História E Por que Não Posso te Amar? - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Gravity Falls, Harry Potter
Tags Amor, Bill Cipher, Dipper Pines, Hogwarts, Incesto, Mabel Pines, Pinecest
Visualizações 138
Palavras 1.065
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


YOOOOOOOOOOOOOOOOO MINNAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!
Hoje eu provavelmente vou postar u monte de caps (se n postar tudo de uma vez :3)
ENFIM
ESPERO QUE GOSTEM MEUS UNICÓRNIOS!! <3

Capítulo 4 - Somos amigos!


Fanfic / Fanfiction E Por que Não Posso te Amar? - Capítulo 4 - Somos amigos!

Mabel acordou. Dipper estava olhando para ela corado. Ela se sentou na cama e o observou deitado. 

-Bom dia, Maninho.. - Ela disse sonolenta. 

-B-Bom dia... - Dipper respondeu. - Que horas você voltou da enfermaria?

-Umas 4:00 horas da manhã.. 

-Tão tarde assim? 

-Sim...Vamos, temos que encontrar o Bill. 

-O Bill? - Dipper perguntou confuso.

-Sim. Ele é nosso amigo, não podemos deixar ele esperando. - As palavras de Mabel deixaram Dipper pasmo. 

Mabel se levantou da cama e colocou o uniforme. Dipper entrou no banheiro. Mabel sentou do lado da janela. Neve continuava caindo, porém estava claro. Dipper saiu do banheiro e abriu a porta do quarto. Ele gritou. 

-O que foi!? - Mabel exclamou. 

-O-o que é isso?! - Ele perguntou com a voz trêmula. Mabel se levantou e foi olhar.

-É um gato morto, seu medroso! Precisava esse grito?! 

-Por que ele está na nossa porta!? 

-Tadinho, ele escolheu aqui pra morrer. Fim. Vamos. - Mabel fechou a porta, eles contornaram o gato. 

-Por que tem um gato morto na frente da porta de vocês? - Bill perguntou.

-Quem sabe. - Mabel respondeu.

Eles seguiram pelos corredores iluminados por velas. Ainda estava frio. Mabel sentia o frio em suas mãos delicadas. Bill abriu a porta da sala. Não havia ninguém. Na verdade os corredores estão vazios essa manhã. Uma garota pálida com cabelos que chegavam na metade de seu pescoço, passou correndo por eles. 

-Espera! -Mabel gritou na esperança de que ela soubesse alguma coisa. A garota parou e olhou para trás. Ela usava um óculos que realçava seus grandes olhos castanhos. Seus cabelos eram castanhos e ondulados. (autora invadindo a história ^^) - Você pode nos ajudar?

-Claro! Acho que ainda tenho um pouco de tempo. - Ela sorriu. - O que vocês precisam?

-Por que não tem ninguém nas salas? - Mabel perguntou.

-Hoje é cerimônia da escolha das casas. Vocês não sabiam? O professor explicou ontem e... - Ela fez uma pausa. - Você não é aquela garota que desmaiou no meio da aula ontem?

-É.. sou eu sim. Podemos ir com você? 

-Claro! - Ela sorriu. - Mas vocês vão precisar correr, a cerimônia já deve ter começado! - A garota se virou e começou a correr. Eles apenas a seguiram.

A garota de cabelos ondulados desceu as escadas té chegar no nível térreo. Havia primeiristas enfileirados ao lado do salão, Eles se juntaram a esses primeiristas e aguardaram a professora. A mesma chegou e começou a explicar a importância da cerimonia. A professora também explicou que cada casa foi fundada por um bruxo extraordinário e os alunos deverão se esforçar para ganhar pontos para suas casas no decorrer do ano letivo, pois no final do ano, a casa com maior numero de pontos ganhará a taça da casa, que é uma grande honra. Mabel não estava nem um pouco interessada no que ela estava falando. Alguém os chamou. As portas do salão se abriram. 

