História E se...? - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alice Longbottom, Alvo Dumbledore, Arthur Weasley, Augusta Longbottom, Barão Sangrento, Carlinhos Weasley, Cedrico Diggory, Cho Chang, Colin Creevey, Dino Thomas, Draco Malfoy, Fílio Flitwick, Franco Longbottom, Fred Weasley, Gellert Grindelwald, Gina Weasley, Gui Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Jorge Weasley, Lilá Brown, Lílian Evans, Lucius Malfoy, Luna Lovegood, Marcus Flint, Minerva Mcgonagall, Nymphadora Tonks, Olívio Wood, Padma Patil, Pansy Parkinson, Parvati Patil, Pedro Pettigrew, Percy Weasley, Remo Lupin, Rita Skeeter, Ronald Weasley, Rúbeo Hagrid, Severo Snape, Simas Finnigan, Sirius Black, Tiago Potter
Tags Harmione, Harry Potter
Visualizações 114
Palavras 2.363
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Ficção, Hentai, Magia, Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero que gostem.Esse capitulo deu um pouquinho de trabalho,mas acho que ficou bom.Agora está na hora de saber o que vocês acham.
Boa Leitura

Capítulo 6 - A desgraça de Harry


 

Harry estava passeando calmamente pelos corredores da escola,numa tarde de sexta-feira livre.O sol estava se pondo,e o céu meio alaranjado predominava.

A Griffinória jogaria contra a Sonserina no dia seguinte,era o jogo mais importante,pois sem dúvida alguma as duas casas tinham os melhores times da escola.Sem contar,é claro,as provocações entre os alunos.Malfoy não parava de caçoar Harry e seus amigos.Harry não podia negar se sua mão coçava,numa tremenda vontade de socar a cara do Sonserino.Principalmente quando chamava sua amiga,Hermione,de sangue-ruim.

- Olá,Harry – disse uma voz de garota,se aproximando dele.

Harry virou-se para trás,e se deparou com Cho.

- Ah,olá – disse o moreno.meio desconcertado.

- Você joga amanhã,não é? – perguntou Cho.

-Hum,bem...Sim – respondeu Harry – Por que pergunta?

- A escola inteira vai torcer por vocês – disse ela,com um sorriso – Ninguém suporta que a Sonserina ganhe por mais um ano consecutivo.

- É – confirmou o garoto.    

- Está ansioso?

- Não mais do que da primeira vez.

Cho riu.

- É,o primeiro jogo é sempre mais complicado.

Harry assentiu,e os dois ficaram algum tempo em silêncio.Harry observava o lindo entardecer,mas não pode deixar de notar que Cho fixava seus olhos nele.

-O que foi? – perguntou Harry,meio rude.

- Ah,não é nada – respondeu a garota,sem convencer muito,é que...

- HARRY!HARRY! – alguém gritava o nome de Harry.

Assustado o garoto começou a procurar por todos os lados.Rapidamente,alguém passou por Cho,com um empurrão e se jogou nos braços de Harry.Era Hermione,ela soluçava e chorava.

- Hermione... – disse Harry,sem entender,olhando para a garota abraçada com ele,estava lhe sufocando.

Cho revirou os olhos,meio sem graça.

- Bom,acho que eu já estou indo...

- Não,espere! – disse Harry,desesperado.

Cho parou bruscamente,talvez assustada com o tom de voz usado por Harry.

- Mione, o que aconteceu? – perguntou Harry,carinhosamente passando a mão pelos cabelos da garota.

- O Draco...ele foi...ele me...ele me chamou de Sangue-ruim – respondeu ela,com muita dificuldade – Eu já estava cansada disso...eu não...ah harry,vão me expulsar.

Harry percebeu que era melhor não continuar ali,ajeitou Hermione,que ainda continuava agarrada nele.

- A gente conversa depois – disse ele,se despedindo de Cho.

- Ok... – respondeu a garota,sem graça.

