História ELE É O MEU CHEFE - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber, Taylor Swift
Personagens Justin Bieber, Taylor Swift
Tags Amor, Chefe, Escritório, Jaylorswiber, Justin Bieber, Justinbieber, Problema, Taylor Swift, Taylorswift, Trabalho
Exibições 101
Palavras 1.173
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Comentem se gostaram! S2

Capítulo 16 - Capítulo quinze


Fanfic / Fanfiction ELE É O MEU CHEFE - Capítulo 16 - Capítulo quinze

Capítulo quinze

Cody levantara-se e caminhara lentamente até ficar menos distante de Justin.

— Quer leva-la de mim, não é Heitor? - Sussurrou Cody e Justin o olhará rapidamente.

— Está louco... quem é Heitor? Sou eu, Justin, Justin Drew Bieber! E sim, eu vou levar a Taylor comigo.

Justin dera alguns passos a frente e encarou Cody friamente.

— Onde ela está?

O riso alto de Cody, fez Justin travar o maxilar.

— Só vou perguntar mais uma vez... - Justin dissera, dessa vez mais baixo. — Onde, está a Taylor? - Falou alto e segurou na camisa do outro homem.

Cody sorriu de lado, cínico, Justin arqueio as sobrancelhas com tal ato de seu novo inimigo.

— Você não precisa saber nada sobre a Merry. Nada!

Justin deu um soco no nariz de Cody, a raiva que ele sentia pelo mesmo não tinha diminuido, pelo contrário, Justin agora lembrava de tudo o que ele havia feito, assediado Taylor, invadido a casa moça, tirado-a dele...

— ONDE ELA ESTÁ?! - Justin gritou ao derrubar Cody e chuta-lo com toda a força possível.

Seu corpo e mente pediam aquilo, pediam aquela briga.

Cody, permaneceu quieto, sem emoção alguma em sua face.

— Seu psicopata... - Justin murmurou e chutou o rosto dele. — Vou encontrar ela, e chamarei a polícia! Você está louco, precisa tratar-se. (Justin falara, um tanto atordoado.)

Onde está Alison? Será que Cody a machucou?

Cody sorriu como resposta.

— Procure-a, achara o cadáver em algum lugar...

Justin levantara o homem pela camisa e desferiu socos por toda sua face, após soltar diversos grunhidos de dor, Cody começou a revidar os golpes e logo os dois estavam rolando pelo chão socando um ao outro.

Ponto de vista, Taylor Swift.

Lentamente abri meus olhos, ouvi barulhos lá de cima, barulhos muito altos... meu corpo doía e minha cabeça latejava, segurei em minha perna e apertei um pouco a mesma, gemi baixo de dor e levantei-me segurando na parede, não consegui mexer minha perna esquerda, a mesma que dói mais que qualquer outra parte do meu corpo.

Com muita dificuldade eu subi as escadas, os barulhos só foram aumentando...

Oh eu Deus... oque está havendo?

Olhei para os dois homens caídos no chão um moreno e um loiro, o meu loiro...

— Justin? - Falei alto ignorando a dor em meu corpo e a pequena voz em minha cabeça que me mandava jogar um vaso no Cody e soca-lo até meus dedos sangrarem.

A briga parou, mais rápido que tudo o que eu me lembrava de já ter visto... ambos se levantaram e me encararam.

— Taylor... - Justin me olhou e sorriu.

Ah, aquele sorriso...

— Oi... - Sussurrei com lágrimas em meus olhos.

Lágrimas de felicidade, de saudade.

Eu sei que devo estar terrivelmente machucada, mas eu só quero abraça-lo.

— Merry. - Cody chamou-me.

Merry... o nome da maldita que em certa parte — ou em toda parte — fez-me estar aqui.

— Já disse... que não sou essa aí...

— Merry por favor... não vá com o Heitor...- Cody aproximou-se e eu me afastei segurando em minha perna, Justin se aproximou rapidamente ficando ao lado dele, o desafiando talvez.

