História Efeito Cinderela - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Justin Bieber
Tags Justin Bieber
Exibições 111
Palavras 2.067
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Ooooooooooii meus amoreeeeeeeeeeees! Obrigada pelos 50 favoritos! Amo vocês <3 <3 <3

Capítulo 10 - Une Nuit Presque Parfait


Narrador - Paris, França - 23:05 pm

"Com cada beijo, prometeremos isso: acharemos uma forma de iluminar a escuridão do que desejamos." - Pocahontas

Enquanto Clarisse dançava com Evan, Louis estava a procura do Bieber, não achou, tinha sumido completamente. Não era possível que aquele moleque teria sumido com aquela garota! -pensava Louis irritado. Por qual motivo ele prestou mais atenção naquela vadiazinha e não na sua Clarisse? Louis estava irritado! E não podia nada para mudar isso, foi respirar ar puro, precisava pensar. Saiu do museu e olhou para torre Eiffel em seu frente que brilhava, olhou para baixo, pensativo, quando notou estava olhando para uma moita de flores azuis, jasmim's, o nome da flor. Essa flor tinha boas lembranças. 

Clarisse estava totalmente encantada por Evan. Depois da dança, tinham ido dar uma volta pelo campo que existia perto do museu. Evan era engraçado e gentil, e Clarisse, por algumas horas foi ela mesma, não precisava ter a postura de mulher séria e culta, sentia que com ele poderia ser diferente. Clarisse ria de seu jeito brincalhão, amava quando ele fazia palhaçadas que a fazia rir, fazia tanto tempo que ela não ria desse jeito.

- Mas então... Clarisse, certo? -disse Evan rodopiando atrás dela, ela assentiu sorrindo- De onde veio, senhorita Clarisse? -ela riu de seu jeito de perguntar.

- Venho dos Estados Unidos, senhor Evan. -disse ela rindo. Evan fez uma cara, como dizendo que ser americana era chique.

- Huuum, cidadã americana! -disse ele fazendo-a rir mais uma vez.

- E você? -perguntou Clarisse parando em frente à uma árvore de flores violetas.

- Sou canadense. -respondeu ele de frente pra ele. Clarisse riu. Estava tão feliz por tê-lo conhecido.

Os dois ficaram em silêncio por alguns minutos. Clarisse não tirava os olhos dele, ela nunca tinha se sentindo de tal forma. Ele se aproximou de Clarisse fazendo-a ficar imóvel, ela queria mais. Sem falar nada, Evan tirou de trás de si uma rosa avermelhada, ela não estava aberta, estava fechada e era linda. Sua boca se abriu em um 'o', mas logo depois apareceu um sorriso. Ela nunca tinha recebido flores. Ela pegou a rosa de sua mão e o olhou com o sorriso ainda em seu rosto. Ele se aproximou mais dela e colocou um dedo em seu cabelo o afastando de seu olho, Clarisse sorriu envergonhada.

- Você é tão linda... -disse Evan num sussurro. Evan desceu seus dedos até a bochecha de Clarisse, fazendo-lhe um carinho.

Estavam perto demais, poderiam sentir a respiração um do outro. Clarisse fechou seus olhos quando Evan roçou seus lábios nos dela. E por um impulso, Evan a beijou, como se precisasse daquilo. Não foi um beijo desesperado, e sim, um beijo calmo, devagar, Evan queria sentir seu sabor por completo. Suas línguas dançavam sincronizadamente, era incrível como suas bocas se encaixavam tão perfeitamente. Clarisse colocou suas mãos em sua nuca o puxando mais para si, e Evan a apertou na cintura não querendo soltá-la. Quando o fôlego acabou tiveram que quebrar o beijo com um selinho demorado. Evan não queria deixar os lábios macios de Clarisse, se viciou. Com sua mão em sua bochecha, ela sorriu mordendo o lábio inferior. Clarisse estava verdadeiramente feliz.

- Por favor, me deixe-a levar para casa. -disse Evan, com sua testa colocada com a dela. Tudo que mais queria era ir para a casa com ele. Mas não podia, seu pai não deixaria.

- Eu não posso... -respondeu ela acariciando seus longos cabelos escuros. Eles descolaram as testas mas não se afastaram, tudo que menos queriam eram que se afastassem.

- Prometa-me que iremos nos ver de novo. -disse ele, olhando no fundo dos olhos dela. Ela sorriu.

- Eu prometo. -disse ela convicta- Eu preciso ir... -disse ela se afastando dele- Meu pai deve estar me procurando. -quando se afastou dele, ele a pegou pela mão puxando fazendo-a voltar.

- Por favor, não... fique mais um pouco. -ela riu baixinho e se aproximou dele colocando a mão em seu peito.

