou brigando consigo porque estava fazendo muita bagunça; Yixing estava imitando seus movimentos, já que não conhecia muito bem a história daquilo que Luhan amava, mas estava disposto a aprender.

 

Yixing poderia ser um novo amigo e o garoto dos Lu queria que sua amizade não se encerrasse ao final daquela luta. Quando o vilão fosse derrotado e os bonecos voltassem a ser apenas bonecos, Luhan queria poder sentar-se ao lado do novo garoto e continuar rindo da mesma forma que estavam agora. Não havia passado mais do que vinte minutos enquanto corriam sem parar em círculos, gritando e rindo alto, mas já sentia como se fosse certo que deveriam continuar juntos.

 

Yixing poderia ser seu melhor amigo; o que seria do ranger azul sem o vermelho, afinal de contas?

 

Jogaram-se na grama ao lado do caminho de pedra que levava à casa dos Zhang, ofegantes com os bonecos jogados ao lado de cada um. O cansaço os alcançou assim que se jogaram ao chão, suas respirações ofegantes pelo esforço empreendido pelo tempo em que ficaram correndo. Apesar disso, o sorriso não saía de seus rostos enquanto descansavam para recomeçar, dessa vez um novo vilão em um novo cenário. O dia estava apenas começando e eles ainda teriam muitas aventuras para viverem juntos.

 

“Por que eu nunca vi você por aqui?”

 

“Eu me mudei não faz muito tempo”, Yixing respondeu. “E eu não costumo sair muito de casa porque mamãe me disse que eu deveria ficar em casa.”

 

“Nós poderíamos ser amigos há mais tempo!”

 

“Nós somos amigos?”

 

Houve esse momento onde Luhan pensou se Yixing realmente queria ser seu ranger vermelho ou se apenas ele estava imaginando-os ainda amigos depois que tivesse que ir embora. “Se você quiser, é claro que sim”, respondeu. “O que seria do ranger azul sem o vermelho?”

 

Yixing sorriu, ao contrário do que Luhan esperava. “Eu não sei nada sobre isso, mas você pode me ensinar! Eu quero ser seu amigo também.”

 

“Ainda temos muuuuitos vilões para derrotar!”, Luhan sorriu, sentando-se. Yixing imitou seu ato, sentando-se ao seu lado e agrupando os bonecos entre os dois. Já encontravam-se sujos pela terra e grama, mas era dessa forma que brinquedo de criança deveria ficar, afinal.

 

Os dois ainda teriam muito o que conversar, não fosse o fato de que Luhan ouviu, distante, a voz de seu babá gritando seu nome. Levantou-se de imediato, puxando Yixing consigo e entregando-lhe os bonecos novamente. Fazendo sinal para que mantivesse silêncio, Luhan o levou até o portão aberto, ouvindo os gritos soando cada vez mais altos. Abafou seu riso, vendo que Yixing entendeu o que deveriam fazer e também tentou se manter quieto para não entregar o plano dos dois.

 

Quando Yifan colocou o rosto para dentro à procura do garoto que deveria estar cuidando, a primeira coisa que viu foram bonecos coloridos surgindo antes de começar a ser atingido por eles. Os gritos dos dois garotos entrou em seus ouvidos, mas ele estava mais preocupado em se defender dos golpes que estava recebendo sem ter a menor ideia do motivo de estar apanhando. Encontrou Luhan à direita, sua risada o entregando de cara; apesar de estar bravo por ter sumido sem dar explicações quando deveria ter ficado onde Yifan podia vê-lo da porta de casa, sentia-se feliz por vê-lo rindo novamente.

 

Era uma criança adorável e que não deveria passar seu dia mais importante emburrado e preso dentro de casa.

 

“Por que diabos vocês estão me batendo?”

 

“Você é o nosso vilão!”, Yixing o respondeu.

 

“O Pirralho!”, Luhan enfatizou.

 

“Pirralho são vocês dois!”, Yifan respondeu, escapando dos golpes que estava recebendo. “Eu estava preocupado com você, Luhan!”

 

“Você disse que eu deveria encontrar crianças para brincar”, Luhan respondeu. “Eu encontrei o Xing.”

 

“Em um lugar onde eu pudesse olhá-lo, Han”, Yifan suspirou. “Seus pais me matariam se algo acontecesse com você, sabe disso.”

