História E Se MITW For Real? - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Alan Ferreira (EDGE), Felipe "Febatista" Batista, Felipe Z. "Felps", Jensen Ackles, João Victor Negromonte Queiroz "Jvnq", Rafael "CellBit" Lange, Rafael "Guaxinim" Montes, TazerCraft, Thiago Elias "Calango"
Personagens Alan Ferreira, Felipe "Febatista" Batista, Felps, Jensen Ackles, João Victor Negromonte Queiroz "Jvnq", Mike, Pac, Personagens Originais, Rafael "CellBit" Lange, Rafael "Guaxinim" Montes, Thiago Elias "Calango"
Tags Alan, Aloid, Calango, Cellbit, Cellps, Dean, Delly, Febatista, Felps, Guaxinim, Jvnq, Jvpc, Jvtista, Kelly, Kom Low, Kompc, Mike, Mitw, Pac, Pkxinim, Void
Exibições 114
Palavras 3.181
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Slash, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oees!

Tudo bem?
Eu voltei..

Esse capítulo foi bem mais trabalhado que os outros, então se virem algum erro, plz, me avise.. :v

Nada mais a declarar..

Bora pro cap..

Boa leitura..


Capítulo 17 - Dinner by Candlelight


Fanfic / Fanfiction E Se MITW For Real? - Capítulo 17 - Dinner by Candlelight

P.O.V Pac :

Mike estava me ligando, então decido atender.

- Mike?

- Amor?

- Oi..

- Oi, olha, ééé.. Oque acha de fazermos uma visita no Bosque hoje à noite?

- Sim! Que horas mais ou menos?

- 18:00, pode ser? É que eu tenho muita coisa pra fazer..

- Ok, ahñ.. Mike?

- Sim?

- Tá tudo bem? Você parece meio nervoso. Quer que eu vá aí?

- Não! Quer dizer.. Não, tá tudo bem.. É que eu tô cheio de coisa pra fazer..

- Ah.. Sei.. Se organiza, então..

- Sim, eu vou, mamãe..

- Eu só quero seu bem..

- Eu sei, fí..

- Convencido..

- Também te amo, mas agora eu tenho que desligar, amor.. Tô encarregado..

- Ok.. Se cuida, hein..

- Pode deixar.. Beijos, te amo..

- Também, tchau..

- Tchau.

Encarregado, ham?
Por que ele não deixou eu ir na casa dele?

Me pergunto oque esse menino tá aprontando..

P.O.V Mike :

Acho que eu preciso de uma ajudinha..

Disquei o número de Batista, ligando pro mesmo.

- Alô?

- Batista??

- Oi, Mike! Tudo bem?

- Sim. E com você?

- Tô bem, também.

- Que bom.. Mas, Batista, eu preciso da sua ajuda.

- Pode falar, Mike. Você sabe que pode contar comigo pra qualquer coisa que precisar..

- É que eu quero oficializar o meu namoro com o Pac, daí eu queria saber se você pode me ajudar com isso..

- Claro, amigo! Aliás, vocês dois formam um belo casal.. Oque quer que eu faça?

- Obrigado.. Bom.. Eu tava pensando.. Em fazer um jantar hoje à noite..

- Você quer que eu te ajude a organizar a mesa, decoração, essas coisas?

- Ééé.. Se puder..

- Claro que posso! Quer que eu vá aí? É num piscar de olhos.

- Engraçadinho.. - Ouço sua risada do outro lado da linha. - Sim, por favor..

- Ok, já chego aí.

Ele desligou o telefone.

Demorou apenas alguns segundos pro mesmo bater na porta.

Abri a mesma.

- Oi, Amigoo! - Me abraçou forte.

- Oi. - Não retribuí o abraço. Fui rude? Sim.. Mas não levem pro lado pessoal.. Eu não abraço ninguém, quando estou nervoso.. E eu preciso trabalhar num "re-pedido" de namoro.. E eu tô nervoso.. Demais!

- Você tá nervoso, né? Eu te conheço.. - Passou a mão nas minhas costas.

- É..

- Não precisa ficar.. Tá tudo bem, vai dar tudo certo.. Ok? Confia, homi.. - Falou soltando do abraço.

- Ah, boi.. Sei lá.. Não consigo conter.. - Entramos em casa.

- Calma.. - Pôs uma mão em meu ombro.

- Bom.. Eu preciso comprar o buquê.. Não! fazer a comida, primeiro.. A aliança.. Minha roupa. AAAAAH!! - Baguncei meu cabelo. - Meu Deus! - Me joguei no sofá. - É muita coisa!

