História Ela não é, o que pensa que é. - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 4
Palavras 1.665
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fantasia, Mistério, Sobrenatural, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Estupro, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 3 - Relembrando o passado


Eu olhei completamente chocada para ele como se não estivesse acreditando no que havia acabado de escutar e eu so conseguir dizer:
- M-Mas o que?
Ele me olhou com desdém e depois revirou os olhos
- É isso mesmo que você ouviu! Não me faça repetir. Ele fechou a cara mas incrivelmente continuou lindo. Você só poderá voltar para seu mundo em mil anos, no mínimo.
Eu sinto meus olhos se encherem de água, mais uma vez mas consigo continuar.
- Mil anos...? Eu não tenho mil anos... ele parecia sem paciência e começou a explicar.
- O mundo humano tem uma coisa que impede as pessoas a viverem por muito tempo. Se eu não me engano essa coisa se chama oxigênio. Eu fiquei embasbacada com aquilo que ele havia dito, porque o que nos faz viver é o oxigênio, eu achei graça daquilo e comecei a rir. Mas ele não parecia estar brincando e veio pro meu lado e perguntou:
- O que tem de engraçado nisso? Eu gelei com ele me encarando com aqueles olhos brilhantes mas que ja não estavam mais dilatados.
- É que... na ciência... uma aula que a gente estuda pra aprender sobre o mundo... fala que o que nós faz viver é o oxigênio então... seria impossível isso que você acabou de dizer.. agora quem estava rindo era Sebastian
- Puff.. ele bufa humanos são mesmo idiotas ignorantes. É claro que o que te faz viver é o oxigênio. O lifhit que salvou vocês... o carinha que vocês o apelidaram de "Deus" lançou um feitiço... bem no começo das suas existências insignificantes no mundo  que permitia que vocês respirassem, pois o ar antes era impuro e tóxico, e vocês não passavam de 10 anos de vida, só que antes vocês eram bem mais inteligentes e sensatos.. o lifhit Eszirel era muito bom e ficou com pena de vocês e lançou um feitiço dando sua própria vida para que vocês passasem de 10 anos e vivessem uma vida feliz. Mas como cada feitiço tem seus prós e contras, o contra desse feitiço era que vocês envelheceriam, perderiam sua beleza original e morreriam em até 200 anos.. e logo com o feitiço perderam também a sensatez e se tornaram lixos ignorantes...
Eu fiquei encantada com a história que havia acabado de escutar... um cara deu sua própria vida para que o feitiço se concretizasse e nós sobrevivemos.. isso era lindo.. mas sem um porquê afinal? Eu foquei nessa parte e então perguntei para Sebastian.
- Isso é realmente muito lindo, mas não tem um porquê disso? Não tem um significado de tamanha bondade? Ele me olhou por um segundo fechou a cara e prosseguiu.
- Ele era idiota. Por isso. Eu sabia que Sebastian tinha ódio por humanos mas aquilo deveria ter um motivo e então insisto pra saber.
- É sério... ele fez isso apenas por ser bom? Não teve nenhum motivo nem nada? Sebastian... Você não precisa me odiar, as pessoas não são iguais as outras.. é sério! A expressão dele parece relaxar eu fico aliviada com isso, mas depois ele me encara e suspira.
- Eu realmente não sei o motivo. Tem muitas teorias, mas a mais famosa é a que ele se apaixonou por uma humana e quis fazer de tudo para que ela sobrevisse. E então deu a própria vida e lançou o feitiço. Ele abaixa um pouco o rosto e senta no sofá. Eu fiquei encantada com a história, o lifhit havia dado a própria vida para que sua amada vivesse por mais tempo.
- Isso é lindo... Eu olho para o Sebastian que estava com a cabeça abaixada.
- O amor estraga tudo... ele olha para mim novamente e muda totalmente de assunto. Então como você sabe, não pode voltar para terra antes dos 1000 anos.. vai ficar aqui mesmo? Passando a eternidade com seu gato? Eu havia por alguns minutos esquecido dessa merda, minha expressão fica triste e então eu pergunto.
- Por eu ter saído da terra eu vou viver mais que 200 anos? Sr Meia Noite parecia muito interessado na história sentado no chão olhando lara nós. Sebastian olha para mim e sorri.
- Olha só... ela não é tão burra quanto eu pensei. Ele ri.. e poxa... que sorriso lindo! Humanos tem traços antigos de lifhits, logo eles sobrevivem em terras de lifhits, mundos, no caso... como você saiu da terra e não está mais sobre o feitiço daquele idiota e não está mais respirando ar impuro você vai viver por pelo menos dez mil anos... se não voltar para terra. Dez mil anos é a idade estimada para um lifht normal.
Eu não sabia que alguem poderia viver tanto tempo e estava de boca aberta literalmente. Ele vê minha expressão e continua.
- Ei fecha essa boca, se não entra lois.. hahaha nem é tanto tempo assim.. é so a idade mínima, mas e você? Tem quantos anos?
Eu ainda admirada com aquela história respondo.
- Dezessete. E você?
Ele olha pra mim achando graça.
- Haha, idade de um bebê. Acho que vocês são obrigada a amadurecer mais rápido por causa do tempo curto que eles te dão.. Eu tenho trezentos e quarenta. Ele responde dando uma volta em torno de si mesmo.
- Nossa... Eu o olho sem expressão.
- Hmm... Lurdizinha, a conversa está bem interessante mas eu preciso ir nessa... ja está bem tarde. Ele responde olhando pela janela o que me faz olhar tambem, mas dai lembro que vou voltar a ficar sozinha e me desespero.
- O que? Você vai embora? Você não pode me deixar sozinha, aqui... por favor.. ele me olha com pena e responde
- Eu volto pra te ver depois! Ele sorri
- Você promete? Eu pergunto quase chorando
- Sim, eu prometo. Ele diz isso enquanto uma fumaça se forma em torno dele e ele some.
Eu fico perdida em meus pensamentos e vejo como ele é bipolar, uma hora me trata super bem, outra é frio e grosso comgo. Eu realmente não entendo ele.. Mas Acho que no fundo ele é um cara legal, eu realmente espero que ele me ajude a sair dessa.
Estava refletindo no sofá sobre o dia de hoje e o sr Meia Noite ficava miando pra mim, e quando eu tentava encostar nele ele fugia. Como se quissese me dizer alguma coisa.