— Por favor oque?! Me agrediu e agora vai pedir desculpa, falar que está arrependido e que ele
... não me ama?! - Apontei para o Justin.

Cody fechou os olhos, ouvi seu suspiro alto e em seguida observei seu olhos vidrados nos meus.

— Fique... - Ele falou.

— Eu te odeio. Nunca te amei Cody! Eu sou a Taylor! - Falei em tom desesperado. — Se lembre porfavor... Eu não sou a Merry! Ele não é esse tal de Heitor.

Justin me olhou com ternura, e eu voltei a olhar para Cody que permaneceu com os olhos arregalados.

— Merry, não fale bobagens... Vou dar-te uma chance de esquecermos os problemas, esquecermos tudo, todo o passado, esquecermos do Heitor... você pode escolher-me... ou escolher ele.

Justin agora me olhava aflito.

Por acaso ele pensa que eu o deixarei?!

— Cody, ele é tudo pra mim, ele não é o ar que eu respiro, mas eu respiro por ele... eu vivo por ele... - Fiz uma pausa. — Na verdade... eu vivo por nós, por mim e por ele. E não por você, e não para você...

— Mas eu ainda sou apaixonado por você! - Cody disse alto.

Não...

— Para! Não! Você é apaixonado pela Merry, e eu não sou ela! - Me aproximei e segurei na mão do Justin, senti ele acariciar minha mão, ainda em silêncio.

— Nosso amor é perfeito Merry...

— Pare de insistência! "Nosso" amor é impossível, é... arriscado, nos machuca e dá a mim cicatrizes em meu coração e em meu corpo... - Falei baixo fitando uma parte qualquer do chão. Você me machuca Cody... Me machuca muito.

— Entao escolhe a ele... É isso? Vai me deixar de verdade? - Cody deu alguns passos a frente e segurou minha outra mão enquanto olhava minha mão junto a do Justin.

— Nunca estiveos juntos Cody, nem de verdade nem de mentira. - Puxo minha mão. — Adeus. - Justin passou um dos braços pela minha cintura e saímos da casa o mais rápido possível.

Estamos fora de perigo agora?

Ponto de vista, Cody Stines.

E ela se foi.
Como sempre foi...

Da forma mais dolorida ela me deixou, eu estive com ela na saúde, na doença, na alegria e na tristeza. E ela me deixou quando eu pensava que nosso amor estava apenas aumentando.

Ela devia ter misericórdia...
Imploro-a por amor e ela deixa-me aqui, sozinho.

E eu sei que não foi por eu agredir ela, nem por prende-la. Foi culpa dele. Sim...

— Culpa dele. - Empurrei o criado-mudo derrubando assim o vaso com flores que antes estava sobre o mesmo.

Eu só estava sozinho, tentando me encontrar tentando encontrar meu amor novamente.
Ela me tem em seus bravos e só ela não notou isso ainda... E quando eu finalmente a tenho em meus braços, ela se vai novamente, por culpa dele.

— CULPA DELE!

Mas é quando a dor ataca que eu sei que sou mais forte, por que eu acredito no nosso amor...

— Em nome do amor....

Eu terei ela de volta.

Ela é o meu céu, o meu mar, meu amor, meu ódio.

— Em nome do amor... EU TEREI ELA DE VOLTA!

Por que eu peço misericórdia, eu só quero ama-la, esquecer as traições, as dores, as brigas, éramos jovens... imaturos.

Não sei o que nos aguarda, mas eu não deesistirei do meu amor, não seremos mais crianças imaturas, nosso amor não vai mais ser um desastre.

Ela tem um pedaço de mim com ela, um pedaço do meu bem mais precioso, do meu coração, do meu amor... e só ela não notou isso ainda, mas um dia estarei mais próximo, mostrarei a ela. E esse dia não está longe, ela não está sem mim, nunca estará.

— Porque eu ainda te amo, Taylor.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...