- Mike, calma! Você tá muito nervoso! Calma! Eu vou te ajudar nisso! Só se acalma! - Sentou ao meu lado.

Permanecemos em silêncio.

- Vem, ó.. - Se levantou, me puxando junto. - Eu cuido da comida, da decoração e da roupa e você cuida do buquê e da aliança.. Ok? - Assenti. - Certo, vamos agir..

Pegou seu celular, ligando pra alguém.

P.O.V Batista :

Liguei pro Alan, que sabe cozinhar muito bem.

Aliás, ano passado ele ganhou o MasterChef.. ;^ ;

- Alôôô!

- Alô, Alan?

- Batista, meu querido! Tudo bem? Precisa de mim?

- Tudo sim. E sim, eu preciso de você pra algo muito importante.

- Oque seria?

- É que o Mike quer pedir o Pac em namoro, daí ele quer fazer um jantar, pra isso.. - Fui interrompido.

- Pera, pera, pera! Já entendi! Ele quer que eu cozinhe pra ele?

- Na verda.. - De novo.

- Menino! Eu vou fazer uma comida que ele vai querer comer até o prato! É pra quando?

- Ééé, hoje de noit.. - E de novo.. ;-;

- OH YEAH, BABY! (N//A : Mtt ❤) Preparem suas caçarolas, porque o mestre da cozinha vai agir! - Ouvi alguém dizer * Enlouqueceu?*. - Não, meu amor.. - * Estalo de selinho *. - Você tá na casa dele? - Silêncio. - Batista?

- Ah! Oi..

- Tá dormindo?

- Ahñ, não.. É que eu voei um pouco aqui..

- Ata.. Mas você tá na casa dele?

- Do Mike?

- Uhum..

- Sim, tô sim.. Você vai vir pra cá?

- Vou.. Agora eu vou sair com o Void, assinar uns papéis, daí quando a gente voltar, eu vou comprar os ingredientes e levo tudo praí..

- Ah, ok então..

- Te vejo daqui a pouco..

- Vai lá..

Desliguei o telefone..

Meu Deus..
Nunca achei que o Alan fosse tão problemático assim..
Como, Void? Como?
Você tem bolas, hein..
Que garotinho difícil..

Mike já tinha saído pra comprar as alianças e o buquê.

Enquanto eu fui procurar tudo oque precisava pra fazer a mesa.

Encontrei um pano branco perfeito pra mesa.
Fui até a cozinha e escolhi os pratos, talheres e taças.
Arrumei a mesa, mas não acabou ainda..

Peguei minha carteira e fui comprar um buquê de rosas, vermelhas.
Comprei também um tipo de Origami pra por velas e comprei também, uma vela, "infinita"..

Voltei pra casa do Mike e comecei a arrumar tudo.

Pus o Origami no centro da mesa e pus a vela dentro do mesmo, a acendendo logo em seguida.

Peguei o buquê e tirei algumas pétalas, colocando as mesmas espalhadas pela mesa.

Terminei e fui até o quarto do Mike, escolher uma roupa pro mesmo.

Escolhi uma box preta, uma camisa branca, com alguns detalhes, seu casaco preto, com listras brancas nas mangas e na gola, uma calça preta, que parece que vai ficar colada nele e seu vans preto.

Arrumei tudo em cima da cama e voltei pra sala.

- Batista! - O Alan chegou.

- Pode entrar!

- Opaaa! Eaí? - Colocou as sacolas em cima do balcão.

- Oi..

- Tá bonito isso, hein.. - Falou tirando as coisas das sacolas e levando até a cozinha, apressado.

- Alan, não precisa ser rápido.. O Mike ainda vai levar o Pac pra sair..

- Ah meu amigo, mas aqui ninguém trabalha lento.

- Ah.. Tudo bem, então.. - Me escorei no balcão. Ele começou a cantarolar uma música de One Direction. - Você bebe, Alan? - Perguntei olhando pra garrafa de vinho no balcão.

- Ham? Ah, Não, foi o Void que comprou..

- Aaah..

- Meu vício é café, mesmo..

- É você e o Cellbit, né? Amam café..

- Éé amigo.. Café é oque nos deixa vivo..

- Hum..

- Mas e você?

- Eu oquê?

- Como vai lá com o Jv?

- Ah, vou bem.. Ele foi passar uns dias na casa da mãe dele. Foi pra lá ontem, chega Sexta..

- Huum.. Você não se sente sozinho?

- Ah.. Me sinto sim.. Mas Sexta chega rápido..

- É.. - Silêncio.

- Quer ajuda?

