História Efeito Colateral - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Hailey Rhode Baldwin, Justin Bieber
Personagens Hailey Baldwin, Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Personagens Originais
Exibições 59
Palavras 1.423
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olha eu com uma fic nova pra vocês. Por isso a demora pra atualizar a outra kkk. Bem, vamos aos avisos básicos:

♚ Fanfic de minha total autoria, tenha criatividade e use e abuse do tema;
♚A personagem principal é a Hailey; como podem ver na capa;
♚ A Skyller é a Scarlett Leithold;
♚O prólogo se passa no passado;
♚Na história a personagem (Hailey), terá 23 anos e Justin 22;
♚ Perdoe qualquer erro aparente, ortográfico ou de digitação. Eu revisei, mas acaba passando sem querer;
♚Boa leitura, beijos e até as notas SZ.

Capítulo 1 - Prólogo: a felicidade é tristeza


Fanfic / Fanfiction Efeito Colateral - Capítulo 1 - Prólogo: a felicidade é tristeza


Natal do ano anterior, passado.

A adrenalina corria as veias de todos ali presentes. A música que tocava tinha uma batida descomunal, parecia poder tremer o chão. As danças estranhamente fabulosas, acompanhando o frenesi da canção que deixava um grupo de amigos em especial completamente alerta. Êxtase rolava solto e exalava luxúria, a noite colaborava com uma grande diversidade de estrelas clareando o céu e dando uma leve graciosidade à temática erótica escolhida para a pool party. A casa estava lotada de pessoas, junto a enfeites natalinos pendurados nas janelas. As garotas, em grande maioria, vestiam saias de seda curtas com pelo de urso branco nas pontas e topper de coloração vermelha, numa típica vestimenta de natal. A decoração era variada, dentre pequenos pinheiros com bolinhas coloridas e luzes pisca-pisca. Os convidados que ali estavam se embebedavam ao máximo possível, já que seriam bancados pelo louro de olhos incrivelmente castanhos.

Ele comemorava um fatídico que trouxe sua alegria nessa data festiva; Skyller estava grávida.

Skyller era a mulher que o jovem queria ao seu lado para sempre. Por ela, ele seria capaz de ser tudo e, principalmente um homem de família. Com tanta alegria e bebedeira , era acompanhamento à apenas um propósito: pedir sua donzela em casamento.

De fato, os dias ao lado de Skyller eram mais do que perfeitos. Os sorrisos eram sinceros e a troca de olhares confidente. Eles, acima de namorados, eram amigos. Ali, ninguém sabia o motivo da comemoração, contudo, quem conhecia e não conhecia a família Bieber participava da festividade. Ryan estava radiante e, bêbado.

- Alguém vai ser papai? Eu ouvi dizer que alguém vai ser papai? É claro que eu ouvi! – berrou Charles ao se aproximar do louro dourado, que tinha um copo de whisky em mãos.

- Meu moleque tá crescendo tão rápido – lamentou Ryan num falso choro, voltando a palavra a roda de amigos.

- Um brinde à Justin Bieber, o puto mais puto que eu já vi! – saudou Christian, virando sua garrafa de vodca na boca e a levantando no ar, ao propor um brinde.

- Essa vida não me pertence mais! – Justin se defendeu, entrando na brincadeira e chocando seu copo contra o de Ryan e os outros.

- Você pode sair da putaria, mas a putaria nunca vai sair de você, Bieber! – disse Angelina, ao se aproximar do círculo de amigos com sua roupa extravagantemente curta e sexy.

- Angel, me admira você dizer isso, já que nunca foi motivo de mudança pra homem nenhum! – Justin piscou, com um sorriso debochado vislumbrando seus lábios.

- Eu mudaria pela sua boceta – disse Ryan, lançando seu corpo pesado sobre o de Angel e a abraçando, com a cabeça deitada entre os seios da morena. Os rapazes que estavam na roda riram um tanto alto ao ver o olhar enraivecido de Angelina queimar sobre o bêbado em cima de seu corpo deslumbrante. Ela era uma garota muito atraente e gostosa.

- Falando em mudar, furacão Skyller chegando ai! – Christian fez uma careta, direcionando o olhar para a entrada da mansão, por onde a loira furiosa serpentava. Justin a olhou de relance e largou o copo na mesa ao lado de Charles. Cravejou as mãos no bolso e jogou o cabelo para o lado, com um sorriso crescente lhe favorecendo. Para ele, era o melhor dia de sua vida. Havia sido parabenizado por muitas pessoas e, embora não acreditasse que eles lhe queriam feliz, ele acreditava na felicidade. Mas, Skyller jamais diria o mesmo. Ele não sabia, mas ela odiava a ideia de perder o corpo perfeito que havia ganhado em anos de academia. Odiava a ideia de carregar uma criança consigo. Ela era egoísta demais para, ao seu ver, dividir seu corpo perfeitamente delineado com uma aberração.

