História Ela sabe de tudo - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Camren, Medo, Norminah, Suícidio
Exibições 13
Palavras 1.064
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Fiquem agora com a detetive
Vou avisando ela é curiosa
Sério tão curiosa que parece agente da FBI

Capítulo 4 - A detetive


Fanfic / Fanfiction Ela sabe de tudo - Capítulo 4 - A detetive

Os longos cabelos da moça de 27 anos estava preso em um rabo de cavalo, algumas mechas rebeldes estavam soltos sempre fugindo do laço quando ela tentava amarra-los. Seus grandes olhos eram claros, não como seus cabelos que eram negros. Olhos verdes… Como o da vítima.

Bufando irritada por não conseguir prender seus cabelos por completo, ela pega uma foto na penteadeira perto de seu espelho - tão bonita, por que se jogaria de um andar tão alto? - ela se pergunta olhando a foto da também morena de olhos verdes, entrevistaria sua melhor amiga hoje… Se comparecesse, saberia ela de algo?

Demorou tempo demais tentando prender seus cabelos que nem percebeu que estava sem roupa, apenas de peças intimas ela recolhe as roupas jogadas no chão, aquele idiota havia ido embora, sem ao menos lhe acordar ou dar um adeus ou uma demonstração de carinho, que não seja um bilhete escrito “te adoro, semana que vem estou aqui” isso não era uma demonstração de carinho - já estou acostumada com seu jeito, seu canalha gostoso - amassar o bilhete e joga-lo fora era uma rotina da manhã de sexta, claro que depois de uma noite agradável na noite de quinta

E era rotina dele sempre deixar uma blusa xadrez, pois adorava ver ela vestindo e poder dizer “minha blusa de xadrez estava aqui e você vestiu?!” e amava ouvi-la dizer com desdém toda quinta a noite, “a blusa era sua? eu não sabia, achei jogada no guarda-roupa” um relacionamento frio mas muitas vezes quente, não se apegar a ele e não se apegar a ela uma lei que não estava sendo comprida… por ambos os lados.

A campainha toca fazendo a morena alta vestir a blusa xadrez em sua mão rapidamente, impacientemente a campainha toca mais duas vezes começando a ficar irritada ela grita o famoso “já vai”, correndo pela casa abotoando a camiseta os olhos verdes buscam por uma calça, desistente após ouvir o sexto dim-dom a morena abre a porta apenas com a camiseta - perdão… Eu acho que bati na porta errada, desculpa mesmo - a pequenina diz envergonhada ao ver uma mulher seminua, teria ela atrapalhado algo? - Camila sua lesada! casa da detetive Jasper, não casa de uma mulher seminua - ela sussurra para si mesma fazendo os olhos verdes da mais alta se fechar contendo o riso

– Detetive Eleonor Jasper muito prazer - Eleonor estica o braço voltando a expressão seria, Camila a olha de cima a baixa atendendo ao pedido para um aperto de mão - apesar de ser detetive eu mantenho uma vida sexual… Muito saudável, entre

– eu certamente não precisava ouvir isso - Camila entra envergonhada, ela estava com a detetive seminua e talvez outro ser humano aqui - eu atrapalhei algo? Tem alguém no seu quarto?

– Oh não! - a detetive dá uma risada sem graça quando finalmente entendeu o que a visita havia interpretado - o canalha foi embora mais cedo, desculpa a mal recepção mais você chegou cedo e eu não fiz nem um café

– Cedo?! São três da tarde mulher - Camila grita vendo os olhos da morena se arregalar agarrando o celular para ver a hora - está tudo bem, eu acordo tarde dia de sábado também

– Hoje é sexta - a morena entra na área da cozinha observando a visita pelo vão na parede, fazer o café era tudo que Eleonor precisava - desculpa mesmo, vou fazer um café… Droga estou sem pó - ela observa o armário aberto sem sinal de café, mas tinha uma caixinha de chá, chá é bom, chá acalma e todo mundo gosta ainda mais com biscoitos - farei chá

~°~

– então você era a melhor amiga da Lauren? - Eleonor pergunta pegando a ficha da vítima no seu quarto, pegando também um short porque não ficaria desfilando seminua na frente de uma estranha, chegando na sala Camila estava colocando o chá nas xícaras brancas com uma faixa azui na borda e na bancada de cerâmica havia um prato também azul com biscoitos - Camila né?

– sim - Camila sorri lhe entregando a xícara de chá, observando a detetive bebericanco o chá ela volta a ficar séria se sentando do lado oposto ao de Jasper na bancada - olha detetive Jasper eu não sei de nada, por isso não vim aqui das outras vezes, achei desnecessário e…

– olha Camila eu não estou aqui pra te acusar de nada, só quero seu depoimento e nada mais - cortando a baixinha e depositando sua xícara na bancada Eleonor mostra uma folha, apontando exatamente onde estava empresso os depoimento de suas amigas - os depoimentos afirmam que você estava com a senhorita Jauregui na manhã antes de sua morte

– Porque a polícia te contratou? - direta e séria demais Camila pergunta tentando ser intimidadora

– Estranho demais… - a detetive tira da pasta um canetão vermelho e mostra uma foto do rosto desfigurado da vítima, ao ver a foto Camila cospe na mão o biscoito que mastigava - essa foto foi tirada no IML, eu sei que Lauren caiu do último andar de um prédio de vinte andares e que seria normal ter o rosto deformado mas… Lauren caiu de costas e achamos uma bala localizada aqui - Jasper passa o canetão por um lugar que seria aparentemente sua testa - o que prova que Lauren pode ter sido morta, aliás além dessa bala ninguém viu o exato momento em que Jauregui caiu - a morena de olhos verdes larga o canetão deixando-o cair no chão, se levantando apoiando os braços na bancada - esse senhorita Cabello é o motivo para terem me contratado. uma pista escondida ou um deslize do assassino ou até mesmo um erro proposital

– E por que alguém deixaria uma bala propositalmente em um corpo? - Camila pergunta com receio da resposta

– Sinismo. alguém talvez queria que encontrassem essa bala, uma pista fora do esperado, todos achando que Lauren cometeu um suicídio e BAM - Eleonor grita assustando Camz - acham uma bala

– E você já tem um suspeito? - Eleonor se senta voltando a tomar seu chá ela assente distraída, Camila também volta a tomar o chá curiosa - e quem seria?!

– Você - assustada com aquela palavra Camila deixa a xícara cair se chocando contra o chão


Notas Finais


Vem cá *chamando com o dedo* será que não existirá um capítulo nessa fic em que Camila não apareça?!

A modelo que representa nossa querida detetive é ninguém mais , ninguém menos que... pam pam pam paaaaaam!!!
Kyle Close

Que Kyle Close que nada, Eleonor deveria se chamar Ky close, porque querida esse angulo te favoreceu e MUITO

Será que fico bonita fazendo esse carão?! Espelho amigão vem aqui

E me perdoem se não ter ficado bom esse capítulo p, mas eu não sou nenhuma detetive e não sei o que elas fazem
E eu realmente não sei se uma pessoa que cai de costas de um prédio pode ter o rosto deformada maass está aí

Gente que nota grande
Vou finalizar aqui com nota de ouro

LEMBREM DE ELEONOR ela será importante. Assim como juliana e assim como Augusto. Com toda certeza não aparecerão muito, mas serão importantes

Aliás eu imagino a Juliana como Deborah Schoutema e o Augusto como Stephen Amell


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...