História Ela - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alastor Moody, Alvo Dumbledore, Argo Filch, Ariana Dumbledore, Arthur Weasley, Astoria Greengrass, Blásio Zabini, Carlinhos Weasley, Cho Chang, Draco Malfoy, Fleur Delacour, Fred Weasley, Fred Weasley Ii, Gina Weasley, Gui Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Lilá Brown, Minerva Mcgonagall, Molly Weasley, Neville Longbottom, Nymphadora Tonks, Padma Patil, Pansy Parkinson, Parvati Patil, Penélope Clearwater, Personagens Originais, Poppy Pomfrey (Madame Pomfrey), Ronald Weasley, Severo Snape, Sirius Black, Ted Lupin
Tags Draco, Ficção, Harry Potter, Personagens Originais, Romance, Saga
Exibições 45
Palavras 834
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oii :3
Espero que gostem <3

Capítulo 7 - Cura


Draco POV

Eu estava sentindo algo estranho. Já era para Atena estar no Salão para jantar e ela não veio. Depois de quase 15 minutos resolvi procurá-la. Bom... Fui em vários corredores e não a achei, e também não sabia onde era a sala comunal da Grifinória, então me lembrei que eu a via entrando num corredor diferente a caminho do Salão, e resolvi procurá-la nesse corredor. Nem cheguei direito na esquina do corredor e ouvi a voz debochante de Pansy, saí correndo quando vi Atena jogada aos pés de uma armadura e Pansy com os punhos preparados em direção a ela.

-PANSY!- gritei com a voz mais firme que pude. Ela virou-se para trás assustada. 

-Me dói fazer isso, principalmente com uma pessoa da minha casa, mas devo tirar 50 pontos da Sonserina por você tê-la atacado. Vá embora.- Falei, novamente com voz firme.

-Mas... Mas Draco...- Disse Pansy. 

-Se você continuar aqui eu tirarei 70 pontos. Vá embora.- Eu disse, e ela foi. 

Atena estava no chão, com o rosto retorcido numa expressão de dor. Eu a ajudei a levantar e ela soltou um guincho, o que me fez deduzir que a dor era nas costas. Afastei suas vestes de Hogwarts e olhei para sua blusa clara que estava ensopada de  sangue da cintura pra baixo, levantei sua camisa e vi um corte profundo de uns 8 cm na vertical. 

-Acho que foi fundo. Vou te levar para Madame Pomfrey.- Falei. 

-Pode ir. Eu consigo ir sozinha.- Atena falou com a voz arrastada devido á dor. 

-Não vou. Vou te levar lá.- Falei oferecendo o braço para ela se apoiar. 

Fomos até Madame Pomfrey e chegando lá a mesma perguntou: 

- O que aconteceu aqui? 

- Uma briga. Ela se cortou numa armadura.- Eu disse enquanto ela de sentava na cama e tirava as vestes de Hogwarts para Madame Pomfrey ver o corte. 

-Uhh... O corte foi feio...- Disse Madame Pomfrey.- O que devo fazer Atena?- Perguntou Pomfrey e eu fiquei meio curioso, ela não sabe o que fazer com um caso relativamente simples como o dela?

-Me dê um vaso com terra, Tia Pomfrey.- Disse Atena numa voz meio embargada. Mas... "Tia" Pomfrey? Madame Pomfrey nunca havia permitido ninguém chamá-la assim.

- Tia???- Perguntei a Atena quando Madame Pomfrey foi buscar o vaso com terra com a professora de Herbologia.

-É... Eu comecei a sentir umas dores estranhas na cabeça no primeiro ano que eu estava aqui e resolvi procurá -la. Ela me examinou e me deu os remédios necessários, e nós conversamos bastante e criamos uma certa afinidade... E então um dia eu a chamei de tia sem querer e acabou ficando...- Atena explicou.

-Ahh...-Respondi meio confuso assim que Madame Pomfrey chegou com o vaso de terra.

Atena pegou o vaso com as mãos e de dentro da terra irradiou um brilho Verde bem fraco enquanto folhas surgiam aqui e ali. Ela estava usando seus poderes para fazer crescer alguma planta de um matiz de verde que combinava com seus olhos, mas mesmo assim eu não estava entendendo aquilo. Madame Pomfrey só poderia ter pegado um frasquinho de alguma poção de cor chamativa e colocado no corte... Ele iria cicatrizar imediatamente... Enfim, depois de 1 minuto Atena segurava nas mãos uma planta de porte médio com caule liso e folhas vistosas.

- Amasse 5 folhas até sair um líquido transparente, depois dilua esse líquido em 500 ml de água e coloque no machucado com um conta gotas, por favor.- Disse Atena com tom de urgência, dava para  ver que a dor ficava cada vez mais insuportável.

- Porque ela não usa as poções convencionais?- Perguntei extremamente curioso e confuso com a situação. 

- Eu preciso de curas naturais. Assim como remédios de bruxos não têm efeitos muito positivos em trouxas e remédios trouxas não têm efeitos muito positivos em bruxos, nenhum remédio, nem trouxa nem bruxo tem efeitos bons em mim. Eu precisei aprender a utilidade de todas as plantas que existem, para usar em tratamentos.- Atena explicou com voz de choro enquanto eu me impressionava cada vez mais com ela. 

Madame Pomfrey chegou com o "remédio" de Atena e aplicou em cada parte do corte com um conta gotas, assim como Atena pediu. Vi aquele corte cauterizando, se fechando e cicatrizando instantaneamente na minha frente. Fiquei meio perplexo. Atena se levantou profundamente aliviada e agradeceu Pomfrey com um abraço. Ela saiu e disse: 

- Eu fiz você perder a janta. Desculpe. 

- A janta não me importa, você estava ferida e agora está bem, e é isso que importa.- Eu falei passando a mão em seus cabelos longos. Isso pareceu deixá-la um pouco confusa: 

-E-eu, eu vou trocar de roupa... Volto em meia hora para fazermos a ronda... Te encontro no saguão, ok?

- Sim, ruiva. Toma cuidado viu?- Falei preocupado tomando seu rosto delicado entre as mãos e dando um beijo carinhoso em sua testa. 

Ela subiu as escadas e desapareceu em um corredor enquanto eu observava aquela cascata de cabelos ruivos cobrindo uma camisa branca embebida em sangue.


Notas Finais


Não sei se exagerei no tamanho mas espero que tenha ficado bom <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...