História E se... - Capítulo 67


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time, Piratas do Caribe
Personagens Capitão Jack Sparrow, Capitão Killian "Gancho" Jones, David Nolan (Príncipe Encantado), Emma Swan, Hades, Lacey (Belle), Lilith "Lily" Page, Madre Superiora (Fada Azul), Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Neal Cassidy (Baelfire), Regina Mills (Rainha Malvada), Sr. Gold (Rumplestiltskin), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Captain Swan, Captainswan, Once Upon A Time
Exibições 76
Palavras 2.029
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Famí­lia, Fantasia, Magia, Shoujo (Romântico)
Avisos: Insinuação de sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


VOLTEIIII
POHA!!
Eu não sou TÃÃÃO fã assim da Kéfera, mas fui assistir o filme "É Fada"
AMEI!
recomendo pra quem ainda não assistiu.
Mas pra quem NÃO gosta dela, bom, eu respeito.
Novidades!!
Teremos uma Fase 3 na fic!!!
A fase 2 começou quando eles foram para Storybrooke e agora, essa fase está acabando.
Sem mais enrolações....
Boa leitura!

Capítulo 67 - Crystal Apple


Fanfic / Fanfiction E se... - Capítulo 67 - Crystal Apple

Emma narradora ON

Depois do que aconteceu naquele restaurante maravilhoso eu estava cansada...

- Emma, você está bem? - Killian perguntou.

- Estou, só cansada - respondi.

Ele sorriu para mim e nós fomos até o quarto, eu coloquei meu pijama e deitei na cama, me aconchegando embaixo da colcha, logo Killian se juntou a mim, me aninhei em seu peitoral e nós dormimos abraçados.

Na manhã seguinte, eu acordei mais ou menos 08:00. Não queria acordar Killian e estava com preguiça de sair do conforto de seus braços.

Eu apenas virei para ele analisando seu rosto, seus cabelos, sua boca... comecei a acariciar sua face com meu polegar, passando-o levemente por cada parte. Senti ele me abraçando mais, o que me causou um pequeno incômodo por causa do bebê, então eu apenas pedi que parasse.

- Eu te amo, sabia? - ele perguntou.

- Não consigo me esquecer com você sempre falando isso - brinquei. - E eu também te amo.

- Hoje começa oficialmente o inverno - ele disse.

- Sim - afirmo.

Lembrei-me que tinha que contar uma coisa para Killian.

- Killian, minha tia Regina nos chamou para ir lá hoje a tarde tomar um café ou, talvez um chocolate quente... - digo.

Ele assentiu e beijou minha testa, depois passou a mão sobre a minha barriga.

- Acha que será uma menina? - ele perguntou.

- Acho e espero que sim, afinal, não posso fazer tranças no cabelo do Liam, posso? - respondo com uma pergunta irônica.

Ele riu.

Levantamos da cama e descemos preparar o café, e como já havíamos buscado Liam, eu preparei pra ele um leite morno com nescau. Assim que cheguei no quarto dele o acordei com carinho e entreguei o leite.

Desci as escadas de novo, sentei ao lado de Killian, comi uma torrada e tomei um café.

- Bom... acho que podemos dormir mais um pouco, certo? - perguntei.

- Podemos, temos bastante tempo antes da hora do almoço - ele respondeu - Mas e Liam?

- Vou colocá-lo de novo pra dormir - digo.

Subi e fui para o quarto de Liam, ele estava deitado na cama, sentei na cama dele e comecei a cantar.

"Brilha, brilha, estrelinha,
Como eu me pergunto o que é você
Brilha, brilha, estrelinha,
Como eu me pergunto o que é você
Acima do mundo tão alto,
Como um diamante no céu
Acima do mundo tão alto,
Como um diamante no céu
Brilha, brilha, estrelinha,
Como eu me pergunto o que é você
Brilha, brilha, estrelinha,
Como eu me pergunto o que é você
Brilha, brilha, estrelinha,
Como eu me pergunto o que é você
Brilha, brilha, estrelinha,
Como eu me pergunto o que é você"

Quando eu acabei ele estava dormindo como um anjo, dei um beijo em sua testa e fui para o meu quarto, Killian estava deitado na cama, deitei ao lado dela e logo peguei no sono.

Sonho Emma ON

Eu estava em uma casa com paredes brancas, estava tudo tão quieto, eu estava sozinha, comecei a andar pela casa, entrei em um quarto que estava emitindo uma luz rosa de dentro.

