História E foi assim... - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Exibições 65
Palavras 3.165
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Colegial, Escolar, Ficção, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 6 - Promete?


Fanfic / Fanfiction E foi assim... - Capítulo 6 - Promete?

-e ai? Como foi?- meu pai disse assim que entrei no carro

-foi bom

-sei

Logo chegamos em casa, o almoço já estava pronto. Eu passei à tarde sozinha porque meus pais estavam resolvendo umas coisas da loja. Eles chegaram eram umas cinco da tarde

-filha- minha mãe disse abrindo a porta- desculpe ficar tanto tempo fora- eu levantei o olhar do livro

-não foi nada

-nós vamos ter que sair essa noite

-por quê?- eu me levantei

-vamos ter que voltar pra nossa cidade, parece que esta acontecendo um estrago lá. Acha que consegue ficar sozinha ou quer vir com a gente?

-eu posso ficar aqui, fora que as aulas acabaram de começar não posso simplesmente faltar assim

-tudo bem- minha mãe falou- vamos passar no Maximo três dias fora, vou deixar tudo, absolutamente tudo o que você precisa. O telefone do hospital está aqui e já falamos com eles, se receberem uma chamada desse numero- ela apontou para o telefone- não precisam escutar uma palavra e eles virão pra cá correndo, então, por favor, Bruna ande com esse telefone para todos os lados

-ta, eu posso fazer isso

-é, eu acho que pode

Eles subiram, provavelmente arrumar as malas. Eu fui para o meu quarto e mandei uma mensagem pra Rosa

*eu*

Meus pais vão passar três dias fora

Ela respondeu imediatamente

*Rosa*

Legal, quer vir aqui em casa?

*eu*

Acho melhor ficar aqui mesmo

*Rosa*

Ta, então eu vou ficar com você ai

*eu*

Tudo bem

*Rosa*

Ei, o que acha de uma festinha?

*eu*

O que?

*Rosa*

Uma festa, eu posso organizar tudo. Assim que seus pais saírem

*eu*

Serio?

*Rosa*

Não vai ter nada de mais

*eu*

Então ta

*Rosa*

Tchau, vou começar o trabalho

*eu*

Tchau

-filha- minha mãe estava na porta- estamos indo

Me levantei e fui até eles, me despedindo. Assim que eles saíram eu fui tomar um banho. Eu estava vestindo o roupão quando meu celular começou a tocar

*ligação*

-ei, vem abrir a porta

-eu estou de roupão Rosa

-não tem problema, só estamos eu e o Alexy

-ta, to indo

*ligação encerrada

Eu desci as escadas e abri a porta. Ela e o Alexy estavam carregando muita coisa

-vai, tem mais coisas no carro- o Lexy me disse e eu fui ajudá-los a descarregar as coisas

Depois de um bom tempo decorando a casa estava de mais, tinha bebida na geladeira e os dois estavam lindos, lindos mesmo

-e agora o seu visual- a Rosa disse se levantando- daqui a pouco o pessoal chega e nada de você estar pronta

-ta, vamos- eu disse e os levei para o me quarto

-vamos ver vamos ver- o Lexy disse indo até o meu closet

*uma hora depois*

-você está linda

Eu me olhei no espelho, e estava mesmo. Eles escolheram um vestidinho preto tomara que caia, deixaram meu cabelo bem liso um sapato de salto lindo preto também. Nessa hora a campainha tocou e a Rosa abriu um sorriso

-chegaram, eu atendo

Ela disse e saiu correndo, eu e o Alexy nos encaramos e depois rimos e fomos atrás dela. Tinha muita gente, muita gente mesmo. Eu fiquei assustada, mas logo fui me acostumando

-vem- a Rosa me puxou quando a festa já estava bombando- vamos dançar

Eu e ela começamos a dançar, eu não estava nem ai, talvez eu já tenha tomado dois ou três copos de bebidas, o Alexy se juntou a nós eu nem sei que dança estávamos fazendo, eu só estava seguindo a Rosa, tinha muito rebolado nessa dança. Por um momento eu pensei em ter visto o Lysandre me encarando enquanto bebia. Eu fiquei o olhando e vi o Dejan o entregando alguma coisa, parecia um comprimido, ele colocou na boca e logo depois bebeu o que quer que esteja no seu copo e depois continuou me olhando

-eu vou pegar uma bebida- eu disse a Rosa

-vai com calma

-eu sei, já volto

Eu sai dali e deixei os dois brilharem e fui até a mesa de bebidas. Enchi dois copos, ia levar um pro Alexy, sei que ele ia querer ficar tomando do meu copo então já vou preparada

-dois é muito pra você- eu escutei o Lysandre falando atrás de mim

-não é pra mim- eu olhei pros copos- bom, um deles é- ele sorriu e começou a misturar as bebidas no seu copo

-de quem foi essa idéia?

