História Eight Kings - Interativa - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias As Crônicas De Gelo e Fogo (Game of Thrones)
Visualizações 67
Palavras 1.319
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Ficção, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 10 - Strategies


Ninho da Águia

- Nosso maior inimigo gosta do calor – disse Henry Arryn enquanto movia o dedo até dorne – no momento, os Martell foram os únicos a convocar seus vassalos, mas não todos, convocaram apenas as casas que tem frotas navais.

- Maron Martell, herdeiro de Lançassolar, é o único que está em Lançassolar, o restante da família foi para Porto Real – informou o lorde Dalen Royce.

Henry e mais três lordes vassalos estavam reunidos em uma sala do Ninho da Águia, uma janela que estava aberta promovia uma bela vista do Vale. No centro havia uma mesa com um mapa de Westeros aberto e algumas peças de madeira espalhadas.

- O Vale é impenetrável, nem com cem mil homens é possível adentrar no Ninho – indagou Rodrick Hunter.

- Por terra não – concordou Henry – concordo com você, o Vale é praticamente impenetrável, a não ser por uma fraqueza.

Henry então moveu uma peça para a Baía dos Caranguejos, a Baía era uma das partes em que o Vale se encontrava com o mar.

- Nunca sofremos ataque pela costa, por esse motivo, meu pai nunca se preocupou com nossa força marítima – explicou o rei do vale, agora como rei, ele teria que ajustar o reino do seu jeito – nos últimos anos, me preocupei com essa parte de nosso reino, por isso, antes de eu assumir como regente, tínhamos quarenta navios de guerra, hoje temos cem.

- Mas os dorneses não tem uma força naval forte o suficiente para nos afrontar – observou o lorde Jon Melcolm.

- Mas eles não estão sozinhos – avisou Henry – se Maron Martell for inteligente do jeito que eu acredito que ele seja, ele reunirá sua frota com a dos Targaryen, aumento consideravelmente seu número.

- Dizem que esse Maron é especialista em invadir – alertou Jon Melcolm.

- E eu sou especialista em defender – respondeu friamente Henry – é quase certo que ele tentará nos atacar pela Baía dos Caranguejos.

O Arryn moveu então algumas peças que sinalizavam embarcações inimigas para a Baía dos Caranguejos.

- Mas vou preparar uma surpresinha para ele – revelou ele com um sorriso discreto no rosto, ele então moveu outras peças, que sinalizavam embarcações Arryn.

- A Baía é cheia de rochas perto da costa, na costa, existem labirintos naturais dentro das cadeias de montanhas que cercam o mar, grandes o suficiente para esconder navios – ele movia as peças com grande agilidade, colocando-as em pontos estratégicos – esconderemos uma vintena de navios nossos lá dentro, Maron pensa que não sabemos de suas intenções e ele espera tomar a Baía sem ter empecilhos, mas ao fazer isso, ele estará mordendo a isca.

Henry colocou novas peças no mapa, estas também sinalizavam navios, mas tinham a cabeça de um lobo esculpido na parte superior, mostrando ser uma frota Stark.

- Se eu conseguir o apoio do rei Brandon, Maron não terá saída – explicou o rei, ele então moveu as peças Martell para mais perto da costa, e em seguida colocou as embarcações Stark cercando os Martell – se eu estiver certo, Brandon deixou apenas Jason e Callum em Winterfell, com a ameaça Greyjoy na costa nortenha, Callum vai com reforços para Porto Branco, pedirei que ele reúna a frota nortenha e desça de Porto Branco pelo mar estreito até nossa Baía.

- Mas e se Maron tentar adentrar na Baía com seus navios? – questionou Dalen Royce – afinal ele estará em maior número no mar.

- No mar sim – concordou Henry – mas em terra não, eu levarei quinhentos arqueiros e os espalharei por estes penhascos – ele sinalizou os penhascos com o dedo indicador direito – se ele tentar entrar em nossa Baía a força, vai ver quinhentas flechas voando em sua direção, ele ficará encurralado, se tentar voltar, será esmagado pela frota Stark.

- Um plano muito engenhoso – observou Rodrick Hunter.

- Obrigado Lorde Hunter – agradeceu Henry – confesso que fiquei uma semana arquitetando ele.

