História Efeitos de uma tragédia - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Álcool, Amor, Arrependimento, Chance, Droga, Internet, Mudar, Prostituição, Sexo
Exibições 33
Palavras 1.726
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Suicídio, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 5 - Está quase


...Antes...

   Estou ficando nervosa, estou dando todo meu apoio para Amber, e como ela retribui? Me dando um bolo no dia que íamos ir no hospital, eu me ofereci para ir junto, porque ela não queria vir sozinha, estava andando de volta para casa e a vi de gracinha com o Connor no caminho, eu não estou ficando nervosa, estou muito brava com ela! Ela vai ver...ninguém me desvaloriza desse jeito!
    Eu esperei ela ir embora e fui atrás dele.

-Connor!- Falei acenando- Quanto tempo não?

-O que você quer?- Perguntou ele.

-O que eu sempre quis...você- Falei mostrando o sutiã que eu tinha tirado.

-Mas a Amber...- Falou ele.

-Ela não precisa saber disso não é?- Falei passando a mãos pelo seus pescoço - Segredinho nosso.

-Pode mesmo trai sua amiga desse jeito?- Perguntou ele- Gostei...

  Ele me beijou e já foi agarrando minha bunda, se eu posso trair ela desse jeito? Ela que começou, ele me levou para sua casa e fez o que queria fazer, de certa forma eu não sinto mais prazer com ele, tive que fingir, talvez o meu nível tenha subido, mas por que? Não me diga que foi o Gaye...não! Não quero me envolver com ele, depois que terminamos e coloquei minha roupa de novo e desci para pegar algo para beber e quando sai da cozinha vi que os garotos estavam lá, pensando bem hoje é sexta...

-Sabe nem disfarçar não é?- Falou um dos garotos rindo- Roupa toda bagunçada...

-Não mesmo...- Gaye me olhou normal, pelo menos aos olhos dos outros, mas para mim era muito mais profundo que isso, ele estava decepcionado comigo, provavelmente pensando "Pensei que fosse melhor que isso", eu nunca senti tanta vontade de chorar na minha vida...

    Eu sai correndo de novo, por que só isso que eu sei fazer não é? Mas dessa vez eu estava chorando, ele não deveria ter esse feito sobre mim, eu cheguei em casa chorando e minha mãe estava lá, esqueci que hoje ela só tinha uma paciente.

-Filha?- Perguntou ela assustada comigo depois sorriu- Não te via chorar desde os seis anos.

-Desde quando isso é bom?!- Falei tentando parar, mas as lagrimas não paravam.

-Não importa sua idade, tem que ser forte sim, mas você tem direito de chorar- Falou ela- Tem direito de colocar seus sentimentos para fora...

-Mãe!- Eu comecei a chorar mais alto e a abracei.

  Enquanto chorava litros no sei peito ela fazia carinho no meu cabelo, estava sentindo falta disso, quando comecei a chorar foi por apenas um motivo, mas agora pareço estar colocando para fora todas as minhas angústias, chorar não é legal, os olhos ficam inchados depois, mas é tão bom colocar tudo para fora, depois de tanto chorar fui tomar um banho e desci para jantar com meus pais ,a quanto tempo não faço isso?

-Nossa como minha filha ta grande- Brincou meu pai-Quanto tempo já não à vejo?

-Para pai...- Falei.

-Essa é a filha de vocês?- Karoline entrou na brincadeira.

   Meus pais adotaram ela, é dois anos mais velha que eu e ta na faculdade, mas nunca conversamos muito, ela mora com a gente a três anos, pelo que eu sei ela era uma paciente da minha mãe, os pais dela morreram e fora eles...ela não tinha família, então como minha mãe gostava muito dela pediu sua guarda.

-Se for pra continuar com isso eu saiu- Falei.

-Deveria chorar mais vezes, estamos felizes por te ver aqui- Falou meu pai.

-Mãe!- Falei e eles riram.

-Tive que contar- Falou minha mãe.

-Que? Eu não to sabendo dessa história- Falou Karoline- Contaaa.

   Minha mãe ficou fofocando sobre mim bem na minha frente e tudo que eu fiz foi rir, como posso ter esquecido da minha família por tanto tempo? Semana que vem vai ter uma festa, e alguma coisa me diz que vai ser minha ultima, cansei dessa vida sem sentido.

   ...Depois...

   Acordei suando, com dor de cabeça e sem ar, no meio da noite...isso é tão fácil de acontecer, odeio ficar sonhando com aquele dia, minha mãe sempre diz para correr atrás dela e contar sobre o sonho, mas não quero...levanto em plena madrugada e vou atrás de um copo de água, e quando chego lá vejo Karolina beijando uma garota semi nua que estava em cima da pia, odeio interromper, mas acabei te ter um pesadelo horrível e tudo que posso ter no momento é água.

-Tem vinte anos, quando vai ter a própria casa?- Perguntei.

-Se ta acordada...Gracie você ta bem?- Ela soltou a garota e tocou no meu ombro.

-Vou ficar- Falei.

-Você ta tremendo...- Falou ela.

-Eu to bem Karoline- Falei- Quem é?

-Péssimo jeito de apresentar...mas essa é a minha namorada, Fany- Falou Karoline.

-Oi...- A Fany estava morrendo de vergonha, ela parece daquelas garotas quietas e fofinhas, só que gostosa, mas nunca achei que Karoline gostasse de garotas assim.

-Prazer- Falei e forcei um sorriso- Não parece seu tipo.

-As coisas mudam não?- Falou Karoline.

-De casa não- Brinquei- Principalmente você.

-Não vai me expulsar tão cedo- Falou Karoline.

