História E Por que Não Posso te Amar? - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Gravity Falls, Harry Potter
Tags Amor, Bill Cipher, Dipper Pines, Hogwarts, Incesto, Mabel Pines, Pinecest
Visualizações 154
Palavras 1.237
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


YOOOOOOOOOOOOOOOO MINNAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!!
Desculpem a demora, eu estava estudando e tall..
E também eu tive a ideia loka de escrever a fic toda no word e depois postar por partes.. :3
ENFIMMM...
Eu lembrei de varias coisas que eu tinha esquecido e coloquei na fic! >-<
ESPERO QUE GOSTEM MEUS UNICÓRNIOS!!! <3

Capítulo 3 - Primeira noite - Até que ponto eu posso ser horrível?


Fanfic / Fanfiction E Por que Não Posso te Amar? - Capítulo 3 - Primeira noite - Até que ponto eu posso ser horrível?

A vez de Dipper estava chegando. Mabel estava olhando para as pessoas presentes naquela sala. "Tem alguma coisa errada..." Mabel pensava. Alguma coisa estava a incomodando. Ela não fazia ideia do que era e mesmo assim insistia em pensar no assunto. Cada vez mais pessoas estavam passando pelo teste, mas nenhuma magia era parecida com a de Mabel. O nome de Dipper finalmente foi chamado. Ele se levantou da mesa e foi até a frente da sala. Dipper tomou o liquido. Suas pupilas diminuíram. Ele começou a flutuar no ar. Sua magia começou a se manisfestar. Era idêntica a de sua irmã. Dipper perdeu o equilíbrio mas voltou a se levantar. Dipper foi até a mesa. 

-Você está bem? - Mabel perguntou. 

-Estou.. - Dipper respondeu tonto. 

Mabel assentiu. Ela se levantou da mesa. 

-Aonde você vai? - Bill perguntou distraído. 

-No banhei...ro...- Mabel respondeu tonta. 

Tudo começou a girar. As vozes das pessoas começaram a ficar abafadas. Mabel caiu no chão. O professor parou de falar. Dipper se levantou de pressa e correu na direção da Mabel.

-Mabel? Mabel!? - Dipper disse desesperado. 

-Ela está bem? - O professor perguntou. 

-Nós vamos leva-la para a enfermaria! - Bill falou e pegou Mabel no colo. - Vamos Dipper. 

Bill abriu a porta e saiu pela mesma. Os dois correram pelos corredores semi iluminados até chegar a enfermaria. Mabel estava muito quente. Provavelmente era alguma reação pelo teste. "Por que eles fizeram esse teste?" Bill se perguntava. Horas se passaram. Mabel não acordava. Uma enfermeira entrou no quarto.

-Podem ir para os quartos de vocês. Eu aviso quando ela acordar. - A enfermeira disse com um tom de voz acolhedor. Dipper e Bill assentiram. Eles saíram do comodo. 

 

Mabel acordou. 

Ela sentiu seu corpo inteiro dormente assim que tentou se mexer. Ela se sentou na cama, se encolhendo por conta do frio. "Que lugar é esse?.." Ela pegou o cobertor fino da cama e estendeu sobre si. Mabel pegou sua varinha e a levantou. 

-Flagrate. - Quando as palavras saíram de sua boca ela pode sentir o ar frio. 

Um circulo de fogo se formou na sua frente. A luz do pequeno circulo estava queimando seus olhos. O circulo de fogo iluminou uma pequena parte do quarto, assim ela pode ver melhor. Ela se aproximou da porta. Havia uma plaquinha escrito "Enfermaria". "Eu desmaiei..o professor estava falando alguma coisa. Será que era importante?" Mabel pensava. Ela se aproximou da janela. O relógio que estava na parede marcava 2:34 da manhã. Mabel colocou seus dedos delicados na janela fria. Não havia lua e uma grossa camada de neve cobria o chão. E só ia almentando conforme a neve ia caindo. Ela se afastou da janela e caminhou na direção da porta. O circulo de fogo a seguia. Ela abriu a porta, com cuidado para não fazer barulho, e saiu. "Em que andar eu estou?" Mabel seguiu caminhando pelo corredor semi iluminado, até chegar em uma escada. Ela desceu as escadas e continou andando pelos corredores até chegar em uma porta gigantesca. Ela aproximou o circulo de fogo da plaquinha. "Biblioteca" Ela abriu a porta. Era pesada. 

