História Efeitos de uma tragédia - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Álcool, Amor, Arrependimento, Chance, Droga, Internet, Mudar, Prostituição, Sexo
Exibições 26
Palavras 1.601
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Suicídio, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 10 - Seu fim


Fanfic / Fanfiction Efeitos de uma tragédia - Capítulo 10 - Seu fim

...Antes...

   A Jen acha que...vou largar meu namorado para ficar com ela, eu nunca vou fazer isso, eu não gosto dela, mas do Harry estou gostando cada vez mais, ele é divertido, engraçado, inteligente, toca vários instrumentos...eu não sei como aconteceu mais agradeço por ele ser um idiota que gosta de garotas esquentadas que nem eu, ou maduras, mas não sei se posso me chamar de madura, ele me chamou para invadir a escola de noite para usar a piscina, claro que não era só a gente...nunca foi só a gente, eu to estressada, ele arrasta esses encostos pra todo lugar que vai.

-Ei...o que foi?- Falou ele tocando no meu ombro.

-Eu queria ficar sozinha com você!- Falei- É pedir de mais?

-Não... E saberia se tivesse me dito antes- Falou ele.

-Tava estampado na minha testa! Como não percebeu?- Falei.

-Eu não tenho bola de crista não!- Falou ele- Só se eu tivesse uma ia conseguir te entender.

-Mas você tem outra bola que eu quero!- O empurrei e ele caiu dentro da piscina e eu ri.

-Então vem buscar- Ele tirou o calção e começou a sacudi-lo e então me joguei nos seus braços.

-Cheguei...- Falei.

-Desde quando tem vergonha dos outros em?- Falou ele.

-Se quer que os outros vejam o corpo ta sua namorada deveria ter compartilhado aquele video- Falei.

-Tem razão, eu deveria- Falou ele Compartilhar coisas boa me dariam uma passagem para o céu.

-Acho que não para o céu- Falei rindo- Mas você não quer, por que tem ciúmes de mim.

-Ciumes? O que?- Ele fingiu uma risada- Eu? Ta delirando Gracie.

-Acha que não sei como me olha quando estou conversando com outro homem?- Falei.

-Dá um exemplo então- Falou ele.

-Coloca o calção de novo, vamos comprar umas bebidas então te mostro- Falei.

   Nós saímos da piscina, nos secamos e fomos ao mercadinho mais próximo, eu peguei as bebidas e fui no caixa.

-Identidade- Falou o homem do caixa..

-Não precisamos disso não é?- Falei de biquinho nos lábios e me inclino.

-Senhorita...- Falou ele.

-Tão tarde, ainda quer discutir?- Comecei a tirar meu biquíni mais senti alguém segurando minha mão me impedindo de tirar.

-Toma- Falou Harry dando sua identidade.

   Nós conseguimos comprar e saímos, e claro que fui o caminho todo esfregando na sua cara que ele tem ciumes de mim, quando chegamos o povo veio para cima das bebidas, entreguei uma para Jen e ela pegou na minha mão.

-Não quer me explicar...- Falou ela.

-Eu. Não. Gosto.de. você- Falei pausadamente -Jen, aquilo foi só um presente! E nada mais...

-Sua vagabunda...- Falou ela baixo.

-O que...- Ia falando mais resolvi que iria me vingar depois- Deixa pra lá, só... Curta sua noite ai.

   Olhei para a piscina e vi a Amber fazendo boquete em um garoto sentado na borda, eu não sei o nome dele e nem me interesso, vou atrás do Harry, mas não o acho em canto nenhum, comecei a me perguntar onde ele iria e só consegui pensar...na sala de música, um lugar que ele adora ficar, quando entrei continuei quieta só ouvindo o som que ele conseguia tirar do violão, eu me faz derreter quando o vejo assim, sei que parece aquele clichê que tem em todo lugar, mas não consigo evitar, ele parou de tocar do nada...

-Nunca mais faça aquilo- Falou ele.

-O que?- Perguntei.

-Se oferecer para outro cara na minha frente- Falou ele- Sei que não posso te domar, e nem quero, só estou te pedindo isso...

-Quem é o cara que todo dia me manda boa noite?- Falei.

-Eu- Falou ele.

-Quem é o cara que me faz derreter só tocando algum instrumento?- Falei e ele sorriu.

-Eu?- Perguntou ele.

-Não poderia ser outra pessoa- Falei e fui até ele.

   Na ponta dos pés consigo chegar aos seus lábios e ele enlaça minha cintura com seus braços, estava tão bom...eu podia ficar assim o dia inteiro, mas meu objetivo aqui é outro, comecei a acelerar o beijo, ele me levantou e me jogou contra a parede, sem tirar seus lábios dos meus ele tirou meu  biquíni e o jogou no chão, ele me levou mais e colocou a boca nos meus seios e fez maravilhas com a sua lingua, depois ele me soltou no chão e fui até a mesa, me apoiei nela e ele chegou com tudo, segurou no meu quadril e penetrou em mim sem dó, sem proteção é melhor? Com certeza, pelo seu gemido posso concluir que ele chegou no orgasmo, nas mesmo assim ele não parou até eu chegar no meu.

-Ha...rry!- Falei o nome dele entre os gemidos e isso pareceu incentivar ele.