- Mas, e se pro acaso Maron conseguir uma vitória e tomar nossa costa, então a ameaça estará em terra – disse Jon Melcolm, Henry sabia que aquele lorde era um homem precavido e desconfiado.

- Já pensei nisso – disse Henry – neste caso, a única praia grande o suficiente para ele aportar é essa – explicou Henry, indicando uma praia no mapa – mas, não darei esta praia de bandeja para ele, lá teremos três mil homens escondidos na mata que cerca a praia, como nosso comandante mais experiente, enviarei Lorde Dalen Royce para comandá-los.

- Será um honra – respondeu Lorde Dalen.

- Mas acho muito difícil você entrar em batalha Lorde Dalen – observou o rei Henry – nunca vi alguém vencer uma batalha como essa, tudo estará contra Maron.

Uma batida na porta interrompeu a reunião, Hnery permitiu que a pessoa entrasse, era um guarda do castelo.

- Meu rei – disse ele, fazendo uma reverência – os Tyrell de Jardim de Cima chegaram!

 

Lançassolar

O dia estava quente em Lançassolar, como era de costume em dorne, Maron Martell usava roupas leves, afinal até mesmo um vento era raro naquele momento do dia.

Maron estava no salão do Lançassolar, em frente ao trono estava uma mesa e em cima dela um mapa de Westeros aberto. Ao lado de Maron estavam Arthurus Dayne e Andar Yronwood.

- Vocês devem reunir o máximo de navios que tiveram – ordenou Maron – esta invasão deverá ser feita em grande escala, a casa Uller chegará em dois dias com dez navios, pretendo formar uma frota de, pelo menos setenta navios, depois nos juntaremos a frota Targaryen em Porto Real.

- Lorde Hallen Uller já sabe do plano da invasão? – perguntou Arthurus Dayne.

- Sim, enviei um corvo para ele explicando tudo – respondeu Maron.

O príncipe Martell encarava o mapa com uma dúvida em mente, uma idéia começava lhe surgir na cabeça.

- Lorde Andar, já comandou uma frota em uma batalha marinha? – perguntou Maron para o Lorde Yronwood.

- Apenas uma vez – respondeu Andar – não sei se pode ser considerada uma batalha, enfrentei três dracares Greyjoy, felizmente saí vitorioso.

- Ótimo – disse o Martell – você comandará dez navios, mas não em batalha, tenho outros planos para esses navios, se por acaso perdemos a batalha.

- Você acredita que haverá uma batalha? – perguntou Arthurus Dayne.

- Certamente, Henry Arryn é sagaz, ele sabe que atacarei, muito provavelmente ele também imagina que tentarei invadir na Baía dos Caranguejos – respondeu Maron – mas estaremos em maior número que ele, ele terá apenas sua pequena frota, se é que quarenta e pouco navios pode ser chamado de frota.

- Nossa vitória é iminente – disse Arthurus confiante.

- Sim, esmagaremos eles, e pretendo lutar contra Henry, quero ver como ele é combate individual – indagou o príncipe – mas não pretendo matá-lo, ele é um valioso prisioneiro.

- Henry Arryn não é páreo para você, no corpo-a-corpo você é muito superior – afirmou Lorde Dayne, Maron havia passado alguns anos com os Dayne, que eram conhecidos como os melhores espadachins de Westeros, lá Maron foi treinado pessoalmente por Arthurus Dayne.

- A frota Arryn deve ser passada no archote, tudo navio deles deverá ser reduzido a cinzas – disse Maron – para não haver possibilidade de fuga.

- Concordo – disseram os dois Lordes.

- Depois do Vale, o Norte se oferece para ser conquistado também – indagou Andar Yronwood – eles não tem uma força marítima considerável, e sua única defesa de uma invasão pelo mar é Porto Branco.

- Sim, mas o norte é dos Greyjoy, não vou interferir no ataque deles – respondeu Maron.

- Acredito que esta reunião esteja encerrada – disse Maron, enrolando novamente o mapa que estava sobre a mesa – peço que retornem o mais rápido possível para seus castelos e convoquem o máximo de homens que conseguirem, e cada casa deve trazer no mínimo dez navios, mas como vocês são as maiores, vou esperar mais!

- Sim senhor – responderam os dois lordes, fazendo uma reverência e saindo do salão.

- O plano já foi feito – refletiu Maron – agora tudo está nas mãos dos soldados!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...