História Ele é o Quinto (Yoonmin e Namjin) - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, Got7
Personagens D.O, Jackson, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Kai, Lay, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, Tao, V, Xiumin
Tags Bts, Fanfic, Hobi, Hope, Hoseok, Jeon, Jhope, Jimin, Jin, Jung, Jungkook, Kim, Kook, Kookie, Min, Minie, Namjin, Namjoon, Park, Policial, Tae, Taehyung, Taekook, Taekookhope, Vhope, Vhopekook, Vkookhope, Yoongi, Yoonmin
Visualizações 1.035
Palavras 4.418
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Ficção, Hentai, Lemon, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Biscoitinhooooooooooooooooooooosssssssssssssssssssssssssss

Seeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeemmmmmmmmmm oooooooooooorrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr
demorou pra sair esse cap, desculpa gente!

Complicou pra eu escrever por causa do meu trabalho, me desculpem mesmo.

Vamo? Vamo!

apreciem ♥

Capítulo 21 - Depoimento do Zitao


Fanfic / Fanfiction Ele é o Quinto (Yoonmin e Namjin) - Capítulo 21 - Depoimento do Zitao

Busan, Distrito, Sala Vinte e Três, quinta-feira 11:33h

POV YOONGI

“DELE. Eu acho que... eu sou o quarto.”.

- Quando quer vir depor, Zitao?

“Eu estou ligando no seu número pessoal porque quero isso o mais restrito possível. Vou hoje, cinco e meia da tarde, espero que maior parte dos seus homens tenham ido embora, mas eu quero falar com o Yoongi.”.

- Yoongi? Tem certeza?

“Sim. Com ele e com aquele ruivo irritadinho.”.

- Jimin? O que tem a ver o Jimin?

“Nada, só achei ele gostoso e queria vê-lo de novo.”.

- Yoongi te parte a cara, moleque.

“Hoseok, depois do que eu tenho pra dizer, partir a minha cara vai ser um carinho, Ok? Cinco e meia.”.

E ele desligou.

- MAS QUE PORRA É ESSA? – Hope gritou. – PRIMEIRO NÃO QUER VIR DEPOR, E AGORA VEM CORRENDO?

- Eu vou amassar a cara do Zitao na mesa. – eu disse baixinho olhando para Jimin.

- Não vai, não.

- Só existe uma explicação. – disse Jin, atraindo a atenção de todos. – Jessica era próxima de Tao e eles tinham algo em comum, algum segredo em comum e agora, sabendo da morte dela, ele se sente ameaçado.

- E ele precisa de proteção, significa que ele tem muito o que dizer. – ponderou Namjoon. – Finalmente, uma luz no fim do túnel.

- Ok, mas e almoçar, alguém vai? Eu estou morrendo de fome. – reclamou Taehyung.

- Vamos todos? – chamou Hoseok. – Eu quero saber umas coisas aí, do tipo alguém não foi pra casa desde ontem.

Senti a indireta, Namjoon pelo jeito tinha passado pela casa dele antes de ir ao distrito. Rolando os olhos, aceitamos o convite e seguimos os sete para o refeitório de mesinhas metálicas do Distrito, evitando conversar sobre o caso. Os dois. Escolhemos o almoço, comecei a acreditar que Jimin realmente tem gostos parecidos com os meus, ele sempre pedia algo parecido com o que eu pedia. Quando todos estavam devidamente instalados e comendo, o assunto voltou à tona.

- Mas então...

- Então, Taehyung, - Jimin interrompeu o rapaz. – o que te deu pra fazer aquelas perguntas?

- Eu estava curioso. – ele deu de ombros. – E Suga nem ouviu.

- O que? – perguntei.

- Nada. – ele respondeu rápido demais.

- O motivo de Jimin ter preferido ir atrás do encapuzado ao invés de mandar você. – disse Jungkook num sorriso.

- Foi fofo. – disse Hope, num sorriso enquanto pegava um pedaço de frango.

- E qual foi?

- Você é um dos alvos, como que eu mando você pro assassino?

- Ele pensou isso agora.

- Cala a boca, Jin. – ele disse quase sobre a frase do mais velho.

- Minie... – Eu chamei o rapaz.

- Eu não ia mandar você até lá sozinho, Yoongi. Ponto.