 

“Desculpa, gege”, Luhan abaixou a cabeça, envergonhado. “A gente só estava se divertindo, o Xing nunca viu os Power rangers e eu queria apresentar pra ele…”

 

Yifan suspirou, aproximando-se novamente e bagunçando os cabelos castanhos do garoto. “Está tudo bem, Han. Parece que seu novo amigo também estava precisando se divertir”, disse, vendo como Yixing pareceu se afastar e encolher os ombros com a bronca que o amigo recebeu. “Eu estava te procurando porque pensei que um sorvete poderia curar a sua manha, mas pelo visto você já está bem felizinho sem minha ajuda.”

 

“Nãããão, gege! Eu quero sorvete!”, Luhan pulou, de repente animado demais. “Vamos tomar sorvete!”

 

“E quanto ao seu amiguinho?”

 

“Ele pode vir com a gente, não pode, gege?”, Luhan pediu. “Você quer vir com a gente, Xing?”

 

Yixing encolheu os ombros, sem saber o que deveria responder. Uma parte de sua mente pensava que sua mãe não ficaria nada feliz se saísse de casa sem sua permissão, mas a outra parte, que estava ainda mais animada e era maior que a primeira, o dizia que não tinha problema se fosse porque a sorveteria era no final da rua, afinal. Estaria de volta antes mesmo que sua mãe pudesse notar, já que estava sozinho em casa.

 

“Eu pago o seu sorvete também, Xing”, Yifan o chamou.

 

Yixing sorriu, aproximando-se de seu novo amigo e juntando-se ao garoto mais velho, acompanhando-os até a sorveteria no final da rua. O dia das crianças já não seria um dia triste porque estava sozinho e não havia ganhado nada; Luhan continuava a tagarelar ao seu lado, contando sobre seu sabor preferido e perguntando qual seria o que Yixing escolheria, enquanto ouvia Yifan reclamar que não iria pagar por todos os sabores que Luhan estava indeciso.

 

“Hey, Xing”, Luhan o chamou. “Já que agora nós somos amigos, eu quero que você fique com o ranger vermelho, porque agora você é meu ranger vermelho!”

 

Yixing o encarou estendendo um de seus bonecos, com um sorriso radiante em seus lábios. Não sabia se deveria aceitar porque aquele era o presente de Luhan, mas sentia que, caso declinasse a oferta, provavelmente o sorriso de seu amigo morreria e aquilo era tudo que Yixing não queria ver. Ainda levemente receoso, apanhou o boneco com um sorriso tímido, agradecendo-o baixinho pelo presente.

 

Luhan se recordou de poucos instantes atrás quando ainda estava emburrado dentro de casa, sentindo falta de seus pais e pensando que aquele seria um dia das crianças triste e infeliz porque não passaria o dia todo fazendo aquilo que mais gostava. Contudo, agora sequer conseguia se chatear com isso; se seus pais tivessem ficado em casa, provavelmente não teria conhecido Yixing e não estaria indo tomar sorvete com seu novo amigo e o melhor babá do mundo.

 

“Gege?”, Luhan o chamou. Yifan tirou os olhos da tela de seu celular e voltou a olhá-lo, mantendo o sorriso em seu rosto. “Você estava certo. O tempo passou voando ao lado do Xing! Eu não queria que o dia acabasse.”

 

“Vocês podem repetir tudo amanhã, é sábado”, Yifan respondeu. “Não serei o seu babá porque seus pais vão estar em casa, mas aí você pode apresentar seu novo amiguinho!”

 

“E você vai sair com a sua namorada, não é?”, Luhan perguntou, cutucando Yixing para que pudesse participar da conversa. Yifan sentiu o rosto enrubescer, sem saber porque estava corando por dois pivetes da metade de sua idade. “Vê se não chama os brinquedos dela de bonequinhos também, gege!”

 

Yifan não pôde se impedir de rir. “Não vou, pirralho, obrigado pela dica.”

 

Luhan inflou o peito, orgulhoso por ter ajudado seu babá com sua namorada e agora emendando a conversa com Yixing novamente sobre as tardes que passariam assistindo Power rangers em sua casa. Já estavam imersos em seus planos para as próximas tardes quando Yifan voltou a olhar seu celular, terminando seu relato a YuTao sobre como alguns poucos bonecos conseguiram construir uma amizade em tão pouco tempo.

 

Era dia das crianças e Luhan não estava sozinho.


Notas Finais


Espero que vocês tenham gostado! Qualquer coisa, estou aí nos comentários, no twitter que é o @iambyuntiful e aceitando recadinhos no https://iambyuntiful.sarahah.com/ <3 Vocês também podem me encontrar na @hernameisbarbs aqui no Spirit, a minha conta secundária para ficlets! Não esqueçam de me seguir por lá <3

Até a próxima (que já deve ser o epílogo de Nós sempre teremos Paris) e beijinhos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...