História Ele é meu vizinho - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Justin Bieber
Visualizações 40
Palavras 1.569
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ola bebês da Mih

Boa leitura

Espero que gostem

Capítulo 7 - A casa


Fanfic / Fanfiction Ele é meu vizinho - Capítulo 7 - A casa

Caminhei por horas a procura de um ap ou casa pra alugar/vender.

Achei várias mais não gostei de nenhuma.

Parei pra comprar uma água e vi uma placa numa casa.

Atravessei a rua e uma senhor estava saindo dela.

-Boa tarde, essa casa está a venda?

-Boa tarde esta sim, quer dar uma olhadinha? - concordei.

Logo de entrada tinha uma sala grande, cozinha média confortável, uma suite, dois dormitórios e um lavabo. Quintal dos fundos grande com churrasqueira e tudo. Perfeita a casa pra mim.

-Gostou da casa? -Senhor perguntou

-Amei, qual valor?

- $325,000. Gostaria de comprar?

-Claro, mais antes preciso conversar com meu Pai. Pra ele me ajudar pagar.

-Claro aqui esta meu cartão ficarei no aguardo, pode me passar seu número caso aja outro interessado eu te ligo avisando.

- Ótimo, muito obrigado.

Sai de lá pensando como meu pai aceitaria me deixar morar sozinha. Tomei um táxi.

- Qual seu destino? - taxista perguntou.

-Calabasas - falei e ele me olhou. - Exatamente bairro The Oaks.

-Você mora lá? -concordei e comecei mexer no celular e vi uma mensagem de Justin de 20 minutos atrás.

"Conseguiu o que procurava?"

Sorri e resolvi responder.

"Achei uma casa linda, super combina com meu estilo, mas agora será difícil convencer meu pai me deixar morar sozinha." - mandei e logo ele respondeu.

"Você é menina, faz um charme e ele aceitará, sempre funciona com minha irmã"

"Justin ela é criança, eu não tenho mais 9 anos e não vai funcionar comigo."

"Não custa tenta"

Sorri com isso, sério mesmo que ele acha que eu fazer charme pro meu pai vai funcionar? Ele não vai deixar por eu ter acabado de voltar pra vida dele.

A viagem foi um pouco longa, pelo trânsito e por eu ter andando muito atrás de casa. Meu celular apitou e era Justin novamente.

"Aceita ir jantar comigo amanhã?" - como assim ele quer jantar comigo?

"Porque deveria aceitar?"

"Porque eu sou legal e sou o Justin Bieber" - revirei os olhos

"Você é muito convencido Justin, vou pensar".

"Pensa com carinho ok?"

-Você chegou ao seu destino. - taxista falou e olhei vendo que estava na portaria - não posso entrar.

Paguei o taxista descendo e indo até o portão e vendo Brandon.

-Boa noite Srta, qual casa vai? - outro segurança falou

-Pra minha. - falei e ele arqueou as sobrancelhas. -Brandon? - chamei e ele veio até mim.

-Oi Lissa, boa noite.

-Boa noite, fala pro seu amigo ai meu endereço que eu não sei. - falei sem graça e ele gargalhou.

-Ela é filha do Sr Garcia. -Ele abriu e entrei.

-Obrigado Brandon.- ele piscou pra mim.

-Seu pai chegou tem uns 10 minutos.

-Nossa, que azar o meu. Vou indo.

-Se quiser te acompanho. Condomínio muito vazio de noite e nunca se sabe quem você vai encontrar.

-Não precisa, não quero atrapalhar.

-Meu turno ja acabou Lissa, pode ficar tranquila.

Somos conversando da portaria até minha casa dava uns 5 minutos.

-Sinto muito pela sua mãe - Brandon falou

- Eu também sinto.

-Mas e ai como foi seu dia?

-Ah na faculdade foi tranquilo, depois fui atrás de casa pra alugar e comprar.

-Porque você sair mudar já?

-Estou querendo sair daqui é longe de tudo, quero morar próximo a minha faculdade e também quero trabalhar.

-Isso é verdade aqui é longe de tudo mesmo, mais pra quê trabalhar se você tem dinheiro?

-Eu não tenho dinheiro, quem tem dinheiro é meu pai. Eu não acostumo com isso, eu trabalho desde cedo, e gostaria de continuar trabalhando, por isso estou estudando medicina.

-Nossa que legal, chegamos Lissa. - falou e vi que estavamos na frente de casa.

-Obrigado pela compania até aqui. Você é legal.

-Então podemos ser amigos? - fiz uma careta e ele sorriu. - Eu tenho 21 anos, sou solteiro, trabalho em segurança, as vezes segurança particular de algum famoso. Ja fui modelo.

-Uau que legal, você realmente é gato e como modelo ganharia a vida em. Mais segurança é uma profissão legal.

-Você que é gata, qual sua idade Melissa? - falou chegando pertinho de mim e senti a respiração quente dele bater no meu rosto.

-E-eu tenho 19 faço 20 em 3 dias.

-Olha vai ter festa. - falou e me pegou na minha cintura fazendo carinho por baixo da blusa.

-Não pretendo comemorar mais meus aniversários, me nego festejar sem minha mãe.

-Eu entendo, mas gostaria de saber se você vai me passar seu número, e vai me retribuir se eu te beijar?