- Infelizmente não posso ficar, mas se eu pudesse, eu ficaria. -disse ela acariciando sua nuca. Ele a beijou de novo, mas apenas um selinho demorado- Evan, eu tenho que ir... -disse ela entre o beijo, mas Evan recusava a deixá-la, o que fazia a rir.

- Não... você não pode ir. -disse ele dando vários selinhos em sua boca. Ela ria do carinho. E quando ele parou de beijá-la, ela o olhou no fundo de seus olhos.

- Porque não o conheci antes? -perguntou baixinho, quase num sussurro, mas o suficiente para faze-lo ouvir. Antes que Evan pudesse responder, os sinos começaram a tocar marcando 5 minutos para meia-noite. Clarisse se desesperou- Eu tenho que ir... ah meu Deus! Meu pai vai me matar! -ela o beijou novamente com um selinho demorado mais profundo, uma despedida, sorriu e começou a correr até o museu. Onde seu pai esperava impaciente do lado de Pierre.

Quando Clarisse entrou dentro do carro pediu desculpas para o pai, e olhou para a rosa em sua mão e sorriu, como nunca tinha sorrido antes.

[...]

Quando Neville parou o carro em frente a sua casa, agradeceu por tudo e entrou dentro de casa o mais rápido possível. Por sorte, seu padrasto e seus "irmãos" não tinham chegado ainda. Mylla tirou seu vestido jogando-o debaixo da cama junto com seus saltos altos, balançou a cabeça desfazendo seu penteado e lavou o rosto tirando qualquer vestígio de maquiagem, prendeu seu cabelo num coque alto e seu vestido normal, calçou suas sapatilhas e subiu as escadas correndo, encheu um copo de água fria e desceu até seu quarto rapidamente colocando a pequena jasmim azul dentro do copo.

- Mylla! Café e biscoitos, agora!! -gritou Clarisse assim que chegou em casa.

- Já estou indo! -disse Mylla subindo as escadas e indo direto para a cozinha. Pierre e Clarisse estavam sentados na mesa e Louis estava andando lentamente até a cozinha.

- Você parece animada. -comentou Clarisse a olhando.

- Fui dar uma volta para me animar um pouco. Café!? -disse Mylla fazendo o café, enquanto Louis se sentava calmamente na mesa junto com seus filhos. Louis estava totalmente frustrado.

- Onde você esteve a noite toda? -perguntou Pierre para a irmã, fazendo Louis também prestar atenção na conversa. Mylla estava de costas mas também estava atenta na conversa. Mylla não tinha visto nem por um minuto seu padrasto ou seus "irmãos", mas não se importava, essa noite tinha sido totalmente incrível.

- Hãm... eu... fui dar uma volta. -não era mentira, Clarisse realmente tinha dado uma volta mas não sozinha. Louis olhou para a filha e depois para Pierre que arqueou as sobrancelhas. Mylla serviu café para todos e colocou uma tigela de biscoitos em cima da mesa.

- Não importa. Ainda conseguirei que você se case com o Bieber. -disse Louis fazendo Mylla e Clarisse arregalarem os olhos- Não vai ser aquela megera azul que irá me impedir... Bieber irá se casar com você, Clarisse. E ponto final. -nisso ele se levantou da mesa e subiu as escadas deixando Clarisse sem falas.

Não... ele não pode fazer isso, pode? Evan. Era a única coisa que Clarisse pensava. Tê-lo conhecido era a melhor coisa do mundo. E por conta de seu pai, seu destino estava nas mãos dele. Não posso deixar isso acontecer. Não é o Bieber quem Clarisse quer. No começo, Clarisse achou fantástico conhecer o Bieber e fazer com que ele se apaixone por ela, mas então Clarisse conheceu Evan, e apenas em uma noite fez com que seu mundo ficasse colorido.

Mylla se não encontrava diferente. Justin. Por Deus, não! Justin foi a melhor coisa que aconteceu depois de todo sofrimento que passou nessa casa. Não era possível que Louis também iria tirar a única coisa que a fazia sorrir antes de dormir. Mylla não poderia deixar aquilo acontecer. Bieber era seu Justin, e faria de tudo para encontrá-lo novamente.

Clarisse saiu da mesa e foi para seu quarto trancando-se no mesmo. Prometeu a Evan que o veria novamente e isso a fez sorrir. Ela se despiu e entrou dentro do chuveiro. Agora seus pensamentos tinham dono. Evan Damaszo. O homem que em poucas horas aqueceu seu coração frio. Depois de um bom banho, sentou-se em sua cama, em sua penteadeira estava a rosa que Evan dera para ela, a pegou e a cheirou sentindo seu maravilhoso perfume. Ela sorriu mordendo o lábio e se jogou na cama lembrando de cada momento que passara com ele. E que momentos! Que jamais irão ser esquecidos.

