História Ela deve ser minha - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Em Família, Glee
Personagens Blaine Anderson, Brittany S. Pierce, Clara Fernandes, Kurt Hummel, Marina Meirelles, Mercedes Jones, Noah "Puck" Puckerman, Quinn Fabray, Rachel Berry, Sam Evans, Santana Lopez, Sue Sylvester, Will Schuester
Tags Dramas, Revelaçoes, Romance, Violencia
Exibições 52
Palavras 1.698
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Violência
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 4 - Duplas parte 2


Amanheceu um dia ensolarado em Lima, Victoria foi acordada pela gritaria de sua mãe no telefone:

Nanda: EU NÃO QUERO SABER RESOLVA ESSE PROBLEMA SOZINHO, EU NÃO VOU PRA NOVA YORK POR CAUSA DA SUA INCOPEMTÊNCIA. Gritava assustando a filha que parou no pé da escada para ver o que estava acontecendo.

Vick: Mãe está tudo bem? Perguntou acanhada.

Nanda: Está tudo péssimo. Falou fria. – Estou no meu escritório e não quero ser incomodada por ninguém entendeu?

Vick: Eu vou chegar mais tarde hoje novamente. Informou, foi subir para o quarto, mas Fernanda a impediu.

Nanda: Aonde vai? Rosnou. – Se for tentar falar com aquela aberração que você chama de mãe pode ter certeza que você não coloca mais os pés aqui entendeu? Rosnou e viu a filha assentir. – Ótimo e nem ouse contar para sua mãe sobre essa conversa. Sibilou fria e foi ao seu escritório.

Depois da intimação de sua mãe, Vick foi para seu quarto trocar de roupa optando em uma regata do Guns N’ Roses preta, shorts jeans preto, all star preto e deixou seu cabelo em rabo de cavalo, pegou sua mochila, seu celular e foi pro colégio.

-

Xx: Descobri algumas coisas sobre essa tal de Quinn Fabray. Foi colocando sua roupa depois de uma sessão de sexo com Ashley.

Ash: Que seria? Digitava uma mensagem para namorada.

Xx: Parece que ela é mãe de uma menina chamada Beth, filha essa que teve com uma garota chamada Kimberly ou algo assim. Deu de ombro. – Ela e a filha moram em Nova York, essa Quinn vai todo final de semana visita-las e é só isso que deu pra descobrir. Falou e viu Ashley se levantar indo em sua direção.

Ash: Obrigada Monny você me ajudou muito. Deu um beijo de tirar o fôlego na morena e foi se vestir para buscar a namorada.

Harmony: Quando você vai largar a chata da Berry? Perguntou e Ashley lhe prensou na parede.

Ash: Nunca. Sussurrou fria. – Não até eu vê-la sofrer depois de ter destruído o coração da minha irmã. Falou fria apertando o pescoço de Harmony. – Diana sofreu muito com a separação com a idiota da Berry, minha irmã foi parar na cadeia por causa dela, mas isso não vai ficar assim. Sussurrou fria e soltou Harmony. – Só preciso tirar essa Fabray da reta.

-

No colégio todos abriram o corredor quando Victoria entrou deixando todos de boca aberta pelo visual, Vick ficou um pouco corada com os olhares, mas relaxou quando encontrou os amigos do Clube Glee:

Vick: Oi gente. Cumprimentou e viu a maioria babando pela suas coxas e pernas.

Charlie: Cachinhos você e-está muito gata... linda. Corrigiu.

Vick: Obrigada. Falou corada e suspirou pesado o que não passou despercebido por Charlie.

Charlie: Está tudo bem Beija-Flor? Perguntou preocupada.

Vick: Depois a gente conversa sobre isso. Sussurrou e Charlie assentiu. – Acha que o Sr. Shue vai gostar da nossa música? Perguntou receosa.

Charlie: Ela vai adorar assim como todos beija-flor não se preocupe. Deu um beijo na bochecha da morena que sorriu com o ato da ex-loira.