Quando Harry se aproximou de um banco,sentou,apoiando Hermione sobre sou ombro.Ela ainda estava agarrada a cintura do garoto.

- E o que você fez? – indagou Harry.

- Eu..eu não queria – disse ela,entre soluços – Eu quebrei o braço dele.

- QUE? – berrou Harry – Como é que...

- Eu dei um empurrão nele – explicou ela – Aí ele caiu...caiu de mal-jeito.O braço dele quebrou na hora.

- Meu Deus,Mione! – exclamou Harry.

- Ah Harry,eu juro que eu não queria – disse Hermione,soluçando.

- Se você não fosse minha melhor amiga eu te beijaria agora – disse o garoto,fazendo Hermione corar.

- Eu sou sua melhor amiga? – perguntou ela,meio envergonhada.

- Claro que é! – bradou Harry – Quem mais seria?

- É,você tem razão – disse ela – Mas você me beijaria?

- É,hum,bem..é que...Não foi isso que eu quis dizer – Harry sentiu-se com vergonha – O Malfoy mereceu!

Antes que Hermione pudesse falar qualquer coisa,a professora Minerva pigarreou alto,perto deles.

- Srta. Granger – chamou ela – A senhora pode me acompanhar?

O choro de Hermione aumentou ainda mais.

- Professora! – exclamou Harry – Você não pode fazer isso!

-Eu SEI,o que eu devo fazer,Sr. Potter – disse ela,irritada.

Hermione o olhou,os olhos vermelhos e marejados.

- Por favor,professora... – pediu pela última vez,Harry.

-Ande,Srta. Granger! – chamou novamente.

- Vai dar tudo certo – tranquilizou Harry.

Hermione não tinha a mesma convicção,mas acompanhou a Profa. Minerva.

- Onde estava com a cabeça.Granger? – murmurou a professora,enquanto agarrava Hermione pelo braço.

- Eu juro que não quis! – exclamou Hermione,enfurecida – Ele me chamou de sangue-ruim,professora!

- Isso não está mais em minhas mãos – disse ela,enquanto entrava num local com uma gárgula e murmurava alguma coisa que Hermione não conseguiu entender.

A gárgula se mexeu,levando à um piso com uma porta,que Minerva abriu.

Dentro da sala,haviam um homem loiro,de olhos cinzas e penetrantes,que se fixaram com nojo em Hermione.O outro homem era visivelmente mais dócil.Seus cabelos e a barba eram prateados e seus olhos azuis como o mar.Era Alvo Dumbledore,o diretor de Hogwarts

- Obrigado,Minerva – agradeceu o diretor.

- Então foi essa sujeitinha que fez aquilo com meu filho?! – disse o homem loiro,enfurecido.

- Mas educação Lúcio,por favor – disse Dumbledore,com a voz mansa e calma – Srta. Granger,pode nos dar a sua versão dos fatos?

Hermione ficou um pouco desconfortável quando o diretor lhe dirigiu a palavras.Todos estavam a olhando.O olhar de Lúcio fazia sua cabeça doer,de tão intenso e cheio de ódio que era.

A garota começou a contar sua história,parte por parte,começando desde quando Draco começou a chamá-la de sangue-ruim,até hoje.

- Está vendo,Lúcio – disse Dumbledore – Seu filho não é dos mais inocentes,é?

- Desculpe,diretor – disse Lúcio – Mas meu filho quebrou o braço de alguém?Se quebrou devo estar por fora...

- FOI SEM QUERER! – berrou Hermione.

- Olhe o tom de voz para falar comigo,sua san...garotinha – rosnou Lúcio – Exijo que essa garota seja expulsa!

Dumbledore deu uma risadinha.

- Não creio que ninguém vai ser expulso,Lúcio.Algumas detenções,talvez...Mas expulsar?Não,não...

- Ora...Isto é uma tremenda falta de controle sobre os próprios alunos! – vociferou Lúcio.