Já lá embaixo, Mylla dançava sozinha em seu quarto lembrando das mãos de Justin em sua cintura, da sensação que teve quando ele a toca, queria aquilo de novo, ansiava por aquilo. Lembrou de seu olhar, e de seu sorriso que encantou Mylla de um jeito apaixonante. Ah Deus! Preciso vê-lo outra vez. -pensou, quase implorando. Mylla se sentou em sua cama e pegou seu diário, escrevendo cada detalhe, antes que se apagasse da memória, o que era impossível, pois momentos como esse jamais sairiam de sua cabeça. Contou cada detalhe do baile, todos seus momentos com Justin, especialmente com Justin.

[...]

10:10 pm do dia seguinte...

Justin acordou com dois corpos pulando em cima da cama. Estava exausto, ficou a noite inteira no baile junto com seu pai, o que foi uma chatice, na visão de Justin, pois ele não para de tagarelar sobre o sumido de Justin durante o baile. Justin bocejou e olhou para as pessoas em sua cama que o acordara de um sono tão gostoso. Era Evan e Connor. Justin estava de bom humor, pois a maior parte da noite pensou na garota de vestido azul, a sua menina das flores. Ele virou a cabeça para o lado e sorriu sem mostrar os dentes.

- Olha quem está de bom humor... Justin Bieber... com certeza teve uma noite fantástica, não é? -disse Connor rindo.

- Não estrague meu bom humor, Connor! -disse Justin atacando um travesseiro em seu rosto. Todos riram.

- Evan me contou que você achou sua princesa misteriosa! -disse Connor fazendo Justin rir com o apelido que dera para a garota das flores.

- Sim, eu a encontrei... mas ainda não sei o nome dela! -os dois o olharam incrédulos.

- Você não perguntou a porcaria do nome dela? -disse Evan.

- Perguntei mas quando ela ia responder saiu desesperada. -respondeu Justin- Mas eu me lembro de ela ter falado algo... Eu acho que era "Mi", alguma coisa assim.

- Mi? -disse Evan franzindo as sobrancelhas- Em que frase ela colocou a palavra "mi"? 

- Quando ela ia falar seu nome... "meu nome é My...", ai ela saiu correndo sem terminar a frase. -explicou Justin.

- É a inicial do nome dela. -disse Connor.

- Milady. Miranda. Mikaella. Milena. Mirina. Mirene. Minina. Tem muitos nomes com a inicial "My". -disse Evan.

- Me lembro também de ela ter falado dois nome... um era Louis, e outro era o nome de uma mulher... qual era mesmo o nome? -Justin realmente não se recordava- Porra, não me lembro! Ca... Cla... Clamela... Clalissa... -Justin foi interrompido por Connor.

- Tá legal! Esse papo de nomes ta me deixando com fome, vamos comer alguma coisa, pelo amor de Deus?! -disse ele levantando da cama. Justin levantou da cama e se espreguiçou.

- Onde vocês dois estavam ontem à noite? Você, eu só vi no começo da festa -disse referindo ao Evan- E você, nem sua sombra. -se referiu a Connor.

- Eu tive que resolver alguns assuntos... -disse Connor com uma cara de malicioso.

- Meu Deus do céu, Connor, você realmente não perde um! -disse Justin fazendo Evan rir- E você, seu amigo-que-deixa-as-pessoas-sozinhas?

- Eu conheci a Mulher Maravilha! -respondeu Evan jogando as costas na cama com os braços cruzados atrás da cabeça. Evan fechou os olhos e mordeu o lábios sorrindo lembrando da noite passada e como ela fora boa.

- Acho que todos tivemos uma noite maravilhosa, não é! -disse Connor rindo.

- Foi uma noite quase perfeita. -disse Evan ainda deitado na cama.

Justin sorriu ao se lembrar de seu momento com a menina das flores. Foi até o closet o colocou uma roupa, opinou por uma calça jeans rasgada e uma blusa branca com vans azuis claro. Azul. Uma cor que nunca irá sair de sua cabeça.


Notas Finais


Gente, deixe-me explicar sobre Clarisse! Então... coloquei ela na história, sim, para ser a malvada maaaaaaaaaaaaaaaaaas, ela irá mudar, por causa de Evan! O amor deles é muitooooo importante para história, não fiquem bravas! Maaaaaaaaaaaaaaaaaas o amor principal da historia é, obvio, de Mylla e Justin! Relaxeeeeeeeeem, vcs irão gostar do final. Um beijooooooooooo <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...