Era lindo, rosa clarinho com um berço e muitos bichos de pelúcia e uma cômoda branquinha como a neve, em cima dela havia uma caixinha de música marrom. Quando toquei a cômoda o quarto de bebê se transformou em um quarto de criança, aquele rosinha clarinho não existia mais, havia sido substituído por outra cor, um lilás, nas paredes tinha uma faixa com vários desenhos de floquinhos de neve e pequenos diamantes que brilhavam, o berço havia sido substituído por uma caminha com grades mais baixas. a única coisa que não havia mudado era a caixinha de música.

E cada vez o quarto mudava, como se a criança que dormisse lá estivesse crescendo.

Fui surpreendida por uma voz doce me chamando, virei-me e vi uma menina loira, com olhos em um tom verde-azulado, ela usava um vestidinho azul com algumas pedrinhas brilhantes. Ela não disse nada, apenas começou a andar, e foi andando até a cômoda e pegou a caixinha de música. Deu corda novamente e começou a girar e dançar ao ritmo da música.

Sonho Emma OFF

Acordei calmamente, foi um sonho sem sentido, mas calmo.

- Bom dia Swan - diz Killian vendo que eu havia acordado.

Ele estava em pé trocando de roupa.

- Que horas são? - perguntei com sono.

- 14:00 - ele respondeu.

- Meu Deus do céu! O almoço! Caramba! Como eu fui dormir tanto!? - me perguntei falando alto.

- Hey, calma! Tá tudo bem, eu consegui dar um jeito no almoço - Killian disse me acalmando.

- Okay - falo.

- Vem, levanta, temos que ir na casa da sua tia - ele disse.

Me levantei, coloquei um vestido branco médio com um cinto preto e um sapato preto também.

Peguei Liam no colo e fomos para a casa da minha tia.

Assim que chegamos eu toquei a campainha e logo ela atendeu, seu rosto estava vermelho, seus olhos mareados.

Entreguei Liam para Killian e fui com minha tia até o sofá, sentei-me ao lado dela e perguntei o que havia acontecido.

- Hoje não é um dia muito feliz para mim pois hoje é o dia em que... Robin e eu nos casamos... - ela disse.

Meu tio, Robin, tinha morrido três anos depois que o meu primo nasceu, em uma guerra para salvar o reino de um terrível vilão, que infelizmente, nunca foi identificado, só sabiam que ele usava uma capa preta como a noite e morava em uma floresta em um reino distante. Minha tia ficou abaladíssima com a morte dele e em todos os aniversários de casamento deles ela acendia uma vela colorida, normalmente verde, em cima da lareira do quarto dela no palácio.

- Eu sinto muito tia - digo.

- E agora... não tenho nem meu filho, que foi uma das únicas coisas que Robin deixou para mim...

"Uma das únicas coisas"? Como assim...

- Como assim tia? O que mais ele deixou? - perguntei curiosa.

Ela se levantou e foi até perto de uma estante, moveu um quadro e um pequeno espaço se abriu, e de lá ela tirou um pequeno pacote preto de veludo.

- Isto - ela abriu o pequeno pacote e tirou de lá uma pequena maçã vermelha de cristal - Ele me deu no dia em que saiu para a guerra, disse que... - começaram a escorrer lágrimas por seus olhos - disse que enquanto eu tivesse essa maçã ele sempre estaria comigo...

Levantei-me do sofá e a abracei com força tentando passar calma e segurança.

Assim que nos soltamos do abraço eu passei minha mão por seu rosto secando suas lágrimas.

Emma narradora OFF

FLASHBACK   ON

Na Floresta Encantada

Regina e seu marido, Robin Hood estavam muito felizes, pois moravam felizes com seu pequeno filho, Neal, de 3 anos. Eles moravam em um castelo perto de uma floresta magnífica.

Em uma manhã, um mensageiro chegou e pediu para o mordomo entregar uma carta urgentemente ao Rei Robin, e assim ele fez.

- Meu senhor, esta carta chegou agora mesmo, pediram para eu lhe entregar - diz o mordomo.

- Muito obrigado, dê-me a carta e pode ir - Robin respondeu.

Assim que leu a carta, Robin ficou paralisado, ms sabia que Regina precisava saber.

Esperou até a noite para contar a ela.

- Robin, você está estranho, o que houve? - Regina perguntou deitando-se na cama enorme do quarto deles.

- Recebi uma carta hoje - começa ele - dizendo que há um inimigo poderoso ameaçando nosso reino, e eu preciso lutar para detê-lo.

- Quer dizer que... vai mesmo sair em uma batalha impossível!? Digo, é muito perigoso! - Regina fala.

- Olhe... deixar você e o nosso filho é o que eu menos quero, mas não posso deixar de proteger o nosso reino! - Robin diz.