- Hum...Acho que essa questão de controle sobre os alunos cabe ao diretor,não é? – disse Dumbledore,mansamente.

Lúcio ficou vermelho de raiva.

- Isso não vai ficar assim! – bradou ele,apontando para Hermione.

- Lúcio... – advertiu Minerva

Tarde demais,o loiro passou por Hermione e pela diretora,e batendo a porta,se retirou da sala.

- Não se preocupe – disse Dumbledore,se dirigindo a Hermione – Sei que foi um acidente.Uma garotinha tão adorável como você não quebraria o braço de Draco Malfoy de proposito,mesmo com os insultos que ele vem proferindo contra você.Mas foi muita falta de responsabilidade empurrar ele,Srta. Granger.Você tem três detenções para cumprir,com a Profa. Minerva.Espero que isso não se repita mais.

Hermione,assentiu,satisfeita.A coisa que ela mais temia era ser expulsa,e não ia ser.Só isto já lhe deixava extremamente satisfeita.

- Venha – chamou Minerva,e Hermione a acompanhou,deixando a sala do diretor – A sua primeira detenção é amanhã,às 9:00 horas,ok?

- Mas professora! – exclamou ela – Tem o jogo de quadribol!
- E?Você nem gosta de quadribol,Granger! – respondeu a professora.

- Mas tem o Harry... – disse ela,tentando imaginar a reação do amigo.

- E ele precisa de você para jogar,por acaso? – disse a professora.

- Não,não é isso – diss Hermione tentando concertar.

- Na minha sala amanhã,9:00 horas – cortou a professora,se retirando e deixando Hermione sozinha nos corredores de Hogwarts.

Hermione começou a se encaminhar em direção ao salão comunal da Griffinória,cabisbaixa.Ela queria assistir o jogo do amigo,queria muito.Ela sabia que ele iria ficar triste por ela não poder ir.Mas,por que ela queria tanto assistir o jogo do amigo?

- Hermione! – exclamou Harry,assim que Hermione apareceu pelo buraco do retrato.

- Haha – disse Ron se aproximando – Você quebrou o braço do Malfoy mesmo?Só consigo imaginar a cara dele...”Meu pai vai saber disso”- falou imitando a voz de Draco.

- Pois é,o pai dele soube mesmo – disse Hermione

- Sério? – perguntou Harry,visivelmente preocupado – Eles vão te expulsar?

- Não,calma,calma – disse Hermione rindo da preocupação excessiva de Harry.

Hermione começou a explicar detalhadamente a história.

- Ah,mas que merda! – praguejou Ron – Detenção,na hora do jogo?

- É – respondeu a garota,tristonha – Eu realmente queria assistir o jogo – ela se virou para Harry.

- O importante é que você não vai ser expulsa – disse Harry.

Mas Hermione sabia que ele estava chateado,e se sentiu culpada por isso.

*** 

- VAMOS! – berrou Wood,quando o time da Griffnória entrava em campo.

O time da Sonserina já estava a postos.Suas expressões faciais já demonstravam que não seria um jogo muito amigável.

- Apertem as mãos – pediu Madame Hooch,aos dois capitães:Olívio Wood e Marcus Flint.

- QUE SE INICIE O JOGO! – berrou ela,enquanto liberava as bolas e Lino Jordan começava sua narração.

Harry,pela tática da Griffinória,sobrevoava o campo,em busca do pomo de ouro.

Ele não podia negar que não estava muito bem.Olhava toda hora para as arquibancadas,procurando por Hermione.De algum modo era como se ela desse sorte e coragem para ele.Ele não sabia por que.Simplesmente acontecia.

Harry nem viu quando o apanhador da Sonserina passou rapidamente por ele,quase arremessando-o da vassoura.

