História Ela é o cara ( Camren ) - Capítulo 26


Escrita por: ~

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Tags Camila Cabello, Camila G!p, Camren, Lauren Jauregui
Visualizações 1.157
Palavras 1.191
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi gente!

Boa leitura :)

Capítulo 26 - Algo errado


Fanfic / Fanfiction Ela é o cara ( Camren ) - Capítulo 26 - Algo errado

Eu tive que dormir no chão porque a Dinah e a Keana resolveram ficar de segredinhos comigo, sério, eu não entendo porque elas fizeram isso, era sobre mim não era? Eu tinha direito de saber. Respiro fundo encarando o nada, na verdade era o portão da faculdade mas eu não estava olhando especificamente pra ele, por isso eu falei que estava encarando o nada. Encosto minha cabeça na parede, estava no intervalo e como sempre, eu estava tomando um ar no jardim, estava sentada com as pernas cruzadas quando sinto alguém sentar ao meu lado, pensei que seria uma das meninas ou o Enzo, mas era uma garota toda sorridente. 

- Oi. - falou com um sorriso aberto no rosto. 

- Ah...oi. - falo me desencostando da parede e à olho de frente, ela é muito bonita.

- Verônica. - ela entendeu a mão pra mim gentilmente. 

- Camila, prazer. - ela sorriu e não soltou minha mão. 

- Que tal me dar prazer na minha cama? - falou mordendo o lábio inferior e eu senti minhas bochechas esquentarem. - Que fofa, você cora mesmo. - riu e eu puxei a minha mão. 

- Eu não estou corada. - retruco arrancando uma risada alta dela. Fecho minha cara e cruzo os braços. 

- Sério, eu não imaginava que você era tão fofa mesmo. - sorriu e se aproximou ainda mais de mim. - Sabe....tem uma folha aqui no seu rosto. - ia passar a mão no meu rosto mas ela foi mais rápida e tirou. Sorri tímida pela a proximidade. 

- Obrigada. - ela sorriu negando e eu quase desfaleci quando ela beijou minha bochecha, quase a minha boca aliás. 

- Até depois linda. - piscou um olho pra mim e saiu andando como se nada tivesse acontecido. Observei a garota se afastar até que ela dobrou.

- Oi. - tive que segurar a minha alma pelo pulso com o susto que eu levei. Olhei para a garota que ria da minha cara de espanto. - Desculpa, eu não queria te assustar. - tirei a mão do meu peito um pouco mais calma. - Meu nome é Lucy, e o seu? - ela sorriu simpática e me estendeu a mão, ainda um pouco surpresa eu apertei. 

- Camila, pra....- hesitei e ela riu sentando de frente pra mim. 

- Você é muito bonita, Camila. - sorriu e eu meio que me afastei por reflexo quando ela levantou a mão. - Eu só quero arrumar, tá? - falou sorrindo e eu relaxei, ela colocou uma mecha do meu cabelo atrás da minha orelha. Fiquei estática, o que estava acontecendo? 

- Obrigada...- agradeço e ela nega e mais uma vez, sou surpreendida, ela beijou o canto da minha boca demoradamente, eu só estava assustada. 

- Depois a gente se vê linda. - piscou pra mim e saiu andando.

- Oi! - ah não! 

- Eu não...

- Hey...o que deu em você princesa? - Enzo rir me dando um beijo na bochecha. Solto um suspiro aliviada e ele me olha estranhando. - Tudo bem? 

- Tudo eu só....eu não sei. - bufo frustrada e ele segura minha mão. 

- Fica calma tá? - fala com um sorriso terno. 

- Espero. - sussurro e sinto seus braços fortes ao redor da minha cintura. 

- Confia, tudo vai se acertar. - ele beija o topo da minha cabeça e eu sorrio torcendo para que ele esteja certo. 

Por quê amar é tão complicado? 

                                                    Lauren

- Achei que tivesse esquecido dos amigos. - nego e vou até ela que me recebe com um abraço. - Então....por quê pediu minha ajuda com tanta urgência? 

- É urgente mesmo, eu estou surtando, Tifanny. - falo observando a mulher trazer dois cafés. 

- Tão urgente assim que não poderia esperar nem mais um dia? - ela pergunta dando a volta na mesa e senta na minha frente. 

- Nem mais um dia, eu estou apaixonada. - falo percebendo o semblante da minha amiga. Tifanny acabou de se formar em medicina e com o mérito de ter a melhor nota da faculdade, nos conhecemos em uma das minhas viagens a trabalho, ela estava cursando faculdade em Londres, e apesar de ser mais nova que eu, era tipo minha irmã velha. 

- E isso não é bom? - sua expressão era confusa. 

- É, se não fosse por uma mulher, uma garota de vinte anos. - falo agoniada e ela suspira pesadamente. 

- O que isso tem haver? - fala arrumando suas coisas sobre a mesa. 

- Como assim o que tem haver? Ela é uma mulher Tifanny, MULHER. - repito óbvio e ele nega. 

- Agora eu entendi por quê você não quis falar sobre ontem a noite, seus pais surtariam, né? - falou compreensiva. 

- Sem dúvida. - falo e ela suspira. 

- Seu medo chega a ser ridículo, você não depende mais deles, nem mora com eles. 

- Mas você sabe o quanto eu amo eles, né? Você não vê como eles olham torto pra Mani, imagina comigo? 

- Tudo bem, então desiste dela. - fala óbvio. 

- Nem morta, eu sou louca por aquela garota, a gente até já casou. - falo e ela me olha sem acreditar. 

 - O quê? - sorrio. 

 - É, ela é linda, tem os olhos castanhos mais brilhantes do mundo, você não tem idéia de como ela é perfeita. 

- Então? 

- Ela é mulher. 

- Não é problema, eu também já fui apaixonada por uma garota incrível. -ela sorriu nostálgica. 

- Eu sei....mas eu te chamei aqui porque eu quero que você cuide do caso dela pessoalmente. 

- Ela é doente? - nego sorrindo de lado. - O que ela tem então? 

- Eu quero que você dê hormônios masculinos pra ela. - Tifanny me olhando de maneira indecifrável. 

- Mas...ela está de acordo? - assenti. - Tem certeza? 

- Tenho. - falo convicta. 

- Tudo bem, terá intervenção cirúrgica também? 

- Não, ela é intersexual. - sorrio e ela franzi o cenho. 

- Sério? Que coincidência. - duvagou. - Minha pequena era intersexual também, ela era perfeita em tudo. - sorriu bobamente. - Mas ela era muito menininha pra virar um homem, e eu nem mudaria nada nela. 

- Você ainda ama ela? - ela sorriu assentindo. 

- Sim, mas é mais um carinho, sabe? Extinto protetor. Estou louca pra ver como ela está, deve está até namorando. - balançou a cabeça e pegou o seu celular. - Mensagem. 

- Pode ver. - ela sorriu e destravou o celular. 

- Essa louca não muda nunca. - riu colocando o celular sobre mesa. 

- Tudo bem? 

- Sim, é só que a amiga da minha pequena está aprontando uma pra namorada dela. Eu sabia que ela estava namorando, ela é muito especial. - sorriu.

- Você ainda chama ela assim? 

- Sim, e eu tenho pena da namorada babaca dela, pelo que a Dj falou....ela vai se dar muito mal. - falou e me olhou, senti meu corpo tensionar. - Tudo bem? 

- Estou...eu só....- meu celular vibrou e eu destravei o mesmo. 

Milinha é o cara, imagina se fosse um homem? 

QUE MERDA É ESSA? 


Notas Finais


Por hoje é só, gostaram da mini maratona?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...