História E Se...? - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Tags Bruxas, Caçadores De Bruxas, Ditadura Em Konoha, Naruhina, Naruto, Profecia, Sasusaku
Visualizações 25
Palavras 1.281
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Luta, Romance e Novela, Saga
Avisos: Álcool, Estupro, Linguagem Imprópria, Nudez, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Heeey galera! Tudo bom com vocês? :)

Dia de post com 5 capítulos para vocês se deliciarem e ficarem sorridentes! Maaas, antes de mais nada, fiz um vídeo MUITO ESPECIAL no meu canal falando sobre essa fanfic para vocês, leitores maravilhosos, então os convido a assistirem e conhecerem meu ambiente mais "nerd" onde fico tagarelando duas vezes por semana :3

Espero que gostem dos capítulos de hoje. Obrigada pelo carinho!

Boa Leitura!

Capítulo 24 - Capítulo XX


Capítulo XX

Indignar

*

Naruto
 

 

  Konoha, 16 de abril de 2015
 

Meu estômago estava embrulhado de fome e meus olhos ainda serrados de sono quando cheguei ao local onde o teste começaria sendo muito bem seguro por Kaya, e acompanhando Sakura e Sasuke.

Cai no sono por volta das sete da manhã, e acordei as oito sem nenhum sinal de Kakashi. Apenas Sasuke permaneceu de pé o tempo inteiro, aguardando em um silêncio soturno. Enquanto isso, Sakura executava movimentos suaves contra Kaya, que devolvia com igual suavidade com seu tessen. Elas estavam mais do que nervosas: estavam angustiadas, em pânico.

E eu não poderia culpá-las. Era terrivelmente injusto o sistema de Konoha. Elas não mereciam ser tratadas daquela maneira. Nenhuma garota merecia na verdade. Por que tanto desrespeito com as mulheres afinal? Não é por conta delas que existimos? Por trás de todo grande homem existe uma grande mulher, e é nisso que prefiro acreditar. Será que o Hokage seria alguém tão importante se não tivesse Yoko?

— Bom dia!

Levantei-me de supetão apenas para encarar Kakashi com uma fúria descomunal.

— VOCÊ ESTÁ ATRASADO! — berrei a plenos pulmões. O sol já estava quase no meio do céu, e meu estômago roncava de fome pela falta do café da manhã.

— Desculpem! Eu encontrei um gato preto no caminho e tive que vir por um atalho mais longo — Kakashi abriu a bolsa e depositou um relógio em cima de um dos quatro troncos que se encontravam naquele espaço. — Marcado para o meio-dia.

— O que? Para que isso? — Kaya questionou, a voz um tanto trêmula.

Kakashi mostrou dois guizos em suas mãos.

— Vocês tem que tirar esses guizos de mim antes do horário do almoço. Se não conseguirem, ficarão amarrados naqueles troncos apenas observando enquanto como meu almoço.

— Então foi por isso que não podíamos almoçar... — Sakura levou a mão à barriga, fazendo uma careta. O desagrado veio até mim também logo que meu estômago roncou de fome.

— Mas espera... São dois guizos — Sasuke falou com toda sua inteligência arrogante. Uhu. — Somos quatro.

— Exato! — Kakashi pareceu até mesmo mais animado diante daquela observação. — Apenas dois de você passarão no teste. Os outros dois serão reprovados.

O vento soprou com mais força, como se percebesse a tensão e o embrulhar de estômago que nos rodeou. Não era preciso muita inteligência para perceber até onde aquilo iria nos levar... Dois de nós passariam no teste. Entre nós quatro, caso eu conseguisse, certamente deixaria o outro guizo para Kaya. Mas e Sakura? Ela seria mandada para o Manicômio como um... Objeto sexual dos guardas.

Sasuke parecia ter pensado a mesma coisa, pois me encarou com certa obscuridade no olhar. Estávamos diante de um fogo cruzado. Eu não sabia ao certo os objetivos de Sasuke, mas não permitiria de maneira alguma que Kaya e Sakura fossem mandadas de volta para o Manicômio.

Mas isso significava abrir mão do meu sonho... Será que eu estava disposto a tal?

— Isso não é justo! — Sakura gritou, cerrando os punhos. — Você está nos separando!

— Eu crio as regras. Vocês obedecem — Kakashi foi irredutível. — Quando eu disser comecem, vocês vão se esconder. Estejam dispostos a me matar com qualquer tipo de arma. Vocês têm exatamente duas horas para pegarem os guizos, e o destino de vocês está neles.

Ficamos em posição de expectativa, e naqueles poucos segundos antes do início do teste minha mente vagueou as dezenas de possibilidades que poderiam acontecer a partir daquele dia.

Kaya estava em um aparente pânico, enquanto Sakura tremia de raiva. Sasuke parecia determinado e calmo, embora esboçasse certa apreensão. Respirei fundo.

— Comecem!

Saltei o mais rápido que podia, e o mais distante possível. Desapareci entre as árvores, pulando sobre os galhos e abrindo caminho. Precisava encontrar Kaya, e juntos teríamos que conseguir os guizos.