- Sky – o loiro se pronunciou com uma alegria invejável sobre a loira. Ela, por sua vez, bufou e o empurrou com força para longe de si, impedindo a possibilidade de qualquer mínimo contato entre ambos.

- Isso é culpa sua, foi você quem fez isso! Foi de propósito, não foi? – berrava a menor, lançando um dedo indicador ao rosto de um Bieber em completa confusão.

- Eu não sei o que eu fiz! – o jovem ergueu as mãos em frente ao corpo, pronto para segura-la se ela resolvesse ataca-lo com suas enormes unhas postiças.

- Eu sabia que você ia fazer isso! – a namorada fungou ruidosamente, até mesmo melodramática demais. – Vo-você me engravidou! Sabia que eu não queria um verme dentro de mim, mas fez de propósito! Você estragou a minha vida e o meu corpo! – berrou ela, jogando loucamente as mãos no ar.

Todos estavam paralisados. O DJ havia cortado a melodia que tocava e só o que pairava no ar eram os murmúrios de interrogatórios. Ninguém era capaz de processar ou entender o que acontecia, ou quem era a louca que escandalizava com o dono da festa de forma tão intima. Os olhos de Justin cheios de uma infinda incompreensão, perdidos no olhar raivoso e lábios comprimidos inexpressivos da amada. Ele estava quebrado e magoado com a atitude da sua garota favorita. Ela havia o machucado pra valer. Todavia, silencio se fez e, Skyller continuou em suas lamúrias de ódio.

- Eu não quero te ver, Bieber. Nunca mais! Nunca mais apareça em minha casa! Não olhe mais as minhas fotos! Nunca mais soletre o meu número ou toque no meu nome! – apesar de vacilante e entrecortada, sua voz era convicta e decidida.

- Sky ... – nada ele pôde dizer, pois um tapa fora descarregado em sua bochecha direita.

- Eu estou falando sério! – Skyller secou uma lágrima fujona que escorria por suas bochechas e o fitou cheia de mágoa e rancor. – eu mandarei te prender se aparecer em minha casa! – completou por fim, ajeitando a bolsa e saindo da mansão. Seu salto ecoou em meio a multidão, que sussurrava conforme ela se aproximava do portão. Assim que ela saiu, Justin soltou um suspiro preso na garganta tão alto que ressoou pelo jardim.

- Ela é louca? – a voz de Ryan adentrou os ouvidos alheios. No calor do momento, o álcool faltou em seu sangue, o trazendo de volta à quase lucidez.

- Ela é superficial! – Christian respondeu ao amigo, se aproximando do loiro e apoiando uma mão em seu ombro, em forma de consolo. Contudo, ele continuou estático, fitando a saída pela qual entrara e se desvanecera a antiga namorada. Era como se ela tivesse acabado de arrancar seu coração inteiro pulsando e o levado embora para sempre.

Skyller era o contrário de como Justin a via. Ela era como uma boneca: cheia de beleza exterior, podre em relação a alma. Ela ligava demais para sua aparência, mas não sabia formular uma frase em papel. Sua superficialidade era em níveis absurdos, seu cabelo era seu amor maior e seu corpo sua joia mais fabulosa. Se ela os tivesse, teria o seu felizes para sempre, ao seu modo de olhar o mundo. Admira a qualquer um que Justin nunca tenha percebido os defeitos da namorada. Bonita por fora, horrível por dentro.

- Sua namorada é fútil, Jay. – Angel passou ao lado do rapaz, rebolando e o olhando de forma esnobemente certeira.

- Ela me amava. Ela dizia isso. E-ela... E-ela tá de cabeça quente – ele procurava por uma explicação, mas não havia. Não tinha como lutar contra o que todos viram, embora seu cérebro criasse mil e uma desculpas, seu coração se despedaçava por um único fato: a garota à quem deu seu amor nunca fora capaz de lhe retribuir da maneira como queria.

- Aceite de uma vez! Angelina estava completamente certa e você estava errado! – alfinetou Narly, a melhor amiga puxa saco de Angel. De fato, todos estiveram certos o tempo inteiro, e Justin era o único errado e cego na vida de Skyller. Ele era o único que a amava, mas ela, ainda assim, não fora capaz de reconhecer e valorizar. Confirmando assim, que sua superficialidade era e sempre foi o mais importante em sua vida de merda.

Justin havia acabado de conhecer o verdadeiro amor. Aquele que machuca e destrói de maneira irreversível. Que abala e desmorona como as rochas de uma caverna. E, aquela que ele pensou ser a sua inspiração, se tornou em pesar de segundos, um maremoto devastador em seu coração. Um tsunami que arrebatou a melhor casa de seu coração, a que ele havia dedicado à ela. Skyller Heather passou de sonho à pesadelo, se tornando o ponto final de uma linda história de amor.


Notas Finais


Bem, foi isso. Espero que tenha gostado. Agradeço desde já, se gostou, comente, indique. Nos vemos no próximo, até sexta-feira da semana que vem sai um capítulo novo. Espero que tenham gostado, beijos beijos ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...