-da festa?

-sim

-da Rosa

-eu sabia

-como sabia

-você não tem cara que dá festas desse tipo

-você não tem cara de quem participa de festas desse tipo

-tem razão- ele deu um gole na bebida e eu fiz o mesmo- eu não participava- nós estávamos falando alto, não chegávamos a gritar- mas as coisas mudaram

-então quer dizer que você é mais caseiro

-quando a situação pede sim

-é legal saber disso- mais um gole da parte dele

-ah é?- e outro, ele se aproximou de mim- e por quê?

-eu não sei realmente- eu tomei mais um gole do meu- só é legal saber

O Lysandre colocou seu copo na mesa e tirou os dois da minha mão. Depois voltou a me encarar, colocou as mãos na minha cintura e foi até o meu ouvido

-você é legal Bruna

-você também Lysandre

-pode me chamar de Lys- ele disse com a voz mais sexy do mundo

P. O. V Lysandre

Eu não sei se era a droga, eu a bebida, ou se era eu, mas tudo o que eu queria fazer agora era beijar a boca dela, só não sei se é o certo. Eu estava com as mãos na sua cintura, e se eu ficar com ela essa noite e acabar a machucando? Eu não quero que isso aconteça. A Bruna é muito frágil, parece que vai quebrar a qualquer momento e eu quero protegê-la

-eu já vou- disse sem pensar e sai dali a deixando sozinha

Eu passei pela multidão e quando abri a porta pra sair dali eu a olhei novamente, ela ainda estava parada no mesmo lugar, só que agora o Dake estava conversando com ela. O sangue subiu, eu apertava a maçaneta da porta com tanta força que minha mão já estava doendo, mas mesmo assim eu não fiz nada. Foi só quando eles se beijaram que eu tive coragem suficiente de abrir a porta e sair dali. Eu já estava no portão quando escutei uma voz me chamando, era a Rosa

-Lys- ela disse e eu parei de andar- eu vi

-o que?

-você e a Bruna, gosta dela não gosta?- eu suspirei sem saber se gostava dela ou não- Lys

-eu não sei

-ela ia ficar com você, ela gosta de você

-ela está ficando com o Dake lá dentro, não acho que isso mostre que ela gosta de mim

-ela gosta- eu finalmente me virei- só não sabe- eu sorri sarcástico- ela passou boa parte dançando pra você lá na festa, e eu já vi vocês na escola, ela fica nervosa do seu lado

-isso não quer dizer nada

-claro que quer. Lysandre não deixe ela escapar assim

-porque está fazendo isso?

-isso o que?

-me jogando pra Bruna

-não estou jogando, só dando um empurrãozinho

-Rosa para ta? Eu não gosto mais de você, não precisa ficar com pena de mim e me jogar para qualquer uma

-a Bruna não é qualquer uma

-eu sei disso- minha mente estava a mil- só tenho medo de machucá-la

-como você poderia?

-você não conhece todos os meus lados Rosalya, e não falaria isso e conhecesse

-eu conheço sim Lys e é por isso que estou falando pra ir atrás dela. Não vai precisar de muito para conquistá-la

Eu só conseguia balançar a cabeça em negação. Dei as costas pra ela e sai dali

P. O. V Bruna

Não sei por que o Lysandre fez aquilo, ele ia me beijar eu sei disso, mas desistiu no ultimo minuto, por quê? Minha visão o acompanhava, o mundo parecia ter parado e eu só conseguia vê-lo indo, suas costas largas e bem definidas, seu corpo se afastando de mim e porque eu estou tão preocupada? Não posso me apaixonar, de tudo isso é a coisa mais importante que eu tenho que fazer... Não me apaixonar. Será que já é tarde?

-...diga oi- escutei alguém dizendo

-oi?- me virei e vi o Dake rindo e vindo na minha direção

Ele me beijou, minhas mãos estavam no seu peitoral, no inicio tentando o empurrar, mas depois eu comecei a imaginar o Lysandre ali, imaginar como deveria ser seu beijo e como eu queria que fosse ele que estivesse ali na minha frente. Acho que a minha imaginação foi longe de mais porque por um instante eu pude sentir o seu cheiro. Meu corpo foi relaxando depois dessa sensação, eu parecia não sentir medo só de imaginar o Lysandre ali. Mas quando me dei conta abri os meus olhos e empurrei o Dake com tudo que claramente ficou confuso com minha atitude. Quando eu dei uns passos até a porta vi a Rosa entrando na casa, será que? Não, ela, ela é namorada do irmão dela eles não ficariam não é?