- Que gracinha, eles. – Jin apoiou as mãos no queixo enquanto Namjoon fez um coraçãozinho com os dedos. Do outro lado da mesa, o casal Vkook juntou suas mãos para fazer um coração maior.

- Eu estou vendo isso. – fiz cara feia para os meninos, mas eles apenas riram de mim. – E você, de que adianta se você também foi sozinho e desarmado?

- Eu só me preocupei em ter você seguro, Yoon. Não pensei sobre, só... fiz.

- Pois eu fiquei preocupado também. – as palavras saíram antes que eu pudesse impedir.

- Quanto amor, meu Deus, eu vou chorar. – Taehyung pegou um guardanapo e fez uma cena exageradamente dramática.

Mostrei o dedo do meio para ele; Jungkook levantou a mão como quem diz “eu faço isso” e abraçou o rapaz por um segundo. Essa era a parte ruim de xingar o Tae, ele tinha um Jungkook que não perdia a oportunidade de participar da brincadeira.

- Não fica muito contente, Jiminie, até parece que o Suga consegue ser cuidadoso com alguém por muito tempo.

- Eu sei que não. – ele respondeu num sorriso.

- Que mentira! Me diz quando eu não cala a boca Park Jimin! – eu juntei uma frase na outra quando vi o sorriso pervertido do ruivo ao apoiar o queixo na mão e me encarar.

Os outros cinco ocupantes da mesa começaram a rir da cena, o que fez que Jimin virasse minimamente o rosto para eles, mostrando um dos roxos do pescoço ao abaixar a gola da blusa.

- Continue, hyung. – ele me desafiou.

- Achou ruim? Eu faço mais um.

Jimin riu e voltou a comer, eu estava só esperando o próximo comentário.

- Esse moletom até o pescoço é pelo mesmo motivo, Suga?

- Não. – eu disse simplesmente.

- Viu como eu sou gentil? – Minie deu um sorriso bonito que quase me enganava.

- Não precisa tratar o Suga como se fosse de porcelana, Jiminie. – disse o mais novo. – Não depois do que ele fez.

- Porra, e que marca! – disse Hoseok.

- Até porque... porcelana não fica roxa, certo, Minie?

- Você não acabou de dizer que o moletom não era pelo mesmo motivo? – perguntou Namjoon.

- Não é. – eu respondi e abri o moletom, mostrando meu pescoço que além de roxos, tinha arranhados ainda vermelhos. – Se fosse só roxo, eu nem teria me preocupado.

Enquanto as piadinhas vinham, Jimin apenas sorriu e continuou comendo. Ele era bem mais tranquilo em ser zoado do que eu, suponho que tinha muito costume com isso.

- Ok, que tal ficar zoando um pouco o casal Namjin? Nós acabamos enfiados nesse assassinato por causa deles.

- Oi, tudo bom? Estamos muito bem, obrigado por ter perguntado. – foi a vez de Jin responder com um sorriso.

- Com bem menos estrago no corpo também. – disse Namjoon. – Depois eu que sou o pervertido desse distrito.

- Mas você é o pervertido desse distrito. – cortou Hoseok. – Jin, sério, não pega o celular dele em hipótese alguma!

- Por que?

- Naaaaaaaada não, Jinie hyung, eles estão confundindo o telefone.

- Confundindo?? – Hope soou indignado.

E então a conversa se converteu para Jin e Namjoon com a sua vasta biblioteca de conteúdo adulto. Deixei que minha mão esquerda pousasse sobre a coxa de Jimin, eu queria agradecer por ter se preocupado, mas eu não sabia como fazer isso. Por sorte, com o ruivo eu não precisava dizer muito; ele se virou para mim e sorriu, seus olhos formando dois risquinhos enquanto sua mão apertou a minha de leve. Aquele tinha sido o meu “obrigado” e esse o “de nada” de Jimin, o que para mim estava perfeito.

 

Busan, Distrito, Algum Lugar dos Corredores, quinta-feira 14:45h

POV HOSEOK

Era a quinta sala. Quinta fodendo sala que eu entrava para dispensar funcionário, simplesmente porque se eu mandasse recado, provavelmente todo mundo ia achar que era mentira. Abri a porta sem cerimônias e encontrei Jackson com Lay conversando, os pés apoiados na mesa.