Vick: Vamos para aula?

Charlie: Vamos. Respondeu rodando o braço no pescoço da morena que juntou seus dedos como casal.

Aula do Glee

Shue: Então pessoal quem vai querer começar? Perguntou e viu Mercedes e Tina levantarem as mãos. – o Palco é de vocês meninas. Falou sorridente e logo Mercedes e Tina estavam cantando Halo- Beyoncé. – Muito lindo meninas. Elogiou. – Quem será o próximo? Perguntou e viu Victoria levantar a mão. – O palco é de vocês garotas. Falou e logo Victoria e Charlie se posicionaram Vick na voz e Charlie no violão.

Vick

Sabe, já faz tempo

Que eu queria te falar

Das coisas que trago no peito

 

Saudade, já não sei se é

A palavra certa para usar

Ainda lembro do seu jeito

 

Não te trago ouro 

Porque ele não entra no céu

E nenhuma riqueza deste mundo

 

Não te trago flores

Porque elas secam e caem ao chão

Te trago os meus versos simples

Mas que fiz de coração.

Terminaram e todos as aplaudiram de pé fazendo Vick sorrir corada e Charlie lhe dar um selinho na frente de todos que agora faziam algazarra:

Shue: Vamos nos acalmar pessoal foi só um beijo. Tentou acalmar seus alunos. – Quem será o próximo? Perguntou e viu Rachel e Quinn levantar a mão. – Podem ir meninas. Sorriu.

Rach e Quinn

Quando te vi passar fiquei paralisado

Tremi até o chão como um terremoto no Japão

Um vento, um tufão

Uma batedeira sem botão

Foi assim, viu

Me vi na sua mão

 

Perdi a hora de voltar para o trabalho

Voltei pra casa e disse adeus pra tudo que eu conquistei

Mil coisas eu deixei

Só pra te falar

Largo tudo

 

Se a gente se casar domingo

Na praia, no sol, no mar

Ou num navio a navegar

Num avião a decolar

Indo sem data pra voltar

Toda de branco no altar

Quem vai sorrir?

Quem vai chorar?

Ave Maria, sei que há

Uma história pra sonhar

Pra sonhar

 

O que era sonho se tornou realidade

De pouco em pouco a gente foi erguendo o nosso próprio trem

Nossa Jerusalém

Nosso mundo, nosso carrossel

Vai e vem vai

E não para nunca mais

 

De tanto não parar a gente chegou lá

Do outro lado da montanha onde tudo começou

Quando sua voz falou

Pra onde você quiser eu vou

Largo tudo

 

Se a gente se casar domingo

Na praia, no sol, no mar

Ou num navio a navegar

Num avião a decolar

Indo sem data pra voltar

Toda de branco no altar

Quem vai sorrir?

Quem vai chorar?

Ave Maria, sei que há

Uma história pra contar

 

Domingo

Na praia, no sol, no mar

Ou num navio a navegar

Num avião a decolar

Indo sem data pra voltar

Toda de branco no altar

Quem vai sorrir?

Quem vai chorar?

Ave Maria, sei que há

Uma história pra contar

Pra contar.

Shue: Uau meninas vocês arrasaram. Falou pasmo com a dedicação de Quinn e Rachel. Logo depois das duas foram Santana e Brittany com Valerie da Amy Winehouse e foi seguindo até bater o sinal fazendo todos irem embora.

Charlie: Hey, não está esquecendo de nada não? Parou Vick no meio do caminho.

Vick: Ela me ameaçou novamente. Suspirou. – Disse que se eu entrasse em contato com a mama M. ela me expulsaria de casa. Desabou em lagrimas. – Pra onde eu vou Charlie? Eu não quero ficar longe da minha mãe Charlie. Abraçou a loira que abraçou de volta passando todo seu carinho.