- Amigo.. Eu sou um Chefe renomado, diplomado, averiguado, então minha resposta é sim..

- Que dramático.. - Soltou uma risada fofa.

Me aproximei dele.

O ajudei nos ingredientes, a colocar a comida nos pratos e colocar o vinho nas taças.

Ficou tão bonito, tão cheiroso, que eu queria comer aquilo.

- Ufa! Terminamo.. - Falou limpando o suor da testa.

- É..

- Tenho que ir.. O Void tá me esperando..

- Ok.. Usem camisinha, hein.. Porque se vocês tiverem um bebê, eu vou atentar pra ser o padrinho..

- Se fudê.. - Falou soltando algumas risadas. - Tchau.

- Tchau. - Dei um abraço no mesmo, que retribuíu.

Ele foi embora e eu fiquei.

O Mike deve chegar daqui a alguns minutos..
São 17:11..

Apaguei a luz pra ver como ficava e nossa..
Não é pra me gabar não, mas isso tá lindo..

P.O.V Mike :

Fui até a joalheria, comprar as alianças.

- Opa, bom dia!

- Olá, senhor, oque deseja?

- Alianças.

- Temos douradas, prateadas e personalizadas, mas essas, o senhor tem que encomendar.

- Eu prefiro as douradas.

- Para casamento, senhor?

- Não, não.. É pra namoro, mesmo..

- O senhor sabe mais ou menos o tamanho do dedo dela? É fino, delicado, como é? Poderia me descrever?

- Ééé.. É da grossura do meu, um pouco mais fino.. - Mostrei minha mão. A vontade de mostrar o dedo do meio é grande.. Mas eu respeito os outros..

- Tem certeza, senhor?

- Sim..

- Ok. - Pegou a caixinha dentro do vidro. - Custa 979, 93, senhor. - UKÊ?!

- Ahñ.. Certo.. - Peguei minha carteira, tirando dali, 10 notas de 100 (N//A : Sim, o Mike é bombado..) e entregando à mesma, que me deu o troco, logo em seguida. Pegou uma espécie de mini-sacola, colocando a caixinha dentro e me entregou. - Obrigado..

- De nada. O senhor deseja mais alguma coisa?

- Não, não. Só isso mesmo.

- Boa sorte! - Sorri pra mesma, que retribuíu.

Saí da loja, indo à procura de uma floricultura..

Até que encontro uma.
Tá, isso foi difícil.
Pra vocês foram apenas um segundo, mas pra mim foi a porra de um século.

Entrei dentro da floricultura e fiquei observando as flores, escolhendo.
É sério.. É muito difícil escolher um buquê de flores..

- Bom dia! - Uma mulher falou do balcão. Essa puta me assustou, porque eu nem tinha visto ela alí, ela tava toda florida, achei que fosse uma planta. (~lê com o sotaque do Mike)

- O-oi.. - Me aproximei dela. - Éé, como faço pra comprar um buquê?

- Aqui mesmo! Qual o senhor quer? - Saiu de trás do balcão, me mostrando os buquês.

Até que um chama minha atenção..

- Ahñ.. Esse aqui.. - Apontei pro buquê. É um buquê com rosas azuis. Parece estranho, mas é bonito..

- Esse aí custa 34,09. Vai levar?

- Sim.. - Peguei minha carteira, tirando o dinheiro de lá. Ela me entregou o buquê e eu o dinheiro. - Obrigado, senhora..

- Disponha. Tenha um bom dia!

- A senhora também!

Saí da floricultura e chamei um táxi..

Cheguei em casa e puxa.. Tava tudo escuro..

- Oi, Mike.

- Ai, Batista, que susto, boi!

- Desculpa! Ó.. Eu já organizei tudo. Só faltava você chegar, mesmo.

- Nossa.. Que lindo, boi.. - Acendi a luz, olhando em volta. - Obrigado.. - Olhei sorrindo pro mesmo, que retribuíu o sorriso.

- De nada, Mike.. Eu realmente dei meu melhor, por você..

- Ah, Batista.. Não sei como te agradecer..

- Esteja feliz, que você estará me agradecendo.. - Sorri.

- Bom.. - Coloquei o buquê e a sacola em cima do balcão. - Sentiu minha demora, né?

- Verdade, você demorou muito. Oque houve?

- Ah, nada de mais.. Eu só fiquei rondando a cidade inteira embusca de uma floricultura.. Só isso..

- Nossa.. Elas são lindas.. - Mas já tem dono. Ele pegou o buquê, cheirando as flores.

- É.. Não sei se ele vai gostar..