- Heeeeeeeey, casal. Dispensados depois das três. Obrigado, de nada.

- Não somos um casal, quantas vezes eu vou ter que dizer isso? – reclamou Lay.

- Então pega essas horas extras e vai foder o Suho, Lay. Que seja.

- Por que está nos dispensando?

- Não vocês, Jack, estou dispensando todo mundo do andar, quero todo mundo aqui amanhã uma hora antes por causa do novo assassinato. Hoje não podemos fazer nada.

- Hmm...

- Bom, eu aceito, vou adiantar algumas coisas em casa. – disse Lay num sorriso.

- Eu vou também. – confirmou Jack.

- Até amanhã. – eu disse e fechei a porta. Faltava só mais dez salas, nada demais.

**

Exatamente três e meia, não tinha mais quase ninguém andando pelos corredores, o que era ótimo para nós. Fui até a sala de Jungkook, ele estava dentro do pequeno estúdio, sozinho, separava o que tinha de perseguição de Jimin na madrugada.

- Hey, biscoito. – cumprimentei o rapaz.

- Hey, Hope. Dispensou todo mundo?

- O andar inteiro.

- Ótimo... porra, o Jimin corre pra caralho, olha isso.

Ele passou uma gravação, o homem na frente corria tão rápido que parecia quase um borrão e Jimin apareceu logo atrás, quase tão rápido quanto.

- Porra...

- Acho que se o Yoongi tivesse ido, ele não teria corrido tanto assim...

- Não. – observo mais um pouco. Tinha algo me incomodando, algo que eu queria muito perguntar, e eu sabia que devia perguntar aos dois juntos, mas... – Jungkook?

- Sim?

- Eu sei que devia perguntar pra vocês dois juntos, mas... por que vocês insistem para que eu passe a noite com vocês? Eu devia voltar pra casa.

Kookie sorriu como se esperasse por essa pergunta há algum tempo.

- Por dois motivos básicos, Hope. Primeiro, você não consegue sequer sair da cama quando terminamos. E, segundo, nós gostamos de dormir com você da primeira vez, então resolvemos que sempre faríamos.

Sempre muito direto, o garoto biscoito e eu apreciava muito isso no mais novo.

- Eu durmo melhor com vocês.

- Sabemos. Você dorme bem menos, e mesmo assim, não fica com sono. E deveria.

- Vocês também não dormem muito e acordam muito bem.

- Estamos acostumados a virar a noite. – ele sorriu. – Quer que eu prepare a sala dois pro interrogatório?

- Por favor. Obrigado, Kookie.

- De nada. – ele sorriu mais uma vez, entendendo que meu “obrigado” foi por muito mais do que ele preparar a sala para o interrogatório de Zitao.

- Vou voltar pra minha sala, qualquer coisa, me chame.

- Certo.

Saí da sala um pouquinho mais feliz pelas palavras do rapaz. E eu nem devia ficar, afinal, mas por enquanto eu não iria me preocupar com isso. Fui até a minha sala e me joguei na poltrona confortável, me espreguiçando antes de voltar a ler relatórios; seriam longas horas até aquele filho da puta resolver vir até aqui.

 

Busan, Distrito, Sala do Café, quinta-feira 16:58h

POV JIN

Eu estava cansado de olhar para aquele quadro sem conseguir raciocinar direito; faltava tanta coisa, como por exemplo quem tinha feito tudo isso acontecer. Acreditava de verdade que o assassino era alguém mandado a fazer isso, era tudo que me fazia sentido. Namjoon estava tentando ajudar de alguma forma, então eu fui até a sala do café para pegar para todo mundo; quando estava no corredor já pude ouvir uma voz alterada.

- MAS QUE MERDA! TÁ, EU VOU. JÁ DISSE QUE EU VOU! – e Jackson rosnou para o telefone.

- Uuuhhh, o namorado estressou.

- É um filho da puta, isso sim. – ele passou a mão pelo rosto. – Pense que tivesse ido embora.

- Eu ia, mas acabei ficando pra ajudar com o perfil psicológico do assassino. – eu disse enquanto programava a máquina.

- Progredindo?

- Nem um pouco, é frustrante. Por que você ainda ficou?

- Tinha papelada pra resolver, o Lay foi já faz um tempo.

