História Eldarya, mundo real? - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Eldarya
Personagens Ezarel, Jamon, Keroshane, Leiftan, Mery, Miiko, Nevra, Personagens Originais, Valkyon
Tags Amor Doce, Eldarya, Ezarel
Exibições 72
Palavras 910
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá pessoal espero que gostem perdoem os erros.

Capítulo 5 - Agradecimento e uma Promessa


Ao adentrarmos a sala de alquimia, senti um cheiro de substâncias químicas. Me lembrei do laboratório da escola. Ezarel foi até uma grande mesa e sentou-se em uma cadeira, que ao meu ver era totalmente desconfortável. Mas ele parecia não se importar com isso. Ele tirou-me de meus pensamentos dizendo:

- Vai ficar o dia todo aí na porta? Entre logo e feche-a, não se pode deixar o vento quebrar minhas preciosas poções.

- Sim senhor Ezarel.

- Não quero que me chame assim!- disse ele repreendendo-me.

- Então como gostaria que fosse?

- Pode me chamar de Ez.......- a porta abriu-se num estrondo, interrompendo Ezarel.

- Ez! onde você esteve? Estive lhe procurando por todo o QG!- eu não pude acreditar nos meus olhos. Só poderia ser um erro de minha parte......Não pode ser!

- Mary, você sabe que tenho muitas tarefas. Não posso ajudá-la a todo momento, vire-se sozinha!- As palavras de Ezarel me surpreenderam ainda mais era realmente Mary, minha pseudo irmã. Como é possível ela estar aqui em Eldarya.

- Não acredito Ez, você vai me deixar para cuidar dessa feia....humana.- disse Mary me analisando dos pés a cabeça. Pensando bem ela realmente seria capaz de dizer isso. Me surpreendi ainda mais. Ezarel puxou Mary para fora e fechou a porta com força.

- Você.......... er..... está bem?

- Sim. Ez- Ao chamá-lo assim ele arregalou os olhos. Parecia realmente muito surpreso.

Há ha .....me deixe terminar. Chame-me por Ezarel o grande Mestre!

- Sim senhor Ezarel ó grande Mestre.

- Pensando melhor isso é horrível! Ezarel está bom.

- Creio que seja melhor decidir-se logo. A propósito quem era aquela garota? - perguntei para esclarecer alguns pontos.

- Mary. Ela é parte da Guarda reluzente, não larga do meu pé. Mas porque esse interesse repentino?

- Nada só queria saber o nome desse ser inconveniente, para me manter longe- disse essas palavras sem pensar direito, confesso que me arrependo. Ezarel caiu na gargalhada.

- Ah ah ah ......ah ah. Nossa você é bem estranha. 

Ezarel me mostrou alguns livros sobre as plantas e os mascotes de Eldarya. Tudo era em vão, não entedi absolutamente nada. Ele pareceu frustrado.

- Vou ter que ensina-la de toda forma. Vamos começar com o básico. As plantas medicinais.- ele pegou um livro na primeira prateleira, com capa verde meio empueirado.

- Como vou ler? Esqueceu que não sei sua escrita?

- Não! É inevitável que você aprenda com o tempo. Por agora faça algumas anotações sobre o que eu disser.

Assenti  com a cabeça, e logo começamos. Ezarel falou-me sobre as propriedades das plantas mais simples. Disse ainda para guardar todas, pois elas eram utilizadas frequentemente, já que Eldarya enfrentava uma guerra.

- Acho melhor terminarmos por hoje. Estou exausto. - disse ele saindo sem me olhar nos olhos.

- Boa noite senhor!-  após minha fala ele deu meia volta e olhou para mim. 

- Pare de agir assim! - murmurou de forma ríspida. 

- Assim como? 

- Você sabe muito bem! - bateu a porta com força. Nem tive tempo de protestar. O que será  que ele quis dizer.

Ao sair da sala percebi que já havia escurecido. Minha primeira noite em Eldarya. Será que posso pegar algo na cozinha ? Estou com fome. Sem pensar duas vezes fui até lá cortei um pedaço de pão e tomei um pouco d'água. Alguém me surpreendeu na saída da cozinha. Era Mary que segurava com força meu braço esquerdo.

- Não sei quem é você, ou o que quer, porém não permitirei que o tire de MIM! - Devido ao silêncio no QG, acho que todos puderam ouvir o grito dela.

- Tirar quem? - respondi sem entender.

- É muito sonsa mesmo! - minha vontade era dar um tapa nela, porém não consegui. Ouvi Passos de aproximarem rapidamente de nós.  Imediatamente ela soltou-me de maneira brusca. Era Kero com roupas de dormir e um pedestal com velas. 

- O que está acontecendo aqui! - olhou- nos com indiferença.

- Eu só estava cumprimentando a nova moradora do QG.- Disse Mary de afastando.

- Sabe Lucy, você nao deveria vagar por aqui a essa hora. Me acompanhe levarei você ao seu quarto.- não entendo o motivo de não poder andar por aqui nesse horário. Ao chegarmos no meu quarto Kero se despediu de mim e se afastou lentamente no corredor mal iluminado. Dentro do quarto percebi que havia um colchão sobre a cama. Fiquei muito feliz. Meu instinto foi o de abrir a porta e sair correndo até Kero.

Início das Narrativas de Keroshane (Kero)......

Já estava quase no saguão principal, quando percebo alguém se aproximando ofegante. Era Lucy, mas porque estaria correndo....

- Espere! 

- O que foi Lucy.- nesse momento percebi um certo nervosismo nela que eu nunca tinha notado. Suas bochechas estavam um pouco ruborizadas.

- Eeeuu..... queria agradecer ao senhor...Kero......- olhei para sem entender muito.

- Agradecer?

- Sim pelo colchão. Muito obrigada.- ao dizer isso ela fez uma reverência e foi embora assim como chegou, rapidamente. Nossa que sensação estranha...

Fim das narrativas de Kero.

No corredor voltando par meu quarto esbarrei em alguém. Era Nevra.

- Olha só. .... minha pétala favorita! Sabia que ja passa da hora de dormir.

- Sim senhor, boa noite! - disse isso ja abrindo minha porta. Contudo minha ação foi interrompida pelo braço de Nevra. Ele estava apertando meu cotovelo.

- Onde pensa que está? Acha mesmo que terei pena de você?!

- Solte-me! Está me machucando. - ele se aproximou mais de meu ovido e disse:

- Não pemitirei que fique aqui por muito tempo, vou desmascarar você!-       já se afastando pude ver sua sombra sumindo no corredor vazio.









 





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...