- Aposto que sim. Bom.. Mike, eu separei sua roupa, tá lá em cima.

- Ah! Obrigado..

- De nada..

- Vou tomar banho..

- Tá bom. Eu já vou. Boa sorte, Mike.

- Obrigado.. Tchau.

- Tchau. - Dei um abraço nele e o mesmo foi embora.

Fui até meu quarto.

Peguei a roupa que Batista tinha separado e entrei no banheiro.

Me despi, colocando a roupa suja no cesto.

Liguei o chuveiro, sentindo a água quente cair sobre minha pele..

Tomei banho e desliguei o chuveiro.

Me enxuguei, vestindo a roupa.

Me olhei no espelho.

Peguei a escova de cabelo e o pote de creme, abrindo o mesmo.
Peguei um pouco, esfregando nas duas mãos, logo depois, passando no cabelo.
Peguei a escova, escovando o mesmo. (N//A : Não, não, é pra enfiar no c*..)

Me olhei no espelho de novo e meu Deus..
Que gato..
Pegaria..

Peguei o perfume que usei no nosso primeiro encontro e espirrei o mesmo em meu pescoço, atrás das orelhas e em outras áreas..

Me olhei novamente no espelho, piscando pro meu reflexo.

Saí do banheiro, indo até a sala.

Peguei minhas chaves e meu celular, olhando a hora.
Eram 18:00.
Nossa.. Sério? Em ponto? Ok, né..

Saí de casa, trancando a porta e indo até a casa de Pac.

Bati na porta.

- Já vai! - Gritou, Kelly. Demorou um tempo, até ela abrir. - Ah, eaí, Mike?

- Oi, Cadê o Pac?

- Lá em cima. Entra! - Abriu a porta, dando espaço pra eu entrar.

Tinha um homem loiro sentado no sofá.

Passei ao lado dele, encarando o mesmo, que fez a mesma coisa. (N//A : Imagina aquelas cenas de filmes, tipo, duas pessoas passam se encarando lentamente, como se fossem se matar. Tipo isso..)

Subi as escadas, em direção ao quarto de Pac.

Bati na porta.

- Quem é?

- Sou eu, amor!

- Peraí.. - Destrancou a porta. - Entra!

Abri a mesma e entrei no quarto, logo em seguida, a fechando.

Ele estava arrumando seu cabelo.

- Oi! - Olhou sorrindo pra mim, enquanto penteava seu cabelo.

- Você.. Tá tão.. - Olhei pra sua bunda, que estava bem marcada pela calça. - Bonito.. - Me aproximei dele, o abraçando por trás. Beijei seu pescoço, que se arrepiou.

- M-mike.. - Desci minhas mãos pra suas coxas grossas, as alisando.

- Você foi esculpido pelos anjos..

- E-eu.. Não.. - Me empurrou pra longe dele. - Vamos, eu já terminei.

- Tá.. - ╯–╰.. O mesmo pegou seu celular.

- Vem.. - Me puxou pelo braço, até a sala. - Kelly, já vou. - Ela assistia TV com aquele cara.

- Ok.. - Se levantou, vindo até nós. - Ó, vê se cuida dele, hein?? Se pensar em perdê-lo, eu te mato cem vezes!

- Para.. Vem, Mike.. - Continuou me puxando.

- Cuidado! - Ele não ligou e me puxou pra fora.

O abracei de lado, ele entrelaçou seus dedos nos meus, que estava em volta de seu pescoço e fomos caminhando pela cidade.

- Amor..

- Hum?

- Oque você tava fazendo hoje de tarde que tava tão ocupado?

- Eu.. Ahñññ.. Ah.. Tava só organizando algumas coisas..

- Que tipo de coisas? - Aí, cê me fode..

- Umas coisas aí.. Esquece isso..

- Tá.. - Encostou sua cabeça no meu ombro.

O levei até aquele Bosque.

- Você não tem ideia do quanto eu amo esse lugar..

- Eu também gosto daqui.. É tão calmo e bonito..

- Sim.. - Me puxou até o banco. Ele sentou e eu sentei ao seu lado.

Ele entrelaçou nossos dedos e começou a brincar com os mesmos.

O mesmo levantou a cabeça e me olhou sorrindo.
Se aproximou do meu rosto, me dando um selinho.

Segurei seu rosto e aprofundei o beijo, iniciando um apaixonado.

Ele tampou nossas bocas, de lado, pra que ninguém visse..

Paramos o beijo, quando nos faltou o ar. Mas ainda continuamos com selinhos.

- Eu te amo.. - Susurrei em meio aos selinhos.

- Eu.. Também.. - Susurrou de volta.