- Devia descansar, Jack. Sério, parece tão abatido.

- Obrigado pela sua preocupação, Jinie, – ele disse com sarcasmo. – mas eu estou bem.

- Hmm.

- E como vai com Namjoonie?

- Otimamente bem. – sorrio inconscientemente.

- Bom que ele tenha alguém que possa cuidar dele. – ele deu um sorriso mínimo. – Vou indo.

- Não era você que cuidava dele, Jack?

- Não posso mais fazer isso, e não é por sua causa, antes que pergunte. Não podia antes mesmo de você chegar aqui.

Ele deu um aceno e se afastou, me deixando curioso com as suas palavras. Peguei uma bandeja pequena e preparei os outros cafés, coloquei tudo sobre ela e fui até a sala Vinte e Três onde ninguém estava com uma cara boa.

- O que temos?

- Frustração, aos montes. – disse Namjoon.

Deixei um selinho sobre os lábios de Joonie antes de deixar o café para ele que aceitou com um sorriso, deixei um para Suga e um para Jimin que me agradeceu em inglês por puro reflexo. Jimin se sentou na cadeira, cansado demais pra qualquer coisa enquanto Yoongi ainda andava de um lado para o outro, irritado. Por fim, meu primo o puxou para seu colo, onde Suga sentou sobre uma de suas coxas, olhando o nada; foi tão natural que eu não consegui achar estranho, muito menos zoar os dois pela cena, porque Yoongi estava tão concentrado que era capaz dele não ter processado a informação.

- Encontrei com Jack na sala do café.

- Ele já devia ter ido embora, não devia?

- Devia, sim. – respondi para Jimin. – Tem ideia do porque o seu amigo ainda está aqui?

- Ele sabe do Zitao, suponho. Talvez queira ver o que ele vai dizer.

- Hope disse que vai se trancado, ninguém vai ter acesso. – Suga finalmente disse algo. – Se ele quiser algo, não vai ser hoje.

- Hmm. – eu concordei. – Em todo caso...

- Eu vou ficar de olho. – disse Namjoon.

Concordei com o rapaz, sem mencionar o que ele havia dito de não poder mais cuidar de Joonie. Talvez um namorado, alguma coisa que o tenha impedido, já que não fui eu.

- Ok, vamos pensar direito em tudo isso aí.

- Vai lá, homem das teorias. – Namjoon riu enquanto eu mostrava a língua pra ele.

- Vamos supor que todo mundo fazia parte do mesmo esquema, certo? Então Star é o comando, ele passa as ordens para algumas pessoas aqui, vamos colocar um deles como ENI, como vocês ouviram.

- Não acha que ENI seja o Star?

- Não acho que o Star sujaria as mãos, tampouco que muitas pessoas saibam dele. Na verdade, suponho mesmo que Lay e Jack sejam peixe pequeno demais para que o dono de tudo se preocupe com eles. ENI deve ser um lixeiro, ou o próprio assassino. Temos dois policiais mortos, que eu suponho que sabiam demais, mas se encaixam na mesma categoria que Lay e Jack: peixe pequeno infiltrado. Depois, nós temos Chong, Maia, Jessica e Zitao.

- Sabemos que o Chong passava as informações de chegada de mercadoria. – disse Suga.

- Sim, então se temos Zitao com tanto medo, e ele é homem, vamos supor que ele fazia o carregamento e distribuía as coisas, seria mais fácil do que aceitar que uma moça frágil como Jessica ou Maia faça isso. Não desmerecendo a força delas, mas sabemos que essas pessoas geralmente são um tanto machistas. Então supomos que Zitao seja o nosso homem que repassa as coisas, ele viu Chong, Maia e Jessica que trabalhavam com eles morrer, então é óbvio que esteja com medo.

- Sim, mas... ainda é estranho.

- Podemos supor que a relojoaria da mulher vendia alguma coisa a mais? – perguntou Jimin. – Qualquer um com um relógio pode entrar sem levantar suspeitas.

- Exato, querido. Se ela vendia, Maia ajudava. Temos o motivo do depoimento do Zitao. Ele sabe todo mundo que está envolvido e tem medo de ser o próximo.

- Se temos pessoas infiltradas, como vamos conseguir protege-lo? – perguntou Yoongi. – pode ser qualquer um a mais do que aqueles dois.