Harry o seguiu rapidamente,como uma águia de rapina,a procura de sua caça.Ele estava tão rápido que não conseguiu frear,colidindo com uma das torres do campo.Sentiu a dor tomar conta de seu corpo,seu joelho doía.Mas parecia não haver mais joelho ali.Harry só se lembrava de ter visto sua perna bamba e de desmaiar de dor.

- Ele está acordando! – Harry ouviu a voz de Ron,e alguns passos se aproximarem.

- Harry? – chamou a doce voz de Hermione – Você está bem?

- Meu filhinho acordou – Harry se surpreendeu,pois era voz de sua mãe.

O garoto abriu os olhos lentamente.Pôde ver ao seu lado esquerdo,Ron e Hermione,na sua frente seu pai,Tiago,e sua direita,sentada em um banquinho estava sua mãe,segurando sua mão.

- O que...aconteceu? – foi a única coisa que Harry conseguiu falar,com a voz rouca e falha.

- Você bem...como é mesmo? – perguntou Ron.se virando para Hermione.

-Rompeu o ligamento cruzado posterior  do joelho – respondeu ela – Harry,isso é muito sério,Madame Pomfrey tentou feitiços e mais feitiços...Mas parece que você vai ter que ficar um bom tempo aqui.

- Ficar aqui? – perguntou Harry – Mas tem de haver algum jeito...

- Ela tentou... – disse Hermione,com pesar na voz – Mas é uma lesão muito séria...Pode impedir até que...

- Até que? – disse Harry,curioso – O que vai acontecer comigo?

- Nada campeão – interveio Tiago – Nada...

Harry não acreditou muito,mas assentiu.

- Quem ganhou o jogo? – perguntou Harry,lembrando-se desse fato.

- Hum bem – começou Ron – Ninguém culpa você é claro...

- Fala sério! – exclamou Harry – Eu falhei!Falhei sim,não consegui frear....

- Ah não sua culpa – disse Hermione.

- É SIM! – disse Harry em tom alto – Você se quer estava lá para ver...

- Você sabe que não é minha culpa! – retrucou Hermione,chateada.

- Ah Harry,você não sabe o que está falando – interveio Ron.

- E por que não? – vociferou Harry.

- Hermione ficou desesperada quando soube que você tinha machucado?

- É mesmo? – perguntou Harry,erguendo uma sobrancelha para Hermione.

- Claro que é – confirmou Ron – Ela não arredou o pé daqui,fiquei até surpre...

- Deixem-me ver! – disse uma voz,se aproximando.

Era Madame Pomfrey,abrindo espaço entre os demais.

- Ah,você acordou,é? – disse ela,surpresa – Pensei que ia ficar desacordado por mais tempo...Também,faz tempo que não cuido de uma lesão dessas.É realmente uma das piores.Como se sente?

- Hum – Harry se examinou,sentia-se bem,exceto por seu joelho estar completamente travado e imobilizado – Acho que estou.

- Bem,vejamos... – ela tirou a coberta de cima de Harry,examinando o joelho do garoto.

- Que é que vai acontecer comigo em? – perguntou o garoto,desesperado por respostas.

- Isso é o que vamos ver agora,meu querido...

Madame Pomfrey puxou a varinha,colocando sobre o joelho todo imobilizado e remendado de Harry,ficou algum tempo,murmurando coisas para si mesmo.Harry suava frio,e como suva.Estava tenso.O que viria a seguir?Ele tinha medo...Medo daquelas possibilidades que pairavam sobre sua cabeça.

A enfermeira tirou a varinha de cima do joelho do garoto.

- Eu...já volto...um instante – disse ela,se retirando.

- Você está se sentindo bem mesmo,filho? – perguntou a mãe de Harry.

- Estou,mãe... – confirmou Harry pousando a mão sobre o joelho – Só estou sentindo um pouco de dor na parte traseira do joelho,parece um pouco inchado também,mas pode ser porque apertaram a imobilização demais,não é?

- É,pode ser... – disse Lilian.

