História E se tivesse dado certo? - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, V
Tags Hoseok, Taehyung, Taeseok, Vhope, V-hope
Exibições 178
Palavras 674
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drabble, Drama (Tragédia), Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Capítulo único.


Você sempre teve um apreço especial por finais.

E eu nunca soube bem como lidar com eles. Isso reforça a sua implicância, não é? Essa mania de deixar as coisas pela metade não te agrada; eu poderia dizer que simplesmente não consigo botar um fim no que começo, mas não vou mentir, o inacabado me encanta, sabe? Não é de propósito — como você costumava gritar para mim, Taehyung. É como se eu tivesse o poder de eternizar certas coisas; então... Pra quê mexer com finais quando eu posso muito bem fazer durar para sempre?!

Acontece que você me perturbava dizendo que ''é importante botar um ponto em uma sentença onde as palavras já não são mais bem-vindas''; dizia ainda que tudo é feito para acabar, e que te saturava prolongar o ciclo natural das coisas. Devo admitir, é desgastante. Você ainda pensa assim? Quer mesmo que eu dê um fim para nós, Taehyung?

Quer dizer, você já deu.

Mas foi tão fácil assim pra você?

Eu sei que és ansioso, e isso de indeterminado te assusta muito. Me desculpe por ter te causado tanta insônia

Hoje eu vejo que realmente estávamos numa rua sem saída, era certo o que nos aconteceria. Não sei bem o que nos fez estacionar nesse maldito ponto final; talvez o conjunto da obra? Você era nervoso por natureza, não tinha paciência para a nossa rotina. E eu simplesmente não suportava esse seu lado incompatível. Eu sei, Taehyung, temos defeitos, não podemos agradar todo mundo. 

Também sei que o nosso amor não foi uma besteira qualquer; senti na pele o que é amar alguém a ponto de pensar que o mundo ainda é um bom lugar para se viver. As consequências disso me assombram constantemente; veja bem, são duas da manhã e eu estou tentando não te ligar. Por isso não estanhe, meu bem, nossa história é um caos intenso, você me amou muito também; e depois de todos esses anos, as mágoas do passado ficaram por lá mesmo; não importa o que aconteça, você continua sendo o meu primeiro amor.

De todas as nossas brigas, a última ainda me deixa um pouco em choque; mais uma vez havíamos saído quebrados de uma discussão. E sob o ritmo da chuva, odiei te ver saindo por aquela porta certo de que sobreviveria a qualquer temporal — salvo o que nos devastou no momento. E mesmo sabendo que estava decidido quanto ao nosso fim, pensei em ir atrás de ti... Mas nada em mim ganhou movimento, as batidas do meu coração já estavam rápidas demais.

Eu via em seus olhos que os nossos momentos felizes poderiam muito bem sustentar o que éramos, mas uma mínima diferença bastava para nos afastar de igual forma. E isso me destruía aos poucos.

Sabe o que chegou para mim esta manhã? Um convite de casamento e um cravo amarelo; você sabe o quanto eu gosto dessa flor, e quem está decepcionado sou eu. O tempo passou e só percebi agora o rumo que tomamos; nos esbarramos por aí muitas vezes, trocamos cumprimentos por educação e até me atrevi a querer saber da tua vida; e por trás das suas viagens e novos amores, eu só queria saber se você sentia a minha falta também.

E agora, nessa mesa de bar — sóbrio, incapaz de ingerir uma única gota de álcool por conta do choque — estou encarando com certa agonia o seu convite de casamento. Passei o dia todo me sentindo estranho, diferente. Acho que algo ainda queima em mim. Isso não tem fim?

É, poderia ter sido a gente. E se tivesse dado certo? Os nossos planos, a nossa vida. Você diria 'sim' para todos os meus defeitos? Esse passado só a mim pertence, eu penso nisso por nós dois. Pode deixar que não vou me perder novamente no que nunca fomos, Taehyung. Realmente espero que esteja feliz e que esse cara saiba te amar como eu nunca soube.

Mas, olha, eu sei, não vai doer para sempre. É só até que eu resolva botar um ponto final

 


Notas Finais


> literalmente aquele papo de ''estava apaixonado, recebi o convite do seu casamento''

> A MÚSICA MAIS LINDA DO MUNDO! sério, pura arte: https://www.youtube.com/watch?v=HeFX7uCQRok

''mas jiminoite vc so ta fazendo drabble cade as long''
''poise...''
''e quando é drabble vhope é triste''
''isto mesmo...''
''nao aguento mais''
''nem eu''
trechos reais de uma conversa com alguém que me odeia tanto quanto vocês... mas falando sério agora: eu sei que a maioria prefere histórias maiores, mas não dá pra forçar algo e trazer porcaria pra vocês, então aproveito ao máximo tudo de bom que consigo fazer - essas drabbles, faço todas com o maior amor do mundo, é tipo uma terapia pra mim; anyway, não desistam, amo vocês, espero que continuem me amando também <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...