Os alunos antigos estavam sentados em mesas refentes a suas casas, aguardando os primeiristas. Mabel conseguiu ouvir alguns dos burburinhos falando sobre eles. Principalmente sobre "os problemas". Certamente eles estavam falando de Mabel e seu irmão. E de Bill, também. "Vai ser assim pelo ano todo?" Mabel pensou com raiva. A professora colocou um banquinho no chão, e sobre ele colocou um chapéu pontudo de bruxo. Um chapéu sujo e remendado. "Esse será o chapéu seletor?" Mabel havia lido sobre ele. Um rasgo se abriu junto a aba. Para a surpresa dos primeiristas o chapéu começou a cantar. Ele cantou alguma coisa embaralhada. Mabel conseguiu entender apenas três palavras. "Fadas" "Perigo" "Queda". "O que isso quer dizer?" Ela pensou.

Em ordem alfabética, os alunos foram chamados para sentar no banquinho e colocar o famoso chapéu. Após alguns momentos o chapéu anunciava alto, para todos ouvirem o nome da casa para onde o aluno iria. A primeira garota que foi chamada foi uma cuja o nome era "Alice". Depois da garota outro foi chamado. Mabel não prestou muita atenção, até chegar a vez de Bill. O chapéu fez uma pausa e anunciou alto "Hufflepuff". Mabel arregalou os olhos. Ela havia lido sobre essa casa. Era a casa perfeita para eles por conta de sua ancestralidade. Mabel desejava ir para esta casa. Assim que Bill sentou na mesa, ele foi recebido sem aqueles olhares e sem aqueles burburinhos. Mabel percebeu que a garota que eles encontraram também estava naquela casa. Ele parecia feliz. Mabel sorriu. Alguns minutos se passaram. Dipper foi chamado. Ele sentou no banco e o chapéu anunciou alto " Hufflepuff".  Ele se levantou logo depois e sentou ao lado do Bill. Depois de um longo tempo Mabel foi chamada. Ela hesitou e sentou no banquinho. Ela colocou o chapéu. 

-Gryff...- Mabel arregalou os olhos. O chapéu fez uma pausa. - Hufflepuff! - Mabel se levantou do banquinho e sentou no lado de Bill.

-Até onde vai a sua carência? - Mabel disse em um tom sarcástico. 

-Não sei do que você está falando. - Bill disse em um tom sarcástico. 

-Aham! - Mabel riu. "é possível manipular o chapéu ou ele mesmo mudou de ideia na hora?" Mabel pensou. 

-Do que vocês estão falando? - Dipper perguntou.

-Naada!! -Bill respondeu rindo. 

-Acabou que ficamos todos na mesma casa.. - Mabel disse distraída. 

-Sim!! - A garota de cabelos curtos sentou na nossa frente. 

-Ah, oi! - Dipper sorriu. 

-Desculpe não ter me apresentado antes. Eu sou Bakura. - Ela disse sorrindo. 

-Bakura?.. você por acaso seria.. - Dipper disse, Ela o interrompeu.

-Descendente das fadas? Sim. Apesar de eu não achar isso bom.. - Ela disse. 

O banquete começou. Mabel se concentrou em comer as coisas, e deixou os outros para trás. As aulas começariam amanhã e ela tinha que aproveitar o máximo possível de seu tempo livre. Bill se teletransportou para a frente da Mabel e roubou um bolinho.

-Você sabe que isso é contra as regras, não é? - Mabel disse. Bill apenas comia o bolinho. 

-Fica quieta! Ninguém viu. - Ele riu. 

-Toma cuidado, idiota. - Mabel viu um cartaz na parede e se aproximou do mesmo. "show de talentos" Mabel sorriu. "É amanhã..." 

-Você quer participar? - Bill perguntou em quanto comia outro bolinho. 

-Claro! Eu não sei por que uma escola de magia faria um concurso de talentos, mas eu quero participar! - Mabel disse animada. 

 


Notas Finais


ESPERO QUE TENHAM GOSTADO, MEUS UNICÓRNIOS <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...