- Sr Meia noite, eu infelizmente, não consigo entender você. Me desculpa, de verdade. Ele rosna pra mim

Eu fico chocada come essa reação dele, ele nunca tinha rosnado pra mim antes, eu ja tinha dado comida pra ele, então não é fome, é como se ele quisesse me dizer alguma coisa, mas não soubesse como. Eu volto pros meus pensamentos e logo começo a ignorar os miados do meu gatinho.
Do nado ouço um barulho de coisas quebrando na cozinha, e corro pra lá.
Quando chego vi que quem derrubou os copos foi o sr meia noite. Eu dou um grito pra ele, e ele sai correndo da cozinha.

- O que esse gato ta fazendo? Pergunto pra mim mesma.

Limpo a bagunça que o gato fez e volto pra sala. Vi que o sr Meia noite estava deitado, mas foi só me ver que ele correu e começou a miar sem parar, eu o ignoro e vou para a banheira.
Não tem energia aqui, então eu tive que esquentar a água para eu tomar banho. Durante o banho eu fechei a porta e o gato ficou miando durante k banho todo, eu ja estava irritada com esse comportamento. Mas não podia fazer nada, coitadinho, nunca iria bater nele.
Depois que saio do banho vou direto para meu quarto, e coloco um pijama, o gato me seguia por todos os lugares, coisa que antigamente ele não fazia.

- Sr Meia Noite, o que você quer?

Ele gira a cabeça pro lado, e depois sobe na cama e deita.

- Eu realmente não entendo esse gato.

Eu fecho a porta do quarto e vou dormir.

"Hahaaha você não vai me pegar"
"Volta aqui, pestinha."
Ele me agarra e me da um beijo apaixonado e eu retribuído

- O QUE? Eu acordo assustada e percebo que tinha sonhando com Lois, o meu namorado... quer dizer.. ele não é mais meu namorado.. eu nunca mais o verei.
Eu sento e fico encarando a parede do meu quarto quando ouço patidas. Só podia ser uma pessoa, então o mandei entrar.

- Oi, como passou a noite? Sinto o tem frio e seco em sua voz.
- Eu dormi bem e você? Respondo na mesma frequência.
Ele me encara por alguns segundos e eu faço o mesmo, ele é tão lindo, tem algo nele que me enlouquece.
- Bem. Ele olha pra baixo
- E então..? Eu pergunto ainda o encarando.
- O seu lur-g-gato. Esta lá embaixo, eu coloquei comida pra ele se não se importa. Ele parece nervoso mas o tom da sua voz ainda é serio.
- Não faz mal! Obrigada. Eu nunca tinha visto alguém tão maravilhoso na minha vida, ele realmente tinha traços perfeitos e sua voz... a sua voz...
- Precisamos conversar sobre seu futuro. Ele interrompe meus pensamentos indecentes e me deixa em choque.
- O que? Meu futuro? Ele me olha com desprezo e responde
- Sim, o seu futuro! Ou será que pretende passar a eternidade nesse vão vazio que é aqui? Ele me encara
- O-Oque.. não.. claro que não.. eu o olho com tristeza, mas ele parece não se importar nenhum pouco
- Ótimo! Ele puxa meu braço bruscamente ate chegar la sala, eu não falo nada, apesar de machucar um pouco. Assim que chego vejo Sr Meia Noite comendo, e Sebastian fala grosso:
- Senta. Eu sinto como se meu corpo entrasse em uma corrente elétrica, a voz dele era maravilhosa e me deixava completamente submissa. Então eu o obedeço e sento no sofá diante dele, e o olho fixamente.


Notas Finais


Gente, aquele clichê da protagonista gostar do cara malvado ainda tá em alta? Perdoa os clichês e não desiste de mim..
Eu juro que a história vai tomar um rumo melhor, então continuem lendo e até o próximo capítulo.
Boa leitura


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...