- Lilian,Tiago,posso dar uma palavrinha com vocês? – disse Madame Pomfrey,reaparecendo.

Tiago e Lilian se entreolharam,preocupados.Tiago lançou um olhar de pena ao filho,abaixou a cabeça e suspirou.Lilian segurou a mão do marido.

- Nós já voltamos – disse ela,se retirando.

- Tem algo errado nisso aí – disse Harry.

- Vai dar tudo certo,Harry – disse Hermione,o tranquilizando.

- É,vai dar – confirmou Ron – Nós estamos aqui,pro que der e vier,amigão.

Harry sorriu para os dois,feliz por ter amigos iguais aqueles.Poucas pessoas tinham felicidade igual.

- E o que aconteceu com o Draco? – perguntou Harry,repentinamente.

- Madame Pomfrey curou ele em um segundo – respondeu Hermione – Eu estou com medo do pai dele...Dizem que ele é influente no conselho da escola,e também no ministério.

- AH!Aquele maldito – xingou Ron – Papai odeia ele.Vive infernizando a vida dele no ministério.Preconceituoso igual a ele,talvez só exista o Draco.

- Não se preocupe,Hermione – disse Harry – Como o Ron falou,nós vamos te ajudar.E se depender de mim ele não vai fazer nada com você.

Hermione corou,mas escondeu o rosto para que ninguém percebesse.

- Pai,mãe! – exclamou Harry,ao ver seus pais voltarem.Sua animação logo foi cortada pelas cabeças abaixadas deles,seguida por Madame Pomfrey,extremamente de séria.

- Sr. Potter – chamou Madame Pomfrey – Podemos ter um conversa?Pode ser aqui mesmo...Mas você tem que me prometer que vai ser compreensivo...

- O que eu tenho? – desesperou-se Harry.

- Calma filho – disse Lilian – Escute ela primeiro.

Harry assentiu,preocupado,preocupadíssimo.

- A lesão que o senhor teve foi gravíssima – começou ela,fazendo Harry abaixar a cabeça e colocar as mãos no rosto,desesperado.Ele sabia o que estava por vir – Pode trazer consequências pro resto da sua vida.Se não for tratada adequadamente.é claro.Portanto,eu,conversando com seus pais,concluímos que o senhor não poderá mais jogar quadribol...

-O QUE?– berrou Harry,que já chorava feito uma criança.

- Me desculpe,Potter – falou a enfermeira,balançando a cabeça negativamente – Mas é pro seu próprio bem.Pense!Se você voltar a jogar pode correr sérios riscos de nunca mais ter mobilidade no joelho direito.Talvez,se você evouluir muito bem.Possa voltar a jogar.Mas muito futuramente...

Harry já colocado o travesseiro na cara,somente soluçava,Hermione o abraçou,seguida de Ron.

- Vai passar,Harry – consolou Ron.

- Você é forte! – exclamou Hermione – Vai dar a volta por cima,sei que vai.

- Por isso,Potter – continuou Madame Pomfrey – Peço que você pense.É pro seu próprio bem,acredite.

Lilian e Tiago também envolveram o filho num abraço.

Harry não conseguia lidar com isso...Mal tinha acabado de entrar para o time da casa...Não poder jogar pelo resto da vida era demais para ele.Não tinha como superar.

- Os próximos dois meses acho melhor você ficar aqui,Potter – disse Madame Pomfrey – Para uma recuperação firme e forte.Os professores não se incomodariam de mandar as lições para você.

- É,e eu te ajudo,Harry – disse Hermione – Só você chamar que te explico a matéria.

Harry levantou a cara do travesseiro.Seu rosto estava vermelho e molhado,estava deplorável.Dava dó o estado do garoto.

- Obrigado,Mione – disse ele,com a voz chorosa,abraçando Hermione pela cintura e não soltando mais.


Notas Finais


E ai?Gostaram?Deixe nos comentários.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...