História Efeitos de uma tragédia - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Álcool, Amor, Arrependimento, Chance, Droga, Internet, Mudar, Prostituição, Sexo
Exibições 36
Palavras 1.320
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Suicídio, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Sugiro que tentem entender o que a personagem está sentindo, pois fica mais interessante.

Capítulo 14 - Abuso


Fanfic / Fanfiction Efeitos de uma tragédia - Capítulo 14 - Abuso

    Ainda não consigo acreditar que o Harrison...então era ele? A dois anos atrás ainda tinha a cara de um bebê, ele mudou muito, por isso não reconheci, porque eu não posso conhecer uma pessoa normal? Tinha que ser algum doido pra se envolver comigo...

-Eu não devia ter falado aquilo...- Ele tava de cabeça deitada na mesa, realmente se arrependeu.

-Você disse que odiava aquele cara, quem era?- Perguntei.

-Saber quem é só não torna pior?- Falou ele.

-Fala!- Mandei.

-Alguma hora vai acabar sabendo mesmo...- Falou ele- Meu irmão mais velho.

-Como consegue odiar um irmão?!- Falei.

-Sabe por que eu nunca chorei? Por causa dele- Falou Harrison- Meu irmão me batia muito e se eu chorasse eu apanhava mais, eu odeiava ele por isso.

-Isso e motivo pra prisão- Falei.

-É... Mas você matou ele primeiro- Falou ele.

-Devia ter me entregado- Falei.

-Eu ajudei a esconder o corpo, claro que não ia fazer isso- Falou ele- Só quero saber...porque matou ele?

-Ele me...- Eu não conseguia continuar a frase, só pensar nisso já me deixava ruim- Vamos deixar isso pra lá?

-Tomara que não tenha sido o que estou pensando- Falou ele- Se não revivo meu irmão pra matar ele de novo.

-Idiota- Falei rindo.

-Gracie- Ouvi e virei, o Harry- Posso me juntar a vocês?

-Claro- Falei.

   Fui para o lado e ele se sentou com a gente, agora olhando para ele vejo que não foi uma boa ideia.

-Prazer, Harry- Falou ele se apresentando.

-AM...ela falou de você- Harrison entendeu a mão- Harrison.

   Os dois apertaram a mãos, estavam com sorrisos falsos no rosto e juro que as estão apertando com força pra ver quem ganha, então bati na mão dos dois.

-Parem com isso!- Falei.

-É por causa desse cara que não quer namorar comigo...- Falou Harrison.

-Sério? Que honra- Falou Harry- Eu fiquei a sua espera, você sumiu...

-Fiz uma cirurgia e tive que ficar em casa- Falei- Ele basicamente me obrigou a sair.

-Nada disso- Falou Harrison rindo- Você que quis conversar...

-Eu também preciso te contar uma coisa- Falou Harry- Você tá no ultimo ano não tá?

-Sim- Falei- Vou terminar de ano com o boletim lindo, por que?

-Te falo quando estivermos a sos- Falou ele.

   Eu não aguentei ficar muito tempo com aqueles dois se encarando então chamei o Harrison para ir embora, eu queria ir na piscina, mas ainda não parece ser uma boa hora, queria esfriar a cabeça, pois não consigo para de pensar que quase no natal a dois anos atrás tinha um homem beijando meu pescoço, e tirando minha roupa, e eu...não conseguia fazer nada.

...Antes...

   Aquela festa antes do natal...agora que eu to solteira de novo vou ir para arrasar, o Harry se mudou para França para fazer faculdade e tudo que consegui foi pensar que precisava esquece-lo, então no mesmo dia agarrei o Connor, mas to me sentindo mal por isso, hoje não vou me sentir, tenho que superar isso, tenho que superar ele...

-Vamos!- Apressou Amber.

-Qual é a pressa em?- Falei.

-Eu to louca pra beber- Falou Amber- Meu natal todos os anos é uma bosta, dessa vez vai ser mais divertido.

-Nossa- Falei rindo.

-Eu ouvi isso!- Falou a mãe da Amber.

-Cala boca mãe- Falou Amber.

-Não trata sua mãe desse jeito imbecil- Falei- Eai, como é que eu to.

  Ela veio até mim e levantou mais vestido colado até mostrar uma parte da minha bunda e arrumou o decote.

-Perfeita- Falou ela.

   Saímos e logo chegamos a boate, dançamos bastante e depois um homem chegou em mim.

-Posso te pagar uma bebida?- Perguntou ele.

-Claro- Falei.