Alisei sua bochecha com o polegar e dei um beijo em sua testa.

Ele deitou a cabeça em meu ombro e eu o abracei.

Ficamos algumas horas alí.
Apenas apreciando a presença do outro..

- Pac, vamos? - Levantei do banco, esticando a mão pro mesmo.

- Huuum.. Me puxaa.. - Falou com uma voz manhosa e esticando oa braços.

Segurei suas mão e o puxei até mim, o segurando pela cintura.

- Vamos.. - Dei um selinho nele. O mesmo assentiu.

Segurei sua mão e saímos do Bosque.

Voltamos pra casa.

- Pac..

- Hum?

- Vem cá.. - O puxei, tampando seus olhos.

- Ai.. Oque você quer me mostrar dessa vez, hein?

- Você vai ver..

- Sei..

O guiei até em casa.

Abri a porta e entrei com ele.

- Não abre o olho agora, tá? - Falei tirando minhas mãos de seus olhos.

- Tá.

- Peraíí.. - Peguei o buquê, escondendo atrás das costas e a caixinha, guardando em meu bolso. - Pode abrir..

Ele abriu os olhos e vi os mesmos brilharem.

- A-amor.. - Falou tampando a boca com as mãos.

Me aproximei dele, estendendo o buquê.

- Amor.. Que lindas.. - Cheirou as mesmas.

Uma lágrima desceu de seu olho, caindo nas flores.

Estendi a mão e ele segurou a mesma.

O levei até a mesa, puxando uma cadeira pro mesmo sentar.

Sentei na sua frente.

- Bom.. - Suspirei. - Oque é isso?, você me pergunta. Pra quê isso?, você me pergunta. E eu te respondo.. Tarik, você é a pessoa mais importante da minha vida. A pessoas com quem quero compartilhar meus sorrisos, meus abraços, meu calor, meu amor.. Quero estar junto à você sempre, pra todo o sempre. É.. Faz pouco tempo que a gente namora, mas isso não quer dizer que não seja tempo o bastante pra eu me apaixonar por você, como eu me apaixonei. Desde quando você veio morar aqui, em Londrina, você me salvou, você me tirou do fundo do poço.. Eu me sinto tão vivo em acordar toda manhã e lembrar que tenho você comigo, ao meu lado, me fazendo feliz à cada dia que passa. Bom.. Nós não moramos juntos, mas tenho certeza que iremos, nós não temos uma família juntos, mas tenho certeza que iremos. E é com todo o orgulho do mundo que eu eu te pergunto.. Tarik, aceita namorar comigo? - Perguntei, tirando a caixinha do bolso e abrindo a mesma.

Ele estava chorando muito, tipo.. Muito!

- E-e-e-u.. S-s-im! E-eu aceito! Mil vezes SIM! - Sorri, enquanto uma lágrima escorria pelo meu rosto.

Tirei as alianças da caixa e tirei o anel preto de seu dedo anelar, o substituindo pela aliança de ouro. O mesmo fez a mesma coisa.

Segurei suas mãos.

- Eu te amo. - Falei olhando em seus olhos.

- Eu também te amo. - Me aproximei de seu rosto, segurando o mesmo e começando um beijo calmo.

Ele quebrou o beijo, me puxando pro quarto.

Me jogou na cama e subiu em cima de mim, sentando em meu membro.

Ele se inclinou, se aproximando do meu ouvido.

- Eu acho que eu já tô preparado.. - Susurrou.

O joguei na cama e subi em cima do mesmo..

P.O.V Felps :

Estávamos andando pela cidade até que duas pessoas vestidas de palhaço nos cercam.

- Nos deixem em paz! - Cellbit se escondia atrás de mim.

Um deles arrastava uma marreta e o outro carregava um machado.

- Vão embora! Oque vocês querem?! - Eles apontaram pro Cellbit, que se encolheu mais ainda em minhas costas. E é claro que ele estava chorando. - Não! Não!

O da marreta se aproximou lentamente e levantou a marreta, pronto pra bater na gente.

Entrei mais ainda na frente do Cellbit, o protejendo.

Fechei os olhos, esperando a pancada, mas não aconteceu nada.

Eles caíram na gargalhada.
Espera aí..
Eu conheço esses risos..

O da marreta tirou sua máscara.

- OQUE?! P..


Notas Finais


Quem será esses dois aí?
Nah sei.. ╮(╯▽╰)╭

Comentem oque acharam, por favor..
Dicas, aceito.. Críticas, aceito..

Um queijo, um beijo, tchau e até lá!

DA LAIKE!❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...