- Pode, por isso Hoseok dispensou o andar inteiro, ele quer saber os que vão ficar depois, na câmera de segurança do lugar.

- Hope é muito esperto. – compreendeu Namjoon.

Ouvimos a porta abrir antes que pudéssemos concordar com ele e a cabeleira castanha de Taehyung entrou no lugar.

- Zitao chegou, queridos.

- Ótimo. – disse Yoongi. – Hora de conversar de verdade com esse filho da puta... e amassar a cara dele na mesa.

- Por tudo que ele fez? – eu provoquei enquanto nos levantávamos para ir até a porta.

- Por ter chamado o Jimin de gostoso. Só eu posso fazer isso. – ele respondeu dando um tapa na bunda do meu primo.

- Idiota. – ele riu, mas sabíamos que no fundo, ele concordava.

Caminhamos pelos corredores do Distrito até chegarmos ao destino, a sala que mais cedo Jimin e Yoongi prestaram depoimento, mas agora, somente Jungkook e Taehyung estavam na sala anexa, atrás do vidro.

- Dispensamos o estagiário por motivos óbvios. - disse Jungkook quando eu o olhei com ar de dúvida. - Seremos só nós.

- Zitao está lá dentro? - perguntou Namjoon.

- Vai entrar agora, está com o advogado. Pensei que fosse trazer um guarda-costas, pelo que disse no telefone.

- Eu também, mas se não, significa que não confia na sua própria gente.

Vimos o rapaz entrar, estava apreensivo, era evidente. Ele se sentou e olhou para o advogado alto de cabelos escuros, confirmando alguma coisa. Hope logo entrou na sala, Jimin e Yoongi o tinham acompanhado, mas ainda estavam do lado de fora, Namjoon e eu, junto com o casal VKook, estávamos atrás do vidro, observando.

- Boa tarde, Zitao. Como pedido.

- Acenda a luz, quero ver quem está ali nos ouvindo.

- Meus homens. São todos de confiança.

- Então me deixa ter certeza, delegado Jung.

Bufando, visivelmente irritado, ele acenou com a mão e Taehyung acendeu a luz, deixando que Zitao e seu advogado nos visse.

- Tudo bem. Por favor, tranquem a sala para que ninguém mais entre ali.

- Já está. Por que tanto medo, Zitao?

- Podem tentar me matar aqui, Hoseok. Eu quero ter certeza que vou pelo menos conseguir dizer o que eu tenho pra dizer. Aonde está o novo casalzinho da delegacia?

Hope abriu a porta, vendo que falar sem eles o chinês não iria, então chamou os rapazes que entraram um por um.

- Ah, Suga! Que fatídica tragédia te ver novamente, sim?

- Igualmente.

- Não posso dizer o mesmo de Jimin. É sempre um prazer ver você, policial.

- Detetive.

- Ah, sim... "Yoongi fora do caso", você disse... mas nem em outro século Yoongi não estaria no caso, a sua raiva é maior que muita coisa. Quer resolver tudo isso, certo, Suga? Como se sente sabendo que quem você odiou por tanto tempo vai te dar todas as respostas? - ele deu um sorriso de lado.

- Sinceramente? Feliz em saber que eu estava certo o tempo todo. Você não vale nada...

- Ah-ah, Suga... não vamos nos precipitar em me xingar, OK? Na verdade, você mais que ninguém deveria me agradecer.

- Agradecer?

- Por manter um filho da puta como você vivo. Você tem ideia... do quanto eu te odeio, Min Yoongi?

 

POV YOONGI

É claro que eu tinha e era totalmente recíproco. Até onde eu sabia, ele vivia colocando coisas na cabeça do Chong contra mim, e isso me deixava puto de raiva.

- Recíproco.

- Não, não é. Você me odeia porque acha que eu envenenei o seu namoro com o Chong.

- E não foi?

- Longe disso, Min. Eu queria vocês juntos, eu incentivava o quanto eu podia que ele não discutisse com você, e no final... ele começou a gostar de você. Foi isso que fodeu a gente! ELE SIMPATIZOU COM VOCÊ E AGORA ESTÁ MORTO!

Tinha uma ira tão grande nas palavras do homem que eu não podia duvidar.