Mabel entrou na sala. Era quente e tinha cheiro de poeira. Era acolhedor. Mabel deixou o cobertor fino cair no chão. Ela se aproximou das prateleiras de livros e começou a procurar um livro em especial. Seus dedos tateavam entre os livros iluminados pelo circulo de fogo. Quando ela finalmente achou o livro ela o pegou. Era pesado e empoeirado. Ela colocou o livro na mesa, sua respiração estava ofegante. Poeira do livro cobriu uma parte da mesa. Mabel abriu o livro e começou a procurar. Conforme ia lendo suas pupilas iam ficando cada vez menores. Algumas horas depois, ela fechou o livro e se levantou. Ela sentia sua respiração agitada. Ela apertou seus punhos e saiu da sala. Mabel desceu escadas. Ela se dirigiu a os dormitórios e ficou de frente a porta do quarto de Bill. Sua respiração estava ofegante. Ela deu três batidas fortes na porta. Nada. Ela começou a socar e chutar a porta. Não importava o barulho que ela estava fazendo, desde que ela conseguisse acorda-lo, desde que ela conseguisse falar com ele, ela não se importava. Bill abriu a porta sonolento. 

-Mabel? - Ele perguntou confuso. Mabel apenas entrou no quarto. O circulo de fogo a seguiu. - Você está melhor? -Mabel empurrou Bill contra a parede e o segurou. Ela o encarou.

-O que você fez? - Ela disse com certeza. Sua voz estava assustadora. 

-O que você quer dizer com isso?.. - Ele perguntou mais confuso ainda. 

-Não se faça de idiota!! - Ela gritou. - Eu pesquisei sobre a escola! Por que não recebemos nossas cartas? Por que não escolheram nossas casas no primeiro dia!? O que você está escondendo!? Qual é seu jogo!? - Mabel gritou. 

-Crianças com magia demôniaca não recebem cartas. Elas são quase como demônios. - Bill respondeu. - E eu não sei porque não escolheram nossas casas no primeiro dia. Eu estou tão confuso quanto você. Mas deve ter alguma coisa haver com o fato de que três demônios entraram na escola esse ano. O conselho deve estar em conflito. Por que você tinha tanta certeza de que eu tinha feito alguma coisa?

-Esse lugar é secreto! Como o Tivô Ford sábia desse lugar!? 

-Tá..Eu admito...Eu coloquei algumas anotações desse lugar nas coisas dele.. -Mabel o interrompeu. 

-Por que!? Você queria se vingar!? Eu não entendo!! - Mabel estava ofegante.

-Não! - Bill gritou. - Eu não quero vingança! Eu...só queria me desculpar com vocês... - Ele abaixou a cabeça. 

-O que?.. 

-Quando vi vocês entrando pela porta no primeiro, não acreditei que havia dado certo...que eu estava frente a frente com vocês de novo...

-Por que você apenas não foi até a cabana do mistério e se desculpou como uma pessoa normal?..

-Por que eu não sou uma pessoa normal! Eu sou um demônio fingindo ser uma pessoa normal! Eu estava cansado disso! Estava cansado das pessoas olhando para mim...aqueles olhares...Eu queria pelo menos dois amigos e mesmo depois de vocês terem chegado aqui..eu não consegui me desculpar com vocês.. - Mabel soltou ele. Ela estava se sentindo culpada por fazer ele falar tudo aquilo. Seus olhos começaram a se encher de lagrimas. - M-me desculpe...Me desculpe por quase matar vocês...por quase dominar o mundo e por quase acabar com tudo que vocês conhecem! -Lagrimas começaram a escorrer por suas bochechas cheias de sardas. Mabel o abraçou. 

-Me desculpe por te culpar...eu...que deveria me desculpar... - Mabel o segurou com força. O circulo de fogo se apagou. - Me desculpa mesmo..

-Não tem problema.. - Ele sorriu. - Eu era um idiota, você não poderia esperar menos... 

-Eu vou indo então... - Mabel separou o abraço e foi na direção da porta. - Até amanhã..

Ela saiu do quarto e se apoiou na porta. "Até que ponto eu posso ser horrível? Eu culpei o Bill e fiz ele chorar.." Mabel pensou. Ela seguiu pelo corredor frio e escuro até chegar na porta do seu quarto. Ela abriu a mesma com cuidado e entrou. Dipper estava dormindo profundamente. Ela colocou seu pijama e foi na direção da sua cama. Ela parou e olhou para Dipper. Ela foi na direção da cama do mesmo e se aconchegou na frente do mesmo. Ela sentiu sua respiração quente bater em seu rosto. 


Notas Finais


ESPERO QUE TENHAM GOSTADO!!! BEIJOS DE ARCO-ÍRIS!! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...