Fechei os olhos um tanto arrependido com meu pensamento. Tinha Sakura. Não poderia simplesmente esquecê-la.

Foi então que um movimento errôneo e repentinamente eu havia caído vários metros de encontro ao chão, com um baque que me fez sentir o estalar de diversos ossos e engolir alguns bocados de poeira.

Ergui o rosto apenas para reconhecer a figura de Kakashi, parado diante de mim com um livro laranja em mãos.

— Um ninja deve ter cuidado onde pisa — Ele falou calmamente, e cerrei os punhos me colocando de pé.

Grunhi sentindo uma raiva feroz. Tirei algumas shurikens do suporte preso à perna e lancei-as contra o sensei. Eu estaria disposto a matá-lo se fosse preciso libertar minha irmã.

Mas Kakashi meramente apanhou-as entre os dedos ainda lendo. As armas giraram em sua mão por alguns segundos.

— Okay. Isso foi razoavelmente bom.

— Você acha que tem o direito de reprovar Kaya e Sakura? Elas não vão voltar para o manicômio seu imbecil! — avancei contra ele ferozmente, e saltei disposto a lhe dar um soco. No entanto, Kakashi agachou-se e eu meramente voei por cima dele de encontro ao chão.

Merda. Um impacto repentino contra um monte de poeira. Cuspi e tossi alguns punhados de terra, colocando-me de pé quando notei o círculo de corda em que eu me encontrava.

— AHHHHH!

Uma corda me puxou pelos tornozelos para cima bruscamente, e me vi pendurado em um galho de árvore. Estupidamente preso!

— ME TIRA DAQUI! — berrei furioso, socando o ar com os punhos cerrados. 

Kakashi parou diante de mim, virando uma página de seu livro.

— Um ninja deve enxergar através da decepção. — sua voz ecoou em meus ouvidos por debaixo daquela máscara ridícula.

— EU ENTENDI! AGORA ME TIRA DAQUI!

— Não você não entendeu. Está desesperado querendo ajudar sua irmã. Então está irritado... Então não prestou atenção em nada do que eu disse. Entendeu?

Gritei irritado e xinguei-o de todas as maneiras possíveis. Não me preocupava se seria expulso ou não. Àquela altura eu não me importava com mais nada, a não ser tirar Kaya de um novo pesadelo que ela poderia enfrentar.

Minha irmã ainda tinha pesadelos frequentes com o manicômio. Por vezes eu ia acompanhar seu sono, e a encontrava em um constante sofrimento mental. O que aconteceria caso ela fosse para lá novamente?

A vontade de chorar surgiu, mas empurrei-a para o fundo do meu âmago bruscamente. Eu não derramaria uma lágrima diante daquele cara.

— ISSO NÃO É JUSTO! — berrei ainda me chacoalhando, tentando arrumar alguma brecha para escapar.

Kakashi já se afastava de mim com seu livro ainda aberto diante do único olho.

— Veja através da decepção. Quem sabe não consegue sair daí?

Bufei, observando-o desaparecer. Cruzei os braços diante do peito, vendo o mundo de cabeça para baixo e pensando a única coisa plausível: como estariam os outros? Agindo por conta própria? Sasuke provavelmente estaria bancando o esperto genial. E Sakura certamente estaria surtando em busca de alguma oportunidade de fatiar o sensei. Mas quanto a Kaya? Onde ela estaria? Eu não conseguia imaginar minha irmã enfrentando vorazmente o sensei, a não ser que...

Um grito distante. Era Sakura. Consegui alcançar uma kunai esquecida em um dos suportes presos à perna e rapidamente me ergui até o fio de corda que me prendia ao galho da árvore.

Cerrei-o rapidamente e a corda se desprendeu dos meus tornozelos. Saltei para o chão, aliviado por novamente ver o mundo do ângulo certo.

Corri para a direção mais certa no momento, de onde eu apostava ter vindo o grito. Cortei galhos e espinhos repuxaram minha pele conforme eu saltava por entre galhos e corria por terra firme. Então me escondi debaixo de um arbusto, que dava visão para outra clareira.

Abri a boca para dizer alguma coisa, mas antes que eu pudesse gritar fui puxado para trás com voracidade.

— Quieto! — Sasuke sussurrou com certa raiva.

Afastei a mão dele e cheguei a obedecê-lo, cultivando o silêncio.

 


Notas Finais


VÍDEO FALANDO SOBRE A FANFIC: https://www.youtube.com/watch?v=TplQlg2s0Ew

.
.
.
♠ Venha conhecer meu mundo nerd:
Canal Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCP-IN-gUaGpr5gd8GbCCcDA
Instagram: https://www.instagram.com/sintonianerd/
Fanpage: https://www.facebook.com/canalsintonianerd/?fref=ts
♠ Meus outros perfis:
Nyah: https://fanfiction.com.br/u/147031/
Whattpad; https://www.wattpad.com/user/LiviaMDias


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...