-amiga o que foi?- do nada a Rosa estava na minha frente

-não, nada. Eu só vou ao banheiro

-tudo bem

Eu olhei pros lados até avistar o Dejan, ele estava no meio de um grupo de meninas e meninos. Fui caminhando rápido e decidida, eu já sei o que eu preciso fazer

-oi loira, o que quer?- ele disse assim que me viu

-preciso falar com você

-okay- disse se soltando de algumas meninas- já volto- disse a elas

Nós fomos a um lugar mais reservado

-então, o que quer Clark?

-você tem mais?

-do que?

-daquilo que deu pro Lysandre e o que tinha dado pra mim na noite em que nos conhecemos

-ah- ele sorriu e colocou a mão no bolso- toma- me entregou- essa é diferente, mas vai com calma lorinha, você não está acostumada com isso

-mas posso não é? Me acostumar?

-pode, mas não vai ser de graça

-quanto quer?

-a grana não é muita na verdade o que eu preciso é de serviço- meus olhos se arregalaram e ele riu- não é isso que está pensando, as outras meninas estão dando conta do recado

-então o que quer que eu faça?

-a mesma coisa que nós. Entregas, pegar o dinheiro essas coisas

-não vai dar problema?

-se você ficar quietinha não

-ta, tudo bem. Eu faço

-por enquanto agente ta de boa, quando precisarmos a gente te fala

-ta

-olha- ele colocou a mão no bolso- toma essas- e me entregou mais algumas, poucas na verdade- de presente

-obrigada- eu sorri e ele saiu do quartinho

Peguei uma e engoli. Se isso vai me ajudar de alguma forma eu faço. Sai do quartinho e voltei a dançar com a Rosa. O Lexy nos trouxe mais bebidas e mais até eu não me lembrar de mais nada. Eu acordei no meu quarto com a rosa do meu lado e o Alexy do outro, minha cabeça doía muito, assim que eu me sentei eles acordaram

-bom dia- a Rosa falou bocejando enquanto se espreguiçava

Gente, a Rosa é linda até acordando, que menina é essa?

-bom dia- o Alexy disse sem nem se mover

-bom dia- eu disse

Me levantei enquanto os dois ainda estavam acordando e fui pro banheiro, estava meio calor então eu tomei um banho gelado o que me ajudou a acordar. Eu sai do banheiro dando passagem para os dois que se estapearam até o Alexy conseguir entrar primeiro. Eu entrei no closet e me troquei, coloquei um short preto e uma camiseta branca, peguei uma camiseta com estampa militar e uma bolsa preta. Peguei um tênis sneaker preto também e coloquei. O Alexy saiu do banheiro já vestido e a Rosa entrou logo em seguida

-você curtiu a noite não é linda?- ele perguntou enquanto calçava o tênis

-pra falar verdade eu nem me lembro

-eu percebi, você estava descontrolada

-meu Deus Alexy- eu me sentei ao seu lado- o que foi que eu fiz

-nada de vergonhoso fica tranqüila- eu respirei aliviada- mas eu não sabia que você dançava tão bem assim

-...

-você ficou dançando umas danças bem sensuais

-menos mal- eu tenho que pegar leve com essas coisas- bom, vocês querem fazer o café ou tomar numa padaria

-padaria- a Rosa disse, ela estava saindo do banheiro- empresta o seu secador

-claro, ta no closet

-okay- ela entrou lá e depois eu escutei o barulho do secador ligando

-tudo bem então, eu vou precisar de ajuda pra limpar tudo vocês sabem não é?

-claro meu amor, eu e Rosalya não somos qualquer um não

Eu sorri. Depois de um tempo a Rosa saiu, nós fomos andando, já perdemos o primeiro tempo e provavelmente chegaríamos atrasadas para o segundo, mas fazer o que não é? Eu entrei na sala que já estava lotada e me sentei ao lado de Kentin, uma das únicas cadeiras vagas e eu só conhecia ele naquela aula

-bela festa- ele disse assim que me sentei- você estava lá

-eu cheguei um pouco mais tarde, você estava bem animada

-eu exagerei um pouco na bebida

-é, eu percebi- eu mostrei a língua pra ele que riu e se voltou pra aula

Foi difícil, mas a aula terminou, agora eu tenho o clube de matemática. Não conheço ninguém que faça parte dele. Quando achei a sala eu vi o Armim e mais algumas pessoas que não conhecia

-olhos lindos eu não sabia que fazia esse curso

-nem eu que você fazia olhos lindos- eu ri, ele tem os mesmos olhos que eu

-eu me dou bem com calculo e como é obrigatório... Cá estou

-legal

-bom gente- a professora entrou na sala- vamos começar

Foi até que divertido, sentar do lado do Armim me garantiu boas risadas e ele realmente é bom nisso. A aula passou voando e nós fomos juntos até o refeitório. Eu vi o Lysandre e ele não parava de olhar pra mim. A Rosa percebeu eu acho, que do nada ela deu um sorrisinho e cochichou alguma coisa no ouvido do Alexy que também abriu um sorriso

-que aula você tem agora Bruna?