-Eu vou...é melhor eu ir embora- Falou Fany sem jeito.

-Espera lá no meu quarto que faço você recuperar o clima rapidinho- Falou Karoline- Tenho que levar minha irmãzinha pra dormir.

   Eu bebia água enquanto Fany subia para o quarto da Karoline,e ela ficou encostada na pia me encarando.

-Para com isso...- Falei.

-Me trata pelo menos uma vez como irmã... E não como uma estranha que mora na sua casa- Falou ela.

-Tenho certeza que ela não reparou- Falei- Fica tranquila.

  Ia simplesmente passar por ela, mas então ela me puxou pelo pulso e nos deixando bem perto e minha mão foi parar bem perto do seu peito.

-Ou como alguém que você deseja- Falou ela.

-Como você...- Falei.

-Você me seca toca vez que estou sem sutiã por de baixo da roupa ou quando estou de biquíni - Falou ela- Eu só fingi que não notei, pode parar de fazer isso? Estou namorando e não ia ser bom...

-E você?!- Falei - Duvido que nunca tenha me desejado.

-Eu não fui atrás de você por respeito aos seus pais- Falou ela- Você precisa ser minha irmã e não minha...

-Seu contato das horas carentes?- Falei- Eu não vou ser mesmo isso, uma noite e eu já estaria satisfeita.

   Ela me soltou, mas ainda insistiu para me levar até a cama, eu não tomo atitude a um bom tempo...ta na hora de demostrar alguma, quando ia deitar a puxei, ela caiu na cama e fiquei por cima.

-Para com isso, você não é o tipo de pessoa que fica com menina fraquinhas...- Falei.

-Não é isso que você é?- Falou ela- Só que uma adolescente fraquinha.

-Uma adolescente que você tem uma tesão imensa - Falei, levei minha mão até o meio das suas pernas e ela mordeu os lábios.

-Não quero deixar nossa relação pior do que já é- Falou ela.

-Isso só vai acontecer se for mal de cama- Falei.

-Bom...acho que consegue dormir agora né? Com licença- Falou ela.

  Então eu parei de teimar e sai de cima dela, ela saiu do quarto e fechou a porta, quem ficou com tesão com o que eu fiz não foi só ela, ela com certeza vai para o seu quarto chupar aquela garota toda, e eu vou me satisfazer sozinha, eu não sou lésbica porque também tenho tesão em homens, Bixessual talvez...
   Mal dormi, já que fiquei ocupada a noite toda, assim com a minha "Irmã", é fim de semana e nem tenho como me distrair, eu desci para tomar café e parece que meu pai tinham acabado de conhecer a nova namorada dela, eu interagi normalmente.

-Mãe, posso chamar a Evie para vir aqui?- Perguntei.

-Virou amiga da Evie?- Perguntou minha mãe.

-Mais o menos...to tentando- Falei e ela sorriu.

-Pode sim, vou fazer um almoço delicioso para nós- Falou minha mãe.

   Eu liguei para Evie e ela ficou surpresa, ela só topou vir pela minha mãe, mas mesmo assim ela apareceu e ficamos conversando sobre assunto aleatórios, para mi não me concentrar naquele casal que...

-Biquíni? Vão entrar na piscina?- Pergunte assim que elas desceram as escadas com toalhas na mão e semi nuas.

-Chama sua amiga também - Falou Karoline.

-Você quer?- Perguntei para Evie.

-Não...- Falou Evie.

-Que bom...- Falei aliviada- Não gosto de piscinas...

-Frescura- Falou Karoline jogando o cabelo pata trás, ela fez de proposito? O que? Olho seu corpo de cima a baixo disfarçadamente, como ele consegue ser tão gostosa?

  Então elas foram para piscina e assim que saíram da sala eu suspirei.

-Eu vi isso...- Falou Evie- Sei que ela é adotada mais...

-Não, ela não e minha irmã- Falei.

-Ok, e eu aqui achando que não gostava de ninguém- Falou Evie.

-Eu mudei mais nem tanto, quando vejo alguma coisa interessante quero usufruir -Falei-Como vai com o Hinley.

-Bem...- Falou ela e me virei na hora.

-Alguma coisa aconteceu! Me conta...me conta tudo- Falei e ela ficou vermelha.

-Ele disse que tava mal em matemática, eu sou ótima em matemática sabe? Me ofereci para ajudar e fomos na biblioteca daquela escola, estava procurando um livro que me ajudou muito , ele foi me ajudar ficamos em pratilheiras diferentes, mas conseguia ver ele entre os vãos, ele tava estranho, passando a mão pelo corpo meio nervoso, ele respirou fundo e disse "Agora vai!", só que baixo, fui ver se ele estava bem e nos esbaramos, eu quase cai mas ele me segurou, e ficamos tão perto...me deu a louca e coloquei a mão no seu peito , ele passou a mão no meu cabelo, foi até minha nuca e me beijou- Ela riu- A mulher nos expulsou da biblioteca depois e provavelmente ele vai ficar sem ir lá por um tempo...

-E você?- A interrompi- Você gostou?

-Eu...eu gostei muito- Falou ela sem jeito- Eu quero mais...muito mais...

-Ele falou com você depois?- Perguntei.

-Vamos no cinema hoje, eu sei que me chamou pra se distrair- Falou ela- Isso ficou claro, mas se você quiser eu falo pra ele para irmos amanhã...

-Você vai- Falei-Vou ficar bem.

-O baile ta chegando em- Falou ela- Já escolheu sua roupa?

-Não sou muito criativa, acho que só quero...ir de vestido longo- Falei.

-Tudo bem, afinal...é liberdade não?- Falou ela.

-Sim...- Falei.

   



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...