História Efeito Borboleta - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Borboleta, Efeito, Poderes, Romance, Sobrenatural, Tempo
Visualizações 4
Palavras 657
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 3 - A onda


Fanfic / Fanfiction Efeito Borboleta - Capítulo 3 - A onda

Emma virou-se e viu a grande onda na sua direção.

-Emma! – gritou o moreno desesperado enquanto elevava o seu braço direito ao nível do seu rosto, abrindo a mão.

O mundo ao seu redor parou.

A partir do momento em que o moreno deixa-se cair o braço tinha apenas 5 minutos até tudo voltar ao normal.

Ele correu, ainda com o braço estendido, até Emma. Ele a abraçou, ficando com ela nos seus braços.

A onda começou a cair em câmara lenta até ficar cada vez mais rápido, até o tempo voltar ao normal.

Eles estavam ao pé das suas mochilas. Ele estava com ela entre os braços. Ela tinha desmaiado. Eles tinham que ir para casa. O moreno agarrou no seu telemóvel e chamou um táxi. Agarrou nas duas mochilas e carregou a morena no colo até ao táxi.

-Está tudo bem, jovem? – perguntou o taxista.

O taxista era um senhor de idade, que parecia ter por volta dos 65 anos. Ele era muito amável.

-Sim, obrigado pela preocupação. - respondeu o moreno.

-A menina está bem?

-Ela está a dormir. – respondeu Nathan para não preocupa-lo.

Ela deixou cair a cabeça no ombro de Nathan. O moreno corou e virou a cabeça para o lado oposto.

-Têm aí uma namorada muito bonita. – comentou o taxista sorrindo.

-E-ela não é minha namorada. – disse Nathan corando.

O senhor sorrio. O moreno começou a ficar com sono, mas sabia que não podia adormecer.

-Pode dormir, menino. Ainda demoramos um pouco a chegar, a esta hora vamos apanhar um pouco de trânsito. Eu acordo-o quando chegar-mos.

-Obrigado.

O moreno fechou os olhos e deixou cair a cabeça sobre a da rapariga.

__________________

-Chegamos, jovem.

Nathan abriu os olhos devagar. Quando se apercebeu que tinha dormido encostado a Emma ficou tão corado que achava que a sua pele clara estava vermelha.

-Q-quanto é que é?

-Deixe-me ver… São 3,99£ , se faz favor.

-Aqui tem. Obrigado.

-Eu é que agradeço. Adeus, rapaz. – o taxista despediu-se com um sorriso.

O moreno acenou. Nathan carregava Emma nas costas e segurava as duas mochilas com a mão direita.

Dirigiu-se até á porta de sua casa. Nathan vivia sozinho, podia parecer triste para as pessoas normais mas ele já estava habituado á solidão.

“Porra! Como é que vou abrir a porta com ela ás costas?” O moreno bateu com a cabeça na porta. “Bem…só me resta o teletransporte. Ninguém está a ver, por isso…”

Nathan desapareceu e reapareceu no seu quarto. O moreno deixou cair as mochilas no chão e colocou a rapariga na sua cama.

Ele começou a sentir um liquido espesso a cair por uma das narinas, passou a mão sobre o líquido. Ele estava a sangrar, as suas pernas começaram a tremer. Ele sentou-se na cama junto aos pés da rapariga e desmaiou.

__________________

 Emma estava junto a Nathan. Estavam rodeados de luzes e balões. Estava a tocar uma música calma. Vários casais estavam a dançar juntos. Nathan convidou Emma para dançar com ele. Eles se beijam. Uma luz branca impede que se veja o beijo.

-Nathan! Nathan, acorda! – gritava Emma cutucando o moreno.

Ele abriu os olhos e olhou para ela. “Foi mais um sonho.”

-O que foi? – disse ele meio irritado.

-Onde é que nós estamos?

-Em minha casa.

-O que aconteceu? O que houve com a onda?

Nathan não podia revelar a verdade sobre o que acontecera senão iria expor os seus poderes, iria expor-se.

-Tu desmaiaste á beira mar. Tive que te carregar, depois chamei um táxi e vim para aqui…contigo. E não foi nada fácil abrir a porta de entrada. – disse ele enquanto tapava os olhos com o braço.

Dava para ver as bochechas rosadas dele.

-Tiveste que me carregar? – perguntou ela.

-Já disse que sim.

Ela voltou a deitar-se e corou só de pensar na ideia de ele a ter pegado ao colo. Emma acabou por adormecer. Nathan deitou-se ao lado dela e adormeceu, de seguida.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...