   Abei meus olhos e estava em um quarto totalmente estranho,eu não consigo me mexer direito, estou confusa...

-A...acordou?- Vi o mesmo homens que me pagou una bebida.

-Quem é você...- Falei meio falha.

-Não precisamos entrar em detalhes- Falou ele vindo até mim.

   Ele veio para cima de mim e colocou as duas mãos nos meus peitos e começou a apertar.

-Me solta...- Falei.

-Você dormindo não ia ter graça...- Ele falou- Sua voz é tão gostosa...

-Seu nojento...-Falei.

  Ele tirou meu vestido e veio colocar a boca no meu seio, ele mordeu e doeu muito, eu tentei...mas não conseguia sair dos braços dele, estou muito fraca, sem duvida nenhuma que ele me dopou, ele tirou sua roupa também e chegou bem perto, ele começou a bater seu membro na minha cara, eu não vou abrir a boca! Jamais.

-Abre!- Ele mandou.

  Fiz que não com a cabeça.

-Abre...-Ele começou a apertou meu peito de mais,então doeu, abri a boca para gritar e ele colocou seu membro na minha boca.

   Ele pegou minha cabeça e começou a mexe-la, ele me deixou com ânsia de vomito, mas ainda bem que ele tem ejaculação precoce e não demorou muito, ele despejou tudo na minha barriga e depois foi para baixo, eu nunca senti tanta dor e nojo na minha vida ,tudo que eu conseguia fazer era chorar, não sei se estou pagando pelos meus pecados mas eu não mereço isso, desde que perdi minha virgindade só fui para cama com uma pessoa, mesmo que diversas vezes...isso que ele ta fazendo faz eu perder toda minha dignidade, estou me sentindo pior que um lixo sendo usada desse jeito, ele se atrapalhou...é como se fosse virgem ou não transasse a muito tempo, mas ainda sim não é motivo para estuprar alguém!

-Boa noite florzinha- Ele deu um beijo na minha bochecha e foi colocar sua roupa- Já paguei a conta do hotel.

-V-vai me deixar aqui?- Falei procurando ar, estou solusando muito.

-Espero que não me odeie- Ele sorriu e quando terminou se colocar suas roupas saiu do quarto.

  Eu poderia chamar a polícia, poderia pedir socorro aos funcionários, mas eu juro que vou fazer justiça com minhas próprias mãos, eu não consigo fazer nada, apenas continuo na mesma posição parecendo um garota em choque, não quero acreditar...isso aconteceu por que aceitei uma bebida? Ainda não foi culpa minha! Ele vai pagar, vai mesmo.
    Depois que recuperou minhas forças me levanto, mais ainda estou com dor e minhas perna estão bambas, já que estou em um hotel aproveito para tomar um banho de banheira e tirar o odor que ele deixado em mim, quando saiu coloco minha meia calça de novo, meu vestido e o salto, arrumo meu cabelo no espelho me e obrigo sorrir, ele cometeu o péssimo erro de fazer uma reserva com seu nome verdadeiro...eu pego minha bolsa que ele tinha deixado em cima de mesa e depois desci para recepção, como já estava tarde só tinha um homem não muito velho nem muito novo no maior tédio.

-Sabe o homem que me trouxe aqui?- Falei.

-É... Ele já pagou- Falou ele.

-Preciso do nome inteiro dele- Falei.

-É confidencial- Falou ele.

-Tem certeza?- Falei me aproximando e usei a jogada do cabelo que funcionou muito bem.

-Talvez...- Falou ele- Se fizer algo impressionante...

-Se vier alguém aqui perguntando se ele esteve aqui pode dizer que não viu nada?- Falei entrando dentro da bancada que ele estava- Apagar seu registro.

-Posso...-Falou ele- Mas tem um preso.

-Vamos começar pelo nome dele...- Falei abaixando meu vestido.

-Richardson Filipe Stuart- Falou ele olhando em um papel.

   Deixei meus peitos de fora e ele veio aproveitar com suas mãos, eu fingi que estava gostando, como consigo se tão falsa, joguei ele na sua cadeira e me ajoelhei na sua frente.

-Agora apague, qualquer sinal que ele esteve aqui- Falei tirando sua calças.

  Enquanto ele apagava os registros eu estava com a boca no seu membro, não foi um dos melhores boquetes que já fiz, mas pra ele foi mais que o suficiente.

-Terminei- Falou ele.

  Tiro minha boca, me levanto e sento no seu colo e o pucho para um beijo.

-Obrigada gato- Falei.

  Se quero apaga-lo não posso deixar rastros que o liguem a mim.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...