- Zitao, pode começar do começo, por favor? Está sendo gravado, seu advogado poderá barrar qualquer pergunta nossa a qualquer momento. - disse Hope, na sua calmaria de sempre.

Ele respirou fundo e fechou os olhos por um segundo inteiro antes de olhar para Jimin.

- Por que não se senta aqui? - ele indicou a cadeira à frente dele.

- Estou bem em pé.

- Eu estou bem com você em pé, mas estou melhor com você no meu campo de visão.

Era normal eu ferver de ódio ao saber que Zitao queria ficar olhando para Jimin? Na verdade, quem não queria? Respirei fundo enquanto via o ruivo cruzar os braços e dar alguns passos para o lado, ficando então na frente do rapaz.

- Pronto?

- Melhor. Vamos deixar o interessante pro final e começar por onde vocês sabem: Chong.

- Estamos ouvindo. - eu disse.

- Chong estava participando da operação, nós crescemos juntos como não é segredo pra ninguém, nós dois, Maia e Jessica estudávamos na mesma faculdade, Chong e Maia faziam o mesmo treino. Ele foi escalado para fazer a parte suja de se infiltrar no Distrito, na época era bem difícil de conseguir informações mais diretas porque o nerdzinho lá atrás trocou todo o sistema da polícia.

Ele se referia a Jungkook.

- E então?

- Então que ENI precisava de alguém aqui dentro, MUITO dentro. Ele foi escolhido porque você foi eleito o mais fácil. Sozinho quase sempre, bebia bem, ia em baladas mesmo que disfarçado, pegava muita gente. Chong fazia seu tipo: bonito, gostoso e reservado. - ele olhou para Jimin e sorriu. - E um tanto problemático também.

- Vocês me vigiavam.

- O tempo todo. Levamos tempo até Chong se mostrar confiável pra você, até começarem a namorar, e então pegamos seu login e senha, o que facilitou nossa vida por um tempo. Íamos colocar a culpa em você, mas AQUELE FLHO DA PUTA DO CHONG NÃO FEZ O SERVIÇO COMPLETO.

- E ele morreu.

- Sim, e todos que trabalhavam juntos nisso está morrendo, pouco a pouco. E o próximo, meus amigos, sou eu.

Não, não era só isso... não era simples assim...

- É a troco dessas informações que você quer proteção? – perguntou Hoseok.

- Meu cliente tem nomes, documentos, datas, contas, tudo nessa pasta que pode fazer vocês prenderem o real culpado do que vocês batizaram de Lady Oca. – ele indicou a pasta de couro preta.

- Isso te acusa também, Zitao.

- Tudo bem de eu ir preso. Eu quero é continuar vivo.

- E o nome do cabeça do Lady Oca? – eu perguntei.

- Eni. Quer saber mais, Yoongi? Leia os papéis, vai achar tudo que precisa. Eu já facilitei demais a sua vida... hora de colocar os neurônios pra funcionar.

- Minha vontade é de enfiar a sua cara nessa mesa e as duas nesse chão de concreto, seu filho da puta.

- Vou relevar as ameaças contra o meu cliente, senhor Min.

- É claro que vai, o seu cliente tá mais fodido do que devia, nisso tudo eu sou a menor ameaça dele.

- Eu não fodia o Chong, Yoongi. – ele disse com cara de tédio. – Ninguém fazia isso, ele se afastou de todo mundo quando vocês começaram a namorar. E eu não quero foder o seu ruivinho ali, apesar de achar que seria uma delícia. – ele piscou para Jimin.

- Você nunca vai experimentar pra saber. – Jimin disse baixinho.

- Temos um acordo? – perguntou o advogado.

- Temos. Pode ir embora, Zitao, chamaremos quando tivermos alguma coisa que possa te pôr preso.

- Espera. – disse Zitao. – Não podem me liberar. Eu não posso sair daqui.

- É claro que pode, Ziao. – Hope olhou o rapaz com um sorriso que beirava o pervertido. – Não temos uma confissão direta, não podemos prendê-lo aqui sem uma investigação.

- ELES VÃO ME MATAR SE EU SAIR, HOSEOK!

- Ah, é? Que pena, mas... não é um problema nosso ainda. Passar bem, Huang Zitao. Pode levar seu cliente.

- Vamos, Tao.