- você vai me beijar - sussurrei e ele concordou se aproximando, selou nossos lábios e me puxou pra colocar nossos corpos, o beijo estava quente e envolvente, paramos por falta de ar.

-Nossa não quero parar de te beijar, que beijo apaixonante. - Brandon falou e me puxou me beijando de novo, mais agora um beijo mais veloz, bruto e com muita pegada, senti a mão dele descendo pra minha bunda e...

Rum, rum... Nos soltamos e vi meu pai e George nos olhando.

-Pai. - falei e senti meu corpo queimar de vergonha.

-Onde estava até essas horas Melissa Vitória Garcia?

-Xau Brandon - falei indo da um beijo no rosto dele e ele virou me dando um selinho, andei em passos largos pra dentro de casa.

-Melissa? - escutei meu pai chamar e subi as escadas correndo e entrei no quarto.

Fui pro banheiro lavar o rosto e vi que estava bem vermelho e a boca nossa estava vermelha também pela intensidade do beijo.

Tok, tok, tok

-Posso entrar? -meu pai falou e concordei. Me joguei na cama preparada para ouvir o sermão.

-Claro John.

-Mel eu não quis te chamar atenção na frente do seu namorado, mais eu fiquei preocupado, ninguém sabia de você o dia inteiro.

-Que? Namorado? Enlouqueceu?

-Não é?

-Não pai, ele é segurança do condomínio se ofereceu pra me trazer e acabou de rolou um clima e acabamos aos beijos.

-Melissa você não pode sair beijando os caras assim sem conhecer.

-Pai eu tenho 19 anos, eu sei o que eu faço.

-Tudo bem, não quero falar sobre isso, hoje passei na escola e você começa fazer aulas de direção amanhã depois da faculdade.

-Pai eu...

-Aceite por favor.

-Tudo bem, muito obrigado. - pausei abraçando ele - Pai, eu quero te pedir umas coisas.

-Pode falar filha, não precisa ter receio de falar comigo, sou seu pai e quero ser seu amigo.

-Ok, promete não surtar e não ficar gritando? - falei e ele concordou rindo. -Quero morar sozinha, fui ver umas casas e ap hoje e achei uma casa a 15 minutos da faculdade, eu quero arrumar um emprego, eu não quero ficar dependendo de você pra sempre, no Brasil... ele me interrompeu

-Filha tudo bem, uma hora você irá sair de casa, mais você acabou de chegar. - falou triste - Fica por mais um tempo por favor.

-Tudo bem, mais quando eu quiser você vai me ajudar a comprar a casa ou apartamento?

-Claro, eu compro pra você, não precisa gastar com nada disso, o dinheiro da outra casa é seu se for gastar ele gaste com você, móveis e utensílios eu compro tudo. So basta você escolher.

-Obrigado pai. -abracei ele e senti meu corpo ficar tenso.

-Tudo bem? Você está tensa.

-Tem outra coisa. -Pausei engolindo seco -Justin me chamou pra jantar amanhã a noite, eu falei que iria pensar, mais eu queria sua permissão. Por favor não surta. - falei tudo tão rápido que ele gargalhou me olhando.

-Você quer ir? - concordei - Então vá, mais por favor não faça besteira, esse garoto é cheio dos problemas e andar com ele vai fazer você a garota problema também.

-Pai, eu sei não vou fazer nada que posso me prejudicar, e garanto que isso não irá acontecer.

-Você pretende se relacionar com ele? - meu pai falou levantando e andando de um lado pro outro, me levantei e segurei seu ombros.

-Somos por enquantos amigos Ok? Não pensa besteira, se caso um dia isso acontecer você será o primeiro a saber.

-Eu quero ser seu melhor amigo, quero ser o pai que não fui durante esses 19 anos. Agora você só tem a mim e quero que confie em mim pra falar sobre tudo. Principalmente sobre relacionamento e sexo. - sorri pela cara dele.

-Pai relaxa eu nunca transei e não pretendo transar nem tão cedo. Eu também quero ter esse tipo de relacionamento com você. Eu tinha com Den e com a mamãe porque eles me criaram. - falei e lembrar deles me deixou triste.

-Em 3 dias é seu aniversário, vai querer festa? Ou prefere viajar?

-Não quero festa, o que você me der eu vou amar.

-Eu te amo meu princesa.

-Eu te amo Pai.

Nos ficamos abraçados por minutos e ele suspirou e percebi que ele estava chorando.

-Pai?

-Shh... - ele continou me abraçando e depois me soltou. -Me perdoa por ter sido um pai tão filho da puta e dado mais importância a minha vida profissional do que você. Me perdoa. - falou e chorava igual criança.

-Pai, Claro que perdôo. Você sempre será meu pai, mesmo te vendo poucas vezes sempre te considerei como meu pai. Nada mudou. - falei e ja sentia as lágrimas querer vim - Pode me dar licença agora, preciso de um banho estou hiper cansada.

-Quer que eu peça pra Marcia trazer seu jantar?

-Não, eu vou descer. Obrigado.

Meu pai beijou minha testa e saiu.

Tomei um banho e coloquei um pijama simples e deitei.


Notas Finais


Olha lá
Vem jantar de Justin e Melissa por ai.

Ate logo bebês


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...