História E o vento levou...


Escrita por: ~


Sinopse:
Meu corpo se havia ido. Eu, Kagura, estava agora livre de verdade.

Iniciado
Atualizada
Idioma Português
Categorias Inuyasha Kanketsu-hen
Personagens Kagura
Tags Drabble, Drama, Inuyasha Kanketsu-hen, Kagura
Exibições 36
Comentários 4
Palavras 519
Terminada Sim

Fanfic / Fanfiction E o vento levou...
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Drabble, Drama (Tragédia)

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Lista de Capítulos

Capítulo
Palavras
1.
Capítulo Único.
4
36
519

Gostou da História? Compartilhe!

Comentários em Destaque

Postado por ~TabataCosta
Capítulo 1 - Capítulo Único.
Usuário: ~TabataCosta
Usuário
uau... O que dizer dessa história? Simplesmente emocionante....

Sabe, quando eu vi a sua fanfic lá na categoria, com esse título tão chamativo e com uma forte referência, eu não perdi tempo. Logo entrei, desesperada para ser a primeira a comentar e favoritar, mas, infelizmente, não tive a chance. A Luna foi mais rápida do que eu kkkkk mas isso, é claro, não me impede de deixar o meu comentário mega gigante com qual você autora deve estar até mesmo acostumada. Lembra-se do meu comentário lá sua outra one-shot, onde eu falava sobre autoras que possuíam a incrível capacidade de aparecer do nada e provar que fanfics com poucas palavras também podem ser boas, e que você era uma delas? Pois então.... a minha opinião continua a mesma. Mas que Drabble mais gostosa de se ler foi essa que eu li agora. Estou mais do encantada, estou satisfeita, como a muito tempo eu não me sentia. Imagine um extenso campo de flores, banhado pelos fortes raios de sol, em um dia muito, mas muito quente. São muitas espécies diferentes de flores que crescem naquele campo, e entre um região repleta de rosas vermelhas como sangue, cravos e narcisos, cresce uma pequena margarida. Ela desejava ser tão bela e grande como as suas companheiras rosas, mas não aguentava mais o forte calor e estava quase morrendo. Ela percebia que grande parte das flores daquele campo sobreviviam bravamente ao calor ou até mesmo se aproveitavam dele enquanto que outras, assim como ela, sentiam falta da chuva. Fazia muito tempo que não chovia e a margarida sentia sede e calor, até que, de repente, sem nenhum aviso, um fina garoa cai sobre o campo de flores. As gotinhas de chuva são delicadas e leves e nem muito frias ou muito quentes, elas tinham uma temperatura ideal, uma temperatura gostosa de se sentir. Elas percorriam toda a extensão da margarida, desde as suas pequeninas pétalas até o seu grosso caule, alimentando o fundo do seu ser e a deixando satisfeita. E é exatamente assim que eu me sinto aqui agora MikoKira. É como se a categoria InuYasha, uma categoria ao qual eu sou devota a tantos anos, fosse um campo de flores banhado pelo sol. As flores, que são os demais autores e os leitores, tentam resistir ao calor, que é falta de boas histórias para se ler, e a margarida, que sou eu, não aguentava mais. Poxa, é tão triste ver que grande parte das autoras hoje em dia não escrevem mais por paixão. Elas escrevem pensando no tanto de leitores que irão conquistar com aquele conto, e se esquecem que na verdade o que importa é escrever aquilo que vem do seu coração. O que se vê não são mais histórias criativas, e sim cópias de grandes histórias criadas por boas autoras e reescritas por aquelas que se acham incapazes de criar. A inspiração ganhou a mesma colocação de copiação. É Ctrl+C Ctrl+V e nada mais. Mas porque estou falando isso? Bem, porque acho que essa one-shot é prova viva disso. Minha querida, em terra de fanfic SesshoumaruxRin, SesshoumaruxKagome quem escreve fanfic sobre Kagura é rainha. Fazia muito, mas muito tempo que eu ansiava por ler uma fanfic com uma pegada original, que eu sempre amei, e as suas fics estão sendo o garoa que está aliviando o meu calor. É uma estória boa atrás de outra, que me vejo obrigada a fazer algo que eu nunca fiz antes em todo esse tempo que estou no spirit. Vou colocar pra te observar, porque acredito que mais estórias boas estão por vir, e não vou ser eu que vou perde-las. Sobre essa linda one-shot que acabei de ler? Bom, entre os elementos que gostaria de ressaltar, está a sua escrita e uso de palavras muitíssimo bem articuladas. É como se cada metáfora utilizada tivesse por objetivo dar doçura e leveza a estória de modo que, mesmo se tratando de um assunto pesado, nos sentíssemos tão leves quanto a nossa Kagura e livres daquela melancolia que a acompanhava. Eu assumo que não senti 'aquela emoção toda' quando vi a Kagura morrer no anime, até porque eu não cheguei a me apegar totalmente a personagem, mas ver o modo como Sesshoumaru agiu diante dela causou algo forte em mim. A impressão que eu tive foi que algo ali havia se libertado e evoluído, e acredito que não foi somente a Kagura, e sim o Sesshoumaru. Ele aprendeu o significado de compaixão e dor de ver uma pessoa próxima falecer e com isso conseguiu amadurecer e evoluir um pouco mais, e na sua fic não foi diferente. Sim, aquele momento épico em que a Kagura morre foi um espetáculo de flores, que presenciaram um ser magnífico se soltar e alcançar aquilo que tanto almejava: ser livre como o vento. Assumo que assim como muita gente, eu me questionei " Mas porque não deixá-la viva dona Rumiko?",mas depois de analisar toda a história do anime eu pude chegar a uma possível resposta para essa pergunta. Talvez o fato de a Kagura ter falecido tenha sido um modo da Rumiko nos ensinar que não são todas as histórias que possuem um final feliz, e que as vezes é preciso que coisas assim aconteçam para que algo melhor venha, e que no caso seria a evolução interna do Sesshoumaru. Se ele não tivesse presenciado a morte da mestra dos ventos ele não teria aprendido sobre a compaixão e não teria amadurecido o suficiente para que a Tenseiga respondesse a altura e ele finalmente pudesse utilizá-la como uma arma. De fato, a Kagura teve a habilidade de, mesmo depois de morta, conseguir ajudar o Sesshoumaru, e isso pode ser atribuído ao seu imaculado amor.

Bom, minha anja isso era tudo o que eu tinha que falar. Me desculpe mais uma vez o comentário gigante e qualquer coisa sem sentido que eu tenha dito ali encima, mas é que eu acredito que a escrita dessa Drabble significou para mim muito mais do que a libertação da Kagura. Significou também a libertação de uma autora das amarras da inocuidade. Beijos minha linda e até a próxima.