-aula vaga por quê?

-nada, se não iríamos juntas

-ata- disse estranhando

Quando o primeiro sinal tocou o Alexy se levantou

-vamos olhos lindos, eu preciso de você

-pra que?- eu perguntei enquanto estava sendo arrastada

-só vem

O Alexy me levou pra uma sala, aparentemente a sala de artes

-eu já volto, preciso de um favor seu não saia daí- ele disse fechando a porta

Eu estranhei, mas não discordei de nada. Fiquei olhando algumas pinturas. Me sentei numa cadeira e peguei minha lista que estava na bolsa e uma caneta

-deixa eu ver- disse pensando- já que quero aprender violão porque não compor uma musica? É...- eu escrevi- nadar pelada num lago- disse rindo de mim mesma e escrevendo. Ir numa festa a fantasia numa roupa de coelhinha

Ei- escutei alguém gritando e aporta sendo aberta logo depois fechava e pra fechar com chave de outro ela sendo trancada- abre isso- era o Lysandre

-o que foi isso?

-ai- ele se virou pra mim com a mão no coração

-desculpe

-não foi nada, só a Rosalya e o Alexy que me trancaram aqui

-porque eles fariam isso, o Alexy me disse que precisava da minha ajuda

-eu não acredito- ele colocou a mão na cabeça- eu não deveria ter falado nada pra rosa eu sabia que isso ia acontecer

-o que? Ter falado o que?

-que eu gosto de você, eu sabia que não- ele parou do nada e arregalou os olhos- eu disse isso alto?

-disse- eu estava tão surpresa quanto ele- você disse sim- não sei dizer o que estou sentindo

P. O. V Lysandre

Eu não acredito que eu falei, eu falei isso mesmo não era pra eu ter falado. E agora? Eu falo alguma coisa? Mudo de assunto? Eu acho melhor mudar de assunto até porque ela não gosta de mim

-e a lista?- eu soltei a pergunta do nada

-Lysandre- ela não ia esquecer aquilo tão fácil

-Bruna para por favor. Eu não vou agüentar outra rejeição

-o que?

-nada- o que deu em mim hoje? Será que eu não vou parar de falar?

-Lys eu não sei o que te falar- ela se aproximou de mim

-então não fala nada, só esquece que escutou isso

-eu não vou esquecer?

-por que não?

- porque isso era tudo o que eu menos queria- eu sabia- e tudo o que eu mais queria- ela colocou as mãos no rosto

-o que?

-é confuso eu sei, eu só não queria me apaixonar por ninguém e nem que ninguém se apaixonasse por mim

-parece que seu plano não deu muito certo

-não, não deu

-fazemos o que agora?- sua boca estava cada vez mais perto

-eu não sei

Eu a beijei, eu simplesmente a beijei. Ela pareceu surpresa no inicio, mas logo retribuiu, minhas mãos apertavam cada vez mais a sua cintura tirando e dissipando qualquer espaço entre nós. E a sensação, a sensação daqueles lábios era como... Como... Como uma manha de natal. Era doce e eu queria ter pra sempre, queria todos os dias e há todos os instantes, eu queria pra mim e só pra mim. Nossas línguas em perfeita sincronia como uma dança, um filme uma musica perfeita. Era lindo e mágico

Quando paramos o beijo não saímos das posições em que estávamos, meus olhos continuavam fechados e eu continuava sentindo a sal respiração. Minha mão não queria largar a cintura dela e ela muito menos me soltou. Eu só queria ficar ali por mais alguns segundos

-e agora? Pra onde vamos?- eu perguntei

-eu não sei, eu só quero sentir de novo- ela disse e me olhou nos olhos- eu quero muito sentir de novo- eu sorri junto com ela- mas...

-não Bruna, por favor, não. Se você quer e eu também o que impede de ficarmos juntos- minhas mãos seguraram as suas

-eu não quero te machucar Lysandre

-não me machucaria- eu disse a olhando nos olhos- ta, mas...

-o que?

-me promete uma coisa?

-o que? É só pedir

-nunca chore por mim ta? Nunca sofra por mim tudo bem?

-isso não faz o menor sentido- disse confuso

-acredite, vai fazer. Eu só posso ficar com você se me prometer isso

-eu prometo

-Lysandre não estou brincando

-eu sei, não entendo agora, mas sei

Eu a beijei novamente, você já imaginou um misto de todas as coisas boas da sua vida? Se não, imagine agora. Agora coloque tudo num potinho, coloque essas sensações numa única divina e maravilhosa sensação, é isso que estou sentindo agora. É tudo o que já aconteceu e o que poderia acontecer de bom comigo. Terminamos o beijo com selinhos e ela me abraçou logo depois



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...