História Eldarya : The New Guardian - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Eldarya
Personagens Ezarel, Jamon, Keroshane, Leiftan, Mery, Miiko, Nevra, Personagens Originais, Valkyon
Tags Alajéa, Eldarya, Ewellïn, Ezarel, Jamon, Kareen, Kero, Leiftan, Miiko, Nevra, Valkyon, Ykhar
Visualizações 35
Palavras 1.093
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 7 - Mission... Start!


Ayano P.O.V 

Depois da pequena reunião do nada de Miiko eu fui para o "meu" quarto. E quando entrei vi uma pequena carta em cima da cama que dizia:

" Ayano, 

Já faz muito tempo desde que nos encontramos pela última vez, sabe estou com saudades de você. Não quero que perdoe pelo o que eu fiz, mas que saiba que você saiba que eu me arrependo. Ahh e só mais uma coisa, não confiei neles, são traidores 

Beijos. "

- NÃO NÃO NÃO NÃO NÃO NÃO NÃO!!!!! NÃO PODE SER ELA!! ELA... ELA... - Eu entrei em desespero e cai de joelhos gritando e chorando. Yuka veio ao me lado e me olhava con preocupação. Mas nada me importava. O quarto começou a se tornar escuro  e apenas energia azul me envolvia 

Leiftan P.O.V

Eu passava pelo corredor tranquilamente quando ouvi berros e choros vindo do quarto de Valkyon, eu fui até lá para ver o que  era. A cena seria inacreditável se eu não tivesse visto: O quarto estava escuro como a noite e nenhuma luz entrava lá, a menina nova, Ayano, no chão com uma aura azul, e ela estava aos prantos e apenas repetia a palavra não. Eu me aproximei dela  e a perguntei o que havia acontecido e ela apenas me olhou no fundo dos meu olhos, como se visse meus maiores segredos. Eu sem pensar direito a abracei forte. 

- Ei, calma. Eu estou aqui pra te ajudar, não precisa chorar, agora me explique o que aconteceu. 

Eu hesitou um pouco mais logo me respondeu.

- Eu... eu... Tinha uma amiga no meu mundo desprezível, ela me ajudou e acabou com a minha vida no mesmo ano. E ai... ai - Ela parou e prosseguiu-  Me mandaram uma carta se passando por ela. 

-  COMO???! - Eu perguntei com uma indignação enorme, como alguém poderia brincar com algo tão delicado assim? 

- Não é ela... Ela foi capturada por ajudar uma aberração, mesmo dizendo onde eu estava. Devem ter torturado ela de inúmeras maneiras. - Ela dizia com uma voz mórbida e seus olhos não estavam muito diferentes. - Eu não sei nem o nome dela. 

A raposinha ser aproximou de nós e lambeu a não de Ayano que a pegou nos braços. 

- Deveriamos dizer isso a Miiko.  Não é normal as pessoas do QG ficarem brincando com isso. - Eu dei a mão para ela e me sentei na cama - Fique calma okay? Tenho que ir agora, Miiko está me esperando para uma missão.

- Mas... Mas eu não quero ficar sozinha! - Ela me olhou com uma carinha de Purrec abandonado. - Por Favor Leiftan! - Ela me abraçou 

- A-Ayano, e-está bem - Eu corei um pouco. 

Saimos do quarto "dela" e  fomos ao grande portão e nos encontramos com Miiko, Valkyon, Nevra, Kero e Ezarel. 

- Leiftan, o que é que a humana está fazendo aqui? - Ezarel perguntou  com o seu famoso sorriso sarcástico. 

- Nah você não está vendo elfo? Estou fazendo fotossíntese. - Ayano disse com o mesmo sorriso, mas que era puramente atuação. - Seu idiota eu vou junto!

- Mas se você estivesse fazendo a fotossíntese, precisaria da água Ayano. - Nevra disse sorrindo, mas pela primeira vez, eu não entendi a piada. 

- Não você não vai não. É perigoso demais Ayano. - Miiko por incrível que pareça não mandou o refúgio de Eel para os black dogs. 

- Miiko ela vai ter que ir. Estão aparentemente tentando a deixar vulnerável. Não acha mais perigoso ela ficar sozinha? - Eu perguntei com determinação. - E então minha cara amiga? 

- Phew, está bem - Miiko? É você? Não possível. - Mas ela vai com os meninos! 

- Eu prometo cuidar muuuuito bem de você boneca - Nevra piscou para ela, que logo em seguida riu levemente. - Oi? Eu não cheguei nessa parte ainda. 

Ezarel P.O.V 

Ai meu deus, o Nevra flertante é tão ruim. Só não pior que black dogs. 

- Pois bem, acho que vamos indo não é meninos? - Valkyon finalmente falou alguma coisa. Mas aparentemente ele estava com um mau humor terrível. 

Nos despedimos de Miiko e Leiftan (Olá Marilene). E fomos para o mini navio com setenta e sete andares. E quando entrei Ayano me cutucou.

- N Ã O M E T O Q U E H U M A N A! - Eu a olhei com um ódio cabuloso. 

- D-desculpe Ezarel... É só que eu achei que isso lhe interessava, mas pelo visto não. - Ela mostrou um pote de mel médio com um cheiro delicosamente bom. 

- AYANO ME DÁ ESSE POTE!!! - Eu avancei para pegar o pote, mas ela desviou. 

- NÃO VOU DAR NÃO, ORELHUDO! - Ela corria mais e mais. Dorga! Não vou conseguir pegar meu amado pote. - Quer dizer... Se você for um bom elfo, o que eu duvido... VOLTANDO! Eu te dou esse potinho lindo e precioso! - Ela deu um sorriso estranho. - Eeeeeeentão? Como vai ser?

- O que você quer? - Ela apontou para uma barra de chocolate na mão de Nevra. - Ai, ai.... Está bem! Mas cumpra sua palavra. 


Ayano P.O.V 

Eu estava fingindo estar feliz, fingindo ter esquecido daquilo, fingindo estar normal. Eu queria pular no mar, queria deixar de existir, eu não tenho nada aqui. Pelo menos é o que eu acredito ser verdade. 

- AYANO! Você ouviu o que eu disse? 

- Ahn? Ah sinto muito. 

- Enfim, toma seu precioso chocolate. E me dá meu mel! 

- Tá, Tá pega logo

- Foi bom fazer negócios com você Blueberry. 

- Hein? Blueberry? Sério mesmo? Tá que seja. 

Logo depois o tempo passou e passou, até que a noite chegou. Eu fui me deitar.  E ai é que começou o meu pesadelo. 

- Shh, quietinha! Não grite! - Uma sombra  se aproximou de mim. - Eu irei lhe dar mais poderes, muito mais, mas em troca eu quero esse seu olhinho lilás.

- VAL--- - Ele pressionou suas mãos contra a minah boca e me impediu e gritar. 

- Eu avisei. - Ele recitou alguma mágica. - Que a troca seja feita! 

- HUMNHHHHHHH- Eu não podia gritar, mas ele arrancou meus dois olhos e eu já não via nada. 

- Bem minha querida acho que deveria sonhar um pouco não é? Afinal é a única maneira de você ver algo não é? - Ele disse ironicamente. - Tchauzinho, guardiã! E não se esqueça, os olhos são aquilo que podem descobrir as coisas. Sem eles você não passa de uma inútil. 







Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...