- Eu não posso sair... eu não posso sair. – ele balbuciava.

- Vamos embora, Tao. – chamou mais uma vez o seu advogado.

- EU NÃO POSSO IR! VOCÊS NÃO ENTENDEM! O ENI VAI ME MATAR.

- Se prestar uma queixa formal contra ele, eu posso pensar no seu caso, fora isso...

- Hoseok... pelo amor de Deus. – ele suplicou ao meu chefe, realmente espantado com a perspectiva de sair dali.

- Sem confissão, sem queixa, sem prisão. É assim que funciona.

- Só vamos. – chamou o homem.

- Eu... eu matei aqueles dois policiais.

- ZITAO! – ralhou o homem.

- Fui eu. Não foi o assassino que vocês estão atrás. Fui eu.

- Que mentira mais...

- Eles foram cortados de maneira diferente. Tem discordância de alguns milímetros, certo?

- Como você sabe?

- ACHA QUE EU NÃO RECONHEÇO A PORRA DO MEU CORTE? Não é igual ao dele, mesmo que eu tente minha vida inteira. Eles foram encontrados em um beco, os dois, e o mais velho estava sem o celular dele. Pode encontra-lo na minha casa, dentro de uma escrivaninha de mogno no meu quarto. O horário da morte foi exatamente duas e cinquenta da manhã, eles estavam fazendo uma ronda não programada porque eu os chamei. Eles eram infiltrados e eu os matei.

- Por que?

- Me mantenha vivo... e eu conto o motivo.

Diante de uma confissão dessas, não podíamos não prender o homem. O que foi um grande gosto.

 

POV NAMJOON

Meu telefone começou a vibrar insistentemente, estranhei ao ver que era Lay me ligando de um antigo número dele que eu ainda tinha salvo nos contatos..

- Namjoon?

- Nam? Lay. Sala doze. Não deixa o zelador chegar perto.

E o telefone ficou mudo.

- Quem era, Joonie? – perguntou Jinie.

- O Lay... eu já volto.

Segui apressadamente para a sala doze, correndo alguns pedaços que não tinha ninguém para não levantar suspeitas. Porque Lay não tinha falado muito e mesmo o que tinha falado não fez muito sentido; segui para a sala doze que estava trancada. Não tinha tempo de uma chave mestra, então tive que arromba-la com o pé; nada. Vazia. Mas tinha algo estranho. Olhei por tudo e, quando estava quase convencido, ouvi um pequeno barulhinho vindo de um dos armários.

Ao abrir, um choque frio passou pela minha coluna. Era o HaaKan, nosso zelador, amarrado e amordaçado, provavelmente apagado com alguma coisa. Deixei o homem ali mesmo e corri em busca de alguém.

- Soo, feche tudo, alerta vermelho, o HaaKan está amordaçado e preso na sala doze, ninguém sai.

Deixei uma moça assustada para trás, precisava correr para avisar os outros.

Quando eu virei o corredor, como em câmera lenta, Zitao era levado preso por Jimin e Suga, sendo Suga na frente deles e Jimin segurando as mãos presas. O advogado vinha logo atrás conversando com Hoseok e, indo de encontro com eles, um zelador. Puta merda.

Zitao não estava na mira do homem, Jimin estava na frente dele e nem se dava conta do que estava acontecendo, então eu corri como nunca, tentando alcança-los o mais rápido que dava.

- Yoongi, o...

Suga se virou no exato momento que o zelador falso tirava um pequeno cano prateado do bolso e apontava em direção ao Jimin e Zitao. Ao ver, ele não pensou e logo o meu melhor amigo tinha se colocado entre o ruivo e o homem, fazendo o detetive se abaixar um pouco. Um baixo estampido.

- YOONGI!!!!!!! – gritou Jimin.

Um grito. De Suga.

Hoseok acertou um soco no homem e tomou sua arma enquanto Jimin se abaixou para amparar Yoongi que escorregava por ele, a mão apertando com força o ombro na parede atrás de Zitao, a bala presa. Foi de raspão.

Graças ao bom Deus.


Notas Finais


Segura esse tiro haushuahsuhasuhauhsuhasuh

E agora? as teorias começaram a fazer sentido? Me deixem saber hasuhauhsuhasuhauhs

gostaram? me conta! ♥♥

2beijo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...