Charlie: Vai ficar tudo bem beija-flor. Sussurrou. – Vou te levar até minha casa e ficará lá até se recompor e voltar para sua casa tudo bem? Perguntou e Vick assentiu.

-

Enquanto Rachel seguia para sua casa, Quinn foi abordada por Ashley e logo fechou a cara:

Quinn: Posso ajuda-la? Falou indiferente.

Ash: Pode. Falou fria. – Você vai se afastar da Rachel ou uma certa pessoa irá sofrer no seu lugar. Ameaçou.

Quinn: Que seria? Perguntou desconfiada.

Ash: Beth. Sussurrou no ouvido da loira. – Eu tenho alguns amigos em Nova York e posso muito bem pedir para eles apagarem sua filha e a mãe dela. falou fria e deu um sorriso frio.

Quinn: Você não vai chegar perto da minha filha. Rosnou.

Ash: Então fique longe de Rachel. Mandou. – OU além de perder sua filha e a mãe dela irá perder Rachel também. Falou. – Não entre no meu caminho Fabray ou vai se arrepender. Falou e saiu deixando Quinn de mãos atadas.

-

Depois de se acalmar na casa de Charlie, Victoria voltou para casa e novamente viu sua mãe bêbada largada no sofá, subiu sem fazer barulho, trocou de roupa e foi fazer o almoço:

Nanda: Você demorou Fernandes. Rosnou para filha.

Vick: Eu avisei que chegaria mais tarde. Respondeu rápido.

Nanda: Não me interessa. Rosnou e tirou o sinto de sua calça. – Sabe que eu odeio atrasos. Bateu na filha que gritava de dor. – CALA A BOCA FILHA DE ABERRAÇÃO. Deu um soco no rosto da filha e chutou-lhe o estomago. – Vá para seu quarto e não saia mais de lá. Falou quando parou de bater em Victoria que subiu para seu quarto gemendo de dor.

­-

Enquanto isso na mansão Fabray, Charlie pensava no selinho que havia dado em Vick em frente a todo Glee até ser interrompida por uma mensagem de Vick.

Vick: Charlie me ajuda eu estou com muita dor.

Charlie não pensou duas vezes e voou na casa da morena, adentrou e viu a mãe da mesma dormindo com uma garrafa de whisky na mão, subiu até o quarto de Victoria e a viu desmaiada no chão. Pegou a morena no colo e a levou até seu carro, dirigiu até o hospital central de Lima e pediu para cuidar de sua morena enquanto tentava entrar em contato com uma das mães dela até que conseguiu falar com Marina:

Charlie: Alô gostaria de falar com Sta. Meirelles por favor.

Mari: É ela em que posso ajuda-la?

Charlie: Srta. Meirelles aqui quem está falando é Charlie Fabray amiga da sua filha Victoria.

Mari: Prazer Sta. Fabray aconteceu alguma coisa com a minha filha?

Charlie: Sim, a esposa da Srta. Fernandes bateu na beija-flor até ela desmaiar e eu não consigo entrar em contato com a Srta. Fernandes de jeito nenhum.

Mari: COMO ASSIM A FERNANDA BATEU NA MINHA FILHA???

Charlie: A beija-flor mandou uma mensagem pra mim pedindo ajuda e disse que a mãe dela havia lhe batido, quando eu cheguei ela estava largada no sofá dormindo com uma garrafa de whisky na mão.

Mari: Eu estou indo ai.  Falou e desligou.

Charlie tentou ligar para Clara e finalmente conseguiu, contou tudo o que aconteceu até a parte em que ligou para Marina o que fez Clara chiar, mas relevou no final, disse que iria para o hospital imediatamente. Não deu meio minuto e Clara havia chegado, conversou com o médico que falou que Victoria ficou com um pequeno hematoma na barriga e cicatrizes na costa, mas que logo se recuperaria, ficaria em observação por precaução e no outro dia teria alta:

Mari: Cadê minha filha? Perguntou agoniada.

Clara: Marina?

Mari: Clara.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...