   Quando eu não aguentava mais pedi para ele sair, e senti aquele líquidos branco escorrendo pela minha coxa.

-Já disse que você é apertada?- Falou ele com um sorriso gostoso nos lábios- Muito apertada...

  Eu sentei na mesa de frente para ele, abri minhas pernas e puxei ele para entrar de novo.

-Então deixa eu te esquentar...- Falei.

    Ele me beijou e deu uma rebolada muito gostosa e tive que parar o beijo só para suspirar, ele levou sua boca até meu pescoço e deu um chupão.

-Ai!- Falei, esse doeu de mais...

-Nossa, esse vai ficar enorme- Falou ele.

-Seu idiota!- Bati no seu peito- Tenho que ficar bonita.

-Só pra mostrar que você já tem dono- Falou ele e eu ri.

-Você não tem jeito né?-Falei.

   Nos dia seguinte depois da escola chamei a Jen para me encontrar atrás da escola, perto de um riacho que tinha lá, ela me chamou de vagabunda não é? Vai pagar por isso.

-O que você quer?- Falou ela subindo na ponte.

-Vim te mostrar a prova de que a única vagabunda não sou eu- Falei.

-Do que você ta falando?- Perguntou ela.

-Bom...eu não trai meu namorado sozinha, e se alguem ver isso, a vagabunda na escola inteira será você- Falei mostrando meu celular que estava passando o video de nós duas nos divertindo.

-Como gravou isso?!- Falou ela.

-Com a sua câmera nova- Falei.

-Sua..-Antes que ela falasse alguma coisa a beijei.

   Ela não resistiu e me beijou de volta, eu fui empurrando ela até a parte quebrada da ponte, a empurrei com força e ela caiu no riacho, não é fundo, mas cheio de pedras, observei mais um pouco e vi a água que corria por ali levar seu sangue, e tenho quase certeza que era na cabeça, senti braços me cercando e um beijo na minha cabeça.

-Menos uma insignificante- Falei.

-No plano que me falou não tinha esse beijo- Falou ele.

-Eu improvissei, e se reclamar ou falar mais alguma vez sobre isso será o próximo- Falei.

-Claro madame- Falou ele- E então, o que vai fazer hoje a tarde?

-Ir na sua casa pra conhecer sua vó!- Falei me virando para ele.

-Ei, não me lembro de ter feito o convite- Falou ele e rimos.

   Nós estávamos conversando e rindo perto de uma morta, porque ela não faz e nunca vai fazer diferença na vida de alguém, estando morta.

...Depois...

  Eu definitivamente não resisto, eu me arrumo de mais para ir na casa dele, eu não deveria me arrumar tanto para ele...vou até a casa do Harry e olho primeiro pela janela, ele está no sofá junto com outra garota, e eles estavam nas preliminares, eu não vou embora por causa disso, não vim de longe para desistir, consigo um jeito de abrir a janela e chego bem perto.

-Eu achava bunda de mulher gostosa, mas esse cara...meu deus...- Tentei bancar a narradora- Ela tentar masturbar ele por cima da calca! Isso é nojinho menina?

   Então eles pararam, ela me olhou brava e ele sorriu.

-Privacidade é bom e eu gosto- Falou a garota.

-Dou a ela a quem respeito- Falei- E com certeza não dou a nenhuma peguete do me ex.

-Harry! Expulsa ela ou vou embora- Falou a garota.

   Ele se levantou, foi até a porta e abriu.

-Te convido a sair se quiser- Falou ele e eu ri.

-Se prender a ex não faz bem pra ninguém- Ela pegou sua bolsa e foi embora.

   Eu continuei na janela e ele apareceu do outro lado.

-Vai continuar ai?- Perguntou ele.

-Não me convidou para entrar...- Falei.

-Por que você veio?- Falou ele.

-Pra ver você...- Falei.

-Não me queria longe?- Falou ele.

-Você tem razão, eu não consigo- Falei.

-Eu também sinto sua falta- Falou ele -Dois anos...é muito.

-Eu não consigo saber se você está diferente- Falei.

-Eu mudei, quando ainda estava com você- Falou ele- É meio impossível de você notar.

-Não, você torturava pessoas junto comigo, como isso é mudar?- Falei.

-Eu aprendi a amar, se eu fiz tudo aquilo, é por que...não importa como, eu queria estar junto de você- Falou ele.

-É quase a coisa mais linda que me disseram esse ano- Falei.

-Me diz agora...pra quem eu to perdendo?- Perguntou ele.

-Pro Gaye- Falei.

-O que...- Ela falou confuso- Entra aqui e me conta tudo que aconteceu depois que eu fui embora.

-Vamos deixar isso para outro dia, tenho algo importante para fazer- Falei, minha mão foi até seu rosto.
 
    Ele se aproximou e o beijei, que saudade desse beijo...um beijo que só ele consegue ter, continuo com a mão no seu rosto, a sua barba rala só tinha o deixado mais lindo, e combinou completamente com ele, as tatuagens novas...tudo, depois que paramos eu me afastei.

-Arrumei um emprego que vai até as seis horas- Avisou ele - Só avisando se quiser aparecer de novo.

-Ok- Falei.

   



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...