- Eu preciso pensar um pouco, vamos dormir e amanhã conversaremos - Regina diz e se aconchega na cama.

Na manhã seguinte Regina acordou e foi seguindo sua rotina normalmente, até a hora em que ela ouviu alguns cavalos e correu para se despedir de Robin.

- Robin! - ela gritou.

Ele correu até ela e a abraçou, deixando algumas lágrimas escorrerem.

- Tome cuidado entendeu? Faça o que for possível para voltar para mim e para o nosso filho - Regina diz chorando.

- Tentarei. E você, cuide-se, cuide de nosso filho e diga para ele quando acordar que o pai dele o ama muito - Robin falou.

Ele pegou um pequeno embrulho dourado e deu nas mãos de Regina, assim que ela abriu viu uma maçã de cristal.

- É linda... - Regina sussurrou chorando.

- Minha querida Regina... Enquanto tiver essa maçã eu sempre estarei contigo, eu amo você, e sempre amarei não importa quando, onde nem o que aconteça comigo - Robin disse.

- Eu também te amo... não importa o que - Regina falou abraçando-o de novo.

Assim que se soltaram do abraço, Robin colou seus lábios nos dela.

Um beijo apaixonado, com uma pitada de saudade.

Cinco meses depois...

Um dia frio de inverno, um mensageiro enviado do campo de batalha contra o inimigo misterioso chegou ao castelo de Regina com uma carta importante.

Assim que recebeu a carta Regina abriu e começou a lê-la.

" Minha querida Regina...

Estou lhe escrevendo essa carta pois acredito que não voltarei para casa, peço-lha que cuide de si mesma e do nosso filho. Já fazem cinco meses desde que cheguei na batalha, e ainda não consegui vencer o inimigo, tenha cuidado meu amor, este inimigo é perigoso, possui astúcia, agilidade e esperteza e como se isso não bastasse possui magia. Amo-te para todo o sempre. E como disse no dia em que nos despedimos, estarei contigo não importa quando, onde ou o que aconteça. Nunca se esqueça disso. Tenho muito orgulho de você. Adeus minha rainha. Eu te amo muito.

Para sempre Seu Robin Hood."

Regina começou a chorar, sentia muita saudade de seu marido e agora nunca mais o veria.

Neal entrou no quarto em que ela estava e perguntou:

- Mamãe, esse bilhete é do papai?

- É sim filho... Vem cá - chamou o pequeno que veio e sentou no colo dela - Seu pai te ama muito tá bom?

- Eu sei mamãe.

- E a mamãe também ama

- Também te amo mamãe! Quando o papai volta?

- Ele... vai ficar fora por mais um tempo, mas pode ter certeza que ele vai sempre te amar e pensar em você.

Assim que Neal saiu do local, deixando Regina sozinha, ela pegou a maçã de cristal que havia ganhado de Robin e "abraçou" o pequeno objeto.

- Eu te amo Robin... E te amarei para sempre - sussurrou para si mesma.

FLASHBACK   OFF

"Posso aguentar muito
Até ter tido o suficiente
Porque eu sou só humana
E eu sangro quando caio
Eu sou só humana
E eu me despedaço e eu me quebro
Suas palavras na minha cabeça, facas no meu coração
Você me constrói e então eu desmorono
Porque eu sou só humana"

Human - Christina Perri

"Amar pode doer
Amar pode doer às vezes
Mas é a única coisa que eu sei
Quando fica difícil
Você sabe que pode ficar difícil algumas vezes
É a única coisa que nos faz sentir vivos

[...]
Então você pode me guardar
No bolso do seu jeans rasgado
Me abraçando perto até nossos olhos se encontrarem
Você nunca estará sozinha
Me espere para voltar pra casa
Amar pode curar
Amar pode remendar sua alma
E é a única coisa que eu sei
Eu juro que fica mais fácil
Se lembre disso em cada pedaço seu
E é a única coisa que levamos com a gente quando morremos

[...]

E se você me machucar
Tudo bem, querida
Apenas as palavras sangram
Dentro destas páginas você me abraça
E eu nunca vou te deixar ir
Me espere para voltar pra casa
Me espere para voltar pra casa
Me espere para voltar pra casa
Me espere para voltar pra casa"

Photograph - Ed Sheeran

 


 


Notas Finais


Desculpa quem prefere Tody, mas eu prefiro nescau
"Rei Robin".... soa estranho.....
Capítulo triste, mas era pra ser assim mesmo.
Espero que tenham gostado. Eu coloquei Outlaw Queen, Captain Swan e um tiquinho de Swan Queen, na verdade, nem dá pra perceber direito.
Mas foi isso e desculpem pela demora


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...